Em lcd soundsystem:

As brabas do LCD Soundsystem. Banda segue sua maratona de shows com faixas raras e estreias ao vivo

>>

* A magnífica banda nova-iorquina LCD Soundsystem segue sua magnífica maratona de 20 shows residenciais no Brooklyn Steel. Esta noite será o sétimo show desta longa tour num lugar só, que vai durar até 19 de dezembro.

Tirando seus hinos costumeiros, o grupo dance-punk de James Murphy tem tocado algumas músicas raras, estreias ao vivo e covers legais, como uns sons do Spacemen 3 e do Joy Division.

A gente selecionou abaixo alguma das músicas que apareceram nos útimos seis shows do LCD Soundsystem no Brooklyn:

* a chegada ao setlist de “Other Voices”, do álbum “American Dream”, de 2017 (aliás, o último disco de inéditas).

* A clássica “Beat Connection” não era tocada ao vivo desde 2005.

* “On Repeat”, electropetardo do disco de estreia, homônimo, de 2005, não rolava em show desde 2007. Aqui, no minuto 41:57.

* A gritada “Thrills”, também do álbum debut, não era tocada desde que a banda “acabou”, no começo de 2011.

>>

All my friends… Após três anos, LCD Soundsystem invade o Brooklyn ao som de Spacemen 3 e Joy Division

>>

* “Bem-vindos à mais longa soundcheck diante do maior número de pessoas de todos os tempos”, disse o James Murphy.

Foto: Stuart Kingtide

Foto: Stuart Kingtide

Aquela sensação boa de que o mundo está começando a voltar ao normal dentro de um novo normal bate para valer quando a gente vê um grupo como o nova-iorquino dance punk LCD Soundsystem ajudando a sacudir essa poeira toda e retomar seus shows.

O gênio James Murphy e sua trupe, agora desfalcada da musicista Gavilán Rayna Russom, que comandava os sintetizadores desde 2008, deram um pontapé inicial nesta semana na residência de 20 (VINTE) shows no cool Brooklyn Steel, em temporada que vai durar até 19 de dezembro.

As apresentações, as primeiras em três anos, tiveram início anteontem e a primeira música que o LCD Soundsystem tocou foi uma versão da histórica “Big City”, da incrível Spacemen 3, banda alucinante e alucinógena inglesa que fez barulho no circuito alternativo entre o meio dos anos 80 e comecinho dos 90, tendo entre seus integrantes o aclamado Jason Pierce, que mais tarde formaria o Spiritualized.

Foto: Stuart Kingtide

Foto: Stuart Kingtide

O grupo subiu no palco ao som de “The Electrician”, single lançado pelo The Walker Brothers em 1978. No total foram 18 canções apresentadas, nenhuma nova. Outra cover que apareceu no set foi “No Love Lost”, do Joy Division, que já foi tocada antes pelo LCD Soundsystem, mas há tipo 12 anos. Ou mais.

Outros pontos altos da apresentação de estreia da turnê foram as inclusões de canções como “Thrills” e “On Repeat”, que não apareciam nos shows há cerca de 15 anos.

A boa notícia é que um abençoado gravou o show praticamente todo e jogou na internet. “Big City” rola no minuto 8:00, enquanto “No Love Lost” mais para o fim, aos 1:35:40. O hino indie “All My Friends” fechou a noite.

Mas o legal mesmo é ver o show todo para desde já matar a saudade e aos poucos entrar no ritmo para a volta às pistas em 2022. Ou antes, até.

SETLIST – LCD SOUNDSYSTEM 23/11/21
01 “Big City” (Spacemen 3 cover)
02 “I Can Change”
03 “Time To Get Away”
04 “Daft Punk Is Playing At My House”
05 “Call The Police”
06 “On Repeat”
07 “Oh Baby”
08 “You Wanted A Hit”
09 “Tribulations”
10 “Movement”
11 “Someone Great”
12 “Tonite”
13 “Home”
14 “No Love Lost” (Joy Division cover)
15 “Thrills”
16 “Dance Yrself Clean”
17 “New York, I Love You But You’re Bringing Me Down”
18 “All My Friends”

lcdposterbrooklyn

>>

Popnotas – A música perdida do disco perdido do Bowie. Pearl Jam e grande elenco querendo um mundo livre. Os 20 shows do LCD Soundsystem. O Liam do futuro está bem legal. E “Ted Lasso” no Popcast

