Em Josh Homme:

Com quase quatro horas de shows, Foo Fighters e Queens of the Stone Age promovem um “Rock in Rio” no Maracanã. Agora é SP

>>

foo_daveFotos: Marcos Hermes / Divulgação

Em uma época que o rock está cada vez mais distante de ser o “estilo da moda”, poucos grupos têm conseguido manter o espírito de “banda de estádio” e, acima de tudo, se vangloriar por isso. É o caso do Foo Fighters.

A armada liderada por Dave Grohl abriu na noite de ontem, em um Maracanã reconfigurado, sua turnê conjunta com outro peso pesado do rock, o Queens of the Stone Age, o primeiro de uma série de cinco shows que ainda passarão por São Paulo (nesta terça e quarta, 27 e 28 de fevereiro), Curitiba e Porto Alegre no final de semana.

O “reconfigurado” para o Maracanã explica-se. O anel superior do estádio foi fechado em sua quase totalidade, 2/3 para ser mais preciso. Fãs que compraram ingressos para este setor foram realocados para a arquibancada inferior, o que acabou sendo bom para quem queria ver Grohl e Homme mais de perto. Estima-se que o público, de acordo com a organização, passou das 30 mil pessoas.

A pista estava cheia e viu o Queens of the Stone Age tocar por quase 80 minutos. Com som bom para uma “banda de abertura” e palco dark/intimista, Josh tentou ser simpático mais de uma vez, talvez ainda na tentativa de limpar sua barra um tanto arranhada após agredir uma fotógrafa no fim do ano passado. Foi de poucas palavras, mas tentou ficar mais perto do público enquanto sua banda despejava hits e canções de “Villains”, seu último disco.

Em certo momento, o vocalista do QOTSA disse que é preciso se fazer o que quer, na hora que quer. E que o futuro é agora, só depende de cada. Um tanto genérico ao mesmo tempo enigmático, mas ele realmente parece acreditar no que diz.

A banda de Homme abriu a apresentação com a espetacular trinca formada por “If I Had a Tail”, “Smooth Sailing” e “My God Is the Sun”. Depois, mesclou hinos de sua carreira como “No One Knows” e “Little Sister” com sons mais novos, tipo “The Way You Used to Do” e “The Evil Has Landed”. No total, 16 canções que, se não formam um show completo, também não deixa com cara de show de abertura. Quem está indo nos shows só pelo QOTSA vai conseguir se divertir.

qotsa1

O grupo liderado por Dave Grohl volta ao Brasil para mostrar seu novo álbum, “Concrete and Gold”, lançado no ano passado. Mas são os hinos das antigas que marcam o início do show, provavelmente no intuito de passear por uma zona de conforto e agradar velhos e novos fãs. Em uma breve “pesquisa” feita pelo vocalista no palco, ele constatou que metade do público era de “turma das antigas”, metade estava chegando agora.

Talvez se baseando nisso, o FF tocou os dois últimos singles – “Run” e “The Sky Is a Neighbourhood” em meio a petardos como “All My Life”, “Learn To Fly” e “The Pretender” nos primeiros e alucinantes 25 minutos de show.

O som do grupo de Dave Grohl anda redondinho e a voz dele no lugar. Há espaço (e muito) para as chinfras usuais de um show do Foo Fighters, como jams longas, apresentação dos integrantes acompanhadas por gracinhas sonoras que culminam nas covers de “Under My Wheels” (Alice Cooper), “Another One Bites the Dust”, “Love of My Life” e “Under Pressure” (Queen) e “Blitzkrieg Bop” (Ramones), esta última iniciada pelo sempre gênio Pat Smear, ex-Nirvana da derradeira fase.

Voltando ao tal espírito de arena. O palco, em comparação à última visita deles ao país, está mais simples e até mais bonito e limpo. Dave por diversas vezes quis enfatizar que ali estava acontecendo um verdadeiro show de rock. Taylor, sempre bastante participativo, disse que ali estava acontecendo de fato o “Rock In Rio”.

foo_taylor

O show, que durou exatas duas horas e meia, teve apenas um intervalo. Na volta, foram três canções: “This Is a Call”, “Let There Be Rock” (AC/DC) e, por último, o hit “Everlong”.

A dobradinha de quase quatro horas do Foo Fighters & Queens of the Stone Age pode não ter lotado o Maracanã como outros ritmos da moda. Mas mostrou que resistir é preciso.


