Em metronomy:

POPLOAD NOW – Oito razões que provam que o Primavera Sound 2022 vai ser o maior festival dos últimos tempos

>>

* Manhã agitadíssima no mundo da música, mais precisamente dos festivais e da volta deles pós pandemia. O gigante catalão Primavera Sound, reconhecido internacionalmente pela sua absurda curadoria, anunciou seu incrível line-up para a edição de 2022, junho do ano que vem, de 2 a 5/6 e depois de 9 a 12/6. Portanto não terá apenas UM final de semana de realização, como de costume, mas sim DOIS findes de programação, além de shows espalhados por Barcelona no meio deles. Para compensar os dois anos sem festival, vão fazer um Primavera Sound 2020 e um 2021 em 2022. Está entendendo?

Bom, a escalação do Primavera Sound está melhor do que o esperado. PORQUE ESTÁ TODO MUNDO LÁ.
É talvez o festival “mais próximo” da Popload, até mais que o Glastonbury. Essas bandas todas que diariamente vêm sendo faladas aqui, ganhando posts e posts neste site de guerreiros indies, TODAS ESTÃO ESCALADAS na edição do ano que vem do festival espanhol. É muita emoção.

Agora aumenta a foto aí e ajusta a visão, porque o pôster não colabora muito para ver as maravilhosas linhas pequenas de bandas.

primaverasound2

Bom, mas vamos ao que interessa. O Primavera deve ser hoje o maior e mais legal festival do mundo e PODEMOS PROVAR POR QUÊ.

***

1 – HEADLINERS DE PESO

Depois de ter duas edições seguidas adiadas por conta da COVID 19, a edição de 2022 juntou alguns dos artistas previamente anunciados e trouxe nomes fortíssimos para a volta do festival. Pavement, Strokes, Massive Attack, Tame Impala, Nick Cave and the Bad Seeds, Gorillaz, Beck, Tyler the Creator, Lorde, Dua Lipa, Megan Thee Stallion, Interpol, Yeah Yeah Yeahs, Jorja Smith, The National e Jamie XX. Está bom para você?

***

2 – LINHAS PEQUENAS QUE IMPORTAM

Estes dias comentamos sobre o “polêmico” Lollapalooza Chicago 2021, que foi questionado por muitos por ter nomes menos conhecidos e estar recheado de DJs.
No espanhol Primavera Sound isso não é problema. Aliás, problema mesmo é acompanhar tanta banda legal anunciada.
Ainda em letras “médias” do seu teste de oftalmo, algumas bandas que amamos: Bikini Kill, Fontaines D.C., Slowthai, King Gizzard & the Lizard Wizard, Kim Gordon, Idles, Charli XCX, Caroline Polachek, Kacey Musgraves, Rina Sawayama, Girl in Red, A.G. Cook, Jehnny Beth, Shame, Honey Dijon, Black Midi, Black Lips, DJ Shadow, Disclosure, Big Thief, Playboi Carti, Pa Salieu, Slowdive, Run The Jewels, M.I.A., Burna Boy, Brittany Howard, Jessica Pratt, Shellac, Celeste, King Princess, Sky Ferreira, Romy… ENTRE OUTROS.

***

3 – VÁRIOS AMIGUINHOS DE SHOWS NA POPLOAD

Além de headliners familiares da casa, tipo Tame Impala, Lorde, Nick Cave, Jamie XX, tem também vários outros nomes que trouxemos ao Brasil para Gigs e Festival: Metronomy, Khruangbin, Jesus and Mary Chain, Yo La Tengo, Sharon Van Etten, Caribou, Beach House, Little Simz, Courtney Barnett…

***

4 – NOMES PARA FICAR DE OLHO

O festival talvez seja um dos maiores termômetros do que você pode esperar para ver em outros eventos musicais pelo mundo, até em anos posteriores. Bandas que ainda vão estourar em muito lugar, achadinhos que valem a pena.
Nossas antenas aqui na Popload estão sempre bem ligadas e neste line-up do Primavera Sound vimos vários nomes que cantamos a bola ao longo do ano: Dry Cleaning, Sinead O’Brien, Black Country, New Road, Porridge Radio, Squid, Working Men’s Club, Rolling Blackouts Coastal Fever, Viagra Boys, The Murder Capital, The Weather Station, Shame, Beabadoobee, Faye Webster, Tim Burgess, Iceage…

***

5 – FESTIVAL DIVERSO E EQUILIBRADO

Talvez uma das coisas mais legais de ver acontecendo em eventos como este é a preocupação em ter uma programação balanceada em questões de gênero. Isso já era uma preocupação quando o Primavera Sound anunciou a edição de 2020 e que felizmente se repete para o próximo ano.
Mais felizes ainda ficamos em ver a que talvez seja a melhor representante brasileira nesse quesito: Pabllo Vittar está confirmadíssima!

