Em folha:

Feliciano representado nos quadrinhos da Folha

>>

* A Folha de S.Paulo, em sua célebre seção de quadrinhos, publicou hoje tiras de “Beijaço Gay”, incluindo os cartunistas se beijando nos desenhos. A ação é contra as ideias, o posicionamento, a existência do pastor e deputado Marco Feliciano, comandante da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, veja você.

Hoje o cartunista Laerte, “nova mulher”, participa de um protesto na praça Roosevelt, em São Paulo, às 19h.

>>

A capa do ano

>>

* Sou fascinado por capa de jornais e revistas. Às vezes compro publicações mais pela capa bem-feita do que pelo conteúdo dela inteiro, que está dentro. Enfim. Tudo isso para dizer que achei incrível a capa do caderno de Esporte da “Folha de S.Paulo”, de hoje. Masterpiece. Diz tudo, tem ideia, a imagem é bonita, representativa.

Veja bem. Não digo isso porque escrevo para o jornal nem porque tenho uma coluna semanal no caderno de Esporte, que por coincidência saiu HOJE, haha.

Decidi falar do assunto “capas” porque hoje mesmo estava vendo sobre uma premiação que ocorre amanhã na Inglaterra. Vão divulgar a “Capa do Ano” dentre as publicações britânicas. Entre as concorrentes (o prêmio é em relação às publicações do ano passado), botei aí embaixo minhas prediletas aqui.

A capa da “Stylist”, caprichada revista semanal feminina distribuída de graça nas grandes cidades da Inglaterra, com a jornalista e apresentadora de TV famosa Nigella coberta de caramelo

***

Elvis Presley bombando na capa da “What’s Next”

***

Capa da “Shortlist” que é a “Edição da Preguiça”, um estudo sobre por que os homens fazem menos cada vez mais

***

Capa da famosa “Wallpaper” sobre o início da turnê 3D da banda alemã Kraftwerk

***

Genial capa da “Men’s health” sobre emagrecimento com o Peter do desenho “Family Guy” mostrando a barriga

>>

Semana SWU – Entrevista COURTNEY LOVE, parte 1 – O filme do Cobain, os indestrutíveis do rock e para quem Cobain fez o “Nevermind”

>>

* A mulher é bafo. Confira uma versão “Bigger, Longer, Uncut” da entrevista que saiu na edição de hoje da “Folha de S.Paulo” com a cantora e atriz Courtney Love, feita por mim na semana passada, por telefone. Dá para ouvir a Courtney disparada a falar. Tem um áudio aí embaixo, também.

*** “Olá, Courtney. Tudo bem com você?”
Essa foi a primeira e única pergunta em entrevista de mais de uma hora  feita com a cantora e atriz americana Courtney Love. Uma das figuras mais polêmicas e excessivas do rock, a viúva de Kurt Cobain (Nirvana) vem com sua banda Hole ao Brasil para um show no domingo no festival SWU, evento de três dias que ocorrerá dos dias 12 a 14 em Paulínia, interior de SP.
O combinado era que Love falasse por 10-15 minutos. E as perguntas proibidas na entrevista, sob expressa orientação de seu empresário, eram sobre: drogas, Kurt Cobain, sua filha, seus filmes. Mas não tem essa de combinação com Courtney Love.

“Não, não está tudo bem comigo”, respondeu Love, para nunca mais parar de falar sobre: Kurt Cobain, o filme de Kurt Cobain, Kurt Cobain e o Nirvana, em quem Kurt Cobain estava pensando quando fez o “Nevermind”, os tempos de Love como VOCALISTA DO FAITH NO MORE, o quanto ela ganha hoje na música, os artistas do festival SWU dos quais ela gosta (e os que não)…

