Em majical cloudz:

Clique aqui agora: Devon Welsh, ex-Majical Cloudz, solta de surpresa seu terceiro disco solo

>>

071019_devon

O talentoso e delicado Devon Welsh, que surgiu na cena alternativa com o seu lindo e (infelizmente) finado Majical Cloudz, lançou um novo disco de surpresa.

“Click Here Now” é o terceiro álbum solo do cantor e conta com seis músicas que envolvem temas como reflexão, honestidade e paciência.

O disco foi todo escrito durante este período de pandemia, entre março e este mês, em Wisconsin. Os outros dois projetos de Devon são “Dream Songs” (2018) e “True Love” (2019).

Diz o Welsh que as canções são interpretações de poemas que ele publicou ao longo dos últimos meses.

>>

Devon Welsh não deixa o Majical Cloudz morrer em suas canções solo de partir o coração. Ouça o novo disco “True Love”

>>

071019_devon

Duo que estava no auge e resolveu se separar em 2016, um pouco do Majical Cloudz ainda vive do seu jeito instável na voz marcante de Devon Welsh, que se prepara para lançar nesta semana seu terceiro disco solo desde então, em um período em que viu seu ex-parceiro Matt Otto enfrentar acusações de assédio sexual.

Devon lança oficialmente na próxima sexta-feira este seu terceiro álbum solo, “True Love”, apresentado por canções como “Faces” e “War”, minimalistas e de partir o coração.

Antes mesmo do álbum ficar disponível nas lojas reais e virtuais, Welsh resolveu liberar uma audição gratuita do projeto, que foca especialmente em amores mal resolvidos, reflexões profundas, medos e esperança.

>>

“OA”, o novo seriado-sensação, é dominado pela música indie

>>

oa3

* O Netflix (ou é “a” Netflix?) despejou em sua plataforma, na última sexta-feira, a surpreendente série indie “OA”, espécie de ficção científica misturada a drama para aproveitar a onda “sobrenatural” do sucesso que foi a irregular “Stranger Things”, de personagens simpáticos e historinha mais ou menos.

“OA” é mais consistente em sua trama-viagem, algo que explora mais a tal “experiência de quase-morte”. Ou, ainda mais punk, a experiência de pessoas que morrem ou julgam ter morrido e por algum motivo voltaram a viver, trazendo consigo do “além” alguns sensos aguçados e habilidades raras para algumas aptidões. Isso intriga muito a ciência, mesmo, e a série parte dessa premissa de “outras dimensões” para, com um ótimo elenco de desconhecidos ou quase, construir sua trama em oito episódios, que mistura ainda mistério, uma pitada de horror, investigação pouco ortodoxa do FBI, exotismo. E música indie.

Para começar, a série é dirigida pela atriz principal, Brit Marling (foto acima), e por Zal Batmanglij, que vem a ser irmão de Rostam Batmanglij, multiinstrumentista e produtor, que foi do grupo Vampire Weekend até o começo deste ano. Agora, Rostam tem uma banda-projeto com o grande Hamilton Leithauser, ex-Walkmen. Lançaram o primeiro álbum, o bonitão “I Had a Dream That You Were Mine”, em setembro último. A trilha de “OA” é de Rostam.

Mas não é só. Uma das personagens da história, toda aprisionada, é a cantora e diva indie Sharon Von Etten, que tocou em São Paulo em junho do ano passado, pelo Popload Gig. No episódio 3, ela canta uma música:

Uma canção que aparece algumas vezes na trama é “Better Man”, hit dos anos 90 do Pearl Jam. Cantada num coral de escola.

E, entre outras indieces, tem música do maravilhoso Majical Cloudz no episódio 5 em momento marcante. E do Beach House no episódio 6, com um personagem (ou uma) cantando a canção, numa hora que tenha tudo a ver cantá-la, acho. Se eu posso assim dizer, o Radiohead e a Sub Pop fazem uma ponta aqui neste “momento Beach House”de “OA”.

the-oa-poster

Um hit de FM, o sucesso antigão do New Radicals “You Get What You Give”, surge no epi 5.

