Em Massive Attack:

Mad e cool: festival em Madrid promove primeiro show do Tame Impala em 2018 e tem tretinha entre Massive Attack e Franz Ferdinand

>>

Foto: Inma Flores

Palco do Massive Attack. Vazio, claro. Foto: Inma Flores

Um dos eventos que tem crescido cada vez mais no circuito dos festivais de verão na Europa, o Mad Cool de Madrid, considerado o melhor line-up de festival de verão do ano (claro, tem o Popload Festival, que não se enquadra nesta categoria. Hehe) reservou alguns momentos significantes no fim de semana que passou. Vamos por partes.

Na quinta-feira, o Mad Cool foi palco do primeiro show do Tame Impala em 2018. A banda de Kevin Parker fez um dos melhores shows do festival, diz a imprensa espanhola. O palcão com telões incríveis ajudou na pegada lisérgica, tipo nessa “Let It Happen”. Junto, tem um vídeo com um compacto de 40 minutos feito por um fã na grade.

* No entanto, o maior bafafá do evento aconteceu na sexta, quando o Massive Attack se recusou a fazer seu show por causa do barulho que o Franz Ferdinand estava fazendo em outro palco. Eles justificaram para a organização que “o som do palco do Franz Ferdinand poderia incomodá-los durante o show”.

A produção do Mad Cool, em comunicado, informou que tentou resolver o problema de todas as formas, inclusive atrasando outros shows antes do Massive Attack para que a banda subisse ao palco em um horário que o show do FF tivesse terminado. Mas, “por decisão unilateral da banda”, não rolou.

No Twitter, Alex Kapranos chegou a responder com um emoji o comunicado emitido pelo Mad Cool, que foi posteriormente apagado.

>>

Noruega. Øya Festival consagra Massive Attack e o… Skepta

>>

* Popload em Oslo. A cidade-modelo, capital-beta, a terra da maior qualidade de vida da Europa, a das esculturas bem lokas.

Untitled-1

* A gente fala que São Paulo às vezes tem as quatro estações no mesmo dia, mas ninguém leva isso tão a sério e a extremos como Oslo, do pouco que eu pude sentir aqui. E só com duas estações: a mais quente e a mais fria. O verãozão em Oslo, entre 12 e 15 graus, ontem reservou dia de um sol lindo. Exposto a ele, a temperatura ia a uns, sei lá, 22. Quando rolava a sombra, alguma nuvem o tampava, caia para uns 8.

* E quando o melhor show do primeiro dia do Øya Festival, o do parque em sim, quatro palcos e uma tenda eletrônica cheia de atrações europeias e americanas, foi o do rapper britânico Skepta? Olha o que o grime está aprontando na cena… Nem se fala nos Estados Unidos, se misturando com a cena hip hop local. Graças ao Zane Lowe, a Beats 1, à Apple Music. Mas isso é um assunto para depois.

* Claro, teve o magistral Massive Attack, num concerto triunfal, diversificado, bonito de ver. E com o resgate daquilo que mais deu fama ao trip hop roots do grupo inglês: a atmosfera criada ao vivo. Se você penetrá-la, é showzão. Mas o que eu digo sobre o Skepta é o que eu mais gosto em uma apresentação: a troca de energia com o público. Essa foi brutal. Aquele exército de loiras novinhas se matando ao som do Skepta. Foi impressionante.

IMG_7605

* E essa Christine & The Queens, acima, francesa bombator com deliciosas canções pop e um show no limiar do cafona, com muitas covers e dancinhas, mas que ela não só não deixa a coisa descambar como se transforma numa figura magnética no palco. Gostava dela antes. Gosto mais agora depois de vê-la ao vivo.

Abaixo, mais algumas fotos e vídeos ainda do primeiro dia do Øya Festival no parque, na quarta-feira. Fico devendo o mesmo sobre os shows de ontem:

IMG_7679

Anthony Gonzalez na fase capuz do comecinho do show às vezes ótimo, às vezes sonolento do M83 no Øya Festival

***

***

IMG_7689

O frenético artista grime britânico Skepta, em seu show no menor e mais vibrante palco do festival norueguês

***

***

***

***

** A Popload está em Oslo, Noruega, a convite do Øya Festival.

>>

Popload na Noruega. Show nas alturas, Massive Attack e o Øya Festival no parque

>>

* Popload em Oslo, Noruega.

IMG_7525 (1)

Frio e chuva no verão norueguês. E o Øya Festival 2016 tem show até numa estação de ski, no alto. Nas alturas, vi uma dupla muito boa daqui, chamada Ary, que é o nome da cantora, na foto abaixo. Meio Grimes, mas com um peso e sonoridade impressionantes. A menina, Arys (com “esse”), faz várias vozes, do etéreo ao raivoso, nem sempre sob efeitos técnicos do parceiro.

