Em lana del rey:

Top 10 Gringo – Wet Leg lidera o ranking com a música que não é. Nilüfer Yanya traz seu sol da meia-noite em segundo. E The Weeknd não larga o osso

>>

* E a cena internacional, obviamente, ferve bonita já neste desenfreado 2022 (pelo menos no quesito “lançamentos”, porque em outro…). Mas a gente precisa dar o primeiro lugar do pódio a um lance que só a gente escutou (ou quase…). Vem no papo que vocês vão entender.

wetlegtopquadrada

1 – Wet Leg – “Supermarket”
“Supermarket” é a perfeita canção indie-pop. Breeders/anos 90/guitarras/“Ai ai ai”/“High hign high”. A espetacular vocalista e guitarrista Rhian Teasdale colocou todas as tags que a gente gosta em uma canção poderosa no poderoso álbum de estreia da banda – que a gente escutou e tal e pode afirmar que é “coisa séria”. Ainda que o disco não chegue, pintou uma versão ao vivo absurda desta “Supermarket” e a gente postou aqui na Popload. Ainda que não caiba ainda em playlist, a gente içou a música aqui para o Top 10. E não deve outro jeito que não colocá-la logo no topo.

2 – Nilüfer Yanya – “midnight sun”
Pensando aqui no que a Nilüfer quer que a gente observe em sua nova canção. “Ver a beleza do confronto e a necessidade da rebelião.” Difícil não pensar em ideias mais necessárias do que essas nos tempos atuais, onde qualquer insurgência contra absurdos já costuma ser censurada. Não se espante quando “Painless”, terceiro álbum dessa britânica com raízes na Irlanda e Bermudas, estourar fácil entre os melhores do ano.

3 – The Weeknd – “Sacrifice”
É uma ideia celebrar todo o “Dawn Fm”, não? Discão que é discão merece essa atenção. Então, a da vez é “Sacrifice”, que já se destaca como hit do álbum. As razões são óbvias: a música tem gancho para tocar em qualquer rádio por uns 50 anos, fácil.

4 – Lana Del Rey – “Watercolor Eyes”
Não é como se estivéssemos numa seca de sons novos da Lana Del Rey, mas sempre é bom um presentinho dela. E Lana caprichou nesse single que faz parte da super “Euphoria”, série bombada da HBO, que vem sendo premiada intensamente com joias exclusivas na sua trilha – lembra da super “Lo Vas Olvidar” da Billie Eilish com a Rosalia? Também é parte da série.

5 – Franz Ferdinand – “Curious”
Música do Franz Ferdinand é quase sempre um hit no mundo indie. Principalmente quando ela vai sair dentro de um disco todo de hits. Então lá vem Alex Kapranos com essa “Curious”, animar nosso Top, nossa playlist, nossas vidas. A música contém vídeo com dancinhas.

6 – Kaina – “Apple”
Kaina é de Chicago, mas tem herança familiar da América do Sul. E é um pouco dessa mistura entre crescer nos Estados Unidos e ser informada por toda uma outra cultura latina que dá ao som dela uma aspecto muito original. “Apple” é um som grudento. Fique esperto com o novo álbum dela, “It Was a Home”, que sai ainda neste ano.

6 – Denzel Curry – “Walkin”
A música toda é muito foda, mas já é muito bonito quando o jovem Denzel Curry, que com apenas 27 anos já vem para seu quinto álbum, une em um verso Tupac Shakur e De La Soul: “Me against the world, it’s me, myself and I, like De La Got in touch with my soul”. Um disco do Tupac (“Me against the World”), um som clássico do De La Soul (“Me, Myself and I”.

7 – Caroline – “Good Morning (Red)”
Banda inglesa com oito instrumentistas, incluindo aí violino, trompete, clarinete. Eles são meio misteriosos no comportamento online, mas acertam na sua bio quando descrevem nas influências emo, música clássica e variadas formas de dance music. São coisas que a gente pega escutando esse single da banda que ainda não tem álbum, mas já está sendo observada pela imprensa musical do mundo. Vamos ver se justificam o hype.

9 – Daniel Rossen – “Shadow in the Frame”
Atenção, fã do Grizzly Bear. Daniel Rossen, vocalista e guitarrista da banda, vem para seu primeiro álbum solo. Em “You Belong There”, que deve chegar em abril, ele promete explorar os territórios desconhecidos da idade adulta. Neste primeiro single, já temos noção do folk de primeira que este homem é capaz de produzir. Belíssima música.

10 – Black Country, New Road – “Snow Globes”
Quem tem o moral de, em 2022, fazer uma música com uma abertura de 3 minutos e tanto? Ok, se pesquisar direitinho tem muita gente, mas acho que poucos fazem do jeitinho esperto dos ingleses “fora-da-curva” do Black Country, New Road.

