Em mac demarco:

Balaclava Digital movimenta o indie com conversa boa e show idem por uma semana

>>

fionaapple

* O selo multifuncional Balaclava Records, uma das instituições que fazem a música nova girar neste Brasilzão de meu Deus, começa logo mais nesta segunda-feira, indo até domingo, o Balaclava Digital, a versão pandêmica do Balaclava Festival, seu maior produto.

O Balaclava Digital, gratuito, abre seu Twitch (#balaclavarecords) para shows e debates com algumas inventividades no seu bom roteiro. A parte musical está dentro da zona de conforto do selo, utilizando boa parte de seu bom plantel, mais alguns xistes interessantes como escalar a ótima Jup do Bairro, dona de um dos discos do ano, ainda que um EP, Andy Bell, veterano músico galês que fez parte do Ride e chegou a tocar baixo no Oasis, e Mac McCaughan, hoje solo mas com uma história no rock underground americano à frente do Superchunk, que praticamente era ele mesmo.

A edição virtual do Balaclava traz, mesmo, alguns nomes bem pensados para a parte de entrevistas e debates. Entre eles o jornalista e radialista britânico Matt Wilkinson, que foi por anos editor do semanário inglês “NME” e hoje é uma das “caras” da Beats 1, a importante rádio da Apple. Tem também conversa com o crítico youtuber americano Anthony Fantano, do canal The Needle Drop (foto acima). E um papo com o músico indie Mac DeMarco, que já tocou no Brasil trazido pelas mãos da Balaclava.

bala

Abaixo, a Popload seleciona alguns dos momentos imperdíveis desta edição digital do festival da Balaclava.

* hoje, 19h30
Entrevista: Matt Wilkinson (Apple Music)

* amanhã, 19h30
Entrevista: Rachel Goswell (vocalista e guitarrista da banda shoegazer Slowdive)

* quarta, 19h30
Entrevista: Ynaiã Benthroldo, ex-baterista do Macaco Bong e desde 2012 do Boogarins, além de produtor musical.

* quinta-feira, 18h
Entrevista: Marcos Boffa, um dos principais produtores de festivais de música e shows internacionais no país.

* sexta-feira, 18h
Entrevista: Jup do Bairro, multiartista trans paulistana, performer, atriz e ativista do movimento LGBTQ+.

* sexta-feira, 19h30
Entrevista: Ash Kenazi, drag, baterista e co-fundadora da banda inglesa Happyness.

* sábado, 15h
Entrevista Anthony Fantano, crítico youtuber americano.

* sábado, 20h
Show: Andy Bell

* sábado, 21h
Show: Apeles + Jup do Bairro

* domingo, 15h
Entrevista Mac DeMarco

* domingo, 19h
Show: Kiko Dinucci

* domingo, 20h30
Show: Mac McCaughan

* domingo, 21h30
Show: ÀIYÉ + Odradek

*** A programação completa do Balaclava Digital pode ser encontrada aqui.

>>

Saiu um dos vídeos mais sem sentido de 2019. É para uma música do Iggy Pop, dirigido pelo Mac DeMarco

>>

150819_iggypop2

Por essa parceria você não esperava. O inoxidável e gênio Iggy Pop convidou ninguém menos que o criativo e ousado Mac DeMarco para dirigir o vídeo de seu novo single, “Sonali”.

A canção, um jazz bem delicinha, está no álbum mais recente de Iggy, “Free”, lançado em setembro deste ano.

Como era de se esperar, a peça visual não tem o menor sentido. Protagonizado por Kiera McNally e Tommy Midnight, o vídeo foca na dificuldade de duas pessoas, que por um acaso têm “pele” de répteis, de se locomoveram em um trânsito caótico. No meio disso tudo, aparece um solo de saxofone em um carro todo revestido por um pelo rosa. Básico.

Mac-DeMarco

No alto de seus 72 anos super bem vividos, Iggy tem dito que este disco é o mais divertido e pessoal de sua extensa carreira. “Eu queria ser livre, mas sei que é uma ilusão e que liberdade é apenas algo que você sente. Mas vivi a minha vida até agora na crença de que esse sentimento é tudo o que vale a pena perseguir. Tudo o que você precisa não é a felicidade ou o amor, necessariamente, mas a sensação de ser livre. Então, esse álbum meio que aconteceu para mim e eu vou deixando”.

A produção maluca de DeMarco para a carreira de Iggy pode ser conferida abaixo.

>>

De bermuda, boné e com um dançarino com chapéu de cowboy, Mac DeMarco faz um pequeno show em rede nacional

>>

300719_demarco2

Em maio deste ano, o intrépido Mac DeMarco lançou “Here Comes The Cowboy”, seu bom e zoado disco novo, o qual vem sendo objeto de divulgação que fez o canadense parar, recentemente, no programa do Jimmy Kimmel.

Por lá, DeMarco gravou um pequeno show ao ar livre, com duração de pouco mais de 20 minutos, onde mostrou especialmente canções deste seu mais recente projeto.

“Here Comes The Cowboy” tem 13 faixas e foi gravado por Mac em Los Angeles. Todo o processo de composição, gravação e mixagem foi feito pelo próprio, durante apenas duas semanas.

A “despojada” apresentação no Kimmel, realizada há algumas semanas, foi liberada por agora e pode ser conferida abaixo. Destaque para o dançarino bombado com chapéu de cowboy.

SETLIST
Nobody
K
Little Dogs March
Cattleman’s Prayer

>>

The Voidz, aquela outra banda do Julian Casablancas, lança nova música com produção do Mac DeMarco. Será que estamos preparados?

>>

290519_julianmac

Vira e mexe, o nosso adorado Julian Casablancas reaparece com sua voz cheia de efeitos no projeto The Voidz, banda um tanto zoada, que a gente já se esforçou muito para gostar. Sorry, Julian.

Ainda assim, ele e seus colegas têm insistido em lançar músicas novas (ponto para eles, pela persistência). E, como já não bastasse toda a complexidade da sonoridade do Voidz, o som novo, “The Eternal Tao”, tem produção do Mac DeMarco, outro que a gente curte muito, mas sabemos de sua mente um tanto viajada.

A canção é carregada de sintetizadores, guitarras distorcidas e a voz do Julian mais distorcida ainda, como nos acostumamos. Diz o Jake Bercovici que a faixa surgiu em um fim de semana em Silver Lake, na casa do Mac, onde ele e Kirin J Callinan gravaram duas músicas, sendo “The Eternal Tao” uma delas.

O resultado pode ser conferido abaixo.

https://youtu.be/B1Ivofc20x0

>>

Sextou! Mac DeMarco lança o seu novo “disco cowboy” e mais um vídeo bizarro

>>

Mac-DeMarco

Já está ao alcance dos nossos ouvidos insanos o aguardado novo disco de Mac DeMarco, o seu primeiro em dois anos, intitulado “Here Comes the Cowboy”, que ele faz questão de descrever como “meu disco cowboy”. Simples assim.

O álbum tem 13 faixas e foi apresentado por alguns singles bem bons, tipo “Nobody” e “All of Our Yesterdays”, acompanhados logicamente de vídeos surreais e bizarros. Inclusive, saiu mais um junto com o disco, para a faixa título, que pode ser acompanhado no fim do post.

O registro sucede o bem bom “This Old Dog”, que foi lançado em 2017. DeMarco escreveu, gravou e mixou todo o projeto em um estúdio em Los Angeles, durante duas semanas em janeiro deste ano.

>>