>>

Vai treinando. Queens of The Stone Age espalha raridades em suas mais recentes apresentações. Domingo é no Rio

>>

* Bom, vai começar a maratona louca de mil shows lokos no Brasil. Domingo, no Rio de Janeiro, o Maracanã recebe dois pesos pesados da música independente kind-of, os almighties Foo Fighters e Queens of the Stone Age. Vamos focar na banda do Josh Homme, por agora.

No início deste ano, o Queens of the Stone Age fez seus primeiros shows desde que ocorreu “aquele incidente” entre o vocal guitarrista Josh Homme e uma fotógrafa, em dezembro do ano passado.

Durante as oito datas da atual miniturnê pelos EUA e Canadá, a banda californiana mostrou uma variedade surpreendente nos seus setlists, com algumas raridades que não apareciam há tempos em shows.

Isso pode ser um bom indicador para nós, brasileiros, já que a banda fará cinco apresentações por aqui logo mais (depois do Rio no domingo, as bandas brothers tocam em SP nos dias 27 e 28, Curitiba 2/3 e POA no dia 4). Imaginamos que o QOTSA tocará por apenas uma hora e pouquinho em cada cidade, já que é uma “banda de abertura”. Mas já dá para criar esperanças de ver algumas dessas músicas aqui.

Tipo as deste final de semana, na Califórnia, quando a banda mandou uma cover do clássico “Goodbye Yellow Brick Road” do Elton John (com o produtor inglês Mark Ronson no piano), e outra das raridades no mesmo concerto.

Destacamos, abaixo, SETE vídeos dessas performances raras recentes: “How to Handle a Rope” e “You Can’t Quit Me, Baby”, ambas sumidas desde 2011; “Everybody Knows That You’re Insane”, que não aparecia desde 2005 (!); “Tangled Up in Plaid” e “A Song for the Deaf”, tocadas pela última vez em 2013, e a deste final de semana, “Broken Box”, que não aparecia ao vivo desde 2006 e foi tocada agora na Califórnia, ainda com o Ronson. E, claro, eles fazendo Elton John.

Uma publicação compartilhada por @lairy_girl em

** As imagens deste post são do fotógrafo americano Drew A. Kelley, usadas no jornal californiano “Daily Breeze”.

>>

Xiii… Incidente envolvendo Josh Homme e fotógrafa começa a respingar no Queens of the Stone Age

>>

Aparição de Josh em programa infantil da BBC foi cancelada

Aparição de Josh em programa infantil da BBC foi cancelada

Não está nada bom o cenário para o Queens of the Stone Age, especialmente Josh Homme, cerca de uma semana depois após o bastante comentado incidente envolvendo o vocalista e uma fotógrafa durante um show na Califórnia.

Só para relembrar, Homme chutou – ao que tudo indica de forma deliberada – a câmera da fotógrafa Chelsea Lauren enquanto a mesma registrava a performance do QOTSA no evento de Natal da rádio KROQ. A fotógrafa postou fotos e vídeos do incidente e disse que passou a noite no hospital devido ao impacto da câmera no seu rosto. Posteriormente, Josh pediu desculpas por duas vezes, mas isso ainda não tem sido o suficiente para evitar desdobramentos ruins para a banda.

Primeiro, a BBC cancelou episódios previamente gravados de Josh na série Bedtime Stories, do canal infantil CBeebies. No programa, artistas contam histórias infantis e o vocalista do QOTSA gravou três participações. Uma delas já havia ido ao ar antes do incidente envolvendo a fotógrafa. Os outros dois, no entanto, estão suspensos até segunda ordem, de acordo com informações do jornal The Telegraph, “até que a questão se esclareça”, nas palavras de um representante da BBC.

Agora, as consequências foram parar na América. Ontem, o grupo estava escalado para participar do programa da Ellen DeGeneris, um dos mais importantes da TV americana, mas, ao que tudo indica, a apresentação foi cancelada, embora o programa não tenha emitido nenhum comunicado oficial a respeito.

O QOTSA lançou neste ano o disco “Villains” e vai começar 2018 na estrada em uma turnê na América do Norte com um belo time de bandas de suporte, incluindo Royal Blood, Wolf Alice, Ty Segall e Eagles of Death Metal. Em fevereiro e março, eles excursionam com o Foo Fighters pela América Latina, incluindo apresentações em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre.

