Em manual:

Ouça “Manual”, o disco novo do Boogarins

>>

Boogarins-foto-de-divulgação-Marcos-Hermes-890x395

* A história já é bem conhecida nossa e um resumo rasteiro dela impressiona. Dois garotos de Goiânia, amigos de escola, que resolvem fazer umas músicas trancados no quarto, gravar umas canções ali mesmo, montar um disco, mandar uns emails, umas músicas saem num blog indie americano, um cara ouve e gosta e avisa uns amigos, os amigos têm uma gravadora em Nova York, o disco sai lá, é distribuído na Europa, ignorado no Brasil e eles mal têm uma banda para tocar ao vivo. Montam uma rapidinho, fazem uns shows em São Paulo e partem para tocar na Europa, nos EUA, em grandes festivais. Gravam um segundo disco na Espanha, com produtor americano, anunciam outra turnê mundial e, ontem, uma semana antes do tal segundo álbum sair, o superjornal americano “The New York Times” bota com exclusividade mundial o novo disco do Boogarins, os meninos de Goiânia, para audição em streaming. Fim.

Fim? A história dos Boogarins está só começando. Ouça o ótimo “Manual”, na íntegra, do “New York Times” para a “Popload”.

** O Boogarins faz show em São Paulo neste domingo, 25, no Mirante 9 de Julho, em São Paulo. Grátis. Final de tarde. Psicodelia Goiano-Mutantiana atrás do Museu de Arte. No grito, vão derrubar todos os prédios da Paulista para ver o Sol. Pôr do Sol.

*** Depois deste show, o quarteto de Goiânia ganha o mundo. Quinta eles tocam em Londres. E depois…

**** As fotos do Boogarins, deste post e da home da Popload, são do gênio Marcos Hermes.

>>

Mais Boogarins. Ouça a incrível “6000 Dias”, faixa do disco novo

>>

* Olha o Boogaris de novo, com som novo, do disco novo.

Boogarins 2015 @ Beatriz Perini

A banda goiana apresenta hoje o single “6000 Dias”, delícia cadenciada tipo Mutantes, tipo Lô Borges, por que não “Syd Barrett de Goiânia”? Mas, enfim, muito Boogarins. A música é faixa de “Manual”, disco que está para ser lançado oficialmente no mundo todo, agora no finalzinho de outubro. Inclusive no Brasil, veja você.

O Boogarins, turnê planetária pela frente, faz show especial no próximo dia 25 no Mirante 9 de julho. Sabe o que é um show no Mirante?

>>

Primeiro disco da banda brasileira Boogarins é, enfim, lançado no Brasil

>>

Untitled-7

* Título contém ironia. Corrigido o último grande erro histórico da música nacional. A informação é de que o primeiro álbum da banda goiana Boogarins, o ótimo “Plantas Que Curam”, quarteto psicodélico que do ano passado foi do zero show a turnês europeias e americanas e grandes festivais em poucos meses, começa a chegar nas lojas brasileiras.

O disco, que sai aqui no Brasil no mesmo mês em que a banda prepara o lançamento internacional de seu segundo álbum, foi lançado no ano passado por um selo americano, o nova-iorquino Other Music, que o distribuiu na Inglaterra. Aqui, no seu proprio país, “Plantas Que Curam” passou batido.

O álbum que revelou o Boogarins ao mundo, com uma certa ressonância na linha “Tame Impala meets Clube da Esquina” ganha então tardia ainda que válida edição especial nacional via Skol Music, que apadrinhou a banda. O “Plantas Que Curam” brasileiro vem nos formatos CD e vnil duplo. O CD conta com três faixas extras, uma delas ao vivo no festival Bananada do ano passado. O vinil duplo traz o álbum original mais um LP de sete polegadas com as mesmas três faixas (a ao vivo é “Doce” e as outras duas são as inéditas “Refazendo” e “A Sua Frente”, gravadas em um estúdio de Los Angeles.

