Em grimes:

Grimes cria sua própria versão virtual, inventa o techno-feminismo e se inspira até em Oasis em seu novo álbum

>>

210220_grimes2

Um dos álbuns mais aguardados de 2020, “Miss Anthropocene”, o novo da cantora inventiva Grimes, foi lançado nesta sexta-feira.

Primeiro disco da canadense desde “Art Angels”, que saiu lá em 2015, “Miss Anthropocene” chega cercado por uma linha de raciocínio um tanto pitoresca da cantora.

Na visão de Grimes, o disco meio que propõe a existência de uma “Deusa da Mudança Climática”, em que ela aproveita o lançamento para apresentar seu alter-ego e avatar WarNymph, uma espécie de “versão Gorillaz” dela mesma.

Esse alter-ego tem até um avatar representativo, que nasceu “bebê”, está no momento está em sua fase “adolescente”, e vai evoluindo. Mais que um projeto futurístico tipo um Gorillaz, a ideia da cantora é separar por completo a sua vida real da digital. Chegamos assim ao ponto principal da viagem.

210220_grimesbaby

O que Grimes quer é, além de se afastar do ambiente tóxico das redes, continuar a “existir” virtualmente (e a trabalhar) enquanto passa pelos últimos estágios da gravidez e durante os primeiros meses de maternidade (esta real).

Tudo isso foi abordado pela própria em matéria especial da revista The Face. Na capa, em vez da Grimes, quem apareceu foi justamente a… WarNymph. Ela pousou para a capa e recheio da revista, vestindo a luxuosa marca Balenciaga.Tá?

Fotos: The Face

Fotos: The Face

A versão 3D da Grimes foi desenvolvida pelo jovem artista de apenas 24 anos, Dylan Kowalski, e a foto do post é via The Face

Vale ressaltar, também, que Grimes tem utilizado bastante o termo “holograma” em suas entrevistas. Mas não tem dado pistas sobre execuções desse possível avatar.

O fato de Grimes ter criado um alter-ego para poder ser mãe em paz também foi batizado pela própria: “techno-feminismo”.

GRIMES_WarNymph3

Depois de toda essa viagem, voltando ao disco. “Miss Anthropocene” tem 10 músicas novas no total, entre elas “Delete Forever”, que tem ligação direta com o… Oasis. Além do nome ser uma oposição a “Live Forever”, clássica faixa presente no disco de estreia da banda de Manchester, o incrível “Definitely Maybe”, “Delete Forever” tem uma introdução bem “Wonderwall”, admitida pela própria cantora.

“Tive muitos amigos que realmente morreram. Em particular, um amigo quando eu tinha 18 anos faleceu de complicações relacionadas ao vício em opióides. É como se os artistas continuassem morrendo e outras coisas, então eu escrevi essa música na noite em que Lil Peep morreu ou o que for, porque eu fiquei super, super incomodada por isso”, disse a cantora ao Zane Lowe, em programa na Beats 1.

“Foi definitivamente uma situação em que eu peguei a música, fiz a música e passei meses tentando. Quando estávamos mixando, no último minuto, eu literalmente fui aos 800 arquivos e pensei em como excluir, excluir, excluir, excluir, excluir. Eu estava tentando ser mais Patsy Cline ou algo assim, tentando ser mais country, mas eu sinto que acaba tendo esse tipo de vibração estilo ‘Wonderwall’. Há uma razão para a música ser tão popular. Essa música comanda”, complementou.

“Miss Anthropocene” pode ser conferido abaixo e ser trilha do seu Carnaval.

>>

Grimes lança “My Name is Dark”, mais um single de seu novo disco que sai ano que vem

>>

291119_grimes2

Um dos discos mais esperados de 2020, “Miss Anthropocene”, da Grimes, acaba de ter divulgado mais um de seus singles.

“My Name is Dark” é o terceiro cartão de visitas do projeto, que possui 10 faixas no total, entre elas as já divulgadas “Violence” e “So Heavy”.

“Miss Anthropocene” estará nas lojas dia 21 de fevereiro e é o primeiro álbum da canadense em cinco anos, que tem a missão de seguir o nível de “Art Angels”.

Miss Anthropocene – Tracklist
01 So Heavy I Fell Through the Earth (Art Mix)
02 Darkseid (Grimes & 潘PAN)
03 Delete Forever
04 Violence (Grimes & i_o)
05 4ÆM
06 New Gods
07 My Name is Dark
08 You’ll miss me when I’m not around
09 Before the fever
10 IDORU

>>

Grimes sobe o nível de ansiedade para seu novo disco com a inédita “So Heavy I Fell Through the Earth”

>>

Grimes-640x400

Grimes continua fazendo crescer o hype em cima de “Miss Anthropocene”, seu novo e aguardadíssimo disco que será lançado no dia 21 de fevereiro do ano que vem.

