Em mark ronson:

Saiu o disco club da Dua Lipa, na era off-club. E começa com o Joe Goddard (Hot Chip)

>>

DUA_TBM_Comp_V2-696x442

* Deve ser o time mais estrelado para contribuir para um disco de uma artista mais que estrelada. Saiu hoje, enfim, a versão ultradançante do bombado mais recente disco da britânica Dua Lipa, “Future Nostalgia”, lançado no começo da pandemia, em março.

O delicioso “Club Future Nostalgia” é uma combinação da popice esperta de Dua Lipa associada à eletronices de ponta comandada por Blessed Madonna (na foto acima com a Dua Lipa), que chamou gente da linha Joe Goddard (Hot Chip), do underground criativo da canadense Jayda G, Dimitri from Paris, Jacques Lu Cont e nomes pomposos como Madonna, Mark Ronson, Missy Elliiott e até as meninas da banda coreana BLACKPINK, entre outres.

É botar para rolar e a balada começar. Até porque quem começa é o Joe Goddard. Daí…

“Hey, this is Dua Lipa and you’re listening to Club Future Nostalgia with the Blessed Madonna.”

>>

Mark Ronson convoca o talento de Anderson .Paak para trilha sonora de novo filme de animação

>>

mark-ronson

O super produtor Mark Ronson, acostumado a se envolver com grandes artistas, convocou o talentoso Anderson .Paak para a gravação de uma nova música.

“Then There Were Two” estará na trilha da animação “Spies in Disguise”, filme que tem participações de Will Smith e Tom Holland. Ronson é o responsável pela trilha sonora do projeto.

O ano tem sido de muito trabalho para .Paak e Mark. Enquanto Ronson lançou o disco “Late Night Feelings” em junho, enquanto Anderson soltou “Ventura” no mês de abril.

A nova “Then There Were Two” pode ser ouvida abaixo.

170316_andersonpaak2

>>

Angel Olsen dá um toque indie em “Late Night Feelings”, novo disco do produtor Mark Ronson

>>

240619_ronson_olsen

O último final de semana, o renomado produtor Mark Ronson lançou seu novo álbum, “Late Night Feelings”, repleto de parcerias especialmente com figuras da música pop, como Miley Cyrus, Alicia Keys e Camila Cabello.

No meio dessas meninas está uma mais discreta, Angel Olsen, que cantou na faixa “True Blue”, uma das melhores do projeto. Diz ela que recebeu o convite com surpresa. “Eu não estava muito certo de como seria trabalhar com o Mark, considerando que somos de dois mundos de produções diferentes. Mas foi bem divertido, uma experiência orgânica para mim. Ele me deu total liberdade”, disse a cantora.

Segundo ela, a inspiração para a faixa partiu de canções que ela chama de “dark disco”. “Eu vinha ouvindo muito isso, especialmente a versão dance de Nico para ‘Heroes’. Quis fazer algo dark como aquilo, mas ao mesmo algo que fizesse as pessoas viajarem”.

A parceria entre Ronson e Olsen pode ser ouvida abaixo. O álbum também está disponível em seguida, para quem quiser…

>>

Loira e linda, Dua Lipa aparece toda elétrica em single feito em parceria com o Diplo e Mark Ronson

>>

060918_dualipa2

Popstar mais carismática do momento (não?), Dua Lipa está toda lindona no vídeo para a nova “Electricity”, canção feita em parceria com o Silk City, duo que consiste na união dos bambas Diplo e Mark Ronson.

A cantora britânica protagoniza o vídeo como anfitriã de uma balada cool em um flat, em uma noite quente e sem eletricidade. Ela canta, dança, pula em cima do sofá. Ou seja, a dona do agito. Convidados, Ronson e Diplo não chegam a tempo e perdem o auê.

Dua Lipa tem se destacado como uma das principais revelações da música pop nos últimos anos e considerada por muitos a maior estrela da música britânica hoje. É talentosa a menina. “Electricity” foi composta pela Florence com a Romy Madley Croft, do the xx.

>>

Vai treinando. Queens of The Stone Age espalha raridades em suas mais recentes apresentações. Domingo é no Rio

>>

* Bom, vai começar a maratona louca de mil shows lokos no Brasil. Domingo, no Rio de Janeiro, o Maracanã recebe dois pesos pesados da música independente kind-of, os almighties Foo Fighters e Queens of the Stone Age. Vamos focar na banda do Josh Homme, por agora.

No início deste ano, o Queens of the Stone Age fez seus primeiros shows desde que ocorreu “aquele incidente” entre o vocal guitarrista Josh Homme e uma fotógrafa, em dezembro do ano passado.

Durante as oito datas da atual miniturnê pelos EUA e Canadá, a banda californiana mostrou uma variedade surpreendente nos seus setlists, com algumas raridades que não apareciam há tempos em shows.

Isso pode ser um bom indicador para nós, brasileiros, já que a banda fará cinco apresentações por aqui logo mais (depois do Rio no domingo, as bandas brothers tocam em SP nos dias 27 e 28, Curitiba 2/3 e POA no dia 4). Imaginamos que o QOTSA tocará por apenas uma hora e pouquinho em cada cidade, já que é uma “banda de abertura”. Mas já dá para criar esperanças de ver algumas dessas músicas aqui.

Tipo as deste final de semana, na Califórnia, quando a banda mandou uma cover do clássico “Goodbye Yellow Brick Road” do Elton John (com o produtor inglês Mark Ronson no piano), e outra das raridades no mesmo concerto.

Destacamos, abaixo, SETE vídeos dessas performances raras recentes: “How to Handle a Rope” e “You Can’t Quit Me, Baby”, ambas sumidas desde 2011; “Everybody Knows That You’re Insane”, que não aparecia desde 2005 (!); “Tangled Up in Plaid” e “A Song for the Deaf”, tocadas pela última vez em 2013, e a deste final de semana, “Broken Box”, que não aparecia ao vivo desde 2006 e foi tocada agora na Califórnia, ainda com o Ronson. E, claro, eles fazendo Elton John.

Uma publicação compartilhada por @lairy_girl em

** As imagens deste post são do fotógrafo americano Drew A. Kelley, usadas no jornal californiano “Daily Breeze”.

>>