Em Graham Coxon:

Em rara aparição, Graham Coxon canta seu novo single em session intimista

>>

040118_coxon2

No final de 2017, o talentoso guitarrista Graham Coxon, que fez fama on lindo Blur, lançou um single em parceria com o músico e compositor Luke Daniel, chamado “Falling”.

O single vem com duas versões da música, cada uma cantada pelos dois, e tem toda a renda revertida para a CALM, Campaign Against Living Miserably, que visa auxiliar na prevenção de suicídio de homens no Reino Unido.

Coxon, que sempre foi meio out, recentemente gravou uma session intimista para o site The Line Of Best Fit com uma bela versão ao vivo da canção, que pode ser vista abaixo.

>>

O que o Britpop separou, o Gorillaz ajudou a unir: Noel Gallagher divide palco com Damon Albarn e Graham Coxon mais uma vez

>>

Fotos: Getty e The Upcoming

Fotos: Getty e The Upcoming

Inimigos mortais nos anos 90, Noel Gallagher e a dupla Damon Albarn e Graham Coxon, do Blur, dividiram novamente o palco, desta vez para interpretarem “We Got The Power”, canção do mais recente disco do Gorillaz, “Humanz”.

O trio, que trocou farpas públicas e pesadas na época em que Oasis e Blur polarizaram os gostos musicais na Inglaterra, já havia tocado junto em um evento beneficente em 2013, também em Londres, local do rolê de ontem, que recebeu ainda nomes como Vince Staples, Mos Def e De La Soul.

gorillaz3

Quem também participou da bagunça foi Jehnny Beth, do Savages. Ela e Noel foram special guests na gravação em estúdio. O show de ontem rolou na O2 e aos poucos começa a cair na net. Abaixo, alguns registros da parceria Oasis & Blur. A gravação completa tem imagem ruim e som bom.

>>

Apenas… De surpresa e sob os olhares de Graham Coxon, Noel Gallagher abre show do The Who em Londres

>>

310317_noelgallagher2

Acontece nesta semana, em Londres, no famoso Royal Albert Hall, o tradicional Teenage Cancer Trust, evento beneficente que arrecada fundos para o tratamento de crianças e adolescentes com câncer.

O show na noite de ontem foi do gigante The Who, que vem ao Brasil pela primeira vez em sua história no segundo semestre. Mas, antes da apresentação do grupo de Roger Daltrey (que é padrinho do evento) e Pete Townshend, rolou uma surpresa de luxo.

Noel Gallagher, um dos principais apoiadores da causa desde o seu início, apareceu e fez um set acústico como abertura do Who, sem anúncio oficial.

O irmão do Liam tocou apenas ao lado do seu tecladista Mike Rowe e mandou clássicas do Oasis, como “Wonderwall” e “Don’t Look Back In Anger”, além de faixas de sua discografia solo, tipo “What A Life!”.

Boa parte do show, visto até pelo Graham Coxon, já está rodando a internet e alguns vídeos podem ser vistos abaixo, incluindo o The Who, claro.

>>

Blur x Oasis. A batalha que parou a Inglaterra completa 20 anos

>>

140815_bluroasis1

Há exatos 20 anos, a Inglaterra comemorava o renascimento de sua música com a consolidação do Britpop, depois de uma época obscura e ofuscada pela avalanche grunge americana.

Evidenciado pela rixa entre os “bonzinhos” Blur e os “bad boys” Oasis, o movimento viu a treta chegar ao seu ápice com a disputa direta nos lançamentos dos singles “Country House”, do Blur, e “Roll With It”, do Oasis. Na época, o selo do Blur antecipou o lançamento justamente como estratégia de marketing, para bombar ainda mais a briga que já era pública, após diversas alfinetadas dos dois lados em diversas entrevistas.

Na época em ascensão mundial e preparando aquele que seria seu disco de maior sucesso comercial – (What’s the Story) Morning Glory? – o Oasis surgia como representante da classe trabalhadora. Por outro lado, o Blur vinha de uma linhagem que combinava mais com a classe média. As características opostas entre as duas bandas eram evidentes e isso fazia a rivalidade ultrapassar o noticiário musical, sendo comum ver os dois grupos serem explorados como temas de pautas jornalísticas em todos os tipos de publicações.

