Em iara rennó:

TOP 50 da CENA – Pabllo brilha no topo (do mundo). Gêmeos do R&B segue a onda. Rapper Nill estreia no pódio

1 - cenatopo19

* Na semana em que a Pabllo Vittar resolveu sacudir as estruturas sulistas do pop brasileiro e começou a mostrar ao pop mundial o valor do som do Norte do Brasil, nem precisamos matutar muito para encontrar nosso primeiro lugar. Lógico que a CENA não facilitou. 2DE1 lançou talvez a melhor música que o duo (em um) já fez na carreira, Nill chegou com uma mixtape espetacular e a Ana Frango ainda divulga seu disco de 2019 na maior calma, na maior contundência. E isso tudo é só uma parte da nossa lista de melhores da semana. Pensa na playlist que vai dar.

pabblotop50quadrado

1 – Pabllo Vittar – “Não É Papel de Homem” (Estreia)
Ao optar em reler clássicos do tecnobrega e do forró que foram a trilha de sua adolescência em um contexto que respeita os gêneros e ainda absorve elementos da música pop atual, Pabllo enriquece sua já boa mistura e aproxima seu trabalho das experiências de hyperpop tocadas por artistas como Sophie e Charlie XCX. É uma inversão inteligente do senso comum que ronda o pop nacional. Em vez de deixar o pop mundial informar a música brasileira, aqui a música brasileira informa o pop do planeta. Não é um movimento simples, não. O Primavera Sound vai ver só.

2 – 2DE1 – “Emersão” (Estreia)
Emersão, segundo um dicionário online, é tanto o movimento de um corpo que sai de um fluido no qual estava mergulhado quanto a reaparição de um astro que eclipsara. Significativo que esse seja o som de uma retomada após um relativo silêncio. E, bom, basta reparar na letra para sacar que a intenção dos gêmeos Fernando e Felipe Soares passa por uma aceitação de si mesmo e de assumir uma luta para alterar os aspectos que estão danificando o universo ao redor.

3 – Nill – “Singular” (Estreia)
Participação da Ana Frango Elétrico, sample do Paramore. Que som que o Nill lançou aqui para abordar as questões e inseguranças de dentro da sua mente. E a faixa é tão curtinha que pede por uns três replays a cada “escutada”.

4 – Ana Frango Elétrico – “Promessas e Previsões” (Estreia)
E, por falar na Ana, um elogio a ela aqui por soltar um vídeo para um som seu do “distante” 2019. Esse jeito de trabalhar um álbum em slow motion é um ajuda e tanto para nós, jornalista, sobrecarregados por tanta coisa a escutar. Mirem-se no exemplo.

5 – Mineiros da Lua – “Armadilha” (Estreia)
Bom o passeio dos mascarados Mineiros da Lua neste segundo álbum, que consegue juntar psicodelia, rap, música eletrônica. Em “Armadilha”, por exemplo, tem uma estrutura interessante: estrofe + sessão instrumental + estrofe + sessão instrumental em que a música vai se quebrando. Refrão é para os fracos.

6 – Iara Rennóo – “Ava Viva” (Estreia)
Uma música que homenageia Ava Rocha já mereceria todo destaque, mesmo que não fosse lá muito inspirada. Não é o caso aqui, lógico. Iara capricha em criativos versos para homenagear sua amiga. “Sua cara vira tela, mas a luz é dela” é uma bela tradução da força única da Ava.

7 – Bonifrate – “Cara de Pano” (Estreia)
Bonifrate segue explorando seus tecladinho. Aqui a jovem guarda manda um alô na faixa mais pop, entre os singles lançados até aqui, de “Corisco”, seu novo álbum, que chega logo mais.

8 – Isabel Lenza – “Tudo Que Você Não Vê” (Estreia)
No aquecimento do seu novo álbum, “Véspera”, a cantora paulistana lança seu melhor single. Uma linda reflexão sobre a força feminina que rege o universo, aquilo tudo que a gente não vê. Por que será? A letra é complementar à delicada música que vai envolvendo a gente ao longo da escuta com pequenos detalhes, pequenas informações, aquilo tudo que a gente não percebe até ouvir a música um monte de vezes. E então dá aquele sorriso, satisfeita.

