Em gorky:

Le Fatnotroníque: o rolê do Fatnotronic pela França e Bélgica

>>

content_id

* A dupla eletrônica brasileira de DJs e produtores Fatnotronic, Gorky Bonde e Phillip A., faz agora em dezembro uma visita ao famoso festival de música nova Trans Musicales, em Rennes, na França. O duo se apresenta lá no sábado, 5.

Na segunda, Gorky e Phillip já estarão na Bélgica, mais precisamente dentro do estúdio dos 2ManyDJs, em Ghent, para gravar o segundo EP deles, com a ajuda mágica e produtora dos irmãos Dewaele. No dia 10, vão a pé se apresentar no Club Charlatan, que fica a dois quarteirões do Deewee Studio, dos brothers do Soulwax. Que devem tocar junto com os brasileiros.

O Deewee é o selo novo lançado em setembro pelos brothers do 2ManyDJs/Soulwax. O novo EP que os Fatnotronic vai lançar, contendo as faixas “Karma” e “Gueto de Ghent”, na vibe baleárica, sai no começo de 2016 e é um dos primeiros produtos do selo.

No dia seguinte, 11, Gorky e Phillip voltam para a “agitada” Paris para tocar no Social Club, antes participando do programa “Le Nova Mix Club”, da Radio Nova, fazendo um set ao vivo do club Badaboum.

Ainda arrumam um tempo para no dia 12 tocar no clubinho do hotel Le Bains, numa festa privada. O rolê todo do duo é chamado de Pommes Frites Tour.

O Fatnotronic criou uma mixtape para divulgar a tour, postada no Soundcloud deles. Pode ouvir, abaixo.

>>

Fatnotronic tira “Onda” na gringa. EP de brasilidades cool sai segunda-feira. E tem vídeo classe para acompanhar

>>

060215fatno

Screen Shot 2015-02-06 at 13.07.40

* Aquilo deu nisso. No ano passado, a dupla paulistana Fatnotronic foi convidada para um programa que o DJ americano Diplo fez para a Radio One, da BBC inglesa. A ideia era que Gorky + Phillip levassem uma certa tropicalidade eletrônica brazilian way para os ingleses (e o americano) verem.

A música que abriu a mix de Diplo na ocasião foi “Onda”, pérola do músico paraibano Cassiano, um dos precursores nos anos 70 da soul music no Brasil.

Pois “Onda”, agora, um rework do hit antigo de Cassiano feito em parceria com o belo duo eletrônico Poolside, de Los Angeles, virou um EP, a ser lançado segunda-feira que vem, dia 8, na Inglaterra e nos EUA. EP de brasilidades para gringo ver. E ouvir. E dançar.

“Onda” puxa o disquinho de vinil que tem a inédita “Gold and Timber”, outra parceria, agora com a Alcatraz Black Band, banda brasileira de estúdio dos anos 70. Manja “banda de estúdio”?
Completam o EP as músicas “Gravura”, cujo original é do Cesar Camargo Mariano e aqui vem “mexida” pelos Fatnotronic em conjunto com Daniel T, do duo californiano Cosmic Kids; e a velha “Índia”, com roupa nova em remix feito por Tony Adams, um dos donos da gravadora Chit Chat, que está lançando o EP do Fatnotronic.

O EP só sairá em vinil e será vendido apenas na loja inglesa virtual Juno Records, por 8,12 libras. Algumas lojas bambas de Los Angeles também venderão o disquinho, que está disponível para audição no Soundcloud da Chit Chat. E aqui embaixo, na Popload.

** Mais duas coisas sobre o EP de brazilidades do Fatnotronic:
1. O Soundcloud deles agradece aos “parceiros” Diplo, Mixhell, 2ManyDJs, Fatboy Slim, Hot Chip, Classixx, Tim Sweeney entre vários outros. Que andam tocando “Onda” em seus sets mundo afora. Abaixo tem o Norman Cook (Fatboy Slim) pedindo uma versão boa da música para o Phillip A, para tocar em suas discotecagens. Fatnotronic Slim.

fat2

2. Para divulgar “Onda”, o Fatnotronic fez um vídeo com imagens de sua participação no Popload Festival 2014, em novembro, aquele festival lá. A direção do vídeo classe é do Fabilipo. Ficou bem bom.

>>

Fatnotronic toca na BBC

>>

Screen Shot 2014-07-03 at 13.45.28

* Em clima de Copa do Mundo, o DJ americano Diplo está realizando uns especiais para a Radio One, da BBC inglesa. Com muita ginga, muita malemolência e tropicalidade. Na verdade ele sempre faz esses especiais, tipo botando música em efemérides, como fez no Halloween, entre outras ocasiões em que cabiam uma mixtape funk-hip hop-zoeira comemorativa do Diplo.

Há alguns dias divulgamos aqui uma mixtape sua para a Radio One, feita na véspera do Mundial do Brasil, em que misturou Black Keys e Jay Z com Bonde do Rolê e Originais do Samba. Vai vendo. Vai ouvindo.

