Em Jonny Greenwood:

Veja a banda The Smile em ação. Nome do grupo novo do radiohead Thom Yorke não é isso que você imagina

>>

Captura de Tela 2021-05-23 às 10.13.32 AM

* “A gente se chama The Smile”, disse ontem Thom Yorke explicando o nome de sua nova banda, que estreou logo durante a transmissão ao vivo e mundial do festival Glastonbury, versão online e batizada de “Live at Worthy Farm”.

“Mas não é aguele ‘smile’ tipo :). É mais um sorriso como aquele cara que mente para você todos os dias.”

A Smile, de Thom Yorke, um trio, cujo nome deriva de um poema do lendário Ted Hughes, o que explica a ironia britânica fina, foi anunciada ontem mesmo, sábado, horas antes de o lindo “global streaming” do Glasto ir aos ares. Além de Yorke, tem ainda seu companheiro de Radiohead, o guitarrista Jonny Greenwood, e o baterista de jazz Tom Skinner.

Além do Smile, como convidado especial, o “Live at Worthy Farm” teve shows rápidos de Damon Albarn, talvez o melhor da noite, Idles, com uma garota na banda, Coldplay coloridão, Wolf Alice abrindo, as Haim tocando lindonas, os charmosos Michael Kiwanuka e Jorja Smith e a DJ Honey Dijon fazendo um set em que recebeu a convidada Róisín Murphy, com um clima literário na natureza protagonizado por gente como PJ Harvey, Jarvis Cocker e a poeta não-binária Kae Tempest, ex-Kate Tempest.

O Glasto repete hoje todas as cinco horas do evento mostrado ontem, a partir das 20h no horário brasileiro. E amanhã a gente tenta trazer os vídeos de tudo aqui. Mas, por ora, vamos focar no Smile, do Thom Yorke.

O grupo novo 2/3 Radiohead apresentou oito músicas (veja setlist abaixo que eles postaram no Twitter). O som vai da viagem radioheadiana mesmo (o show começou com “Skirting on the Surface”, que é uma música não lançada da banda “principal” de Thom Yorke) ao punk rock. Como você vai poder ver/ouvir abaixo, tem até umas quebradas matemáticas de indie rock, tipo atualíssima dessas perpetradas na música atual por bandas como Black Mid e Black Country, New Road, entre outras.

O que a gente pode mostrar da nova banda The Smile, do Thom Yorke, é assim:

Captura de Tela 2021-05-23 às 9.25.40 AM

>>

Popnotas: Miley Cyrus na Tiny Desk, Nirvana no bilhar, o triste mundo moderno em série da BBC

>>

– O papo famoso ressurgiu numa dessas muitas entrevistas que Dave Grohl dá por aí. O famosíssimo produtor Steve Albini ofereceu seus valiosos serviços para trabalhar no terceiro disco do Nirvana, o “In Utero” de forma gratuita, isso se a banda ganhasse dele num jogo de bilhar. A oferta era mais ousada. Albini já estava contratado pelo grupo de Kurt Cobain para botar suas mãos produtoras no sucessor do “Nevermind” por 100 mil dólares. Mas numa noite de farra com a banda veio com o desafio, que ainda era mais ousado: se ele ganhasse, o Nirvana pagaria o dobro para ele: US$ 200 mil. “Não é que eu era particularmente um grande jogador. Mas botava fé no meu taco”, disse Albini mais ou menos assim, numa tradução nossa apropriada para a ocasião. “Eu costumava fazer essa oferta para todas as bandas com quem eu trabalhava. Mas nenhuma nunca topou”, falou o produtor recentemente para a revista inglesa de metal “Kerrang!”. Pois é. O Nirvana não topou.

– O inglês Adam Curtis é um dos documentaristas mais importantes da atualidade. Seu filmes, lançados pela BBC, onde trabalha desde os anos 80, ajudam a desbravar e desmitificar temas espinhosos. Quem quiser entender como chegamos em um mundo tocado por máquinas, individualismo e uma falta de imaginação de alternativas tem que ver “HyperNormalisation” de 2016, “The Century of the Self”, de 2002, e “All Watched Over by Machines of Loving Grace”, de 2011. Curtis também já trabalhou em conjunto com nomes da música, como Damon Albarn do Blur e o Massive Atack.
“Can’t Get You Out Of My Head: An Emotional History of the Modern World” é sua nova série de filmes que estreia no dia 21 de fevereiro no BBC iPlayer. Dá uma sacada na sinopse divulgada pela emissora britânica: “Estamos vivendo dias estranhos. Em toda a Grã-Bretanha, Europa e América, as sociedades se dividiram e se polarizaram não apenas na política, mas em toda a cultura. Há raiva com a desigualdade e a corrupção cada vez maior – e uma desconfiança generalizada das elites. E nisso surgiu a pandemia que dramatizou brutalmente essas divisões. Mas, apesar do caos, há uma paralisia – uma sensação de que ninguém sabe como escapar disso. Esta nova série de filmes de Adam Curtis conta a história de como chegamos a este lugar. E por que tanto aqueles que estão no poder – e nós – achamos tão difícil seguir em frente”. Pesadíssimo. E necessário.