9 – Romulo Fróes – “Baby Infeliz” (1)
Olha o time. Composição de Romulo, Gui Held e Jards Macalé com letra de Nuno Ramos em homenagem a Jards – repare que alguns versos são apropriados de canções do Macau -, “Baby Infeliz” acabou rejeitada pelo próprio homenageado. Para que a canção não entrasse em um limbo, Romulo resolveu resgatá-la em seus dois novos álbuns de repertórios iguais e sonoridades bem diferentes – “Aquele Nenhum” (voz e violão) e “Ó Nois” (colagens). E não é que o Jards, quando escutou a música de novo, já na leitura do Romulo, perguntou por que ele, Romulo, não tinha oferecido a ele, Jards, gravar a canção? Perdeu um musicão, Jards. Mas achamos que o Romulo te empresta ela de novo, sim.

10 – Nelson D – “Algo Em Processo” (2)
Brasileiro de tribo indígena da Amazônia criado na Itália, Nelson D é a mais nova contratação de um dos nossos selos prediletos neste país, o Balaclava. E é de casa nova que ele dá sequência ao seu futurismo indígena já testado no disco do ano passado, “Em Sua Própria Terra”. A primeira canção dessa leva é um tratado sobre amizade. “Dedico essa musica a todas as pessoas que tiveram sorte de ter uma amizade importante nos momentos mais difíceis”, escreveu Nelson em suas redes. E nós tivemos sorte de ter uma música assim de tantos referenciais e sotaques na nossa CENA.

11 – Ella from the Sea – “Lonely” (3)
12 – Linn da Quebrada – “I Míssil” (4)
13 – GIO – “Joias” (5)
14 – BNegão feat. Paulão King – “Cérebros Atômicos” (6)
15 – Rodrigo Amarante – “I Can’t Wait” (7)
16 – ATR – “Corazón (Badsista Remix)” (8)
17 – Bonifrate – “Casiopeia” (9)
18 – Mallu Magalhães – “Pé de Elefante” (10)
19 – Edgar – “A Procissão dos Clones” (11)
20 – Tuyo – “Toda Vez Que Eu Chego em Casa” (12)
21 – Giovanna Moraes – “Baile de Máscaras” (13)
22 – Marcelo Perdido – “Que Bom” (14)
23 – Gustavo Bertoni – “Old Ghost, New Skin” (15)
24 – Marina Sena – “Voltei pra Mim” (16)
25 – Rincon Sapiência – “Meu Mundo” (17)
26 – Supervão – “Amiga Online” (18)
27 – Master San – “A #05 – Intergalatica” (19)
28 – Jonathan Ferr – “Amor” (22)
29 – Jadsa – “Mergulho” (23)
30 – Mulungu – “A Boiar” (24)
31 – Jup do Bairro – “Sinfonia do Corpo” (25)
32 – Lupe de Lupe – “Brasil Novo” (26)
33 – Bruna Mendez e June – “A Vida Segue, Né?” (27)
34 – Rodrigo Campos, Juçara Marçal e Gui Amabis – “Ladeira” (28)
35 – Zé Manoel – “Como?” (29)
36 – Os Amantes – “Linda” (30)
37 – Rashid – “Diário de Bordo 6” (31)
38 – Saulo Duarte com Luedji Luna – “Lumina” (32)
39 – Salma e Mac – “Amiga” (33)
40 – Yung Buda – “Digimon” (34)
41 – Duda Beat – “Meu Pisêro” (37)
42 – FEBEM – “Crime” (38)
43 – Aquino e a Orquestra Invisível – “Os Prédios Cinzas e Brancos da Av. Maracanã” (39)
44 – Boogarins – “Supernova” (40)
45 – BaianaSystem – “Brasiliana” (42)
46 – Sophia Chablau e uma Enorme Perda de Tempo – “Delícia/Lúxuria” (44)
47 – Jota Ghetto – “Vagabounce” (46)
48 – Mbé – “Aos Meus” (48)
49 – Rico Dalasam – “Expresso Sudamericah” (49)
50 – LEALL – “Pedro Bala” (50)

*****

*****

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, a imagem é da cantora Pabllo Vittar.
*** Este ranking é pensado e editado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix. Com uma pequena ajuda de nossos amigos, claro.

