Em howard stern:

Liam Gallagher canta uma música nova e outra velha em session. E diz que quer o Oasis de volta

>>

020817_liamgallagher2

Em rolê pelos Estados Unidos para tocar no Lollapalooza em Chicago neste final de semana, Liam Gallagher fez uma parada no programa de rádio do veterano apresentador Howard Stern, que vai ao ar via satélite pela linda SiriusXm.

Em um bate-papo descontraído, Liam falou dos rumos de sua carreira solo, já que dia 6 de outubro ele lança seu primeiro álbum, “As You Were”, mas falou especialmente do Oasis e do seu irmão Noel.

Um dos principais trechos da entrevista foi quando Liam disse, mais uma vez, que está totalmente aberto a uma reunião do Oasis, “sua banda” e “melhor coisa da vida”, mas reconheceu que, antes de tudo, ele e Noel precisam voltar a se falar para dar o próximo passo musical, que seria algo natural.

Liam também mostrou duas músicas em session, seu novo single “Wall Of Glass” e “Wonderwall”, e chegou a pedir para se retirar do estúdio rapidamente para ir ao banheiro. Gênio.

>>

Masterrr: Metallica arrebentando na salinha do Howard Stern, como se estivessem num estádio lotado

>>

Captura de Tela 2016-09-27 às 8.01.48 AM

* Banda almighty do heavy metal, thrash metal há tantos anos quase quanto o heavy metal existe, o grupo americano Metallica vai puxar o line up do Lollapalooza brasileiro, a ser anunciado amanhã.

O grupo da Califórnia, de 35 anos de idade, continua incrivelmente com gás juvenil. Neste final de semana foi atração principal do Global Citizen, festival conscientizador beneficente que rolou no Central Park, em Nova York. E ontem lançou o novo single, “Moth into Flame”, o segundo do novo álbum, o décimo, a chegar às lojas em novembro, chamado “Hardwired… to Self-Destruct”.

Mas gênio mesmo são os vídeos que apareceram agora de uma performance especial da banda em session para o canal do maluco apresentador americano Howard Stern, dentro da rede de rádios de satélite Sirius XM.

O Metallica tocou, num estudiozinho apertado para uma banda deste tamanho, dois clássicos de sua trajetória, o que se confunde com dois clássicos da história do heavy metal: “Master of Puppets” e “Sad But True”.

Tipo épico. O Beavis e o Butt-Head iriam chorar se estivessem vivos.

Quando eles acabam “Sad But True”, o Howard Stern entra dizendo, mais ou menos assim: “Vocês parecem um exército tocando. Eu não sei se vocês ainda se divertem se apresentando assim, mas realmente a sensação é que se divertem muito”. O guitarrista James Hetfield diz, meio extasiado: “Eu ainda me pego a esta altura pensando como pode a gente ainda fazer coisas assim [session num estúdio pequeno]. Eu fico olhando este estúdio… É inacreditável. We’re superblast!!!””

“This is so cool. Fuck! This is so cool”, emenda o Lars Ulrich, baterista.

“Só tem a gente aqui neste estúdio pequeno e vocês tocam como se estivessem num estádio”, disse, para finalizar, alguém que estava no show do Howard Stern.

Foda!

De lambuja, seguem o vídeo novo, de “Moth into Flame” e a banda tocando “For Whom the Bell Tolls”, ao vivo no Central Park, no sábado passado.

>>

Foo Fighters toca duas para o Howard Stern e anuncia último show pequeno em NY

>>

021214_ff

Em ritmo de divulgação de seu novo álbum “Sonic Highways”, o Foo Fighters visitou o programa de rádio do doido Howard Stern, transmitido via satélite. O grupo americano bateu um longo papo com Stern e tocou duas canções: a antiga “Learn To Fly” e a nova “Something From Nothing”.

O Foo Fighters, que vem ao Brasil no fim de janeiro para quatro shows, faz nesta sexta o último show da série de 8 apresentações em casas pequenas, em suporte aos episódios que vão ao ar semanalmente na HBO mostrando os bastidores da gravação do disco novo. O show será no Irving Plaza, em Nova York, e será transmitido ao vivo via satélite pela SiriusXM’s Alt Nation, Channel 36.

