Em joe biden:

Veja o New Radicals fazer ao vivo “You Get What You Give” especial para o presidente. Para compensar, mostramos a participação da Japanese Breakfast

>>

Captura de Tela 2021-01-20 às 8.52.24 PM

* Brincando, claro. Uma das notícias da semana foi a participação da desaparecida banda californiana de “alternativo” New Radicals, de Gregg Alexander, na festa virtual de posse do novo presidente americano, Joe Biden. Foi um “big” anúncio, porque o New Radicals não dava as caras na música havia 22 anos.

Apesar de ter ido uma banda que durou apenas três anos ali no final dos anos 90, eles conseguiram implacar um colossal hit, a música-grude “You Get What You Give”, superradiofônica, que na real até hoje toca em FMs de “flashbacks”.

Foi exatamente “You Get What You Give”, que você vê aqui embaixo, a música tocada especialmente para o sucessor do desagradável Donald Trup. O New Radicals voltou para a festa e já acabou. Embora a música tenha seu valor pop, não dá para ficar ouvindo New Radicals por muito tempo. Então tudo certo.

“You Get What You Give” está na marca 1:17:00 do vídeo. Desculpa o trabalho.

* Mas está aqui o prometido. Rolou, nesse bololô de assuntos que desde ontem mistura entrevistas, depoimentos, minidocs, vídeos musicais gravados e imagens ao vivo da grande “inauguração” de Joe Biden como presidente dos Estados Unidos da América, uma apresentação da indie Japonese Breakfast.

Projeto da COREANA Michelle Zauner, o Japanese Breakfast tocou, com banda e tudo, a canção “Everybody Wants to Love You!”, de seu disco de estreia, de 2016.

No vídeo abaixo, é preciso ir até o minuto 27:30 para ver a Japanese Breakfast.

>>

POPNOTAS: Lady Gaga e o hino americano. Billie Eilish e Rosalía. Freeks e os Geeks. Machine Gun Kelly e a atitude

>>

– A colaboração entre Billie Eilish e Rosalía é esperada pelos fãs desde 2019 – quando a espanhola deu a dica em um tweet. Agora vai. Nesta quinta-feira, 21, saí “Lo Vas a Olvidar (You Will Forget Her)”. A música vai ser parte da trilha de um episódio especial da série “Euphoria”, da HBO. Vamos acompanhar.

– Quem já experimentou assistir (ou rever) a clássica série “Freaks and Geeks” (que revelou nomes como Seth Rogen e James Franco) na Amazon Prime deve ter dado de cara com dois problemas. Brasileiros só têm disponível a versão dublada do seriado (um pouco frustrante) e uma trilha sonora genérica na maioria do tempo (completamente frustrante, já que “Freaks and Geeks”, que foi exibida em 1999 e 2000, prima por uma trilha maravilhosa de sons dos anos 70). Hora de ter inveja. Lá fora os gringos que têm acesso ao serviço de streaming Hulu vão poder ver a série com a trilha completa a partir do dia 25 de janeiro. Quem sabe aqui um dia, né?

– Banda com o melhor nome do mundo hoje, por razões óbvias, a inglesa e indie The Vaccines lançou hoje de manhã em seu canal de Youtube um vídeo com “No One Knows”, cover de famoso hit do grupo californiano Queens of the Stone Age. A música, cujo original é de 2002, vai estar na versão do Vaccines no disco “Cosy Karaoke, Vol. 1”. O resultado é bem… jazzy? Recentemente, aqui na nossa CENA, a multiartista Giovanna Moraes regravou “No One Knows”, num gás mais rock, digamos, e disse que sua versão para a música do QOTSA era uma cover de mina para uma banda bem de macho. True.

* Rapper que toca guitarra, ou alguma definição perto disso, o brother Machine Gun Kelly levou muita atitude ao programa do James Corden ontem à noite, na TV americana. O “atitude” contém um pouco de ironia, mas deixa o cara. Para ser a atração musical do “The Late Late Show” desta terça, Machine Gun Kelly montou um cenário de banheiro com gente vomitando em privadas, para a performance ao vivo de “Concert for Aliens”, música de seu quinto álbum o punk popesco “Tickets to My Downfall”. Aliás, o disco marca a virada na carreira de Kelly, em trocar o hip hop por esse punk de cheiro anos 90 californiano. Olha, o disco não é exatamente ruim, haha.

