Em m83:

Noruega. Øya Festival consagra Massive Attack e o… Skepta

>>

* Popload em Oslo. A cidade-modelo, capital-beta, a terra da maior qualidade de vida da Europa, a das esculturas bem lokas.

Untitled-1

* A gente fala que São Paulo às vezes tem as quatro estações no mesmo dia, mas ninguém leva isso tão a sério e a extremos como Oslo, do pouco que eu pude sentir aqui. E só com duas estações: a mais quente e a mais fria. O verãozão em Oslo, entre 12 e 15 graus, ontem reservou dia de um sol lindo. Exposto a ele, a temperatura ia a uns, sei lá, 22. Quando rolava a sombra, alguma nuvem o tampava, caia para uns 8.

* E quando o melhor show do primeiro dia do Øya Festival, o do parque em sim, quatro palcos e uma tenda eletrônica cheia de atrações europeias e americanas, foi o do rapper britânico Skepta? Olha o que o grime está aprontando na cena… Nem se fala nos Estados Unidos, se misturando com a cena hip hop local. Graças ao Zane Lowe, a Beats 1, à Apple Music. Mas isso é um assunto para depois.

* Claro, teve o magistral Massive Attack, num concerto triunfal, diversificado, bonito de ver. E com o resgate daquilo que mais deu fama ao trip hop roots do grupo inglês: a atmosfera criada ao vivo. Se você penetrá-la, é showzão. Mas o que eu digo sobre o Skepta é o que eu mais gosto em uma apresentação: a troca de energia com o público. Essa foi brutal. Aquele exército de loiras novinhas se matando ao som do Skepta. Foi impressionante.

IMG_7605

* E essa Christine & The Queens, acima, francesa bombator com deliciosas canções pop e um show no limiar do cafona, com muitas covers e dancinhas, mas que ela não só não deixa a coisa descambar como se transforma numa figura magnética no palco. Gostava dela antes. Gosto mais agora depois de vê-la ao vivo.

Abaixo, mais algumas fotos e vídeos ainda do primeiro dia do Øya Festival no parque, na quarta-feira. Fico devendo o mesmo sobre os shows de ontem:

IMG_7679

Anthony Gonzalez na fase capuz do comecinho do show às vezes ótimo, às vezes sonolento do M83 no Øya Festival

***

***

IMG_7689

O frenético artista grime britânico Skepta, em seu show no menor e mais vibrante palco do festival norueguês

***

***

***

***

** A Popload está em Oslo, Noruega, a convite do Øya Festival.

>>

E o disco novo do M83 que tem até o Steve Vai e o Beck, hein?

>>

120416_m83_2

Já está rodando bonito em todo lugar “Junk”, o novo álbum do francês e eletrônico M83, projeto liderado pelo músico/produtor Anthony Gonzalez.

O álbum foge um pouco à regra e tem 15 faixas, em um tempo em que menos é mais. A cantora também francesa Mai Lan é presença constante no disco (canta em 4 músicas), mas duas participações especiais chamam a atenção.

Além do veterano guitarrista Steve Vai, que toca na faixa “Go!”, “Junk” também mostra a parceria do M83 com o herói indie Beck. E é a faixa “Time Wind”, da qual o norte-americano participa, que abre o mix especial de quatro músicas que a Popload preparou. “Time Wind” é seguida por “Walkway Blues”, “For The Kids” e “Laser Gun”.

O M83 atualmente está em turnê pela América do Norte e será uma das atrações do Coachella nos próximos dois finais de semana. Depois, os franceses seguem para a Europa, onde ficam até o fim de agosto. Algumas nomes que irão dividir palco com o M83 são os incríveis Tame Impala, YACHT e Bob Moses.

