Em green day:

Top 10 Gringo – The Vaccines puxa o “ranking do otimismo”. Vem com a gente, com a Jorja Smith, a St. Vincent, o Glass Animals, o Noel, a Olivia Rodrigo…

>>

* Talvez a questão mais importante identificada neste Top 10 seja um indicio de que músicas alegres e otimistas estão na ordem do dia. Dos gringos, no caso. Que já começam a ver uma luz no fim do túnel da pandemia, com galera vacinada e a retomada dos eventos gigantes. Nós ficamos aqui só observando? Por ora, são duas canções muito alegres no ranking, mas não se espante se esse número explodir em breve. Nesta era da música jovem vinculada bastante aos questionamentos da saúde mental, observemos.

justinvaccinestopquadrada

1 – The Vaccines – “Headphones Baby”
No mundo que já tem vacinas (a gente é desse tipo de piadista…) começa a nascer um punhado de músicas extremamente otimistas. Ainda que sejam dias complicados, é a esperança de um retorno às ruas, aos shows. E é nesse perfil que está o novo hit de Justin Young e cia. Talvez eles nunca tenham soado tão pop, tão cantarolável, o que pode alterar o patamar da banda no mundo se a música cair no gosto de todo (o) mundo. E é meio a ideia, se pegarmos os versos: ““Eu quero viver dentro de seus fones de ouvido, baby. Eu quero viver dentro de qualquer mundo em que você esteja”. A gente quer viver dentro desta música.

2 – Jorja Smith – “Addicted”
Após uma excelente estreia, Jorja lança um disquinho que é grande demais para um EP, mas que ainda não é seu segundo álbum. O que for, mantém a excelência musical, voz e bom gosto absurdos. E mais, “Addicted” tem um refrão viciante. Tem classe e é pegajoso, duas coisas que não costumam andar juntas? Mas Jorja consegue o improvável. Na segunda vez que ela canta, você já quer chegar no falsete com ela: “The hardest thing…”

3 – St. Vincent – “…At the Holiday Party”
Complicado escolher uma só do disco novo da St. Vincent. Já destacamos alguns singles aqui antes, que tal algo surpreendente? Vale prestar atenção neste número com gosto country e uma voz que soa muito similar a momentos maravilhosos da Joni Mitchell. Não é a St. Vincent que a gente se acostumou a ver, mas é uma St. Vincent tão legal quanto sempre.

4 – Glass Animals – “Space Ghost Coast to Coast”
É por conta de um vídeo bizarro que a gente resgata por aqui um som de 2020 do adorável Glass Animals. Sempre bom lembrar quanto talento tem na cabecinha do menino inglês Dave Bayley. Que doideira boa é capaz de sair dela.

5 – Sleater-Kinney – “Worry with You”
Sendo uma das bandas mais legais da face da terra, a atual dupla Sleater-Kinney (Corin Tucker e Carrie Brownstein) nem precisa sem esforçar muito para agradar a gente, ainda que, digamos, seu tempo já tenha passado. Será que já mesmo? Nesta nova empreitada, a primeira sem a baterista de longa data Janet Weiss, elas mostram que a possível divergência musical que rendeu o rompimento ainda não está clara, já que a banda manteve sua essência em boa medida. Ou deixamos escapar algum detalhe?

6 – Black Keys – “Walk with Me”
Mestre do blues, David Kimbrough, Jr. quase passou pelo mundo sem o devido reconhecimento. Em seus últimos anos, um documentário resgatou seu trabalho e colocou ele perto de nomes como U2 e Keith Richards. Fãs de seu repertório, a dupla do Black Keys pegou diversas preciosidades do mestre para seu disco de covers. Quem escuta “Walk with Me” sente o quanto a dupla já tentou escrever algo nessa mesma linha.