140815_bluroasisnme

Em uma estratégia agressiva, o Blur botou seu single à venda pela metade do preço do lançamento do Oasis: 0,99 x 1,99. No fim das contas, o Blur acabou vencendo a batalha por uma diferença de 58 mil cópias, computando 274 mil contra 216 mil do Oasis. Foi a primeira vez que a trupe de Damon Albarn alcançou o topo das paradas de singles.

A ação e todo o envolvimento da mídia e do público fizeram as bandas se apresentarem no tradicional programa Top Of The Pops. Enquanto o Oasis botou Liam Gallagher na guitarra e Noel emulando seu irmão caçula nos vocais, o Blur apareceu na TV com Alex James vestindo uma camisa do Oasis. Tudo em nome da velha e boa tiração de sarro britânica.

140815_bluroasis_gifcamisa

Se o Blur ganhou a batalha, o Oasis acabou vencendo a guerra em termos de popularidade, com o lançamento do álbum Morning Glory, até hoje um dos 5 discos mais vendidos da história da música britânica. Damon & Co. buscaram outros caminhos musicais mais experimentais nos álbuns seguintes. Aliado à popularidade absurda do Oasis fora da Inglaterra, o Britpop gradativamente perdeu força enquanto movimento.

* Passados 20 anos, os dois lados fizeram as pazes e se tornou consenso de que boa parte da rixa foi alimentada pelas gravadores, para bombarem as vendas e promover os artistas. Há dois anos, Noel Gallagher chegou a dividir o palco com Damon Albarn e Graham Coxon em um evento beneficente, em prol de crianças com câncer, na Inglaterra. Curador do evento, foi Noel quem escalou o Blur como uma das atrações.

>>

Em Londres: Damon Albarn faz show com uma pequena ajuda dos amigos

>>

171114_damon2

O inquieto Damon Albarn fez dois shows chiques no famoso Royal Albert Hall de Londres neste fim de semana. Com um set de cordas e coral gospel, o líder do Blur e do Gorillaz mostrou boa parte de seu mais recente álbum solo, “Everyday Robots”, um dos mais conceituados lançados em 2014.

No palco, um time de convidados de peso deu uma graça ainda maior ao show. Damon recebeu seu companheiro de Blur, Graham Coxon, e juntos reeditaram as faixas “End of a Century”, “The Man Who Left Himself” e “Tender”.

Quem também apareceu foi o veterano grupo De La Soul para reviver um dos maiores sucessos do Gorillaz, “Feel Good Inc.”.

Por fim, o produtor Brian Eno fez uma ponta em “Heavy Seas of Love”, do disco de estreia solo de Damon. A dobradinha encerrou a apresentação que durou cerca de duas horas e revisitou toda a carreira do líder do Blur.

* Setlist (via Consequence of Sound)
Spitting Out the Demons (Gorillaz song)
Lonely Press Play
Everyday Robots
Tomorrow Comes Today (Gorillaz song)
Slow Country (Gorillaz song)
Kids With Guns (Gorillaz song)
Three Changes (The Good, the Bad & the Queen song)
Bamako City (Mali Music cover)
Sunset Coming On (Mali Music cover)
Hostiles
Photographs (You Are Taking Now)
Kingdom of Doom (The Good, The Bad & the Queen song)
You and Me
Hollow Ponds
El Mañana (Gorillaz song)
Don’t Get Lost In Heaven (Gorillaz song)
Out of Time (Blur song)
All Your Life (Blur song)

Bis 1:
End of a Century (Blur song) (with Graham Coxon)
The Man Who Left Himself (Blur song) (with Graham Coxon)
Tender (Blur song) (with Graham Coxon)

Bis 2:
Mr. Tembo
Feel Good Inc. (Gorillaz song) (with De La Soul)
Clint Eastwood (Gorillaz song) (with Kano)
Heavy Seas of Love (with Brian Eno)

>>