Em guma:

Popnotas – Strokes acústico sábado: por essa você não esperava. A girl band japonesa mais indie do mundo. O drama dançante da Guma, de Recife. E o Festival Não Existe, em SP

>>

– CENA – O trio pernambucano Guma deu forma, cores e movimento ao seu último single, “Jugular”, e lança hoje o vídeo, filmado nas ruas de Recife e dirigido pelo cineasta Felipe André Silva ( “Cinema Contemporâneo”, 2019, entre outros). A música é um drama só, cuja sonoridade leva a um rasgo de jovem guarda inconsolável. Esse amor impossível na dança vem, no vídeo, na forma de dança, estrelado pelos coreógrafos Dante Olivier e Victor Lopes. “Jugular” é indicador que vem aí o novo disco do Guma, formado por Katarina Nápoles (voz), Carlos Filizola (guitarra) e Caio Wallerstein (bateria). O próximo álbum será o segundo do trio, que lançou, em 2018, o disco de estreia “Cais”.

***

– A banda de garotas japonesa Chai, quatro cantoras e dançarinas e que tocam também, formada pelas irmãs Mana e Kana, tem algo a dizer ao público indie. No próximo dia 21 de maio elas soltam o terceiro álbum, “Wink”. Pelo selo Sub Pop, que um dia lançou o Nirvana. No ano passado, as meninas de Nagoya colaboraram com a excelente banda-cartoon inglesa Gorillaz, na faixa “MLS”, do disco “Song Machine, Season One: Strange Timez”. Elas listam que, entre suas influências, além do próprio Gorillaz, está a banda brasileira CSS. E, nesta semana, saiu uma session dela para a querida rádio indie KEXP, de Seattle, com cinco músicas, uma delas uma cover para “Karma Chameleon”,ex-hit mundial do Culture Club. Essas japs não são o máximo?

***

– Ótimo nome de evento pela ocasião em que estamos afundados, acontece nos dias 27 e 28 de maio o Festival Não Existe, de música eletrônica, armado pelo conhecido coletivo de festas Gop Tun na Oca, no Parque Ibirapuera, em São Paulo. O Não Existe, obviamente todo online, terá como atrações a DJ e produtora Badsista, o músico Marcio Lomiranda, pioneiro dos sintetizadores no país e raríssimo de ver ao vivo, e a DJ e empresária Eli Iwasa, entre várias outras. O evento será transmitido pelo canal Gop Tun no Youtube. Além das apresentações, vai ter bate-papo, com destaque para os grafiteiros Osgemeos e o grande rapper DJ Hum promovendo o tema “Que tempo bom, que não volta nunca mais” sobre os primórdios do hip hop brasileiro e o quanto os movimentos democráticos sobre o fim da ditadura militar influenciaram a arte da época. A programação toda do Festival Não Existe, incluindo os horários das apresentações e conversas, está aqui.

***

– Eita. A banda nova-iorquina The Strokes, você sabe bem quem, que mudou o rock há 20 anos empunhando guitarras sujinhas, anunciou seu primeiro show acústico da vida. Vai acontecer neste sábado e tem uma causa social e racial por trás da desplugada. O show vai servir para arrecadar fundos para a candidata progressista e superativista Maya Wiley à prefeitura de NYC nas eleições deste ano. Julian Casablancas é fã de longa data da luta que Wiley trava por justiça social. Quando soube que ela se candidataria às eleições, botou sua enorme banda à disposição. O evento de sábado tem ingressos à venda na página da candidata, com vários preços, para incentivar a arrecadação maior possível. Começa por U$ 25 dólares. Vai ser transmitido por zoom e começa às 20h, no horário brasileiro. E aí? Encaramos? A causa é muito nobre, mas Strokes sem guitarra alta é tipo eles sem casaco de couro, de regata.

>>