Em jimmy fallon:

A celestial Celeste proclama, na TV, que o amor está de volta

>>

Captura de Tela 2021-04-14 às 11.08.10 AM

* A gente aqui paga um pau para a cantora inglesa-californiana Celeste, que parece ter pegado o tema do amor todinho para ela, para desenvolvê-lo em músicas classudas, como se a gente estivesse nos anos 50 e tal.

Celeste, a gente tratou disso aqui, lançou o disco lindão de estreia, o “Not Your Muse”, no comecinho deste ano, cheio de pauladas amorosas, voz celestial, arranjos que não são deste tempo. E vem nos brindando em sessions e aparições na TV desde então, com suas músicas de filme triste americano antigo, como eu já ouvi alguém dizer por aí.

Não é por acaso. “Not Your Muse”, seu primeiro álbum, chegou ao topo das paradas britânicas, quando lançado. Não é o tipo de música que costuma ir direto para cima das listas, mas este foi. O disco ainda rendeu ela três indicações para o Brit Awards, álbum do ano entre elas. FORA QUE uma de suas canções, que está no disco, a linda “Hear My Voice”, concorre ao Oscar de melhor música original, por estar incluída na trilha do espertíssimo filme “Os 7 de Chicago”, de de Aaron Sorkin, um dos fortes concorrentes a melhor filme.

Dessas aparições de TV das quais gostamos teve uma linda ontem, no programa do Jimmy Fallon. Foi performance para a absurda “Love Is Back”, que tem uma pegada meio Amy Wihehouse linda. Você merece ver isso.

Repare nas balançadinhas de cabeça e os olhares para lugar nenhum dela, que demais.

>>

Japanese Breakfast ficou “big” e se apresentou no Jimmy Fallon. Entenda!

>>

* Adoro “entenda”…

A fofura Michelle Zauner, a Japanese Breakfast, ainda que meio-coreana, meio americana, foi ao Jimmy Fallon ontem à noite mostrar para a família americana noturna seu balançado mais recente single, “Be Sweet”, primeiro single de “Jubilee”, seu novo álbum, que saí no dia 4 de junho.

A música, já tratamos dela aqui, é uma parceria de Michelle com Jack Tatum, da banda Wild Nothing. Dissemos à época, vale repetir, que ela prepara ainda um livro de memórias, que vai explorar sua experiências como única coreana-americana em sua escola e a forma como lidou com as expectativas de sua mãe, que não exatamente tinha pensado num futuro musical para a filha. Enfim.

Gravado em um clube vazio no Brooklyn, o vídeo de “Be Sweet” não foi o único enviado pela Japanese Breakfast ao Fallon. Como uma performance exclusiva para a internet, ela mandou ainda uma performance para “Jimmy Fallon Big”, veja só, uma música de um disco de 2017 do Japanese Breakfast chamado “Soft Sounds From Another Planet”

A história da música é ótima e cativou Jimmy Fallon, que no programa explicou de onde veio essa “Jimmy Fallon Big”. Michelle escreveu a canção depois que o baixista dela, que tocava em outra banda, disse que ia sair do Japanese Breakfast porque eles tinham uma proposta de turnê melhor e que eles iam acabar ficando grandes a ponto de serem convidados para tocar no programa do Jimmy Fallon. Michelle ficou arrasada na época. Agora o baixista voltou ao JB e foi tocar com Michelle no Jimmy Fallon.

>>

Arlo Parks leva as flores ao Jimmy Fallon, para cantar sobre o “black dog”

>>

arlo2

* Semana agitada para as novas musas indie. Quem também se apresentou na TV americana nesta semana, foi a inglesa Arlo Parks, 20 anos, no programa “The Tonight Show”, do Jimmy Fallon.

Seguindo um visual intimista, semelhante à performance que fez semanas atrás, no Jimmy Kimmel, Arlo segue na jornada (dsclp) de divulgação de seu belíssimo disco de estreia “Collapsed in Sunbeams”, lançado no mês passado.

Para o programa, a música escolhida foi “Black Dog”, canção que reforça nossa geração indie-mental health. Na letra, Parks canta “I’d take a jump off the fire escape/ To make the black dog go away, Alice/ I know that you are trying/ But that’s what makes it terrifying”, algo como “Eu daria um pulo na escada de incêndio/ Para fazer o cão preto ir embora, Alice/ Pelo menos eu sei que você está tentando/ Mas é isso que faz ser tão aterrorizante”. O “black dog” é uma alegoria à depressão.

A performance do vídeo gravado e enviado ao Fallon é da linha de produção de fofuras e sentimentos característico de Arlo Parks. Com banda e envolvendo flores. Lembrou em um momentinho a doce mania do Morrissey do começo. Com outro destino para a mensagem “flores”.

Confira o vídeo da apresentação de Arlo Parks no Fallon:

>>

Fontaines DC mostra aos americanos que a vida nem sempre é vazia

>>

Captura de Tela 2021-01-29 às 7.16.25 AM

* Life ain’t always empty. Que o diga o espetacular grupo irlandês Fontaines DC, que ontem à noite foi a atração musical do programa do Jimmy Fallon.

A banda de Dublin enviou uma performance videoclíptica em um bar inglês, super cinemática, para a faixa-título de seu segundo álbum, “A Hero’s Death”, lançado em 31 de julho do ano passado.

O pub em que a canção para o Fallon foi desempenhada, despertando gatilhos vários, é o famoso The Auld Shillelagh, em Londres, segundo a banda um de seus lugares prediletos para beber. Beber Guinness? O slogan do pub, bem irlandês, está numa placa logo na entrada: “Guinness is good for you”. Não, isso não está no vídeo.

“A Hero’s Death”, que remete muito a linha “Life ain’t always empty” e que dá nome ao single e ao álbum, foi tirada de uma peça escrita nos anos 50 pelo irlandês Brendan Behan e, segundo Grian Chatten, o vocalista do Fontaines DC, parece que não mas traz uma mensagem positiva.

Positivo é o resultado desse vídeo do quinteto para o “Tonight Show” do Jimmy Fallon de ontem.

>>

Inglesa com jeitão de americana, Jade Bird mostra sua energética “Headstart” para o Jimmy Fallon

>>

* Outro bom nome a despertar graaaaande interesse no próximo disco é da jovem cantora indie-folk inglesa com jeitão de americana Jade Bird. O primeiro single do novo álbum, o segundo de sua ainda curta carreira, é a bem boa “Headstart”, música lançada em novembro.

O que se sabe do segundo disco dela é que, além de ter “Headstart” e o single seguinte, para a linda “Houdini”, também lançado em novembro do ano passado, é que ele está pronto, foi gravado em Nashville e vai ser parcialmente apresentado ao vivo em um show virtual que ela vai fazer em fevereiro.

jade1

Esperto com a nova música, o entrevistador e agitador Jimmy Fallon já meteu Bird como atração musical de seu programa na noite de segunda passada. A performance dela gravada e enviada foi de “Headstart”, que teve sua graça da hora em que ela começa a cantar até empunhar seu violão plugado na hora em que a música entra numa vibe Alanis Morissette anos 90 de liberação da energia interna acumulada, se é que você me entende.

>>