Em girls:

Tá lembrado do Christopher Owens? Ex-Girls, ele agora está de volta com um trio, o Curls

>>

270814_chrisowens

Em um passado não muito distante, o doidinho Christopher Owens pintou como bom nome na seara de revelações do indie com o seu Girls, que durou tipo cinco anos. O projeto, que ele tocava ao lado de Chet “JR” White, foi o ponto mais alto de sua carreira e, desde o fim da banda (2011), Chris tenta se reencontrar.

Neste meio tempo, Owens lançou três álbuns solo, andou meio sumido, e no fim do ano passado anunciou que estava formando um trio, Curls, ao lado dos músicos Cody Rhodes e Luke Bace. Agora, enfim e meses depois, o Curls soltou seu EP de estreia, Vante.

O projeto tem quatro canções, todas gravadas na Bay Area, onde o grupo está baseado. A produção e mixagem ficou a cargo de Shane Stoneback e a sonoridade segue na pegada mais lo-fi que pontua a carreira de Chris.

Ao nosso alcance nos diversos canais de streaming na internet, vamos ver qual é a deste novo passo do Owens.

>>

Banks grava novo som para trilha da série “Girls”. Ouça a balada “Crowded Places”

>>

030816_banks2

Uma dessas novas meninas que o indie tem oferecido com certo ar de mistério, a gata Banks, que faz um som meio complexo, já linkado a nomes como SIA e FKA twigs. Ou seja: garota nada fácil.

Ela, que tem dois bons discos no currículo, soltou uma baladaça chamada “Crowded Places”, inserida na trilha sonora da atual temporada da série “Girls”, feita em parceria com Jack Antonoff.

Banks atualmente segue com a turnê de seu mais recente disco, “The Altar”, lançado ano passado. No meio do ano ela tem uma série de shows na Ásia e Oceania para fazer. Dá para a gente acompanhar daqui. E vamos.

>>

Em turnê divulgando o disco novo, Chris Owens solta música de outro disco novo. Sacou?

>>

060814_chris

Daqui duas semanas, o distinto Christopher Owens, responsável por uma das bandas mais legais que apareceu e sumiu nos últimos anos – GIRLS – trabalha a divulgação de “A New Testament”, álbum que ele lançou solo no fim do ano passado. Daqui duas semanas, ele embarca em extensa turnê aqui pelos Estados Unidos, começando a função pela Califórnia, com shows em San Francisco, Los Angeles e San Diego. O rolê termina só em julho, com uma apresentação aqui em Portland.

Acontece que Chris é destes pequenos gênios criativos do novo indie que não curtem muito um bom descanso. Ao que tudo indica, ele lança ainda neste ano um novo disco. O maior indício é o lançamento de surpresa de uma nova música, “Selfish Feelings”, um pouco mais “eclética” que as do último disco, que chamam por aqui de indie rock gospel.

Da parte de Owens ainda não há informação sobre como e onde a faixa será encaixada. A bíblia indie Pitchfork diz que é de um disco novo sim. Vamos seguindo os passos do Chris.

Para Girls & Boys: St. Vincent mostra sua “Teenage Talk” na íntegra

>>

060415_stvincent2

Foi liberada hoje a versão “full” de “Teenage Talk”, música liiinda da diva St. Vincent, de recente passagem pelo Brasil. A faixa, uma demo surgida nas sessions do disco homônimo que ela lançou ano passado, foi aproveitada na série cool “Girls”, que conta a vida de quatro meninas losers no reino hipster do Brooklyn. Curtimos.

Annie Clark é amiga da criadora e protagonista da série, Lena Dunham, que queria um som da cantora na produção. “Nós amamos Annie e ela é amiga de Lena. Perguntei para sua equipe se havia alguma novidade. Eles nos mandaram uma demo inédita e foi maravilhoso”, disse mês passado o supervisor musical da série, Manish Raval.

A canção foi utilizada na série em versão editada, com duração inferior a 2 minutos. Agora, a versão completa está disponível em programas de streaming e pode ser ouvida aqui, claro.

>>

Acredite: Christopher Owens presta homenagem ao Jackson 5

>>

131114_owens2

O grande Christopher Owens costuma sumir, mas sempre reaparece com alguma novidade, às vezes inusitada. Tipo agora. Ele, que lançou neste ano seu segundo álbum solo “A New Testament”, recentemente fez uma session para a Radio K, estação radiofônica da Universidade de Minnesota.

Na apresentação, Chris mandou sem pestanejar “I’ll Be There”, um dos maiores clássicos do Jackson 5 e música eternizada na voz do Rei do Pop Michael Jackson.

Chris botou sua voz longe de ser aguda e totalmente indie em cima de acordes de guitarra um tanto descompassados. De tão singelo, ficou muito bom.

>>