Screen Shot 2014-07-03 at 13.44.29

Recentemente, dentro do projeto “Diplo and Friends”, o produtor e DJ americano convidou a dupla brasileira Fatnotronic para levar sua “brasilidad” sonora aos ingleses. Então, Gorky (Bonde do Rolê) e Phillip A. (Killer on the Dancefloor) botaram no pacote Gretchen, Ronaldo Resedá, Djavan, Harmony Cats, Moraes Moreira, Cassiano, Dudu França entre muitos outros, tudo tingido de disco, boogie, balearic em edits ou reworks que ficaram bem bom no todo. Olha que bala:

* O Fatnotronic abriu essa mix para a Radio One com a canção “Onda”, do grande músico paraibano Cassiano, um dos precursores nos anos 70 da soul music no Brasil, levando suas músicas inclusive às novelas da Globo. “Onda”, retrabalhada pelo Fatnotronic em conjunto com o Poolside, da Califórnia, vai chegar às lojas em vinil pelo selo americano Chit Chat Records.

* O Fatnotronic ainda por cima saiu segunda-feira passada em um EP de remix do bombado duo francês de electro-rock Jamaica, remixando a faixa “Two on Two”. Esta belezurinha aí embaixo.

* As fotos do Fatnotronic deste post são do I Hate Flash.

>>

Harmony Fats. Dupla Fatnotronic remixa grupo de mulheres dos anos 70

>>

170114_fatnotronic

* Algo conhecidos quando atuam juntos discotecando, bastante conhecidos em suas ooooutras bandas, a dupla de DJs e agora produtores Fatnotronic, Gorky (Bonde do Rolê) e Phillip A. (Killer on the Dancefloor), soltou nesta semana a primeira faixa de produção própria que promete agitar o mundo indie brazuca.

O duo retrabalhou “Margarida”, versão famosa das Harmony Cats, um grupo formado só por meninas de São Paulo e que ganhou certa fama nos anos 70. A original surgiu na Itália com o produtor e compositor local Pino Massara e virou hit do verão europeu no início dos anos 80 com o título “Margherita (Love In The Sun)”.

O Fatnotronic chega com a promessa de ser um duo que não se prende a rótulos, passeando por todos os estilos e vertentes possíveis, de trap a deep house, do rock ao hip hop. O nome dado ao projeto foi ideia do Iggor Cavalera (pensa) e eles são apadrinhados “só” pelos 2ManyDjs. Ou seja: vem coisa séria por aí.

A dupla atualmente está em estúdio preparando seu primeiro EP e já mandou avisar que conta com alguns convidados inusitados. Oba!

170114_fatnotronic2

>>

Bonde do Rolê Day – A entrevista

>>

No mês passado, enquanto ouvia o álbum “Tropical/Bacanal” de cabo a rabo, conversei com Rodrigo Gorky e Pedro D’Eyrot nos escritórios da Popload. Rá.
Em nova reprodução de texto publicado na Folha de S.Paulo de hoje, segue o que foi conversado.

** “A intenção era soar como trilha dos filmes do Adam Sandler”

Segundo Gorky e Pedro, os dois rapazes do Bonde do Rolê, orquestradores da mistureba sonora toda da banda, o novo disco “Tropical/Bacanal”, até ser finalizado havia poucos meses, estava sendo feito e refeito desde 2009.
“Esse álbum foi pensado primeiro para ser uma continuação de ‘Tieta’ [música do disco anterior, ‘With Lasers’, alopração funk em cima do clássico da lambada, de Luiz Caldas]”, diz Pedro, MC do grupo, em entrevista.
“Uma outra pegada que a gente queria para o disco era criar uma espécie de western rockabilly tropical, na verdade um rockabilly aplicado ao baile funk. Algumas músicas do disco novo têm isso.”

Gorky, DJ do Bonde, revela que, na busca de não repetir a fórmula do começo da banda, eles pensaram num caminho mais eletrônico. Mas isso soaria datado.
“Todas as bandas que surgiram com a gente lá em 2006/2007 meio que andaram neste caminho, e não fizeram mais nada de relevância. Algumas até sumiram, não lançam mais disco. Então pensamos: vamos fazer algo que ninguém esteja fazendo. Ou isso vai dar muito errado… Ou até pode dar certo”, lembra.
“Na verdade, eu queria que o disco fosse alegre. Soasse como uma trilha sonora para os filmes do Adam Sandler”, resumiu Gorky.

“O primeiro disco, quando a gente lançou, tinha todo um hype por trás. Quando lançamos ele, fiquei uns três dias embaixo das cobertas de medo do que ia acontecer. Este segundo disco não tem nada, ninguém está esperando nada”, conta Pedro.
“O ‘With Lasers’ era novidade, a gente queria zoar. Agora, com este segundo disco, queremos mostrar nosso talento”, completa Gorky, rindo.

>>