– Acaba de ir para o ar a apresentação da agora roqueira Miley Cyrus para o programa online Tiny Desk, de quem a Popload é forte seguidora pelos showzinhos especiais que eles proporcionam. Miley fez sua performance em seu quarto, uma vez que o “show no escritorinho” que marca a série ainda é feito no formato “home”. Ela chiquérrima cantando sentada na cama em um quarto tiny, colorido. A primeira música foi uma cover, da sensacional “Fade into You”, da grande banda californiana Mazzy Star, que machucava corações grunges no começo dos 90 por causa da voz e figura da vocalista Hope Sandoval. A segunda faixa da Tiny Desk da Miley foi a sua sugestiva “Golden G String”, do disco “Plastic Hearts”, do ano passado. Essa foi seguida pelo hit “Prisoner”, do mesmo disco, que encerrou a session.

– Jonny Greenwood, guitarrista do Radiohead, coleciona uma série de trabalhos em trilhas sonoras de filmes. Seu parceiro mais frequente é Paul Thomas Anderson, que de quebra já cuidou de vídeos de sua banda e da carreira solo de Thom Yorke. “Sangue Negro”, “O Mestre” e “Vício Inerente” são alguns dos títulos de Anderson que contam com Greenwood na trilha original. A parceria rendeu até uma indicação ao Oscar com a trilha de “Trama Fantasma”, (“Phantom Thread”, 2018). Foi anunciado agora que o mais novo trabalho de Jonny na área de filmes será para “Spencer”, uma produção sobre a princesa Diana, que será interpretada pela Kristen Stewart. A previsão é que seja lançado ainda neste ano.

>>

Radiohead versão duo toca raridades na Itália. E, ainda, o show completo da banda toda no Lollapalooza de 2016

>>

Foto: ellysisland

Foto: ellysisland

O Radiohead fez um show em rara versão duo na noite de ontem, na Itália. Thom Yorke e Jonny Greenwood tocaram em um evento beneficente em Macerata, em suporte para a região de Le Marche, que foi atingida por um grande terremoto ano passado e é local afetada constantemente pelos abalos.

Na apresentação, transmitida ao vivo por um fã pela internet, Thom e Jonny aproveitaram a ocasião especialíssima para tocarem músicas que são pouco usuais nos setlists do Radiohed, tiop “Faust Arp”, “A Wolf at the Door”, que não era tocada desde 2012, e ainda “Follow Me Around”, que nunca foi lançada oficialmente.

Em outra frente, a banda inglesa liberou em seu canal no YouTube mais uma apresentação (não tão) recente, do show realizado no Lollapalooza Chicago do ano passado.

As duas apresentações podem ser conferidas abaixo.

Radiohead Setlist Sferisterio, Macerata, Italy 2017, A Moon Shaped Pool

**********

>>

Radiohead na moda. Thom Yorke e Jonny Greenwood editam mix para desfile em Paris

>>

070317_thom_jonny

No fim deste mês, o adorado Radiohead vai retomar sua agenda de shows em suporte ao seu último disco, “A Moon Shaped Pool”. O rolê começa pela América do Norte, com shows esgotados que se iniciam em Miami, dia 30/3, e passa por outras praças como Seattle, Portland e termina no Coachella.

Enquanto as apresentações ao vivo não se reiniciam, Thom Yorke e Jonny Greenwood editaram um mix de 16 minutos que serviu como trilha do desfile da marca Undercover, do designer Jun Takahashi, na semana de moda de Paris.

A gravação dura 16 minutos e tem extratos das canções “Bloom”, “Glass Eyes”, “Spectre”, “Motion Picture Soundtrack” e “Everything In Its Right Place”. O registro recebeu o título “Bloom (Creatures Mix For Jun Takahashi)” e, claro, foi gravado por alguém esperto na plateia.

Depois dos shows na América do Norte, o Radiohead parte rumo à Europa, onde marcará presença em alguns festivais, entre eles o gigante Glastonbury.

>>

It’s Gold! Radiohead e Massive Attack juntos e misturados em coisa séria

>>

250215_thomdelnaja2

Thom Yorke, Jonny Greenwood (Radiohead) e Robert Del Naja (Massive Attack) se uniram na produção e composição da trilha sonora de um documentário britânico – “The UK Gold” – no ano de 2013. A obra aborda as denúncias de evasão fiscal durante o período de preparação para os Jogos Olímpicos de Londres de 2012, além de uma rede de paraíso fiscal envolvendo políticos e empresários do Reino Unido.

“The UK Gold”, o documentário, foi dirigido por Mark Donne. A trilha, que tem Thom e Del Naja como cabeças e ainda Greenwood, conta também com a participação especial de Guy Garvey, do Elbow.

Dois anos após o projeto, a trilha baseada especialmente em uma eletrônica minimalista foi disponibilizada na íntegra e de forma gratuita para audição. De acordo com o responsável pelo documentário, “a trilha sonora é impressionante e vinda das mentes e corações criativos de Yorke e Del Naja”.

>>