Capa - Boogarins - Plantas que Curam

** O segundo álbum do Boogarins, “Manual ou Guia Livre de Dissolução dos Sonhos”, gravado na Espanha, sai no Brasil também pela Skol Music no dia 30 deste outubro.

*** O Boogarins se apresentou ontem no festival Fora da Casinha, em São Paulo, e faz show no dia 25 de outubro, no Mirante 9 de Julho, depois parte para uma turnê europeia que passará por Inglaterra, França e Holanda, entre vários outros países.

Em breve devemos ter mais notícias do Boogarins.

>>

A avalanche do Boogarins. Ao vivo em São Paulo

>>

Screen Shot 2015-09-14 at 12.15.13

* A caminho de lançar mundialmente seu segundo álbum, ter o primeiro editado com faixas bônus no Brasil (que não havia se interessado no disco de estreia até a banda “se virar” com carreira internacional), iniciar turnê europeia e depois americana e depois japonesa e depois australiana, a banda goiana de jeitão mineiro Boogarins, psicodelia de ponta da linha Tame Impala mas com sotaque de Mutantes, lançou hoje um vídeo ao vivo. Tirado de show há poucas semanas no Centro Cultural de São Paulo, o quarteto revela performance linda para a não menos linda “Avalanche”, canção que estará em “Manual”, o “second come” do Boogarins”, que sai no final de outubro.

O vídeo é dirigido por Clever Cardoso e foi gravado na sala Adoniran Barbosa abarrotada no último dia 27 de agosto, cujos ingressos foram dados de graça duas horas antes de o show começar, às 7 da noite de numa quinta-feira qualquer. O vídeo é retrato de uma banda nova em incrível ascensão, com um som simples de interior do Brasil e alcance planetário, que já fez mais shows na Europa que em seu país.

Estão deixando o Boogarins ver o Sol.

>>

Ao vivo: Boogarins em SP

>>

Screen Shot 2015-09-01 at 9.32.21

* A banda goiana Boogarins fez uma apresentação ao vivo no Centro Cultural São Paulo no começo de uma noite da semana passada. Até aí tudo no lugar. Um grupo de fora da cidade sem álbum lançado no Brasil num local charmoso porém pequenino, num horário (19h) que não é qualquer cidadão que pode ir prestigiar, principalmente se vive e/ou trabalha em SP. Já vi o Muse tocar assim em Chicago, o Arctic Monkeys se apresentar para menos gente em Austin, o Chemical Brothers meter seus baticuns nos ouvidos de Chicago para um público interessado nos shows que haveriam a seguir.

Não estou querendo dizer que daqui uns anos o Boogarins vai tocar em arenas, tipo o Muse em novembro por aqui. Mas uma banda sem disco lançado no país, sem tocar em rádio, sem passar vídeo na TV, lotar uma casa do tamanho que seja às 19h, com ingressos gratuitos (rá!) distribuídos e evaporados duas horas antes (ou seja, tinha que estar lá perto das 17h), com galera cantando em uníssimo não só uma, nem duas, nem três canções desse primeiro disco (bem, foi pelo menos quatro delas, que eu contei) nem lançado no país, é de fazer ainda admirar caras como eu, que vejo de dentro como a indústria de música funciona no Brasil pelo menos desde os anos 90. Ok, a internet…

O Boogarins lança seu segundo álbum no exterior no final de outubro, via o selo nova-iorquino “Other Music”. O nome do disco é “Manual”, sugestivo. Já tem turnês marcadas na Europa e nos EUA e além. “Manual” vai sair no Brasil inclusive, assim como enfim o álbum de estreia, “As Plantas Que Curam”, uma belezura lançada apenas em outro hemisfério, no ano passado, porque aqui ninguém quis.

Desse show no Centro Cultural de São Paulo, tiramos a faixa “6000 Dias”, talvez o segundo single a ser lançado do disco novo. Em terras em que single é “música de trabalho” e lançamento importante, para que uma banda atinja um público maior, diferente. Ah, como se viu no CCSP, o Boogarins nem precisa ser convencionalmente “trabalhado”.

>>