*****

*****

* A imagem que ilustra este post é da banda inglesa Wet Leg. A foto que ilustra a chamada da home para este Top 10 é de @alicebackham e foi tirada do Instagram da banda. A desta página é de divulgação, de autoria de Hollie Fernando.
** Este ranking é formulado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix.

>>

Já é Lana del Rey na Austrália. Aqui, música nova da trilha de “Euphoria” sai hoje à meia-noite

>>

* Já tem a música nova da Lana Del Rey na Austrália. Hehe. Na meia-noite desta quinta-para-sexta sai oficialmente “Watercolor Eyes”, próximo single da darling californiana, canção que surgiu no começo desta semana como teaser, no trailer do episódio de domingo da bombadaça “Euphoria”, o terceiro da série da HBO, que reestreou em segunda temporada no último dia 9.

Nem é que Lana não lança uma música inédita há muito tempo, já que ela entregou aos fãs um disco novo no final de outubro, o álbum “Blue Banisters”, aliás o segundo de dois trabalhos cheios lançados em 2021.

Mas “Watercolor Eyes” virou uma outra coisa, abriu algum portal mágico para Laninha, porque já é um dos principais assuntos no Twitter no mundo.

“So what if you taste just like heaven?
That don’t make it right
Hot summer and cold watermelon
Your love stings like blood and a lemon
Why do you leave me with watercolor eyes?”

A música a princípio não deve entrar em um próximo disco da cantora. Ela oficialmente saiu para ser parte da trilha de “Euphoria”, mesmo. Olha a capa de “Watercolor Eyes” como tal, que traz na imagem a estrela da série, a incrível Zendaya.

lana capa

“Watercolor Eyes” já corre as redes em versões piratas, já tiradas do lançamento da Ásia/Oceania, porque os fãs do lado de cá de Lana del Rey não sabem esperar.

Porém, aqui embaixo, vamos deixar rolando o pedacinho da música dentro do trailer de “Euphoria” de domingo, em vídeo. Para mais tarde trocar para o vídeo “bom”, o de imagens em si ou só com o áudio. Ou voltamos antes até, em alguma edição extraordinária.

>>

Nova da Lana del Rey aparece em trailer do episódio de “Euphoria” desta semana

>>

* Um teaser de uma música nova da cantora californiana Lana Del Rey, chamada “Watercolor Eyes”, apareceu em trecho hoje para enfeitar sonoramente o trailer do episódio desta semana da bombada série “Euphoria”, da HBO, que teve sua segunda temporada começando agora no começo de janeiro.

A chamada de “Euphoria” com este pedaço de Lana é para o episódio do próximo domingo e está circulando na TV americana. Diz que a música inteira vai ser tocada neste capítulo da série teen dramáááática, o próximo.

É o primeiro lançamento de Lana desde que botou dois álbuns na rua em 2021, sendo que o segundo deles, o “Blue Banisters”, foi lançado no finalzinho de outubro. Ou seja, a mina não para.

***

>>

Top 10 Gringo – Parquet Courts dance pega o primeiro lugar. É um problema? Tem banda australiana e cantora belga no pódio. É estranho?

>>

* Caramba, e a vontade de sair dançando sem máscara pela rua que dá esse disco novo “dance” dos punks do Parque Courts? Talvez seja empolgação exagerada da nossa parte, mas esse é o espírito da coisa. E essa empolgação segue pelas músicas seguintes da playlist, que está especialmente com um toque francês nesta semana, pode reparar.

parquettopquadrada

1 – Parquet Courts – “Walking at a Downtown Pace”
Estamos diante de um dos discos do ano, será? A gente fala isso para vários, sabemos, mas é que o Parquet Courts voltou com tudo em “Sympathy for Life”. Potente, diferente e (por isso) criativo, o álbum todo anima qualquer ouvinte, faça o teste. É a banda dançante como nunca. De olho no movimento da rua, esta canção aqui, em especial, escrita antes da quarentena, já parece sonhar com o fim dela: “Estou fazendo planos para o dia em que tudo isso acabará”, abre a canção, que segue: “Vendo meu caminho ali, ouvindo a musica que vou cantar”.

2 – The Goon Sax – “In the Stone”
Banda australiana cruza o oceano e se destaca na América do Norte. Essa história já conhecida parece estar rolando desta vez com o trio Goon Sax, da “outsider” Brisbaine (ufa, não é ooooutra de Melbourne), formada por dois rapazes no baixo e guitarra e a loirinha Riley Jones na bateria. Aliás, eles nem precisaram cruzar mar algum para mandar um sessão para KEXP, de Seattle, que está bombando e fez a gente ficar de cara com o álbum “Mirror II”, terceiro deles. A dinâmica das vozes masculina e feminina e a produção quase lo-fi podem te agradar. Abra um bom espaço aí para a Goon Sax entrar.