7 – Green Day – “Pollyanna”
Assim como nosso primeiro lugar, o Green Day escreveu uma ode ao otimismo. A banda também encara a volta à normalidade com uma turnê por estádios a caminho já no verão dos EUA. Pensando aqui qual vai ser a reação dos brasileiros quando notarem que tudo voltou ao normal, menos por aqui… Vai passar!

8 – Olivia Rodrigo – “Good 4 u”
O novo furacão pop, saído do colorido mundo da Disney, dá seus primeiros e grandiosos passos em sua carreira solo. Em seu terceiro single após dois estrondosos sucessos, a pegada é quase roqueira com direito a todos os lugares comuns de um som roqueiro, mas vale curtir a linha de baixo do começo. Nem parece que é um provável hit pop do ano.

9 – Noel Gallagher – “We’re on Our Way Now”
É curioso que Noel já revisite sua carreira solo de apenas três discos em uma coletânea. Ainda que celebre 10 anos de nova estrada, ele precisa disso? Mas, de todo modo, vale pela novidade “We’re on Our Way Now”, uma baladaça ao seu estilo e que parece fazer com o Oasis aquilo que o Oasis fazia com os Beatles, sabe? Aquele monte de deixas que lembram outros sons? Mas nem vale ficar de teoria da conspiração, pois ele recentemente disse que não vê esse retorno da antiga banda no horizonte. Tipo não está a fim, em palavras dele.

10 – Squid – “G.S.K.”
A gente repete o som do Squid aqui mais uma semana para destacar nossa paixão ainda crescente pelo disco de estreia desta banda, que rendeu um post enorme dando uma avaliada na repercussão do som deles pelo mundo – nota alta na Pitchfork, texto na New Yorker, entre outros feitos. Acho que andam lendo nosso Top 10, só pode ser.

*****

*****

* A imagem que ilustra este post é o Justin Young, do Vaccines, animado. Desculpa o trocadilho.
* Este ranking é formulado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix.

>>

Popnotas – O line-up lindo do Pitchfork Festival (DESTE ANO!!). A alegria do Green Day. O show do Perfume Genius. E o Black Keys na TV

>>

– Previsto para setembro deste ano, o paulistano Coala Festival anunciou hoje que teve que adiar suas datas para o ano que vem, algo bem previsível há tempos, em se tratando de Brasil-il-il. Mas, se aqui a coisa anda triste demais e incrivelmente ainda fora de controle, lá fora os gringos se preparam para uma retomada gigante, empilhando confirmações e line-ups legais para este 2021 de meu Deus. Após as especulações do retorno do Lollapalooza, temos o anúncio das atrações do Pitchfork Festival, que rola em Chicago igual ao Lolla. Programado para os dias 10 e 11 de setembro (deste ano!!!!!!), as principais atrações incluem Phoebe Bridgers, Big Thief, St. Vicent, Angel Olsen, Erykah Badu, Thundercat, Kim Gordon, Black Midi – sim, minas de headliner e atrações que a gente acha a cara de um belo Popload Festival do futuro. Não pensa assim também?

Captura de Tela 2021-05-17 às 8.27.20 PM

***

– Por falar em dias otimistas, essa é a atmosfera do novo single do Green Day, que leva o nome de “Pollyanna”. “Don’t let em get you down/ Don’t let em push you around/ We’re gonna take back the night/ Everything’s gonna be alright.” A megatour que eles dividem com Fall Out Boy e Weezer, cancelada pela pandemia ano passado, já está prevista para tomar estádios pelos Estados Unidos a partir do dia 24 de julho. Dá para entender a canção alegre deles assim.

***

– O Palace Theatre, em Londres, acomoda 1,4 mil pessoas. Mas agora pode acomodar o mundo todo, se a gente tiver uma imaginação generosa. É que o músico canadense Perfume Genius, alcunha do talentoso Mike Hadreas, soltou uma apresentação na íntegra dentro do Palace, em seu YouTube. Gravado com o teatro vazio, o espetáculo de quase 1h30 passa por boa parte de seu repertório, do sucesso recente “You Body Changes Everything” até “Normal Song”, uma das queridas do seu segundo disco lááá de 2012. Que lindo que ficou.

