Em Libertines:

Puta madre! Pete Doherty está vivo, com banda nova e disco novo que sai em abril. Ouça o single “Who’s Been Having You Over”

>>

280119_doherty_slider

O encasquetado Pete(r) Doherty está vivo, em todos os sentidos que isso possa soar. Sujeito complicado e talentoso que despontou no cenário do tradicional rock inglês com o incrível The Libertines, mas que na maioria das vezes preferiu se sabotar do que ser maior do que podia, Doherty está com um novo projeto musical de nome pitoresco.

Peter Doherty & The Puta Madres é o nomes de sua nova banda com a qual o parceiro do Carl lança dia 12 de abril seu primeiro disco cheio e homônimo, do qual já podemos ouvir o single “Who’s Been Having You Over”.

O álbum já vinha sendo comentado por Doherty desde 2017, mas foi gravado durante o verão europeu em quatro dias do ano passado, na França, sua casa por opção. Mês que vem, para bombar o projeto, o inglês excursiona pelo Reino Unido com seis shows entre os dias 13 e 19 de fevereiro.

Peter Doherty & The Puta Madres – Tracklist
01 All At Sea
02 Who’s Been Having You Over
03 Paradise Is Under Your Nose
04 Narcissistic Teen Makes First XI
05 Someone Else To Be
06 The Steam
07 Travelling Tinker
08 Lamentable Ballad of Gascony Avenue
09 A Fool There Was
10 Shoreleave
11 Punk Buck Bonafide

>>

Ele veio. Você vai? Pete Doherty, o libertino bad-boy inglês, faz show único hoje em SP

>>

x93139880714743167

* Primeiro, aquele susto sempre esperado. Na segunda-feira, a banda que vai acompanhar o poeta indie-treta Pete Doherty, em seu show no Brasil para além do Libertines, apareceu no saguão do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Menos o astro principal. Ele tinha “perdido” o vôo para São Paulo, onde começa nesta noite, no Cine Joia, um giro sul-americano que passa ainda por Chile, Argentina e Uruguai.

Um dos seres mais problemáticos do indie deste século, como já li por aí, Doherty, o poeta de Albion, toca hoje na Liberdade o show de seu novo disco sozinho, “Hamburg Demonstrations”, lançado no fim de 2016.

Quem é fã do cara, que esteve no final do ano passado em carne e osso no Popload Festival, mas acompanhando sua velha banda, não tem do que reclamar. O guitarrista toca seu disco novo, suas canções solo mais antigas, músicas do Babyshambles, hinos do Libertines. Para começar, ele costuma mandar logo de cara “What a Waster”, canção chave do Libertines, que o define. Ou não.

Incrível como esse show ainda não esteja esgotado. Talvez porque tenha jogo do Palmeiras no mesmo horário, vai saber. Mas entradas para ver essa peça rara que fez história no “novo rock” inglês estão disponíveis por aqui.

Ao sair de casa a caminho do aeroporto, em Londres, para embarcar para o Brasil, Pete mandou seu recadinho…

>>

Peter Doherty faz karaokê coletivo em show e canta Oasis, Velvet Underground e Leonard Cohen

>>

Fotos: The Upcoming

Fotos: The Upcoming

O complicado e complexo Peter Doherty lançou semana passada o bem aceito disco solo “Hamburg Demonstrations”. Na estrada para divulgar a obra com sua banda The Puta Madres, o cantor e guitarrista do Libertines fez um show intenso em Kentish Town nesta semana, de acordo com relatos da imprensa inglesa.

Além das novas músicas e de sons do próprio Libertines e do Babyshambles, sua ex-banda, Doherty entoou canções clássicas de outras bandas e artistas em sua apresentação.

Ele misturou, por exemplo, “Ride Int The Sun”, da Velvet Underground, com “Don’t Look Back in Anger”, do Oasis, em um mashup honestíssimo. Sobrou tempo ainda para uma versão de “Hallelujah”, do grande Leonard Cohen, esta com seu parceiro Carl Barat na bateria.

Aliás, seu mais que amigo Carl também tocou em canções do Libertines como “You’re My Waterloo” e “Up in the Bracket”. Tudo, claro, foi devidamente registrado e pode ser curtido abaixo.

>>

Popload Festival 2016, o vídeo que encerra as conversas

>>

_FAB5773-Pano copy

* Ficou pronto hoje um vídeo que explica um pouco, para quem ainda não entendeu (hehe), o conceito que norteia o Popload Festival, o evento indie ligado a este site que proporcionou, há 10 dias e com três dias de ações efetivas e diferentes, o encontro de uma galera bem tratada com bandas como Wilco, The Libertines, Ratatat, Ava Rocha, Bixiga 70, Liniker, Selvagem, Aldo, Céu, Wilco de novo.

Porque é isso. O Popload Festival, que existe desde 2013, não se contenta em ser um “festival”.

Nosso livrinho entregue no evento do Urban Stage, no último dia 8, contava alguma coisa do que nos move.

IMG_2710

E também mostrava quem já se apresentou no Popload Festival, sem contar, claro, que veio aos quase 50 Popload Gig, a série de shows mais longeva da cena brasileira.