3 – Angèle – “Bruxelles Je T’aime”
Manja aquele gif “Vem aí”? Pois vem aí a próxima Dua Lipa. A belga Angèle participou de um feat. com a diva britânica e agora ensaia suas próprias conquistas. Seu novo single, uma declaração de amor à capital de seu país. A França já aprendeu a amá-la. Questão de tempo para o resto do mundo.

4 – Lana Del Rey – “Dealer”
Nunca entendemos essa história da Lana Del Rey com o Last Shadow Puppets, o duo de Miles Kane e Alex Turner. Real ou não, algumas músicas dessa parceria aparecem neste novo trabalho dela, “Blue Banister”. Elas são “Thunder” e “Dealer”, essa última que conta com a participação de Miles e tem bem a cara do trabalho do Last Shadow Puppets. E, claro, tem a Lana se entregando nos vocais como poucas vezes se viu, se esgoelando real. Gente…

5 – JPEGMAFIA – “DIRTY!”
É muito diferente a produção que o rapper do Brooklyn JPEGMAFIA apresenta em “DIRTY!”. Para usar uma palavra que já até esteve mais na moda, é tudo descontruído por aqui: o beat, o grave, as quebras. E tem um verso maravilhoso: “Mama used to bump Luther, no Beatles”, ao avisar que na casa dele rolava mais Luther Vandross, cantor de R&B, que o quarteto de Liverpool.

6 – Jarvis Cocker – “Aline”
O novo filme de Wes Anderson tem um acompanhamento de luxo: um álbum de músicas em francês cantadas por Jarvis Cocker, eterno Pulp. Pelo que entendemos não é exatamente a trilha sonora do filme, mas caem bem juntos, sacou? No disco, versões de clássicos do cancioneiro francês, coisas de Françoise Hardy, Serge Gainsbourg e Brigitte Bardot. E, sim, esta clássica Aline está linda em “The French Dispatch”. Luxo.

7 – Helado Negro – “Wake Up Tomorrow (feat. Kacy Hill)”
Helado Negro, músico da Flórida, filho de equatorianos, lançou seu sétimo trabalho, “Far In”. Se você ainda não descobriu o som do cara, vale dar uma sacada nesta canção quase meditativa ou na sacudida “Gemini and Leo”. A voz confortável de Helado, que na real se chama Roberto Carlos, é um convite ao relaxamento. E suas músicas trazem essa boa vibe.

8 – Hand Habits – “More than Love”
Meg Duffy, a pessoa por trás do Hand Habits, emplaca aqui mais um belo trabalho. Guitarrista de estúdio de mão-cheia, sabe para onde levar suas próprias canções. “More than Love”, ou “Mais Que Amor”, em tradução livre, abre de maneira magistral e deliciosa seu álbum “Fun Home”, que deve levar seu som das playlists folk (???) para playlists mais indie com toques eletrônicos.

9 – Duran Duran – “Give It All Up (feat. Tove Lo)”
Que saudades da Tove Lo e do seu hit “Stay High”. Simbólico que o clima de sua participação nesta nova faixa da clássica banda Duran Duran em disco novo dos ingleses seja baseado em seu hit, ainda que sutilmente. Funciona que é uma beleza, mesmo que esse clima seja mais de reflexão até um refrão épico.

10 – Elton John – “One of Me (Lil Nas X)”
Feito de pedaços da produção de Elton John durante a quarentena, “The Lockdown Sessions” tem de tudo. Músicas originais, covers, remixes e a excelente participação de Elton em “MONTERO”, de Lil Nas X. Sim, ele simplesmente pegou a faixa já lançada e tascou no seu novo álbum. A gente reaproveita o reaproveitamento de Elton e volta a dar destaque para o Lil por aqui, um dos melhores do ano.

***

***

* A imagem que ilustra este post é da banda nova-iorquina Parquet Courts.
* Este ranking é formulado pelo duo Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix.

>>

Lana Del Rey vai à TV mostrar a Los Angeles em seu corpo, com a linda “Arcadia”

>>

* O decantado e algo embaçado novo trabalho da cantora californiana Lana Del Rey foi lançado no vasto lote de discos novos da sexta-feira passada. “Blue Banisters”, seu segundo no ano (o outro foi “Chemtrails over the Country Club”, que saiu em março).

“Blue Banisters”, que não foi lá tão bem recebido assim pela crítica gringa, era para ter sido lançado no dia 4 de julho. Mas enfim: um disco da Lana Del Rey é um disco da Lana Del Rey.

Para ajudar na divulgação, Lana foi apenas no programa do Stephen Colbert mostrar, na TV americana, o corpo que é o mapa de Los Angeles, segundo ela. Isso está na letra da baladaça linda “Arcadia”, um dos singles do álbum novo. Foi é modo de dizer. Lana enviou a sua performance para o Colbert passar, ela e o pianinho.

>>