>>

TOP 50 DA CENA – De Sorocaba ao Piauí. Via Turquia. Boa viagem com Wry, Mateus, Nuven, Thunder, Valciãn, Abramovay

1 - cenatopo19

* Você acha que uma música chamada “Travel” chega à toa ao primeiro lugar de um ranking que é uma verdadeira viagem?!? Nem a gente prevê essas coisas.
A semana está linda e forasteira, com música em inglês em primeiro, discaço vindo do Piauí e sua coqueteleira de influências de cima e de baixo no mapa, eletrônico fino que te leva à nuven (ai…), e um professor musical na Holanda cuja especialidade é o que se toca em Istambul.
Embarque na nossa playlist do Spotify e bon voyage!

1 - PHOTO-2020-08-19-04-21-10

1 – Wry – “Travel” (Estreia)
É CENA brasileira, mas parece cena britânica. E você sabe o quanto amamos um som nesse estilo. De Sorocaba para os anos 80 inglês ou a habilidosa manha em unir melodia pop e um bom feedback.
2 – Mateus Aleluia – “Amarelou” (2)
A beleza de um disco de Mateus Aleluia em 2020 é um presente que ilumina este ano esquisito. Aqui, na produção de Ronaldo Evangelista e com músicos da CENA por perto, como Thiago França, Sérgio Machado, entre outros, a conversa de Mateus se aproxima da nova geração, que já se ligou na importância dele e dos Tincoãs. “Amarelou” ainda conta com, “apenas”, João Donato. Já frequenta o top 2 há algumas semanas e ninguém tira. Tirar como?
3 – Nuven (feat. Apeles) – “Janela” (Estreia)
O trabalho eletrônico sofisticado de Gustavo Teixeira se apresenta em um belo EP de cinco canções. Ao convidar Apeles para esta faixa, a eletrônicia de sensibilidade se torna aliada de um vocal de sensibilidade. E o resultado é muito bonito.
4 – Thunderbird – “Insuportável” (2)
Que música absurda de Luiz Thunderbird, o segundo single de seu disco solo novo, que em algum momento vem aí, o já aguardadíssimo “Pequena Minoria de Vândalos”. Esta nova canção-porrada, “Insuportável”, é meio um encontro do Morphine com os Pixies. Eles encontrando com a voz do Thunder. A música foi feita com o inparável Guilhermoso Wild Chicken e a letra é um poema do grande Rodrigo Carneiro. Thunder consegue se cercar de referências e parcerias e ser muito Thunder.
5 – Valciãn Calixto – “Nunca Fomos Tão Adultos” (Estreia)
Amamos o disco do piauiense Valciãn. Tem várias boas e até cogitamos escolher duas para este Top 10. Quem está atento ao ranking se lembra de que a gente já botou ele aqui quando um dos sons do disco ainda era single. Que brasilidade rica.
6 – Letrux – “Vai Brotar” (1)
A manutenção de um disco depende em parte de nós, em parte do artista. Letrux lança o vídeo de “Vai Brotar” e nos lembra do ótimo álbum que pegou a gente lá no começo do ano. E, em particular, de uma música. E, mais particular ainda, desta letra. “Você ficou cínico com o tempo/ Eu fiquei muito mais espiritualizada/ Acreditando em carta, sonho e passe”. Só nós achamos que “Vai Brotar” tem uma vibe grandiosa meio Arcade Fire?
7 – Compositor Fantasma – “Século XXI Antes de Cristo” (Estreia)