– Courtney, a indestrutível: “Eu li ontem essa reportagem da revista “Spin”, sobre “Os 18 astros indestrutíveis do rock”. Eu não pertenço à porra dessa lista! Sabe quem encabeça? Steven Tyler [Aerosmith]! Número 2: Ozzy! E eles falam das doenças, bizarrices, problemas neurológicos, câncer e tal. Daí, em terceiro lugar vem o Bret Michaels [Poison] e eles listam todos os absurdos médicos pelos quais o cara já passou! E eu nunca tive a porra de um resfriado!!! E lá vem eu em número 4! E vou ler o texto e está lá: ‘viciada em drogas’. É isso? ‘Luta contra o vício’. Sem nenhum problema de saúde! E me botaram em quarto lugar! Consigo pensar em pelo menos três pessoas que usam mais drogas que eu até hoje e inclusive uma delas vai tocar neste mesmo festival aí no Brasil. Eu sou um touro, nunca quebrei um osso. Tem um documentário recente sobre a Patty Schemel, que era a nossa baterista, e tem toda a parte do Hole… Eles me filmaram fazendo muita merda… Mas, OK, nunca quebrei um osso. Se tem uma coisa a que eu sobrevivi foi à morte do meu marido. E a esse monte de gente que roubou nosso dinheiro.”

ÁUDIO: Courtney Love indignada com sua posição no “ranking dos sobreviventes do rock” da revista americana “SPIN” deste mês. Ouça os comentários dela, abaixo, principalmente a hora em que ela fala do Scott Weiland, do Stone Temple Pilots:

* Courtney e o novo filme sobre Kurt Cobain: “Estou fazendo a produção executiva desse filme sobre o Kurt e sobre mim. É um filme que pega toda a essência, a podridão e toda essa merda que a gente lê por aí. Me encontrei algumas vezes com Dave [Grohl, do Foo Fighters, ex-baterista do Nirvana] para lembrarmos histórias de Kurt para o filme. Antes de namorarmos, Kurt tinha essa paixão pela Tobi Vail [ex-baterista do grupo Bikini Kill, também de Olympia, perto de Seattle, de onde saiu o Nirvana]. A maior parte das músicas do Nirvana é sobre ela. Você já namorou esse tipo de gente que não importa o que você faça nunca vai conseguir impressioná-la? Bem, era tipo isso. O Kurt era quase suicida pela porra da menina. Estou com o roteiro nas mãos, tirado do ‘Heavier than Heaven’ [‘Mais Pesado Que o Céu’, biografia de Kurt Cobain lançada em 2001, por Charles R. Cross]. Dave ficou tentando me agradar, aliviar as coisas o tempo todo. E eu disse: ‘Fala a verdade, porra’.

“Dave e Kurt se divertiam muito, se davam muito bem. E o Dave Ghrol foi o responsável por afastar o Kurt daquela gorda estúpida — aliás, Bikini Kill era ok, mas a banda era retardada. E o Dave disse pro Kurt uma vez que aquelas meninas todas eram umas gordas e chamou o Kurt pra ir a um strip club pegar umas strippers. E Kurt: ‘O que você quer dizer com isso?’.

“E daí o Dave começou a sair com a Hanna… ok, ela [Kathleen Hanna, do Bikini Kill e depois líder do Le Tigre] realmente escreveu ‘Kurt smells like teen spirit’ na parede dele. Mas ela fez isso no apartamento dele sem permissão e isto não é legal! E ela era maldosa com ele. E a Tobi também era. E a Tobi não suportava o Kurt e estava namorando o Calvin Johnson. Mas o único motivo para ela andar com a turma é porque o Dave estava transando com a Kathleen! E daí, eu vejo esse vídeo da Kathleen Hanna, que o Kurt odiava, tocando Smells Like Teen Spirit. É deste ano e ela fala ‘My friend Kurt’. FUCK YOU!!! O Kurt não te suportava! Mas ele estava apaixonado por Tobi, e Dave foi fundamental para tirá-lo dessa. Kurt era doidão, louco, suicida, muito sensível, cla-ra-men-te sensível. E daí, anos depois, Kurt conquista o mundo e Tobi vem rastejando pra ele. E eu já estava lá e já cheguei dando um “Dá o fora daqui porra”. Sério!”   
** Amanhã, a parte 2 da entrevista, em versão longa.