Em inky:

Avalanche de shows do indie nacional em SP chacoalha a CENA a partir de hoje

>>

cena

É apenas um recorte do que vai acontecer nos próximos dias, dentro do que já vem acontecendo nos últimos dias e deve acontecer nos dias do futuro próximo, mas vamos tomar o período de duas semanas a partir de hoje como exemplo.

Acompanhe “parte” do que está programado em palcos variados de São Paulo (e adjacências) e todos os nomes envolvidos.

090916_oterno2

* Hoje, 9/9, no belo Auditório do Ibirapuera, o power trio paulistano O Terno (foto), banda muito boa no palco e que tem as melhores fotos do indie nacional, além de andar dividindo shows por aí até com veteranos como Jards Macalé, apresenta o concerto de lançamento de seu novo disco “Melhor do Que Parece”. A empresa Natura banca esse show assim como bancou a produção desse terceiro álbum deles. Amanhã, sábado, dia 10, o espetáculo se repete.

090916_garotassuecas2

** Domingo, 11, no Centro de São Paulo, tem a segunda edição da feira Sacola Alternativa, evento do selo-banda-produtores-trazatraçõesgringas-levaatraçõesnacionais-temcasadeshows Balaclava Records, entidade paulistana de agitadores indies. O evento tomará a Galeria Olido, na Av. São João, e é parte do Mês da Cultura Independente, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura. Vão ter paineis para discutir a cena indie, o mercado, os caminhos. “Get together” de artistas e pequenas gravadoras do cenário independente brasileiro. Exposição e venda de lançamentos exclusivos de vinis, CDs, EPs, DVDs, fitas K7, merchandising dessa cena. E, óbvio, shows. Shows dentro de uma vitrine. Em que o público também entra nela. Certo?

Vitrine Olido
14h Sara Não Tem Nome (MG)
15h E a Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante (SP)
16h Marrakesh (PR)
17h Gorduratrans (RJ)
18h FingerFingerrr (SP)
19h Garotas Suecas (SP), foto acima

Dentro da programação tem ainda, na Sala Olido, outro espaço a ser ocupado pelo evento da Balaclava, show do quinteto Terno Rei. A apresentação marca o encerramento da feira. Na Sala Olido ocorre também os painéis (16h: Políticas de incentivo aos artistas e a Música Instrumental; 17h: Circulação de bandas no país e exterior; 18h: Tendências do mercado e a relação com as marcas) e a exibição do filme “GRU-PDX”, da cena de Portland, sob o olhar do duo paulistano Quarto Negro, que gravou na indiemente famosa cidade americana seu segundo álbum, lançado em abril. “GRU-PDX”, que passa às 14h, foi filmado durante seis meses de viagens para lá e para cá da dupla.

inky

* Está acontecendo em São Paulo o SP-Urban, evento anual de música, cinema e arte que nesta edição tem atrelado a seu nome a ação Samsung Conecta, plataforma de tecnologia da empresa coreana.
Hoje, 9/9, no principal telhado urbano da cidade, o Mirante 9 de Julho, estão programados dois ótimos shows com visuais do famoso artista Muti Randolph, que produzirá um sistema de áudio reativo para as apresentações indies.
– Às 18h30 o show será da banda surf carioca Beach Combers.
– Às 19h30 quem toca é o quarteto Inky (na foto acima, a vocalista Luiza Pereira), que mostra o recém-lançado disco novo, “Animania”, cuja produção foi bancada pela Red Bull.

Ainda ali na caída da av. Paulista, “atrás” do MASP e com vista cool da av. 9 de Julho a caminho do Centro, a junção música indie mais visuais artsy tem programado:
– amanhã, sábado, dia 10, às 19h50, Gabriel Thomaz Trio + Vj 1mpar.

No outro final de semana, sábado 17, ainda no SP-Urban, mas agora no palco externo do Auditório Ibirapuera, o evento vai ser robusto. A programação tem shows dos grupos Tigre Dente de Sabre, Superdose e os internacionais Boogarins, de Goiânia, que tocarão sob as performances visuais de, respectivamentes, VJZaria, Muti Randolph e United VJs.