***

6 – MAIS?

Sim, o Primavera Sound 2022 recém-anunciado tem tudo acima e mais um pouco. Cada olhada mais atenta ao line-up do festival espanhol soltam aos olhos bandas incríveis que na tontura das primeiras olhadas tiveram o foco desviado. Mas aí a gente volta ao pôster e vai vendo que ainda vai ter Sampa the Great, Connan Mockasin, Tops, Pond, El Mató a un Policia Motorizado…

***

7 – COVID

Diferentemente de como foi semana passada com o anúncio de outro festival gigantesco, o Lollapalooza americano, o espanhol Primavera Sound não gastou muito tempo se referindo a medidas contra a Covid.

A despeito de novas ondas e cepas do vírus, acredita-se que até o ano que vem toda a Europa esteja vacinada.

Em março deste ano, um teste do setor de música ao vivo foi feito em Barcelona, em um show para 5 mil pessoas com testes negativos para a Covid-19. Boa parte usava máscara. Mas outra parte não. E não tinha distânciamento, todo mundo estava junto. Cerca de quatro casos dos presentes foram confirmados a posterior, mas nada garantindo que a contaminação veio do show-teste.

Em 2019, em sua última edição, cerca de 220 mil pessoas foram ao Primavera. Em 2020, com o final de semana dobrado para o evento, espera-se o dobro disso. É tradicional que pelo menos metade desse público que atenderá o festival venha de outras partes da Espanha e dos países europeus vizinhos. Muitos ingleses costumam viajar a Barcelona no verão para ver o Primavera Sound.

***

8 – BARCELONA

Cidade deliciosa, bonita, no Mar Mediterrâneo, rota para outros lugares legais na Espanha e até tiro curto para fora dela, verão europeu, comidas e bebidas incríveis, rica em arte em museu e na rua, o Barcelona, o bairro gótico, clubes incríveis, programação esperta nos dias de semana, pertinho de Ibiza. E um festival como o Primavera para encarar. Se o problema não for $$$, exatamente, e as ondas zoadas da Covid deixar, não vai ter melhor lugar no mundo para se estar em junho de 2022.

***

* Abaixo, o genial filminho de apresentação do line-up do Primavera Sound 2022.

***

PS: O Primavera Sound avisou no Intagram dele que, além de acionar o zoom para ver o line-up, a gente pode esperar MAIS ATRAÇÕES A SEREM ANUNCIADAS. OK?

Ah, e ainda o festival vai acabar com uma grande festa na praia, em 12 de junho, com uma penca de DJs tocando na praia de Sant Adrià de Besòs, incluindo Nina Kraviz, Amelie Lens e Peggy Gou.

***

* Esta seção da Popload é pensada e editada por Lúcio Ribeiro e Daniela Swidrak.

>>

Popnotas: O niver australiano do Iggy. A teoria da evolução do The Knife em vinil. O look do MGMT. E as sessions do Osees

>>

– Parabéns, Iggy! Ok, ainda é cedo, mas para comemorar seu aniversário neste ano, dia 21 de abril, o veterano do punk Iggy Pop planeja um streaming de um dos seus garbosos shows do começo da turnê de 2019, na icônica Sydney Opera House. Na época, ele fez duas apresentações esgotadíssimas, e a segunda delas foi gravada e será disponibilizada em seu aniversário de 74 anos. O streaming será em diferentes horários, para agradar os fãs ao redor do mundo. Se você tiver interesse, pode encontrar os ingressos por aqui.
(Foto na home da Popload)

– A famosa e excêntrica ex-banda dinamarquesa The Knife vai ter lançado em vinil pela primeira vez o seu disco de 2010, o “Tomorrow, In a Year”. Sai dia 20 de agosto, como uma das ações de aniversário de 20 anos da banda dos irmãos Karin e Olof Dreijer. “Tomorrow, In a Year” é um trabalho insólito dentro da discografia do duo, uma vez que foi encomendado ao Knife por um grupo de dança que queria musicar uma comemoração aos 150 anos de “A Origem das Espécies”, obra literária de teoria científica de Charles Darwin. O disco é bem louco. Pensa!