>>

– O maravilhoso LCD Soundsystem anunciou seu retorno aos shows depois de três anos sem se apresentar. Com 20 concertos NO MESMO LUGAR. A super-residência da banda de James Murphy vai acontecer de 23 de novembro a 21 de dezembro, por 20 fucking datas, no Brooklyn Steel, em Nova York. VINTE datas. Os ingressos para todas começam a ser vendidos na sexta-feira da semana que vem, dia 8. Não faz muito tempo, em um podcast, James Murphy afirmou que só sairia em turnê de novo com o LCD Soundsystem se eles fossem lançar músicas novas. Hummmm.

lcd

***

* Já na madrugada deste domingo, na Califórnia, o grupo Pearl Jam encerrou de vez o californiano Ohana Festival. A história de três shows da trupe de Eddie Vedder é legal. O evento, na praia de Dana Point, aconteceu no final de setembro, com Pearl Jam e Kings of Leon como headliners. Mas a procura de ingressos foi tamanha que os organizadores, com uma ajudinha da banda de Seattle, resolveram continuar o festival no último final de semana em duas datas, ambas com o Pearl Jam tocando. Deram o nome de Ohana Encore Festival, uma espécie de bis do evento original. A última música do último dos três shows do Pearl Jam no festival da Califórnia foi a cover do hino “Rockin’ in the Free World”, de Neil Young. No palco, para ajudá-lo a manter seu rock de um mundo livre, Eddie Vedder chamou as meninas do Sleater-Kinney, Taylor Foo Fighters Hawkins, Brandi Carlile, Patty Smyth (não confundir) e o grande Chad Smith, baterista dos Chili Peppers, entre vários outros. O palco bombou.

***

– Nosso amigo Liam Gallagher, irmão daquele cara lá e ex-cantor daquela outra banda conhecida, acabou a semana cheia de anúncios pomposos. Primeiro foi a revelação de que vai lançar, em 27 de maio de 2022, seu terceiro disco solo, chamado “C’mon You Know”, marca de suas postagens no Twitter. Não só, mas também, Liam soltou as infos de seu show de verão do ano que vem na Inglaterra, no histórico Knebworth Park (histórico principalmente para o Oasis, c’mon you know), em 4 de junho. Tipo festival: vai ter ainda Kasabian, Michael Kiwanuka, Fat White Family e a espertíssima (e barulhenta) banda pós-punk de meninas Goat Girl. Que programão. Abaixo, a lindaça capa do próximo disco do Liam e o pôster do show de Knebworth.

Captura de Tela 2021-10-02 às 10.11.51 AM

***

– Uma enorme caixa de discos do saudoso astro David Bowie vai ser lançada em novembro trazendo no meio dela um disco “perdido” do cantor inglês. O material inédito, que foi gravado em 2000/2001, compõe o álbum “Toy”, que seria lançado como seu último disco pela gravadora Virgin, mas uma saída conturbada de Bowie do selo acabou arquivando o projeto, mostrado só agora. “Toy”, na real, nasceu bem antes disso. São músicas feitas no final dos anos 60, mas seguradas por ele por causa de seu estouro algo inesperado com o disco-conceito “Space Oddity”, de 1969. Muitos anos depois, em seu período nova-iorquino, Bowie resolveu retomar as canções de “Toy”, terminá-las, regravá-las. Para serem abortadas de novo, tadinhas. Mas agora vai rolar. “Toy” faz parte dessa caixa “David Bowie 5. Brilliant Adventure (1992 – 2001)”, que vem aí. O box set trará, além de “Toy”, dois discos com sessions de sua temporada em Manhattan (quando Bowie conheceu a Popload, mas isso é uma outra história) e edições remasterizadas dos discos “Black Tie White Noise”, “The Buddha of Suburbia” e “Outside”, de lá do prolífico começo dos anos 90, e um compilado de sessions que ele fez na época para a BBC. Disso tuuuuuuuuuudo, saiu no fim de semana uma música “nova” de Bowie, do “Toy”. é “You’ve Got a Habit of Leaving”, que você pode ouvir aqui embaixo, acompanhando a letra.