De volta ao Mirante, no dia 18, às 18h30, o grupo goiano Carne Doce, que está lançando agora o segundo e belo disco “Princesa”, se apresenta no esquema sound & vision com o VJZaria. É o primeiro show em São Paulo do disco novo, que foi gravado aqui na cidade, sob a batuta dos produtores dos estúdios da Red Bull Station, que deu a master de presente ao grupo do Mac e da Salma Jô (foto da home da Popload).

noporn

*** O Z Carniceria, palco estáile no agitado Largo da Batata, em Pinheiros, apenas falando deste final de semana tem a seguinte composição:
* hoje, sexta, show de pré-lançamento do primeiro disco autoral da banda instrumental LaMota, com exibição do novo vídeo do Maglore.
* amanhã, sábado, primeira edição da bombada festa Pardiero no Z Carniceria, que na estreia terá show da ótima banda-deboche Noporn (foto acima), redevivo projeto cool de Liana Padilha e Luca Lauri, que botará para rolar músicas de seu aguardado novo disco, “Boca”, a ser lançado em outubro.

supercordas

**** Na simpática e necessária Casa do Mancha, amanhã, sábado 10, tem show do grande Supercordas, banda carioca de psicodelia brasileira liderada pelo figuraça Pedro Bonifrate e que estreia baterista novo, o Caca Amaral. A Casa do Mancha é um dos espaços mais importantes e serve como uma espécie de laboratório aconchegante da CENA e realiza mais de 100 shows no ano, lutando “contra a subvalorização do artista nacional”.

bide

***** CAMPINAS: Neste final de semana, sábado 10 e domingo 11, rola no interior do estado aqui pertinho o festival Onde Pulsa a Nova Música, ajudado em sua realização pelo Governo do Estado e com entrada gratuita. O bacana Cícero e o exemplar do rock gaúcho Bidê ou Balde lideram a escalação que terá também Supercordas, Oito Mãos, O Bardo e o Banjo, Sala Especial e mais galera. A programação e os horários são estes:
Sábado – Na Estação Cultura a partir das 14h
14h – Ekena
15h15 – Ferdi
16h30 – O Bardo e o Banjo
18h – Oito Mãos
19h30 – Cícero

Dia 11/09 – Na Estação Cultura a partir das 14h
14h – Bels
15h15 – Supercordas
16h30 – Sala Espacial
18h00 – Muzzarelas
19h30 – Bidê ou Balde, foto acima.

050516_wry_slider

****** SOROCABA: Mais perto ainda de SP, em Sorocaba, neste final de semana acontece o Festival Febre. Começa hoje, acaba domingo. Esta é a 2ª edição do evento e serão mais de 50 atrações entre shows, palestras, painéis, workshops e exposições de arte. Grande parte das atividades é gratuita e acontecerá no Sesc. Sete bares e casas noturnas da cidade vão abrigar shows (pagando entrada). Tem ainda um palco público montado na praça Frei Baraúna.

Entre as atrações estão Wry (foto acima), Maglore, Tigre Dente de Sabre, Baleia, Apanhador Só, Camarones Orquestra Guitarrística e muito mais. Informações mais detalhadas no site oficial.

* Vamos junto?

>>

Indie brasileiro invade o Primavera Festival para tocar e falar

>>

* Popload em Barcelona.

* O texto abaixo foi publicado hoje na capa da Ilustrada, caderno cultural da Folha de S.Paulo. É replicado aqui, sem cortes e com foto e vídeo.

IMG_3082

A cena independente brasileira está em conexão direta com um dos principais festivais da Europa hoje, o espanhol Primavera Sound, um dos primeiros da temporada de verão do Hemisfério Norte, que a gente se deslocou até aqui em Barcelona para ver de perto.

O evento tem aberto cada vez mais espaço para bandas nacionais tocarem e para produtores trocarem experiências em palestras sobre o estado de coisas da música e de festivais no Brasil em particular e na América do Sul, em geral. Um garagem punk aqui e uma discussão sobre como ser herói no Brasil fazendo festival com o dólar deste tamanho. Um grupo de electro-rock quase pelado acolá e um papo sobre políticas públicas para a música no Brasil.

Os paulistanos Inky, Aldo The Band, O Terno (foto acima), o Quarto Negro e Nuven, projeto eletrônico de Gustavo Teixeira, mais o curitibano Water Rats, e o potiguar Mahmed, se apresentaram tanto no palco Nightpro, um local para ver e ouvir novíssimas tendências dentro do Primavera Festival, quanto nos shows de dia no suntuoso CCCB, o centro de cultura contemporânea de Barcelona.
Todas as bandas foram trazidas a Barcelona por instituições brasileiras que desenvolveram um rico intercâmbio com o Primavera, como os festivais Bananada (de Goiânia) e Do Sol (de Natal) e o selo de discos e produção de shows Balaclava, de São Paulo.

