Em Kasabian:

POPNOTAS: Arcade Fire novo, Florence (+ ou -) nova, Kasabian novo e outras muitas novidades

>>

– Ah, tá. Sobre as “outras muitas novidades” me disseram aqui que ainda não podemos falar.
Então abafa!

***

– Invertendo a ordem, a Florence and the Machine soltou hoje o video lyrics de “Free”, música muito boa que traz um toque tecnopop rápido antigão com a voz singular de Florence como guia. A canção já teve seu vídeo oficial apresentado na semana passada, estrelando a Florence Welsh herself em dueto de ação com o atorzão inglês Bill Nighy. A nervosa “Free” é a segunda faixa de “Dance Fever”, o quinto álbum dela, marcado para ser lançado na semana que vem, dia 13. E tem um quê daqueles grandiosos e redentores do Arcade Fire. Sempre bom ter um pretexto qualquer para ouvi-la.

***

– A banda britânica Kasabian, de altas confusões, lançou hoje o novo single “Scripvre”, segunda faixa apresentada de The “Alchemist’s Euphoria”, o novo álbum deles que, em outra novidade do dia, vai chegar às lojas físicas e virtuais no dia 5 de agosto. Pera nóis no começo de junho em Knebworth, Kasabian.

***

Saiu o disco “WE”, o sexto álbum da adorada banda canadense Arcade Fire. “WE” traz músicas em “duas partes” e um time de colaboradores de luxo que tem Peter Gabriel, Father John Misty, Geoff Barrow (do Portishead), entre outros. A produção é do tarimbadíssimo Nigel Godrich, amigão do Radiohead e do U2. E, claro, o casal líder da banda, Win Butler e Régine Chassagne, meteram suas mãos junto com ele na feitura do disco. “WE”, cercado de expectativas e com bem bons singles novos, é o primeiro trabalho de estúdio do Arcade Fire desde o “Everything Now”, de 2017. A internet, mais especificamente o Youtube, já tem na íntegra o último show do grupo canadense, realizado no último dia 29 em Londres, no KOKO. Ao seu dispor aqui embaixo. E, sábado agora, a banda é a convidada do programa “Saturday Night Live”, assunto que vai render e a gente trará por aqui, certeza, em imagens.

>>

Todo mudado, Kasabian volta esquisito ao estúdio. Confira o novo single “Alygatyr”, que abusa na voz distorcida

>>

* Um Kasabian esquisitão voltou aos lançamentos de música nova hoje, com “Alygatyr”, o primeiro single deles sem o tradicional vocalista Tom Meighan, expulso da banda inglesa no ano passado por tretas de violência doméstica em cima da hoje ex-noiva.

Expulso talvez seja um termo forte, porque Serge foi quem veio contar a história para os amigos da banda, dizendo que precisava se afastar de tudo para zerar a vida depois das atitudes lamentáveis, para as quais foi legalmente condenado. O Kasabian, à época, anunciou o afastamento de Meighan e o final de qualquer ligação dele com os negócios do grupo de Leicester.

Para substituir o cara, o guitarrista figura Serge Pizzorno cortou o cabelão e assumiu os vocais, chamando o guitarrista Tim Carter para ser membro permanente do Kasabian. Robert Harvey, ex-The Music, multiinstrumentista, também apareceu no palco dentro da nova formação do grupo. O Kasabian deu suas novas caras em um show em Glasgow, na Escócia, no último dia 13, e vem excursionando pelo Reino Unido desde então.

Sobre a nova “Alygatyr”, que vai estar no sétimo disco da banda, previsto para ser lançado no ano que vem, os fãs ficaram bem divididos. A música é mesmo esquisita, num sentido pop afetado que não era comum ao Kasabian, com um autotune bizarro distorcendo a voz de Pizzorno. Alguém falou que pareceu o Prodigy num sentido bem ruim. Outros tantos pediram a volta urgente de Tom Meighan que na Justiça foi condenado a 200 horas de trabalho não remunerado. E na paralela anunciou que vai trabalhar num disco solo, porque segundo ele música é sua terapia.

Abaixo, para seu deleite, ou não, a música nova do Kasabian, “Alygatyr”. A banda está escalada, lembrando, como atração de abertura dos dois colossais shows de Liam Gallagher no ano que vem, em Knebworth, no verão inglês. Ambas as datas têm já seus 80 mil ingressos/dia esgotados.