***

* Entre muuuuuitas coisas, o Popcast desta semana vai falar de como a ótima série “Ted Lasso” faz um grande papel para a música. O programa, exclusivo da plataforma Apple TV+, não só tem trilha sonora própria boa como enfia um monte de música legal na sua trama de uma profundidade tão grande partindo de uma premissa tão leve: um time pequeno de futebol inglês dirigido por um treinador americano. O podcast da Popload, apresentado por Isadora Almeida e Lúcio Ribeiro, inclui ainda um plá sobre as principais músicas lançadas nos últimos dias e um olhar da CENA brasileira. Sim, Rick Astley foi falado. Está aqui embaixo.

((Ainda sobre “Ted Lasso” que está chegando ao final da segunda temporada, o episódio corrente da série, que foi ao ar sexta passada, teve um Radiohead na parte final de machucar. Sem mais…))

>>

Popnotas – LCD Soundsystem, 10 anos e cinco discos. A bagunça do Woodstock maldito. E o novo trailer do filme daquela banda lá

>>

– Que loucura é este tempo, hein? Nem parece, mas tem dez anos que o maravilhoso grupo indie-electrônico dance-punk nova-iorquino LCD Soundsystem ensaiou uma despedida e fez uma festa para isso no Madison Square Garden, dias depois de tocar num Popload Gig emocionante na… Pacha!!!. Sobre o concerto de NYC, terra deles, uma apresentação de mais de três horas, não é todo dia que a banda mantém disponível uma edição quíntupla de LPs que dão conta do show todo. Mas com os 10 anos desse dia, ainda que o disco tenha saído em 2014, vem aí uma reedição para quem quiser garantir a versão física desse registro histórico. Cinco LPs. Dez anos, gente. Caramba.

– Falando em vir aí, vem aí um doc da HBO sobre o caótico festival de Woodstock de 1999. Caótico talvez seja pouco para descrever um evento que queria resgatar o lema Paz-e-amor e acabou marcado por violência, fogo e outras muitas tretas (foto na home) – bem longe do espírito hippie festival original, de 1969. “Woodstock 99: Peace, Love and Rage” saí no HBOMax ainda em julho, como parte de um projeto tocado por Bill Simmons, da premiada série esportiva “30 for 30” da ESPN, que contará com outros cinco documentários sobre música. Os assuntos dos outros filmes ainda não foram revelados.

– Ainda no campo streaming e música, temos um novo trailer para a série que vai reunir Paul McCartney e o produtor Rick Rubin. “McCartney 3,2,1” sai no dia 16 de julho, com previsão de estreia mundial pelo Disney Plus. Será que chega ao Brasil? Não tem por que não chegar. Pelo que o trailer revela e sabemos, a série é uma loooonga conversa de Rubin com McCartney pelas músicas dos Beatles, histórias batidas e histórias novas, trechos inéditos de (muitas) fitas e outras surpresas.

>>

Paul velho inteiro, Fontaines DC novo pedaço. Lollapalooza anuncia sua programação virtual de shows de hoje até domingo

>>

* Batizada como Lolla2020, a edição-solução para a internet do gigantesco festival americano baseado em Chicago acontece de hoje a domingo, na página do Youtube do Lollapalooza. E soltou hoje sua programação completa, do evento virtual que vai misturar shows antigos no Lolla e performances novas em lives distanciadas.

Dentre os shows históricos a serem lembrados no streaming do Lolla2020, alguns inteiros, outros apenas algumas músicas, estão os de Paul McCartney (apresentação de 2015), LCD Soundsystem (show de 2016), trecho do Pearl Jam no Brasil de 2018, Lorde um pedacinho da apresentação de 2014), Arcade Fire (show inteiro de 2010), Yeah Yeah Yeahs (20 min do concerto de 2005) e por aí vai.

Nomes como Alison Wonderland, HER, Kali Uchis, Vic Mensa, Kaskade, The Neighborhood e Yungblud estão entre os que vão fazer apresentações ao vivo mesmo. Fontaines DC também, mas mandando só umas três músicas.

O final de semana do Lolla2020 começa logo mais, 19h no horário de Brasília. Confira toda a programação abaixo e bote em cada horário duas horas a mais, para saber quando ver daqui do Brasil:

lollaseg

lolla sexta

lollasabado

lolladomingo

>>