Para saber a lista completa da trilha sonora de “OA”, ela está aqui.

E toma o Majical Cloudz cantando a absurda e fantasmagórica “Downtown”, que está na série. É uma música de morrer. E voltar depois para ouvir mais. Desculpa se estou entregando alguma coisa. Mas a canção participa de uma cena bem lindona.

Ex-Majical Cloudz, Devon Welsh solta coletânea de inéditas. Mas não é um álbum

>>

110516_devon2

O mundo indie ficou chocado, em março, com a separação repentina do delicioso duo Majical Cloudz, formado pelos músicos Devon Welsh e Matt Otto. Na época, Devon publicou uma carta aos fãs dizendo que o fim foi decidido em consenso com seu ex-parceiro de banda, e que ambos iriam continuar trabalhando com música.

“Eu vou lançar músicas com meu próprio nome, Devon Welsh, e já estou trabalhando em algumas coisas por agora e animado com tudo. Vou lançar material online durante o ano e fazer um show aqui e ali. (…) Matt também continuará fazendo música pelo seu projeto The Dahlia, e ele vai se pronunciar em breve”, contou o vocalista careca que bota uma emoção cortante em suas músicas.

Mês passado, Devon logo apareceu com um novo-velho projeto, Belave, que ele mantém com Matthew E. Duffy (membro antigo do Majical Cloudz). O lançamento da ocasião foi o experimental EP “Indigo”.

Agora, Welsh soltou mais uma vez de surpresa um material novo. “Down The Mountain” é uma seleção de canções gravadas e até então não lançadas pelo músico, mas tecnicamente não é um disco novo. “Trata-se de uma pequena coleção de canções que escrevi em diferentes momentos nos últimos dois anos. Algumas são da época de ‘Are You Alone?’, mas por uma razão ou outra não entraram na versão final do disco. Outras foram escritas e gravadas por diversão no último verão”, disse em comunicado.

“Down The Moutain” foi disponibilizado pelo canadense de forma gratuita e tem 8 faixas no total.

>>

O Majical Cloudz acabou e o Devon Welsh já soltou um EP novo e esquisito

>>

210316_belave2

Há duas semanas, o mundo indie foi pego de surpresa com o anúncio do fim do Majical Cloudz, duo canadenses dos bons, formado por Devon Welsh e Matt Otto. Na ocasião, Devon publicou uma carta aos fãs dizendo que o fim foi decidido em consenso com seu ex-parceiro de banda, e que ambos iriam continuar trabalhando com música. “Eu vou lançar músicas com meu próprio nome, Devon Welsh, e já estou trabalhando em algumas coisas por agora e animado com tudo. Vou lançar material online durante o ano e fazer um show aqui e ali. (…) Matt também continuará fazendo música pelo seu projeto The Dahlia, e ele vai se pronunciar em breve”, contou o vocalista careca que bota uma emoção cortante em suas músicas.

Daí que o defunto nem esfriou direito e o Devon já soltou seu primeiro material “sozinho”. Sob o nome Belave, projeto que ele mantém com Matthew E. Duffy (membro antigo do Majical Cloudz), Welsh soltou gratuitamente o EP Indigo, Streams, Lash, com Duffy cantando e ele Welsh tocando os instrumentos.

Este é o segundo trabalho do projeto, que já lançou um disco em 2014. A sonoridade é bastante experimental e o disco foi gravado entre 2014 e 2015 nas cidades de Londres, Detroit e Montreal. Devon disse que está esperando por novas descobertas com o trabalho. “Creio que com este projeto estamos sempre tentando criar nosso próprio mundo e fazer algo que nunca se ouviu antes”.

O difícil EP do Belave pode ser ouvido abaixo.

Indigo, Streams, Lash – tracklist
01. Capesé
02. Shale
03. Gypsophila devenir brumeux
04. Entente\entendre\intendere(a latin)///horn cannonnie
05. Other Lost Ports?

>>