021214_ffny

Abaixo o áudio do Foo Fighters no Howard Stern.

>>

A melhor rádio de rock do planeta

>>

* “É como ouvir college radio sem precisar ir para o colégio”.

* Eu já falei aqui uma vez sobre a emissora Sirius XMU, vou falar de novo. A XMU está dentro da SiriusXM, sistema americano de rádio por satélite que tem umas 2465 emissoras. Tem de tudo: uma estação que fala 24 horas sobre culinária húngara até uma outraa só sobre pocker, 24 horas.

Não é de graça. É um serviço pago. Tipo 15 dólares por mês. Mas está cheio de promoções, experimentações de um mês, degustações grátis de uma semana. Fora que, acredite, vale cada centavo de dólar.

Bom, a SiriusXM, o sistema, tem a emissora do Howard Stern, tem emissoras sobre cada um esporte que você possa imaginar, tem canais de stand-up comedy non-stop, tem tudo. Uma sapeada quase agora pelo Howard Stern deu para ver o impagável apresentador debatendo sobre a pronúncia correta de “guacamole” e em outro quadro dele entrevistando um gay que casou recentemente e pedindo para ele explicar como se decide quem é o marido da relação.

E na SiriusXM tem, óbvio, dezenas de rádios de música.
Tem rádio que toca Pearl Jam 24 horas, tem a rádio Elvis, tem uma rádio só para o grupo progressivo yes, tem a espetacular Radio One inglesa, tem a rádio Grateful Dead, tem a Lithium que é só Nirvana, grunge, Seattle, tem tudo.
E tem a que eu quero falar de novo, a Sirius XMU, a do slogan lá em cima, das college radios.

Agora, por exemplo, enquanto escrevo, nela está tocando Tanlines. Tocou Arctic Monkeys, Lower Dens (uma das minhas bandas novas prediletas), Blood Orange, Poliça. Muita banda nova, bandas antigas classe, bandas que interessam. Mudou para Unknown MortaL Orchestra e já está em Jack White ao vivo de Nova York, acho que exclusivo da XMU, se eu entendi.

Banda norte-americana domina, o que é muito bom, porque hoje em dia no quesito “bandas novas” os EUA estão massacrando a Inglaterra. A situação está feia na terra da Rainha. Está virando uma terra deserta de bandas e ideias, porque só alguns mais conhecidos estão com trabalhos interessantes. O resto está devagar. Tanto que festivais médios e pequenos estão todos sendo cancelados, por falta de compradores de ingressos. Enquanto isso, nos EUA…

(Agora está tocando Toro Y Moi, a ótima “Girl Problems”, que veio emendada na nova do Hot Chip)

A música toca e você tem informação no site quem tá tocando, de que álbum é a música. Com o app de iPhone, caprichadíssimo, escuto a rádio no meu carro, fazendo caminhada, tomando banho etc.

Se a XMU só tocasse música, ela já seria espetacular. Mas ela vai além.
* Não é uma rádio mecânica. Tem DJs. E alguns incríveis, que falam bem, são motivadores sem ser “Jovem Pan”, são informativos, sabem do que estão falando. Meus prediletos são o Jake Fogelnest, todo dia de manhã, e a “simplesmente” Julia, toda noite.
* Tem sessions exclusivas, fazem streaming exclusivos de shows, levam artistas para entrevistas e divulgação de músicas novas no calor dos lançamentos.
* E, o mais bizarramente bacana, tem o BLOG RADIO, programas diários entregue a alguns dos principais blogs indies americanos. O sensacional programa do Hipster Runoff, com a locução mais maluca da história do rádio em qualquer formato, rola às segundas. O do My Old Kentucky é na terça. Brooklyn Vegan, quarta. Gorilla Vs. Bear na quinta. Aquarium Drunkard acontece às sextas.

Alguns exemplos “práticos” de belezuras da Sirius XMU.

1. A fofésima banda Best Coast tocando “Last Year” em linda session. Oh, Bethany…

2. Laninha del Rey fazendo versão exclusiva e matadora de “Video Games” ao vivo no estúdio da XMU

3. O ótimo The Drums ao vivo no estúdio da XMU fazendo cover de “Birthday”, impressionante e difícil canção do Sugarcubes, a ex-banda da Bjork, quando ela ainda era legal

>>