As performances do Inky, assim como a do Aldo The Band, atraíram um bom público no Primavera Sound, conquistado mais pela curiosidade e pelo desempenho inicial das bandas do que por saberem quem exatamente estava no palco naquela hora. No Aldo, que começou com poucas pessoas na plateia, acabou com muita gente formando uma verdadeira pista de dança em frente à banda, inclusive. Bandas de estilos bem diferentes como O Terno (rock sessentista, uma jovem guarda mais atualizada e pesada) no CCCB ou o paranaense Water Rats (garagem punk) tocando no último dia às 4h da manhã atraíram público considerável para vê-los.

O intercâmbio com um festival tão importante hoje para a música independente mundial (as atrações principais foram Radiohead, Brian Wilson, LCD Soundsystem) rendem várias aberturas para culturas indies “distantes” do eixo Europa-EUA, como a brasileira. O Aldo The Band, por exemplo, para aproveitar a vinda à Espanha, cavaram um show em Portugal e outro num festival de Liverpool, Inglaterra, a terra dos Beatles.

“A gente faz shows com o Primavera desde 2010 e começamos trazendo duas bandas do Brasil”, afirma Fabrício Nobre, produtor do festival goiano Bananada e um dos elos da ligação com o festival espanhol. “Hoje estamos ao todo trazendo sete. O interesse está naturalmente crescendo. O bacana é que fazemos uma pré-curadoria com umas 20 bandas para indicar aos espanhóis. Eles é que ouvem e decidem quem vem, quantos vêm. Quem sabe em 2017 venham mais.”

Na foto acima, o grupo paulistano Terno se apresentando no CCCB, em Barcelona. Na home da Popload, a banda Inky em performance no mesmo local.

Abaixo, o vídeo do Quarto Negro tocando no palco NightPro, dentro do Primavera Festival 2016.

** A Popload voa pela Europa a convite da KLM e Air France.

>>

Indie brasileiro se prepara para invadir Barcelona (mais uma vez)

>>

O cada vez mais incrível Primavera Sound, festival que atrai gente em progressão geométrica para Barcelona a cada ano e já um dos eventos de música mais importante do mundo, anunciou as atrações do Primavera Pro, uma espécie de festival dentro do festival, com showcases que visam fomentar o intercâmbio cultural através da música, e que recebe bandas novas e emergentes de diferentes partes do mundo.

Só neste ano, ao menos 11 países estarão representados por suas bandas e artistas em Barcelona. Da Austrália ao Peru, da Coréia do Sul ao Chile. E o Brasil, claro, mais uma vez fincará a bandeira de seu indie na gringa. Como vem acontecendo nos últimos anos. E, desta vez, com sete bandas no total.

o-terno_foto

A Construtora Música e Cultura, espertíssima empresa goiana que atua com agenciamento de shows, gestão de carreira, booking, produção musical e tudo mais, sempre voltado ao cenário independente, em conjunto com o DOSOL, marca forte de festival indie do Nordeste brasileiro, exportam ao Primavera Pro neste ano as bandas Aldo The Band, O Terno (foto acima, de Jonas Tucci), INKY e Water Rats. A “invasão espanhola” da armada indie brasileira guiada pela dupla Construtora/DOSOL se desdobrará na Europa, com prováveis eventos em Portugal e Inglaterra.

Já a valente Balaclava Records, selo paulistano cada vez mais internacional nas duas vias, põe nos palcos de Barcelona atrações como Quarto Negro (foto abaixo, ainda uma dupla), o duo eletrônico Nuven e o grupo Mahmed, de Natal (Rio Grande do Norte).

quartonegro_press2(2)

O Primavera Sound acontece entre os dias 1º e 5 de junho, em Barcelona, e terá shows de gente do nível de Radiohead, LCD Soundsystem, PJ Harvey, Tame Impala e Sigur Rós (só para citar cinco).

* Confira abaixo todas as atrações do Primavera Pro:
Aldo The Band (BR), Altre di B (IT), Anam (ZA), Badlands (ES), Chicago Toys (CL), Cut Out Club (IL), Dead Buttons (KR), DTSQ (KR), Gala Brie (PE), Gang of Youths (AU), INKY (BR), Jack Carty (AU), Jay Cubed (ZA), Kanaku y el Tigre (PE), Los Outsaiders (PE), Mahmed (BR), Matilde Davoli (IT), Merkabah (PL), Money For Rope (AU), Moonchild Sanelly (ZA), Noga Erez (IL), Nuven (BR), O Terno (BR), Odd Cherry Pie (ES), Oh Pep! (AU), Planeta No (CL), Quarto Negro (BR), RSS Boys (PL), Sun Glitters (LU), Sycamore Age (IT), The Meanies (AU), Tiny Fingers (IL), Tunacola (CL), Water Rats (BR), Wedance (KR), Wolves As Friends (PE).