***

– E na promoção de seu novíssimo disco de covers, “Delta Kream”, uma coleção de blues e countries do arco da velha que inspiraram as origens do Black Keys, a dupla Dan Auerbach e Patrick Carney, de Akron, Ohio, foi até o Late Show do Stephen Colbert para apresentar na TV os dois primeiro singles do álbum: “Crawling Kingsnake” e “Going Down South”. Estes aí embaixo.

>>

Popnotas: Cardi B ataca o funk de SP, agora. King Gizzard e essa história estranha de shows presenciais. Green Day legal no bônus. E eles… os Greta Van Fleet

>>

– A conexão da Cardi B com o Brasil, após usar um trecho de um remix funk de um som seu no Grammy, ganha mais um capítulo. Esperamos que não ganhe também mais uma polêmica “boba”. A rapper novaiorquina (foto na home da Popload) postou em seu Twitter uma imagem onde escutava a música “Surtada” da cantora e dançarina de funk paulista Tati Zaqui com Dadá Boladão e OIK acompanhado da seguinte mensagem: “Quero fazer esta música em espanhol. Eu amo esta música”. Será que vai rolar mesmo? Tem brasileiro que pode ficar nervoso.

Captura de Tela 2021-03-22 às 4.46.44 PM

– Os punks jovem-guarda-da-velha-guarda californiana Green Day celebram os 25 anos de “Insomniac”, seu quarto álbum, o primeiro após a explosão mundial de “Dookie” (1994), com um relançamento que já está pelas plataformas de streaming. O bônus são algumas músicas inéditas de um show em Praga gravado durante a turnê do álbum em 1996, numa época em que uma apresentação do Green Day era mais divertida.

– A banda americana ledzeppeliniana Greta Van Fleet é sempre um ponto polêmico. Mas quem curte eles já pode ficar na expectativa pelo seu novo álbum, que saí no dia 16 de abril. Quem não curte também, para falar mal hehe. “The Battle at Garden’s Gate” é o teste do segundo disco para o grupo. E pela quarta música que eles adiantaram, a balada “Broken Bells”, esse disco deve manter o debate sobre eles – esses caras estão renovando o rock ou repetindo a mesma coisa de sempre? A gente vem com a nossa opinião uma outra hora, mas não brigue por aí por causa dos Van Fleet.

– Já comentamos por aqui que na Austrália tem existido aquele negócio que chamamos de shows presenciais. Banda tocando, público vendo, todos no mesmo lugar. Tame Impala fez um desses e os malucos do King Gizzard and the Lizard Wizard também conseguiram e registraram uma apresentação que rolou em fevereiro. Dá uma inveja e tanto, mas é bom saber que existe um mundo possível quando a pandemia é combatida sem vacilos.

>>

POPNOTAS – Lana Del Rey country e o papel higiênico, Black Pumas na TV dando calor ao Texas gelado, Green Day e a aeróbica punk e a DJ Grace Kelly fazendo homenagem à vulva

>>

* Se você ainda se importa com o Green Day, esta é para você. A banda californiana revelou neste final de semana uma música nova, “Here Comes the Shock”, que foi feita para um jogo de hóquei e é acompanhada por um vídeo de aeróbica punk. Calma. É assim. O Green Day tem uma parceria com a “NHL”, a federação americana de hóquei, e combinou de estrear a canção nova no intervalo de um jogo especial entre o Vegas Golden Knights e o Colorado Avalanche. Acontece que o jogo, que ia ser ao ar livre, foi adiado porque o gelo que serve de piso para a partida não tava “firme”, então liberaram a banda para lançar a música sem ter jogo mesmo. “Here Comes the Shock”, a primeira inédita desde o lançamento do último disco, “Father of All Motherfuckers”, de um ano atrás. O vídeo da música do Green Day é conduzido por uma série de exercícios bons para os pulmões da Hilken Mancini, dona da “Punk Rock Aerobics”, responsável por levar o punk à academia. Mais ou menos isso.

