Em hold on:

Adele e H.E.R., cada uma com seu jeitinho, abalaram o “Saturday Night Live”

>>

Captura de Tela 2020-10-26 às 8.48.33 AM

* Noite de gala no “Saturday Night Live”, que aconteceu, vamos lá, sábado à noite e ao vivo na TV americana. A ultrafamosa cantora britânica Adele apareceu com seu new shape pela terceira vez no lendário programa, mas desta vez para comandá-lo, não como atração musical (como em 2008 e 2015). Nessas, Adele chamou para ocupar o palco do “SNL” a maravilhosa H.E.R. (foto acima), persona da cantora e multiinstrumentista Gabriella Wilson, apesar da pouca idade (23 anos) já um grande nome do R&B americano.

H.E.R., que esteve no Rock in Rio do ano passado, cantou dois novíssimos singles, “Damage” e “Hold On”, com sua banda toda usando camisetas pretas com a frase #EndSARS, um movimento social estrangeiro para jogar luz na barra pesada polícia da Nigéria, o esquadrão SARS, cruelmente famoso pela brutalidade. O pai de Gabi Wilson é nigeriano.

Neste “SNL” de sábado, teve ainda o último debate entre Alec Baldwin (Donald Trump) e Jim Carrey (Joe Biden). E, veja, Adele até cantou sim. Mandou um monte de trechinhos de seus hinos (“Someone Like You”, “Hello”, “Rolling in the Deep”) ali no meio de uma paródia para cima da série de TV de encontros amorosos “The Bachelor”. Temos provas.

Que cardápio!!!

>>

Happiness, more or less. Uma session cool francesa com o Richard Ashcroft

>>

* Afinal, como está a história da vinda do cantor do Verve ao Brasil, fortemente ventilada há algumas semanas, nos bastidores de shows daqui?

Screen Shot 2016-05-17 at 9.47.00

O dândi Richard Ashcroft está de volta do mundo dos mortos, tipo. Depois de sumiços e tretas de várias ordens, o cara que tem uma das vozes mais incríveis da música inglesa do britpop para cá prepara o lançamento de seu quarto disco solo, “These People”, para sexta-feira que vem, sem contar o de 2010, que ele lançou com pseudônimo e banda.

Ashcroft anda fazendo apresentações especiais pela Europa, sessions de rádio etc. Temos aqui para ver ele tocando músicas novas e clássica, em banquinho e violão, para a rádio francesa RTL2, baseada em Paris, dentro da session Très Très Privée.

Começando com a histórica “Lucky Man”.

>>