Em grandeza:

CENA – Sessa colore sua bossa psicodélica em vídeo oficial para “Grandeza”

1 - cenatopo19

* Ainda fazendo render o material de seu incrível álbum de estreia solo, “Grandeza”, de lá do outro mundo de 2019, o que é uma grandeza de notícia ainda assim, o músico paulistano Sessa resolveu soltar um vídeo animação da faixa-título do disco.

Músico que costumamos dizer tem uma pegada sonora bossa-folk, com relações internacionais bem construídas no nível “crítica favorável na ‘New Yorker’ e session no site francês La Blogothèque”, Sessa fez “Grandeza”, o vídeo, parar de pé na animação do videoartista analógico paulista Rollinos e do ilustrador Bráulio Amado.

O resultado tem sabores psicodélicos e conta com uma presença de um coro de vozes à vista e o batuquinho percussivo cru delicioso que embala a música. Pena que o Top 50 desta semana já saiu, senão seria um prazer reservar um bom lugar para essa “Grandeza”, que não é lá muito nova, mas a gente sempre consegue uma boa notícia para cravar uma música assim na nossa parada semanal. A desculpa é esse vídeo atualizador de Sessa, ué!

>>

CENA – “Grandeza”, de Sessa, ganha sotaque francês na voz de Laure Briard

1 - cenatopo19

* Ok, é mais ou menos CENA. Mas ainda assim. Depois de passar pelo Brasil em 2017 e gravar um EP com composições em português em 2018, a cantora francesa Laure Briard continua mostrando o seu amor à música brasileira neste ano de 2020, com pandemia e tudo. Depois de ter conhecido a banda Boogarins e, a convite deles, rodado o Brasil em turnê, lançando o disco “Coração Louco”, ela volta a soltar uma música em português. Desta vez, a francesa fez uma regravação de “Grandeza”, do ótimo cantor paulistano Sessa.

LB_WEB_POST_FB

A música, que originalmente brinca com a bossa nova e reverencia Erasmo Carlos, recebe agora mais arranjos e se transforma em um dream pop com a doce voz da francesa. Cantando na lingua de Sessa, Laure expande as possibilidades de “Grandeza” convidando os seus amigos músicos Vicent Pieuvre e Emmanuel Mario (Laetitia Sadier) para encorpá-la. A “Grandeza” afrancesada está agora disponível em todas as plataformas.

Há um paralelo musical entre Laure e Sessa, cada um na sua geografia. No caso dela, como digna herdeira de Françoise Hardy, a francesa sintetiza em sua obra tanto o espectro do pop, de garage rock e ainda bossa nova, chegando a algo chamado de yé-yé psicodélico. Com exceção da parte roqueira, dá para dizer que a música de Sessa passeia por esses espectros sonoros.

Dito tudo isso, toma “Grandeza”, de Sessa, aqui com um certo perfume francês.

>>

CENA – A session do Sessa em Los Angeles, de manhãzinha

1 - cenatopo19

* No fim de semana a prestigiosa KCRW, rádio bamba de Los Angeles, soltou no Youtube a session que o brasileiro Sessa fez em seus estúdios faz um mês, especialmente para o maravilhoso programa indie-matinal Morning Becomes Eclectic.

Captura de Tela 2020-03-16 às 7.54.17 PM

Sessa, paulistano que faz mais shows nos EUA que no Brasil, estava no meio de uma turnê americana quando fez um pit stop ali na praia de Santa Monica, para mostrar com seu gingado bossa novo, ao vivo no Morning Becomes Eclectic, cinco faixas de seu belo disco “Grandeza”, lançado em junho do ano passado. Álbum este, o primeiro solo do cara que ajudou a fundar o Garotas Suecas depois foi respirar outros ares guitarrísticos, que lhe rendeu 200 shows em um ano, uma apresentação em outubro do ano passado no festival californiano Desert Daze e uma dezena de apresentações abrindo a turnê do Explosions in the Sky.

Acompanhado do trio de anjas fazendo backing vocals às vezes main vocals Paloma Mecozzi, Ina e Laura Rosenbaum e do percussionista style William Tocalino, Sessa mostrou na session seguintes canções, minutadas no vídeo do Youtube.

0:01 Dez Total (Filhos de Ghandy)
4:05 Grandeza
7:21 Tesão Central
10:18 Tanto
14:46 Língua Geral

Depois da performance, o vídeo ainda guarda uns dez minutos para Sessa ser entrevistado pelo entusiasmado Mathieu Schreyer, da KCRW.

Olha que belezura!

>>

CENA – A gente viu e curtiu: o show do SESSA

1 - cenatopo19

* A Popload passa a publicar mais uma seção nova, destacando na semana um ou mais shows que vimos no período, achamos legal e que despertou uma vontade especial de escrever sobre. O texto inaugural é da colaboradora felina Lina Andreosi, que foi ver a apresentação do “garoto sueco” Sessa no Bona, em Pinheiros (SP), no último dia 15. E curtiu bem, a ponto de dizer o seguinte.

sessa1

De volta ao Brasil após uma miniturnê nos Estados Unidos, Sessa lançou na última quinta-feira em São Paulo, desta vez, o vinil de seu álbum solo de estréia, o sensualíssimo “Grandeza”. Sessa, conhecido como um dos membros fundadores da banda Garotas Suecas, se estabeleceu ainda na cena internacional ao acompanhar o guitarrista nova-iorquino Yonathan Gat em turnê.

Esse seu álbum em questão, lançado aqui pelo Selo Risco, foi construído ao longo de anos. Gravado nos EUA e masterizado no Canadá, “Grandeza” carrega fortes influências do folk americano experimental, inspirações eruditas – especialmente nos ritmos da percussão – e uma base muito clara de MPB clássico, demonstrada principalmente nos delicados dedilhados de Sessa. Em uma escolha um tanto ousada para o que se tornou, o músico optou por escrever todas as suas letras em português, apesar de sua extensa experiência internacional.

sessa3

O primeiro single, “Toda Instância do Prazer”, foi lançado em 2017. E já há algum tempo Tim Bernardes empresta “Gata Mágica” para cantar em seus shows solo. Mas o álbum em si só foi lançado em junho deste ano, em apresentação no Itaú Cultural. “Grandeza”, portanto, levou pelo menos dois anos de maturação, digamos assim.

No palco, Sessa estava muito bem acompanhado por sua banda, um trio de cantoras – que poderia ser mais bem definido como um trio de anjas – composto por Paloma Mecozzi, Ina e Laura Rosenbaum. Mais William Tocalino na percussão. As músicas se alternam entre simples e constantes dedilhados sobrepostos por letras que clamam por prazer vis e ritmos elaborados cobertos por mensagens simples.

O que mais impressiona em sua performance é a forma como Sessa se entrega para a música, deixando ela, a música, fazer o que quer com a sua pessoa. São momentos de intensidade quase que totalmente pessoal, mesmo que diante de outros olhos, um je ne sais quai de alguém que já carrega nas costas e para o palco a experiência de mais de 200 shows em um ano.

Após essa apresentação, Sessa retorna à turnê internacional com direito a apresentação no Desert Daze Festival, na California, além de shows em Chicago, Nova York, Montreal. Fora uma turnê de 11 shows abrindo, agora em setembro, para a banda Explosions in the Sky, que inclui Los Angeles.

>>