* A musa pop Lady Gaga cantou hoje um emocionante hino americano na “inauguração” da nova presidência dos EUA, à cargo de Joe Biden agora, em sucessão ao malévolo Donald Trump. Gaga já havia botado sua voz pop no hino em 2016, para o Super Bowl daquele ano. Agora, com toda a pompa e circunstância para uma cerimonia presidencial, foi mais chic, da entrada dela em cena, o anúncio “sério” à performance em si.

>>

Popload nas eleições americanas: Lana Del Rey canta salmo da esperança pela vitória do Biden

>>

* Hahahaha. Adoro “Popload nas Eleições Americanas” nas chamadas.

A cantora bombshell californiana Lana Del Rey, empolgada pela vitória do democrata Joe Biden, subiu no Twitter e Instagram uma cover à capela de “On Eagle’s Wings”, reiterando que já está no estúdio, conforme prometido, para gravar um álbum de covers de canções standards antigas de folk music, uma das suas piras. A gente contou isso aqui no último post sobre a Lana. Fora o disco de Natal. Fora o novo dela, “Chemtrails Over the Country Club”, que ia sair em setembro, depois dezembro e agora foi jogado para o meio do ano que vem, parece.

“On Eagle’s Wings”, que Lana dedicou para Biden e que segundo ela foi inspirada depois do discurso de vencedor dele, no final de semana, é um hino da canção americana inspirado em um Salmo religioso, gravado nos anos 70 e que os americanos usaram muito nos funerais das vítimas do 11 de Setembro. Biden usou a música no final de seu discurso, com a intenção de transmitir esperança de novos tempos aos americanos.

>>

Fight for your right to… party. Beastie Boys libera “Sabotage” para campanha do rival do Trump

>>

beastie1

* O “party” do título tem duplo sentido, ok? A inestimável banda americana de hip hop punk Beastie Boys, pelo menos os dois elementos vivos do trio, em ação inédita, liberaram seu maior hit, a música “Sabotage” (1994), para servir de trilha de comercial da campanha presidencial americana de Joe Biden, o adversário de Donald Trump.

O grupo nunca tinha liberado uma canção sua para propaganda de qualquer espécie, nem para vender sabão em pó, então todo mundo foi pego de surpresa durante um break na transmissão de TV de um jogo da NFL (Steelers x Browns, futebol americano) e de repente tá lá “Sabotage” gritando na campanha do Biden.

Causou barulho o indie sendo bem usado na corrida à Presidência dos EUA, até porque toca Pixies, “Where Is My Mind?”, pouco antes da música dos Beastie Boys.

Tinha um cunho musical na história toda. Foi uma parte em que Biden ataca a política capenga de Trump em relação ao Covid-19, que entre outras coisas ruins levou a industria músical a uma crise profunda.

O comercial joga luz num clube do estado de Michigan, o famoso Blind Pig, cujo dono aparece para dizer que depois de 50 anos abrindo suas portas para a música ao vivo corre o sério risco de fechar, por conta da má-gestão econômica de Trump. E dizendo que a solução, pelo menos nesse problema em particular, está em votar em Biden.

>>

Em convenção dos Democratas, Billie Eilish pede voto “contra Trump” e promove estreia de “My Future” ao vivo

>>

200820_billie2

Notícia que trouxemos por aqui ontem, a menina fenômeno Billie Eilish foi uma das principais atrações na Convenção Nacional dos Democratas, se posicionando e inclusive encorajando seus fãs a votarem em Joe Biden na corrida presidencial da América.

Eilish, que tem 18 anos e vai votar pela primeira vez, participou remotamente com seu irmão Fineas e mostrou também pela primeira vez ao vivo a canção “My Future”.

Não bastasse a apresentação artística, ela gravou um vídeo direito, em que diz que Trump está destruindo o país. “Você não precisa de mim para dizer que as coisas estão uma bagunça”. Ela ainda destacou em seu discurso que o país precisa de líderes que se importem com as mudanças climáticas e a pandemia. “Comece votando contra Donald Trump e a favor de Joe Biden”.

A apresentação de “My Future” e o depoimento franco de Billie podem ser conferidos abaixo.

>>