Em joy division:

Pretérito do futuro: New Order resgata filmagem de 1981 para bombar lançamento de 2019

>>

Captura de Tela 2019-01-28 às 12.16.34 PM

* A gente falou aqui, dias atrás, o seminal grupo inglês New Order, muito mais importante pelo passado do que por suas apresentações ao vivo dos últimos anos, vai relançar em abril seu clássico disco de estreia, “Movement”, naquelas versões dignas de relançamentos decentes (já que é para reeditar): remasterizado, em vinil e CD, com caixa que tem DVD, livro etc. Vai até ganhar um título apropriado: “Movement (Definitive Edition)”.

O primeiro álbum do New Order foi e é um disco tão vital quanto assombrado. Representou a mudança de nome da banda para New Order, pós o suicídio cavernoso do cavernoso Ian Curtis, no ano anterior, e o consequente fim do Joy Division. Foi um lançamento da lendária gravadora-arte Factory e a capa é assinada pelo artista gráfico Peter Saville, baseada em futurismo italiano.

Tem músicas ainda assinadas como Joy Division. A fenomenal “Ceremony”, o sorumbático primeiro single do New Order, é uma delas. Apareceu pela primeira vez ao vivo em 1980, em show do Joy Division, poucas semanas antes da principal tragédia pop da música independente depois do suicídio de Kurt Cobain.

“Movement”, o disco, ainda tem “Temptation” como uma das faixas monumentais, essa inteira New Order, uma das últimas a serem compostas para a nova fase da banda e, quando mostrada na gravação original, uma das músicas mais legais da história das músicas (na minha modesta). Ela é precursora da linha dance-pop do New Order e madrinha de sucessos arrasa-quarteirão como a vindoura “Blue Monday”, que definitivamente espanta o clima de velório do New Order rumo aos recordes de vendagens de discos e singles.

Enfim, agora, para promover a “edição definitiva” do “Movement”, que sai em abril, o New Order desencava uma filmagem rara e ao vivo de “Ceremony”, datada de 6 de fevereiro de 1981, menos de um ano depois da morte de Curtis, gravada na Manchester deles, no CoManCHE Student Union.

Transporte-se para 38 anos atrás. Olha que lindo e espiritualmente pesado ao mesmo tempo. A comunhão das guitarras pós-punk, a bateria fantasmagórica de Stephen Morris e o baixo-enquanto-guitarra do grande Peter Hook, principalmente na levada final, é uma das coisas mais emocionantes daquela época tão marcante.

>>

Smashing Pumpkins faz show especial e conta com uma pequena ajuda dos amigos, incluindo Peter Hook, Courtney Love, gente do Killers, Deftones, AFI…

>>

030818_pumpkins2

O Smashing Pumpkins quase todo original está na estrada após um bom tempo para celebrar seus 30 anos de carreira. Batizada como “Shiny And Oh So Bright”, a turnê fez uma parada em New Jersey na noite de ontem e contou com uma extensa fila de convidados especiais, incluindo Courtney Love, Chino Moreno (Deftones) e Peter Hook. O filho do legendário baixista britânico, Jack, está tocando com o Pumpkins.

O líder do Deftones foi o primeiro a subir no palco e cantou com Billy Corgan as faixas “Bodies” e “Snail”, que não eram tocadas desde 2008 e 2000, respectivamente.

Dave Keuning e Mark Stoermer, do Killers, participaram em “Cherub Rock” e “1979”.

Mark McGrath, do Sugar Ray, cantou o hit da banda, “Fly”, com o Pumpkins. E participou ainda de uma cover de “Breaking the Law”, do Judas Priest.

Courtney Love, parceria de Corgan em diversas ocasiões (!), cantou um par de músicas do seu Hole, “Celebrity Skin” e “Malibu”, ambas escritas pela dupla. Ela ainda participou na reedição ao vivo de “Bullet With Butterfly Wings”.

Já Peter Hook tocou seu baixo em “Age of Consent” (New Order) e “Transmission” (Joy Division).

Na parte final da apresentação, Hook, Courtney e ainda Davey Havok, do AFI, fizeram uma jam com o Pumpkins em uma releitura de “Love Will Tear Us Apart”, da lendária banda de Manchester.