Junk – Tracklist
01 Do It, Try It
02 Go! [ft. Mai Lan]
03 Walkway Blues [ft. Jordan Lawlor]
04 Bibi the Dog [ft. Mai Lan]
05 Moon Crystal
06 For the Kids [ft. Susanne Sundfør]
07 Solitude
08 The Wizard
09 Laser Gun [ft. Mai Lan]
10 Road Blaster
11 Tension
12 Atlantique Sud [ft. Mai Lan]
13 Time Wind [ft. Beck]
14 Ludivine
15 Sunday Night 1987

>>

M83 junta eletrônica, vocal feminino e o Steve Vai em novo single

>>

040416_m83_2

O francês e eletrônico M83, capitaneado pelo distinto Anthony Gonzalez, lança sexta agora seu aguardado “Junk”, novo disco do qual conhecemos hoje um single um tanto eclético.

“Go!” conta com as participações da cantora (também francesa) Mai Lan e do virtuoso e veterano guitarrista Steve Vai. “Pedimos o mais doido space solo possível, o que não é muito difícil pra ele [Steve]. Ele nos mandou três pedaços diferentes, juntamos dois e montamos um solo definitivo. Foi incrível trabalhar com ele”, contou Gonzalez em um comunicado de divulgação.

“Junk”, o disco, fez o M83 cair na estrada. Atualmente a banda está em excursão pela América do Norte e será uma das atrações em breve do Coachella. Em seguida, datas na Europa até o fim de agosto. No meio do caminho, os franceses farão shows com gente da linha de Tame Impala, YACHT e Bob Moses.

>>

Uma história de amor em Las Vegas contada pelo Killers

>>

Em 11 de novembro, a banda norte-americana The Killers vai dar fim à “fase 1” de sua carreira. O grupo do Brandon Flowers bota no mercado “Direct Hits”, compilação que varre a primeira década de trabalho da banda com uma seleção de seus maiores hits. Ao todo, são 16 faixas conhecidas mais duas inéditas.

Uma das inéditas é o novo single, “Shot at the Night”, baladinha cool produzida por Anthony Gonzalez, do grupo M83, o qual Brandon chama de “feiticeiro tecnológico”. A faixa ganhou um vídeo brega e legal que conta uma história de amor em Las Vegas entre uma menina que trabalha em um hotel/casino e quase atropela seu futuro amado enquanto dirige seu carro toda deprê pela cidade.

De tão brega, ficou bom. Haha. A música também é boa, vale dizer. E, de acordo com Flowers em entrevistas recentes, o som é uma espécie de “ponte” para o que o Killers vai passar a produzir nesta “fase 2” de sua carreira. Vamos ver onde vai parar o Killers.

The Killers passa a limpo primeira parte da carreira. A parte boa

>>

A pomposa banda norte-americana The Killers anunciou para 11 de novembro sua primeira coletânea oficial. “Direct Hits” promete revisar a “primeira parte” da carreira do grupo liderado por Brandon Flowers e terá ao todo 18 faixas, duas delas inéditas.

Surgida no início da década passada, a banda soltou ontem “Shot at the Night”, novo single produzido por Anthony Gonzalez, do grupo M83, que já excursionou algumas vezes com a turma de Las Vegas. Em recente entrevista para o semanário inglês New Musical Express, Flowers disse que Gonzalez é um “feiticeiro tecnológico, por isso ninguém deve subestimar sua musicalidade”. O vocalista também apontou que a compilação é uma ótima forma de “limpar tudo o que foi feito para trás e seguir em frente” e as duas músicas novas servem como uma ponte para o Killers do futuro.

A outra faixa inédita é “Just Another Night”, que tem produção de Stuart Price.

* “Direct Hits”, tracklist
01 “Mr. Brightside”
02 “Somebody Told Me”
03 “Smile Like You Mean It”
04 “All These Things That I’ve Done”
05 “When You Were Young”
06 “Read My Mind”
07 “For Reasons Unknown”
08 “Human”
09 “Spaceman”
10 “A Dustland Fairytale”
11 “Runaways”
12 “Miss Atomic Bomb”
13 “The Way It Was”
14 “Shot At the Night”
15 “Just Another Girl”
16 “Mr. Brightside (Original Demo)”
17 “When You Were Young (Calvin Harris Remix)”
18 “Be Still”