TheKnife_TIAYvinyl_CoverArt_hires

– De novo o lindo Metronomy. A banda inglesa, estamos falando por aqui há alguns posts, vai lançar a edição comemorativa do maravilhoso “The English Riviera”, seu terceiro disco, que completa no mês que vem seus 10 anos de idade. O lançamento é dia 30 de abril. O álbum, remasterizado, vai vir om seis canções inéditas, que ficaram de fora da montagem final das músicas do disco. Como parte dessa merecida comemoração, ainda, temos que o duo nova-iorquino MGMT fez um remix de “The Look”, uma das mais marcantes músicas não só do “English Riviera” como da carreira do Metronomy. Se a gente gostou?

– A banda indie californiana que já teve várias formações e vários nomes, capitaneada por John Dwyer e que no momento atende por Osees, vai fazer agora, em 10 de abril, um streaming de suas “Levitation Sessions II”, que foi armada numa fábrica abandonada em Los Angeles. A performance foi gravada com câmera 360º e tudo. Eles prometem coisas inéditas e “surpresas” no setlist. O selo “Levitation” de apresentações do Osees nasceu no ano passado, quando a banda fez essa live, em setembro. Agora vem a segunda da série, paga, e que depois vai render um álbum duplo ao vivo. Para ver a “Levitation Sessions II, o ingresso, que pode ser achado aqui, custa nem 4 dólares.

>>

Metronomy fez um vídeo lindo, exemplo na pandemia. Cada um navegando sozinho em seu iate, sem aglomerar

>>

* É incrível como tudo em que a banda inglesa Metronomy encosta é chic, de bom gosto e naturalmente delicioso. Até um vídeo novo para uma música antiga que nem entrou para o disco da época, porque tinha melhores.

Estamos falando de “Picking Up for You”, o single lançado na semana passada que deu a largada para o lançamento da edição comemorativa do maravilhoso “The English Riviera”, que vai completar 10 anos mês que vem.

“English Riviera”, o terceiro álbum do grupo, que nos presenteou com “The Look” e “The Bay”, vai vir nessa versão especial com seis canções inéditas, preteridas pela banda na montagem final do tracklist do disco.

É o caso da ótima “Picking Up For You”, que ganhou esse baleárico vídeo lindo, abaixo. Que prazer é essa banda.

>>

It’s sensible. Banda Metronomy vai lançar o “The English Riviera” em edição de 10 anos. O quanto você dançou com este disco?

>>

* Outra prova de que estamos muito velhos é que o discaço “The English Riviera”, da nossa amiga banda inglesa Metronomy, completa 10 anos. O terceiro disco da banda indie-dance chic, que nos deu tantas alegrias em pista de dança e já veio por nós para Popload Gig AND Popload Festival, saiu em abril de 2011. E vai ganhar uma edição comemorativa bem merecida, a sair dia 30 de abril.

“The English Riviera” trouxe os fundamentais hits “The Look”e “The Bay”. Tudo isso vai estar no álbum deluxe, óbvio, junto com outras seis canções inéditas, que acabaram de fora do disco no corte final.

A primeira dessas “novas, a singela “Picking Up For You”, foi lançada hoje, para acompanhar o anúncio do disco-celebração.

***

* O “The English Riviera” edição 10 anos vai ficar assim:

We Broke Free
Everything Goes My Way
The Look
She Wants
Trouble
The Bay
Loving Arm
Corrine
Some Written
Love Underlined
Aquarius
Picking Up for You
French Organ
Friends
The Ballad of the 17 Year Old
Jazz Odyssey

nomy

***

* Abaixo, como bônus do post, o vídeo de “The Bay”, só para a gente relembrar.

>>

Kero Kero Metronomy Bonito. Saiu um remix bem bom para “The Light”

>>

230816_kerokerobonito_slider2

Uma das bandas de nomes mais legais do pop, a Kero Kero Bonito fez uma versão remixada e oficial para “The Light”, do lindo Metronomy. E cabe dizer que ficou muito bom o resultado.

É sempre salutar relembrar que o grupo de Londres tem como vocalista Sarah Midori, que é filha de mãe japonesa e pai inglês. Ela sempre explica assim: “Kero = Japanese frog onomatopoeia. Bonito = culinarily useful fish”. Ela tem ao seu lado os músicos/produtores Gus Lobban e Jamie Bulled.

240719_metronomy_slider

E o Kero Kero Bonito se amarrou com a faixa. “O Metronomy é uma das bandas que definiram nossa adolescência. Nós ouvíamos o disco ‘Nights Out’ no ônibus que ia pra escola e também vamos aos shows deles desde os 16 anos”, informou o grupo, que descreve a remix como uma “música eletrônica dos anos 2000 para se ouvir quando volta pra casa tarde da noite”.

A versão original de “The Light” está no discão “Metronomy Forever”, lançado ano passado.

>>