A cantora soltou por agora o novo single “So Heavy I Fell Through the Earth”, que chega nas versões “Art Mix”, com seis minutos, e “Algorithm Mix”, uma espécie de edição de rádio, que cai para menos de 4 minutos.

A canção sucede a também boa “Violence”. Este disco conceitual da canadense será o primeiro dela em cinco anos e tem a missão de seguir o nível de “Art Angels”, que saiu em 2015.

No total, o novo álbum terá 10 faixas inéditas.

Miss Anthropocene – Tracklist
01 So Heavy I Fell Through the Earth (Art Mix)
02 Darkseid (Grimes & 潘PAN)
03 Delete Forever
04 Violence (Grimes & i_o)
05 4ÆM
06 New Gods
07 My Name is Dark
08 You’ll miss me when I’m not around
09 Before the fever
10 IDORU

grimes_missantocapa

>>

Em vídeo bonitão e cheio de danças, Grimes revela a inédita “Violence”

>>

050919_grimes2

A estrela indie cada vez mais pop Grimes soltou mais uma ótima canção para aguçar o lançamento de seu novo disco, “Miss_Anthrop0cene”, que chegará às lojas em algum momento deste ano ainda.

O novo single se chama “Violence” e foi feito em parceria com o DJ e produtor i_o. A faixa foi apresentada em um vídeo todo bonitão e elaborado, que mostra a canadense fazer uma performance da canção ao lado de dançarinas super bem vestidas.

“Violence” é a primeira música de Grimes lançada neste ano. No fim do ano passado, ela apareceu com a também boa “We Appreciate Power”.

O último disco da cantora é “Art Angels”, de 2015.

>>

Grimes revela título de seu novo disco e avisa que lançará música inédita em breve

>>

Grimes-640x400

Um dos grandes fenômenos do pop nos últimos anos, a cantora canadense Grimes enfim deu uma informação concreta sobre seu novo disco, que será o sucessor do bombado “Art Angels”, de 2015.

Em um post bem explicativo em sua conta no Instagram, Grimes contou que seu novo álbum se chamará “Miss_Anthropocene”. Na explicação dela, inglês (sorry), algo como ““It’s a concept album about the anthropomorphic Goddess of climate Change. (…) A psychedelic, space-dwelling demon/ beauty-Queen who relishes the end of the world. She’s composed of Ivory and Oil”. Sacou?

Apesar de revelar o nome de seu próximo projeto, a canadense não informou sobre datas e disse, ainda, que deve lançar um EP antes do próprio disco cheio e garantiu que em breve lançará novas músicas.

No fim do ano passado, Grimes reapareceu com a ótima “We Appreciate Power”, som que tem um pé no Industrial.

Visualizar esta foto no Instagram.

New Album: Grimes – Miss_Anthrop0cene 1.  mis·an·thrope noun:  a person who dislikes humankind and avoids human society. 2.  Anthropocene:  The Anthropocene is a proposed epoch dating from the commencement of significant human impact on the Earth’s Geology and ecosystems including, but not limited to, anthropogenic climate change. ———————————— Just fount out my first interview in a few years is coming out tomorrow. I thought the writer was quite smart so hopefully it’s accurate haha. But just in case (cuz I’ve had some p fucked press drama this year) I’m announcing album here first: ———————————-It’s called Miss_Anthropocene. It’s a concept album about the anthropomorphic Goddess of climate Change: A psychedelic, space-dwelling demon/ beauty-Queen who relishes the end of the world. She’s composed of Ivory and Oil (I’ve done some illustrations of her if you scroll down my instagram). ———————————-‍♀️ I love Godly personifications of abstract/ horrific concepts (For example, Mars as the Roman God of War) — so I wanted to update the list to include our modern issues. ———————————- Each song will be a different embodiment of human extinction as depicted through a Pop star Demonology. The first song ‘we appreciate power’, introduced the pro-AI-propaganda girl group who embody our potential enslavement/destruction at the hands of Artificial General intelligence. ———————————- It’s possible I will drop an EP or a few more singles of synth-based stuff b4 the album because its mostly ethereal nu metal (ish), and I know a lot of ppl miss the synths and whatnot. ———————————- Climate change is something I’m only ever confronted with in a sad/ guilty way…. Reading news and what not… so my goal is to make climate change fun (lol..??)…. uhhh… (I mean, everybody loves a good villain… re: the joker, Queen Beryl).. so maybe it’ll be a bit easier to look at if it can exist as a character and not just abstract doom. ———————————-☢️☣️ More musique soon! <3

Uma publicação compartilhada por Grimezsz (@grimes) em

>>