IMG_2711

O vídeo abaixo põe fim no capítulo 2016. Acredite, a edição 2017 já tem um desenho e começa a ser trabalhada. Mesmo que, por aqui, o ano ainda não acabou. Em novembro tem duas Popload Gig imperdíveis no Audio Club, em São Paulo: o duo francês heróis da eletrônica Air, no dia 15, e a dupla Edward Sharpe and The Magnetic Zeros e a Courtney Barnett, no dia seguinte.

* As fotos usadas neste post e na home da Popload são de autoria do poploader supremo Fabrício Vianna.

>>

Popload Festival abre um dia grátis e anuncia Liniker, Céu e Selvagem (ESGOTADO)

>>

* Que mais, hein??

liniker

O Popload Festival abre um dia a mais no evento. A data extra e gratuita acontece na véspera dos shows do Wilco, Libertines e companhia e terá como atrações só exemplares da nossa CENA: a cantora Céu, a banda sensação Liniker e os Caramelows e os sempre bombados DJs da festa Selvagem.

Nesta data extra, no próximo dia 7, sexta, acontece a ação Spotify Ocupa Popload Festival, quando a Popload e o player oficial do festival criam, com duas atrações inéditas em sua escalação, uma boa oportunidade para, um dia antes de ver Wilco, Libertines e a rapa toda, conhecer o Urban Stage e acessar a estrutura do evento grande do dia seguinte. E de graça.

O evento terá início pontualmente às 19h.

flyer

** CÉU é uma das principais vozes da atual música brasileira. Seu disco de estreia teve três indicações ao Grammy e vendeu mais de 200 mil cópias só nos Estados Unidos! A cada trabalho, Céu embarca em viagens sonoras. Passou pelo samba, reggae, jazz. Mesclou ritmos africanos, jamaicanos, nordestinos. Em “Tropix”, seu quarto e mais recente álbum, ela se reinventa. Acompanhada de seu “power trio”, investe no groove, na guitarra, nos sintetizadores e nas batidas eletrônicas a la disco music. Ou, como ela define, é “um disco sintético, noturno e reluzente”. E perfeito para a pista!

Captura de Tela 2016-09-26 às 11.12.14 AM

Céu já se apresentou nos maiores festivais do mundo, como Montreal Jazz Festival, North Sea Jazz, Coachella, Roskilde, Rock in Rio, SF Jazz, JVC Jazz, entre outros. E, somente neste ano, já passou por uma turnê europeia entre França, Espanha, Suíça, Inglaterra e República Tcheca e também pelos EUA.

*** Nem bem apareceu no cenário musical nacional, LINIKER (foto que abre o post) conquistou em poucos meses muito mais que seus 1,5 milhão de views nas redes. De repente, o projeto de Liniker Barros e de sua banda Caramelows, mesclando soul & black music com swingue tropical, estava tocando em todos os cantos. E a voz rouca (e doce) e a imagem inconfundível dx artista de saia, bigode, batom e turbante, eram onipresentes. E tudo isso com um EP com apenas três músicas (“Cru”, de outubro de 2015)! Foram programas de TV, casas lotadas (80 shows em menos de oito meses!) e festivais. Paulista de Araraquara, Liniker, 20 anos, compõe desde os 16 e diz fazer “MPB”- “música preta brasileira”. Suas canções de amor, relacionamento e empoderamento foram feitas especialmente para o público dançar e cantar junto. E são embaladas por uma banda de peso, com guitarra funkeada, trompete e bateria. O álbum de estreia do grupo tem 13 faixas (incluindo as canções do EP). “Remonta” chegou ao Spotify no dia 16 de setembro!

Captura de Tela 2016-09-26 às 11.16.31 AM

*** Abrindo o Spotify Ocupa Popload Festival e também discotecando entre os shows, sets de Trepanado e Milos Kaiser, os DJs da imperdível SELVAGEM. Eleita a melhor festa da cidade pelo Guia da Folha, a Selvagem é praticamente um símbolo da reocupação do centro da capital paulista. Tem batuques e brasilidades tudo junto e misturado com o melhor do funk, house e disco. Com um público que hoje chega a duas mil pessoas, a festa desembarcou também no Rio de Janeiro e já passou por Nova York e por uma turnê europeia.

*****

SPOTIFY OCUPA POPLOAD FESTIVAL
#Popload10Anos #SpotifyNoPopload #SpotifyOcupaPopload

Data: 07 de outubro (sexta-feira)
Local: Urban Stage (Rua Voluntários da Pátria, 498 – Santana – SP).
Vá de metrô: o Urban Stage fica ao lado da estação TIETÊ.
Abertura das portas: 19h
Shows: DJ set Selvagem: 19h || Liniker: 20h || DJ set Selvagem: 21h || Céu: 21h30
Classificação Etária: 18 anos (proibida a entrada de menores de 18 anos)
Capacidade: 2.000 pessoas
Ingressos: gratuito. O público deve imprimir o ingresso no site www.ticketload.com (ingresso nominal e limitado a 2 por CPF).

**** INGRESSOS GRATUITOS ESGOTADOS ****

>>