>>

Blue jeans: casa no Centro de SP leva bandas indies e festas em homenagem à icônica calça 501

>>

casa

* A tradicional marca de jeans americana Levi’s, que nunca deixa de associar seu modelo roqueiro 501 ao indie garagem (no ano passado fizeram festa com o lendário Sonics), resolveu criar neste ano uma casa de arte no Centrão de SP para comemorar os 143 da famosa linha de calças. Do próximo dia 17, daqui uma semana, até 10 de abril, a Levi’s ergue em um casarão do século 20 na região dos Campos Elísios, uma temporada de shows, festas, exposições e gastronomia. A entrada será gratuita.

Bandas como Inky, Otis Trio, Mustache & Os Apaches, as duplas Parati (abaixo) e FingerFingerrr e festas como Venga-Venga, Despacho e Jambox animarão a casa. A programação completa de música, arte e comida será divulgada no site brasileiro da Levi’s a qualquer momento. O primeiro final de semana pode ser visto lá embaixo.

parati

A Casa Levi’s funcionará de quintas a domingos, no período de quatro semanas. Às segundas e terças, o lugar vai funcionar como um estúdio de gravação. Músicos interessados em gravar seu som e levá-lo para casa pronto têm que se inscrever pelo site. Duas bandas serão escolhidas para usar o estúdio por dia, nestes dias.

Veja bem: cachorros são bem-vindos à casa. Gatos também, mas eles são mais rebeldes que a linha 501, então…

A Casa Levi’s fica na rua Vitorino Carmilo, 449, Campos Elíseos.
– quintas e sextas: a partir das 18h
– sábados e domingos: a partir das 14h
Entrada gratuita. Chegou, entrou. Respeitando a capacidade, obviamente.

* A foto de meio Inky da home da Popload é de autoria de Jonas Tucci.

QUINTA-FEIRA – 17/03
Quinta Blues
18h – Abertura para o público
21h – Show – Ozório Trio
Cozinha: Massaria Di Stefanni – Chef Luciano Felix

Abertura de exposição
fotografia: Rafael Pavarotti e Rogério Cavalcanti
artes plásticas: Marco Aurélio Rey

SEXTA-FEIRA – 18/03
Sexta independente
18h – Abertura para o público
21h – Selo RISCO apresenta Mustache & Os Apaches
cozinha – Ghee Banqueteria

SÁBADO – 19/03
Festa
14h – Abertura para o público
14h – Yoga Método DeRose
16h – festa Venga-Venga
cozinha – Bianca Bertolaccini
cineminha – documentário 501® / “Juventude Transviada” (1955) – James Dean
Live paint – Apolo Torres
espaço para brincadeiras de quintal e dog friendly.

DOMINGO – 20/03
Relax
14h – Abertura para o público
18h – Show Lara e os Ultraleves
cozinha – Petit Gastronomia – Chef Victor Dimitrow
cineminha – “Para Sempre Teu” – Caio F. Abreu (2 sessões)
espaço para brincadeiras de quintal e dog friendly.

>>

Superquinta em SP. As meninas do BOY tocam na balada do MECA hoje à noite

>>

* A semana em São Paulo está tipo asfixiante no quesito eventos. O Guia Out aí embaixo não me deixa mentir.

Screen Shot 2016-01-28 at 17.15.18

Olha hoje à noite, por exemplo. Enquanto o rapper judeu Matisyahu de Nova York leva suas palavras e seu mix sonoro explosivos ao lotadaço Cine Joia, o Audio Club sedia mais uma edição do ex-gaúcho e hoje “multiplatafórmico” e nacional MECA.

Com a badalada festa Selvagem e os ótimos Bag Raiders australianos segurando a discotecagem nas pontas da noite, a “perna paulistana” do evento terá em seu recheio shows do afiado grupo brasileiro Inky e a atração da noite, o duo feminino alemão BOY (foto acima).

Isso me lembra um antiiiiigo Popload Gig que teve a banda de meninos Girls e a banda de meninas Men, mas essa é uma outra história.

O BOY é uma dupla indie de Hamburgo (uma delas é suíça) com dois discos. Sendo que o segundo, “We Were Here”, lançado em 2015, fez o som das meninas irem além da cena alemã, com show nos EUA e música na prestigiosa Triple J, rádio da Austrália. Tanto que hoje tocam em SP.

Info do MECApresents/SP podem ser conferidas aqui.
Abaixo, os horários das atrações da superbalada de hoje.

SELVAGEM – 22H
INKY – 00H
BOY – 1H
BAG RAIDERS – 2H

>>