Em hotline bling:

Dave Grohl faz a cover do ano, para “Fuck the Pain Away”, da Peaches. Mas fez também para Beastie Boys e Drake. E vai vir com mais até sexta-feira

>>

Captura de Tela 2020-12-14 às 8.15.34 AM

* O never-stop Dave Grohl não é judeu, mas resolveu celebrar o Hanukkah, a festa judaica das luzes, fazendo covers legais, todos os dias desde o dia 10, até o dia 18.

Ele se juntou ao amigo Greg Kurstin, grande produtor e compositor famozaço que serve a gente como Adele, Paul McCartney e SIA, por exemplo, esse sim judeu, para desempenhar em vídeo, os dois, músicas famosas de artistas e bandas judias de destaque, nessa comemoração da vitória da luz sobre a escuridão, para definirmos de um modo simples essa festa religiosa.

Já foram quatro dessas covers, sempre com Dave Grohl na bateria e cantando, enquanto Greg Kurstin tira os demais sons de seu synth, cujos vídeos estão sendo postados no canal do Foo Fighters no Youtube.

A primeira foi para “Sabotage”, fenomenal hit dos extinto grupo nova-iorquino Beastie Boys. A segunda, para a chamada “night two”, Grohl e Kurstin desempenharam do jeito deles o su-ce-sso “Hotline Bling”, do rapper canadense superstar Drake. Ficou demais dentre dessa retomada absurda do rap-rock a que estamos assistindo. Na noite três, sábado, a dupla mandou um tributo a “Mississippi Queen”, clássico do Mountain, banda americana de rock dos anos 70.

Tudo muito bom, tudo muito bem, os vídeos são ótimos, bem filmados, espertíssimos. Mas aí chegamos à “Night Four”, ontem à noite, quando foi postado a cover deles para a histórica “Fuck the Pain Away”, da eternamente explosiva Peaches, e aí mexeu com a gente mais do que as outras.

Primeiro porque Peaches é foda. Depois porque “Fuck the Pain Away” nos fala ao coração por ser de uma época maravilhosa das nossas vidas, o começo dos anos 2000. E porque a Peaches, ela-mesmo, participou do vídeo (veja a foto acima dela com Grohl em tela dividida).

“Fuck the Pain Away”, cujo refrão é a repetição do nome da música por mil vezes, é o grande hit dessa performer porra-loka, canadense e judia, cuja passagem pela cena americana ainda nos revelou seu talento de artista visual e produtora.

Peaches foi famosa num certo período lindo que a gente costuma delimitar como o do novo rock, Strokes bombando a garagem para fora do subterrâneo, White Stripes trazendo cores para as nossas existências.

O caso específico, de “Fuck the Pain Away”, foi marcante demais porque na época essa canção doida foi se misturar a bandas dance-punk de Nova York como LCD Soundsystem e Rapture para levar barulho às pistas de dança e animar festinhas indies mundo a fora, chacoalhar festivais iniciantes tipo um tal de South by Southwest ou um certo Coachella, participar de filmes maravilhosos do período tipo “Lost in Translation” (Sofia Coppola, Scarlett Johansson, Bill Murray) e fazer parte de trilhas sonoras de séries de TV e desenhos tipo “South Park”.

O Thom Yorke disse que fez “15 Step”, musicaça do “In Rainbows” (2007), inspirado em “Fuck the Pain Away”. Um clube na agitada Brighton, na Inglaterra, tem o mesmo nome do hit da Peaches. O recente e bem falado “Handsmaid’s Tale” (2017) botou a música em sua história e por aí vai.

E agora vai lá o senhor Dave, com o parceiro Greg, chamando a própria Peaches, sentar na bateria e fazer sua versão maravilhosa de “Fuck the Pain Away”.

Dave Grohl é over, ok, mas sabe se fazer essencial às vezes.

***

Abaixo, o restante do projeto doido e judeu de Dave Grohl e Greg Kurstin para o Hanukkah, mexendo com Beastie Boys, Drake e Mountain. Como vai até o dia 18 ainda, estamos aqui de olho para trazer as melhores. Mas, depois dessa da Peaches, vai ser difícil superar.

>>

Hein?!? “Bob Dylan” fazendo cover de “Hotline Bling”, do Drake…

>>

* Ever since I left the city, you…

Screen Shot 2016-01-14 at 11.47.45

* Um dos hip hop mais cool do ano passado, e um dos mais bombados, ganhou nova dimensão ontem, via TV Americano. O hit hip delicioso “Hotline Bling”, uma das músicas de 2015, foi tocada e cantada e transformada em folk pelo mito Bob Dylan. Rolou no programa do “Jimmy Fallon”. No Fallon? OH, WAIT!…

Passado e presente. Clássico “meets” comercial. Ficou demais. E com a tradicional gaitinha. Com “You used to call me on my cell phone / Late night when you need my love” saindo da boca do “Dylan”. O Fallon é gênio.

Veja e ouça.

* A montagem dos Drake na foto da home da Popload é do 9GAG, feita para um outro propósito, haha.

>>

Vídeo do ano? Drake até dança na maravilhosa “Hotline Bling”

>>

Untitled-6

* Affe, que música f*da, que vídeo f*oda. O extracool rapper canadense Drake, que transita ali no limiar entre hip hop, R&B e, vá lá, algo comercial, lançou há algumas horas o vídeo para a estouradaça “Hotline Bling”, seu novo single, lançado no comecinho de agosto. O vídeo foi revelado ontem via Apple Music e já toca sem parar na Beats 1. Até o Disclosure botou o Sam Smith para tocar a música numa session para a BBC, em setembro.

No vídeo, Drake faz dancinhas cool as fuck sob uma cartela de cores em cenário lindo de tão simples e… geométrico. É também uma festa de “looks”: ele aparece com uma roupa nova a cada mudança de tom no vídeo. Tudo isso ilustrando uma letra de total desencontros com a mina dele. “Cause ever since I left the city, you / Started wearing less and goin’ out more / Glasses of champagne out on the dance floor / Hangin’ with some girls I’ve never seen before”.

Drake lançou o bombado álbum “If You’re Reading This It’s Too Late”, no começo do ano. “Hotline Bling” não está nesse disco.

Há um curioso embate nas paradas entre músicos de Toronto, no Canadá, que estão apavorando nessa linha hip hop quase R&B ou o contrário. Drake vs. The Weeknd. Toronto bombando na cena, quem diria.

>>