Captou?

https://youtu.be/a0xmJltuTsw

https://www.youtube.com/watch?v=gMTlhowCuBo

https://www.youtube.com/watch?v=0Kxi5pu6z1k

https://www.youtube.com/watch?v=0pTnCSo8akg

https://www.youtube.com/watch?v=bOpGIYSStwc

>>

Smashing Pumpkins clássico volta tocando Joy Division em show secreto. E divulga vídeo totalmente sem sentido para “Solara”

>>

280618_smashingpumpkins4

Em mais ou menos duas semanas, o Smashing Pumpkins inicia sua turnê mundial com sua formação clássica, que esteve separada por quase duas décadas. Ao lado do guitarrista James Iha, do baterista Jimmy Chamberlin e ainda do também guitarrista Jeff Schroeder, Billy Corgan começa a dar os primeiros passos oficiais de reunião com seus antigos companheiros.

A turnê começa oficialmente em Glendale, dia 12 de julho, mas o grupo se reuniu ontem, pela primeira vez em 18 anos, para um show secreto no famoso Troubadour, clubinho de Los Angeles, acompanhado por 400 fãs sortudos.

No setlist, uma viagem por todos os discos de estúdio do grupo, além de um espaço para uma cover de “Transmission”, do Joy Division, ainda participação do vocalista Davey Havok, do AFI. Também na apresentação, o Pumpkins tocou o novo single, “Solara”, que estará no novo álbum com produção de Rick Rubin.

“Solara”, inclusive, ganhou hoje um vídeo todo surreal que mostra Billy Corgan em uma espécie de manicômio, vivenciando diversas experiências esquisitas. Tudo normal em se tratando de Smashing Pumpkins.

Abaixo, o vídeo de “Solara” e alguns registros do show secreto de ontem, na Califórnia.

>>

Peter Hook relança discos clássicos de Joy Division e New Order em versões ao vivo

>>

180417_peterhook

Uma das maiores lendas da música britânica em todos os tempos, o baixista e treteiro Peter Hook está oferecendo ao seu público o que alguns sortudos viram somente em shows.

Desde que formou em 2010 o projeto Peter Hook & The Light, o músico andou fazendo shows especiais tocando discos na íntegra de suas ex-bandas Joy Division e New Order. A boa notícia é que quatro desses shows vão ganhar lançamento oficial sábado agora, no Record Store Day, mas já estão disponíveis para audição gratuita.

Os álbuns escolhidos por Hook são: (1) “Unknown Pleasures”, o de estreia do Joy Division, tocado em show na cidade de Leeds em 2012, com direito a ‘Ceremony”, que nunca foi gravada; (2) “Closer”, segundo e último da banda que tinha o gênio Ian Curtis, turbinado por faixas lado-b, em registro feito na cidade de Manchester, em 2011; (3) “Movement”, do New Order, tocado na cidade de Dublin em 2013; e (4) “Power, Corruption & Lies”, gravado no mesmo show na capital da Irlanda.

No Record Store Day, os shows sairão em versões limitadas em vinis coloridos. Dia 5 de maio, cada show será lançado em CD e em formato digital.

Unknown Pleasures – Leeds 2012:

Closer – Manchester 2011:

Continue reading

O aniversário é do Philip Glass, mas o presente é nosso: Iggy Pop se junta ao New Order e cantam até Joy Division

>>

170317_iggyneworder2

Rolou na noite de ontem, no lindão Carnegie Hall, em Nova York, a edição 30 do tradicional evento beneficente Tibet House. Neste ano, ainda por cima, foram comemorados os 80 anos do grande Philip Glass, um dos maiores entusiastas da festa ao longo dos anos.

Entre os convidados musicais estiveram o New Order e o gênio Iggy Pop. De relações estreitas há tempos, as duas partes fizeram uma dobradinha para três canções.

Eles uniram forças para as performances de “Stray Dog” (do disco “Music Complete”, do New Order), “Shades” (de Iggy) e para a classuda “She’s Lost Control”, um dos hinos do Joy Division, escolhida a dedo por Iggy.

Os registros aos poucos estão pipocando na web, mas já dá para antecipar algumas gravações deste encontro.

>>