* A baby Lana Del Rey vai lançar seu álbum, “Chemtrails over the Country Club”, no dia 19 de março. É o sétimo disco da cinemática cantora hollywoodiana, que tanto nos alegra com sua melancolia chic. Deste disco Já ouvimos três singles, o último deles a faixa-título, que veio com um vídeo em que Lana era uma loba. Aquelas coisas lá. Mas, enquanto esperamos o novo álbum, ela vem e dá notícias de dois outros discos, um com cover de músicas country e outro de folk. O de country estaria pronto. Ela disse para a revista britânica “Mojo”, em entrevista, que quando escuta seus materiais antigos, vê muito de country music nele. “Eu dei umas escutadas recentes em ‘Ride’ e ‘Video Games’ e achei isso, que são meio country. Quero dizer, elas definitivamente não são pop”. Na mesma entrevista, Lana revelou que gravou uma música para um comercial de papel higiênico, usando um pseudônimo. E disse ainda que o próximo single do novo disco será a faixa “White Dress”. Lana a toda.

CENA: Brasileira nordestina, preta. macumbeira, lésbica e lançando disco na cena eletrônica de Berlim. A DJ baiana Grace Kelly, que vive na frenética cidade alemã, acaba de lançar o single “PPK”, uma “ode às sapatonas e bissexuais que vai muito além do que essas três letras podem significar”. A música, batidão funky dentro da house, é do EP “Dengo”, a ser lançado em breve, o primeiro disco de Grace Kelly, que já tocou pela Europa, Israel, Marrocos, Bali e, claro, Brasil, em seus 20 anos discotecando. Para Grace Kelly, “cantar e celebrar o orgulho LGBTQIA+ é revolucionário, empoderar o feminino para além da vulva é mais que subversivo, mas usar uma linguagem debochada é o tiro certo para convidar quem escuta”. “PPK”, gíria da gíria gay “pepeka”, o órgão sexual feminino, tem um vídeo… digamos… magnético.

* A dupla texana Black Pumas foi ao programa noturno do apresentador Jimmy Kimmel na semana passada mostrar a linda faixa “Know You Better”. A faixa pertence ao ainda primeiro disco do duo Eric Burdon e Adrian Quesada, de junho 2019, indie psicodélico típico de quem é de Austin. Aqui, pendendo ao soul. “Foi ao programa”, você sabe, é modo de dizer. Essa “Know You Better” ao vivo foi gravada e enviada ao Kimmel, que dedicou a atração musical aos “amigos do Texas”, desejando um calorzinho para eles. O Texas, um dos lugares mais quentes dos EUA, passa por um inverno sem precedentes nestes dias, com uma neve bizarra e falta de energia para aquecimento.

>>

Billie Joe Amstrong mistura John Lennon e Billy Idol em nova versão de “Gimme Some Truth”

>>

120418_billiejoe2

Nessa onda de mundo engajado e ao mesmo tempo paralisado pelo coronavírus, são muitas as gravações improváveis que estão surgindo por aí. E quem acabou de entrar na fila é Billie Joe Armstrong, o vocalista do Green Day.

Ele fez sua própria versão de “Gimme Some Truth”, de John Lennon, lançada originalmente pelo ex-beatle em seu disco solo “Imagine”, em 1971. No entanto, ele conta que seu primeiro contato com a canção foi na versão do Generation X, antiga banda do Billy Idol, em 1978.

Diz o Billie também que sua versão ficou no meio do caminho entre Lennon e Idol.

O Green Day lançou no início deste ano o disco “Father of All…” e remarcou recentemente as datas de sua turnê Hella Mega, ao lado do Weezer e do Fall Out Boy.

>>