>>

“Devido a fenomenal demanda”, Liam Gallagher abre segunda data para show na mitológica Knebworth. Ingressos serão vendidos nesta sexta

>>

Captura de Tela 2021-10-07 às 6.02.45 PM

* Vai ser “bíblico”, parte 2. O inesgotável Liam Gallagher, irmão do Noel, ex-cantor daquela banda Oasis e que costuma em seus shows tocar (cantar) 80% do repertório daquela banda Oasis, volta a fazer história com seu envolvimento com Knebworth, o lugar mítico no norte da Inglaterra em que, em 1996, fizeram dois shows para 250 mil pessoas, movimentando 5% da população britânica atrás de ingressos, foi falado. Os mesmos shows que viraram documentário neste ano e passou em cinemas até no Brasil, agora em setembro. Você sabe bem a história.

Recentemente, foi papo aqui na Popload, Liam anunciou um show dele como headliner do mesmo Knebworth Park, para junho de 2022, agora com uma capacidade reduzida para 80 mil pessoas, o que ainda é muita gente, digamos. Com um line-up de minifestival bem decente: Kasabian, Michael Kiwanuka, Fat White Family e Goat Girl.

Captura de Tela 2021-10-07 às 6.02.24 PM

A procura de ingressos hoje, dia de pré-venda, causou tanta comoção que foi anunciada uma nova data, colada à original. O que foi divulgado pelos lados britânicos é que a demanda para essa pré-venda foi “fenomenal”. Liam Gallagher mesmo separado ainda abala a Inglaterra.

O mais legal: os ingressos para as duas datas, 3 e 4 de junho do ano que vem, uma sexta e um sábado, começam a ser vendidos AMANHÃ, sexta. Obviamente, ainda que com uma capacidade “reduzida”, vamos acompanhar as movimentações para saber se 25 anos depois…

Os shows de Knebworth no ano que vem vão acontecer no calor do lançamento do terceiro álbum solo de Liam Gallagher, “C’mon You Know”, que sai no dia 27 de maio.

O agito vai ser grande.

Interessados no Brasil em comprar os ingressos de algum ou dos dois dias de Liam Gallaghter em Knebworth ano que vem têm que acordar tipo 6 da manhã. E ir aqui disputar com sangue sua entrada.

kneb

>>

“É o fim do Kasabian?”, parte 2 – No tribunal, Tom Meighan confessa ter agredido a ex-noiva, mas escapa da prisão

>>

Fotos: PA

Fotos: PA

Notícia que ganhou o mundo indie ontem, a saída de Tom Meighan do Kasabian já teve seus desdobramentos.

Depois da banda deixar no ar brecha para diversas especulações, colocando que Tom precisa focar em resolver seus problemas pessoais, tornou-se público um problema envolvendo o cantor e sua ex-noiva, Vikki Ager.

Tom foi acusado de agredir sua ex-companheira em 9 de abril. Presente em um tribunal hoje, ele se declarou culpado.

O jornal britânico The Guardian trouxe em reportagem que a denúncia partiu de uma criança, que viu a cena e acionou as autoridades, em pânico. No momento da ligação, era possível ouvir a vítima ao fundo tentando se defender.

De acordo com informações no tribunal, Meighan não estaria sóbrio naquele momento, estava agressivo, e não cooperou com as autoridades.

Já o Daily Mirror detalha que câmeras de segurança da residência de Tom comprovam que, além de agredir a ex-noiva, Tom a arrastou pelos pés até o jardim da casa.

Apesar da confissão de Tom e da comprovação em vídeos, ele se livrou da prisão e foi condenado a prestar 200 horas de trabalhos comunitários…

>>

É o fim do Kasabian? Por problemas pessoais, vocalista Tom Meighan deixa a banda

>>

150115_kasabian

Uma das bandas inglesas de maior sucesso neste século, o Kasabian sofreu uma baixa importante. O vocalista Tom Meighan, um dos fundadores do grupo, se afastou por problemas pessoais, em consenso com os demais integrantes.

Em um breve comunicado, a banda de Leicester informou que Tom precisa concentrar todas as suas energias para colocar sua vida de volta aos trilhos, e que esses problemas pessoais estão afetando seu comportamento há algum tempo.

Não ficou claro se o Kasabian seguirá a vida sem Tom. O grupo se reservou a não publicar mais comentários no momento.

O Kasabian estourou no cenário mundial no início dos anos 2000 e chegou a ser chamado de sucessor do Oasis. Com ligação afetiva ao futebol, a banda se tornou um dos grandes nomes do rock inglês nos últimos tempos, apesar de vir demonstrando certa perda de potência nos álbuns mais recentes.

O último disco lançado pelo grupo até o momento é For Crying Out Loud, em 2017.

>>