Sabe aquelas músicas de narrativas divertidas e leves que não abordam assuntos leve e divertidos – e que contém palavrões bem colocados? É o caso desta joia aqui. Uma das milhares de vezes em que lamentamos que o rádio brasileiro esquece o nosso pop esperto há anos.
8 – Viratempo (feat. Àyié) – “Vento” (Estreia)
A voz de ÀIYÉ caiu como luva no som da banda indie Viratempo. Repetindo uma ideia que lançamos aqui: daquelas parcerias que nos deixa com vontande de absurda de um disco completo da parceria.
9 – Juliano Abramovay – Anzol (Estreia)
A viagem aqui é outra. É CENA brasileira, mas o tempero é cigano, algo turco, algo árabe. Juliano, ex-Grand Bazaar, é professor dessa matéria. Mesmo. E, já que não se pode pegar avião direito, ainda mais sendo brasileiro, ele nos leva de graça ao leste do Mediterrâneo. Primeiro single de seu disco de estreia, a ser lançado.
10 – Iara Rennó – “Tara” (Estreia)
Uma canção forte de Negro Leo que aborda como o sexo se apresenta pela nossas vidas logo cedo em formas nada corretas e confusas, muitas vezes propositalmente. Um som de 2014 reapresentado em uma série de EPs que Iara lança em 2020.
11 – Apeles – “Tudo Que Te Move” (4)
12 – Ave Sangria – “Vendavais” (5)
13 – Thiago Nassif – “Voz Única Foto Sem Calcinha” (6)
14 – Ovo ou Bicho – “Moços” (7)
15 – Elza Soares e Flávio Renegado – “Negão Negra” (8)
16 – Jonnata Doll e os Garotos Solventes – “Filtra Me”(9)
17 – Ella from the Sea – “Side by Side” (10)
18 – Autoramas – “Boneco” (11)
19 – Negro Leo – “Tudo Foi Feito pra Gente Lacrar” (13)
20 – CESRV – ”Mix It Up” (14)
21 – Kalouv – “Talho” (15)
22 – Pedro Pastoriz – “Dolores” (16)
23 – Marcelo Perdido – “Bastante” (17)
24 – Yannick Hara (ft Big the Kiid e Asaph) – “Vida Offline” (18)
25 – Hellbenders – “Pra Entreter” (19)
26 – Jup do Bairro – Pelo Amor de Deize (20)
27 – Rincon Sapiência – “Malícia” (21)
28 – Raça – “Domingo” (22)
29 – Giovanna Moraes – “Sai por Inteira” (29)
30 – Nevilton – “Irradiar” (24)
31 – Gustavo Bertoni – “Sit Down, Let’s Talk” (25)
32 – Amen Jr. – “Ladeira Abaixo” (26)
33 – Vella – “Delírio Besta” (27)
34 – Jadsa – “Quietacalada” (28)
35 – Hiran – “Gosto de Quero Mais” (29)
36 – Kunumí MC – “Xondaro Ka’aguy Reguá (Guerreiro da Floresta)” (34)
37 – Duda Brack – “Contragolpe” (35)
38 – Don L – “Kelefeeling” (37)
39 – Mahmundi – “Nós De Fronte” (38)
40 – Rico Dalasam – “Mudou Como?” (39)
41 – ÀIYÉ – “Pulmão” (40)
42 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (41)
43 – Coruja BC1 – “Baby Girl” (42)
44 – Edgar – “Carro de Boy” (43)
45 – Douglas Germano – “Valhacouto” (44)
46 – Kiko Dinucci – “Veneno” (45)
47 – Jhony MC – F.A.B. (46)
48 – Djonga – “Procuro Alguém (47)
49 – Vovô Bebê – “Êxodo” (48)
50 – Troá! – “Bicho” (49)

***

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, o músico piauiense Valciãn Calixto.
*** Este ranking é formulado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix, talvez o maior estudioso da nossa CENA. Com uma pequena ajuda de nossos amigos, claro.

>>