>>

Ish, Josh… Brandon Flowers, do Killers, chama fotógrafo no palco, em show, e dá um abraço

>>

Captura de Tela 2017-12-11 às 6.08.02 PM

* Segue a polêmica (negativa) em torno da bica que o guitarrista Josh Homme, do Queens of the Stone Age, deu na câmera de uma fotógrafa durante show da banda na Califórnia, no último sábado, dia 9. A câmera acertou o rosto da fotógrafa, com o chute, a machucando. Josh Homme, constrangido, se autochamou de “dick” (“cuzão”, em uma tradução livre e enviesada, haha) em um segundo pedido de desculpas, bem constrangido, direcionado a Chelsea Lauren, a vítima.

Ontem, dia 10, o Killers se apresentava no mesmo evento, um festival da rádio mundialmente famosa KROQ, de Los Angeles, quando seu vocalista, o fofurinha Brandon Flowers, chamou um fotógrafo ao palco e o abraçou, obviamente se referindo ao lamentável caso do chute do Homme do dia anterior.

Tudo bem, era o fotógrafo oficial da banda, Rob Loud, mas ainda assim um “representante da classe” muito a contento da simbologia toda.

“Eu não vou chutar a sua cara, pode subir aqui, tá tudo bem”, disse Flowers, puxando o sujeito para cima. O fotógrafo parecia ressabiado. “Eu só quero dizer para você contar a todos os seus amigos que você é bem-vindo aqui, e em todo show do Killers você estará seguro e será respeitado”, concluiu o vocalista do Killers. E deu o abração.

Vish!!

>>

Josh Homme chuta fotógrafa em show e depois diz: “Fui cuz@o!”

>>

111217_qotsa2

No último fim de semana, o Queens of the Stone Age, que vem pro Brasil no início de 2018 junto com o Foo Fighters, fez seu último show programado de 2017, em um evento da rádio KROQ em Inglewood, na Califórnia. Apesar de ser uma das bandas mais cool que existe, o líder Josh Homme protagonizou “cenas lamentáveis” durante o (curto) show.

Pouco após o término do evento, a fotógrafa Chelsea Lauren postou um vídeo (filmado por outra pessoa) em que Josh Homme anda pelo palco e claramente chuta a câmera que ela Chelsea estava utilizando, fazendo o equipamento bater em seu próprio rosto. O incidente pode ser conferido abaixo:

Chelsea continuou fotografando os shows da noite, apesar da dor, e mais tarde foi para o hospital, com um enorme calo na testa. O comportamento de Homme foi bem questionável, para dizer o mínimo, pois, mesmo que estivesse desagradado com a fotógrafa na posição em que ela estava, não seria um chute a melhor forma de resolver a situação. Obviamente, o incidente logo explodiu nas redes sociais, com a jornalista detalhando a situação para o site Variety, e compartilhando fotos da câmera instantes antes de ser atingida pelo chute. Durante o show, Homme supostamente ainda disse “fuck Muse!”, chamou membros da plateia de “retards”, e cortou sua própria testa com uma faca (?).

Thank you everyone that has reached out with supportive messages. A small update, as I'm being flooded with questions: My neck is a sore, my eyebrow bruised and I'm a bit nauseous. The doctor released me early in the morning. Here are three images. Two of them as Josh looked at me, smiled and then kicked me. The other one is later after he cut his own face with a knife. I was in the pit in tears – and he just stared at me smiling. Assault in any form is not okay, no matter what the reasoning. Alcohol and drugs are no excuse. I was where I was allowed to be, I was not breaking any rules. I was simply trying to do my job. I hold nobody accountable for this but Josh himself. KROQ has nothing to do with this and I will always support them. The irony is someone had thrown an ice cube on to the very slick catwalk before the QOTSA set. I was afraid that one of the band members might slip and hurt themselves so, when the lights went dark, I used my arm to wipe down the runway so nobody would hurt themselves. Thank you to @variety for their immediate concern and care with this matter. As of now, nobody from QOTSA has reached out to me. #queensofthestoneage #QOTSA #JoshHomme

Uma publicação compartilhada por Chelsea Lauren (@chelsealaurenla) em

Algumas horas passadas, Homme postou, via redes sociais do QOTSA, um pedido de desculpas – bem mais ou menos. Alegou que estava “perdido no momento”, chutando diversos equipamentos de luz e som que estavam pelo palco, e acidentalmente chutou a câmera de Lauren. Os comentários foram bem negativos, pois Homme podia ser visto sorrindo durante o incidente, e a câmera aparentava ser o único objeto no caminho. Mais tarde, no meio da (nossa) madrugada, as redes sociais do QOTSA soltaram um vídeo, de quase 2 minutos, onde Homme se desculpou mais apropriadamente, sem dar motivos duvidosos para o chute, e citando uma necessidade de “sort things out”. Confira abaixo.

>>