FullSizeRender

Ontem, na fase de clubes do festival, chamada Øya Night (shows em 23 casas da cidade, em que para quase todas da para ir a pé), presenciei uma banda de certo nome aqui, Dig Deeper, apresentação recomendadíssima pelo próprio festival, fazendo um show num delicioso e quente clube batizado de Mono, que fica num beco de Downtown, lugar onde passa todas as novidades da cena nórdica, disseram. O Dig Deeper já é muito grande para o local, então estava entupido. A banda vai na linha War on Drugs de trip psicodélica urbana, tipo assim. Gravei a última música deles. Deve ser o hit.

Hoje o festival começa no Toyenparken, um dos grandes parques de Oslo, no Øya Day. O festival ocupa mais ou menos 1/4 do Toyen, apenas. Na parte do morro, para transformar os palcos em arenas naturais. E fica do lado do museu Munch, que imortalizou o quadro “O Grito”. Aqui vende até roupinha de criança com a “incômoda” figura expressionista.

Christina & The Queens, The Last Shadow Puppets, os locais Aurora, M83 e Skepta são os destaques do dia. A Anohni furou. Não vem mais.

Tem também o grande grupo inglês Massive Attack, hoje aqui no Øya, um dia depois de lançarem o falado vídeo para a música “The Spoils” com a ótima Hope Sandoval (Mazzy Star) no vocal e apresentando a mais que ótima atriz Cate Blanchet. A estrela australiana sofre interferências em sua bela cara, por assim dizer. Veja abaixo. “The Spoils”, que foi lançado como single agora no final de julho, apareceu primeiro no app que a banda fez para o iTunes, chamado Fantom. Tem mais duas músicas novas lá: “Come Near Me”, que também foi lançado como vídeo ontem, tem como vocal convidado o Ghostpoet e traz a participação da atriz kosovar Arta Dobroshi, e “Dear Friend”, música talvez para o Tricky, que voltou a colaborar com a banda pela primeira vez desde que deixou o grupo, em 1994. O show de hoje do Massive Attack no Øya Festival, aqui na Noruega, contará com a participação do grupo escocês de hip hop Young Fathers.

** A Popload está em Oslo, Noruega, a convite do Øya Festival.

>>

Parcerias que amamos: Massive Attack com a Hope Sandoval e o Ghostpoet

>>

290716_massiveattack2

No início do ano, a representativa dupla de trip hop inglesa Massive Attack anunciou que o 2016 deles seria agitado. No total, seriam dois EPs e um disco cheio. “Ritual Spirit”, o primeiro EP, foi escrito e produzido por Robert Del Naja e lançado em março. Seu parceiro Daddy G. também fez um EP sozinho, que deve sair no fim do ano.

No início da semana, o Massive Attack botou prévias de três canções inéditas em seu app exclusivo. Hoje, duas delas foram divulgadas. Tratam-se de parcerias com a doce Hope Sandoval e o cantor britânico Ghostpoet.

Sandoval, voz única e marcante do Mazzy Star, canta em “The Spoils”. Este é o segundo registro em estúdio da dupla com a cantora, que emprestou sua voz para a canção “Paradise Circus”, em 2010. Já Ghostpoet assina sua parceria em “Come Near Me”, som que inclusive ganhou um vídeo estrelado pelo ator Arta Dobroshi, de Kosovo.

O Massive Attack ainda não informou em qual projeto o par de canções se encaixa.

>>

Manda mais Kate Moss, tá pouco. Modelo estrela o belo e novo vídeo minimalista do Massive Attack

>>

170316_katemoss2

Não chega bem a ser uma novidade, já que ela é uma das figurinhas mais carimbadas da cultura pop das últimas décadas. Mas, ainda assim, o Massive Attack deu um jeito de explorar a beleza e sensualidade da inoxidável Kate Moss em seu novo vídeo para o single “Ritual Spirit”, faixa que dá título ao mais recente EP do duo de trip hop inglês.

O vídeo mostra a modelo britânica dançando e sensualizando em um cenário escuro, que é iluminado apenas por um feixe de luz que sai de uma lâmpada segurada e movimentada por Kate, traduzindo de certa forma todo o minimalismo da canção.

“Ritual Spirit”, o EP, foi todo produzido e escrito por Robert del Naja e é o primeiro de três lançamentos prometidos pelo Massive Attack em 2016. Mais para o fim do ano, seu parceiro Daddy G. vai soltar outro EP como continuação a este. No meio dos dois, a dupla vai lançar um álbum cheio.

O belo vídeo que tem a Kate Moss como protagonista pode ser visto abaixo.

>>