Em minas gerais:

CENA – Banda mineira Devise mistura Primal Scream com hardcore no novo single “De Quanto em Quanto Tempo?”

>>

1 - cenatopo19251019_devise2Foto: Marina Jacome

Um dos nomes fortes da cada vez mais concreta CENA de Minas Gerais, o grupo Devise lança em vídeo via Popload seu novo single, “De Quanto em Quanto Tempo?”, mais um passo importante para o lançamento do próximo disco de inéditas, que será o terceiro da carreira da banda.

A nova música trata abertamente sobre ansiedade e depressão nos tempos modernos, trazendo à tona as preocupações e necessidades da sociedade contemporânea, o mundo digital e suas interações absolutamente superficiais que, na visão da banda, muito contribuem para um estado de fracasso emocional.

Com produção de Cris Simões, “De Quanto em Quanto Tempo?” mostra um Devise viajando em outras fontes de suas inspirações sonoras, costumeiramente enraizadas no Britpop e em um rock alternativo mais rebuscado. Desta vez, o grupo resolveu apostar em uma vibe mais Primal Scream e Kasabian, dando um toque mais experimental em relação aos seus lançamentos anteriores.

“De Quanto em Quanto Tempo?” traz também como novidade a participação de Lucas Guerra, vocalista do Pense, uma das bandas mais atuantes no hardcore nacional hoje. O vídeo, dirigido por Rhodes Madureira, pode ser conferido abaixo.

A Devise é formada por Luís Couto, Bruno Vieira, Bruno Bontempo e Daniel Mascarenhas.

E fica a pergunta: de quanto em quanto tempo a sombra das horas te rouba a luz do pensamento?

** A capa do single:

251019_devisetempo_capa

>>

CENA – Misturando Minas e ruas europeias, Arthur Melo lança seu segundo álbum, o não planejado “Metanoia”

>>

1 - cenatopo19

Arthur contou com o auxílio do músico Pedro Theodoro, ex-Young Lights, na gravação e produção do disco. Foto: Matheus Cimini

Arthur contou com o auxílio do músico Pedro Theodoro, ex-Young Lights, na gravação e produção do disco. Foto: Matheus Cimini


 

PREMIEREPOPLOAD
Nome conhecido na CENA mineira, Arthur Melo lança via Popload, em primeira mão, seu novo disco “Metanoia”, projeto que mostra um lado mais visceral do cantor e compositor de Belo Horizonte, embora o álbum não tenha sido propriamente planejado.

Gravado em praças, parques e bares de Portugal e Espanha (!), “Metanoia” conta com participação direta do músico Pedro Theodoro, percussionista e ex-baterista da também banda mineira Young Lights. A parceria surgiu a partir de uma turnê que Arthur e Pedro fizeram pela Europa em julho deste ano.

De última hora, eles resolveram levar para o rolê equipamentos de gravação e microfones para musicarem composições de Melo. Daí, simples assim, surgiu o disco.

No total são 10 canções que captaram os momentos da dupla, com participações de amigos que os dois fizeram durante a viagem, para dar um ar ainda mais despretensioso e espontâneo para o disco.

Diz o Arthur que “Metanoia”, o nome, representa a viagem como um todo, uma mudança sobre a forma de ser ver diversas coisas, entre elas a ideia de se construir um disco sem um planejamento mais complexo e convencional.

Este é o segundo álbum de Arthur Melo, que lançou ano passado o bom “Nhanderuvuçu”. A produção, mixagem e masterização ficou por conta do Pedro. E a audição em primeira mão pela Popload. Enjoy!

METANOIA – TRACKLIST
1- Tejo
2- Aroma
3- Solitude
4- Entre os Dias
5- Socorro
6- Olha o Que a Cidade Fez Comigo
7- Cambio
8- Una Canción
9- Normal
10- Albano

>>

Para tudo! Já temos o nosso Slaves. E com nome bem melhor: Jota Quércia

>>

premierepopload_10060115_jotaquercia2

David Bowie quem? A sexta-feira, 8 de janeiro, será marcada pelo lançamento de um disco que já vai dar o que falar. Nem é o “Blackstar”, se é o que você está pensando. Vem de Minas Gerais, precisamente da capital Belo Horizonte, a primeira boa notícia do indie nacional em 2016. A começar pelo nome gozado: Jota Quércia.

A banda de dois é formada pelos músicos Paulo Souza (Malibu) e André Persechini (Gigopepo). Os dois cantam e tocam bateria e guitarra, bebem na fonte do punk rock, possuem letras algo engajadas, falam de política, mas não levam nada a sério.

O primeiro disco do duo é “Nossa Relação É Estritamente Profissional”, tem 9 faixas, entre elas a sugestiva “Luciano Huck Eu Te Amo”, e traz na capa uma ilustração de André tendo como protagonistas Neymar e Galvão Bueno. “O disco se chama ‘Nossa Relação é Estritamente Profissional’, aí me veio a ideia do Galvão segurando o Neymar como Maria segurou Jesus. Me pareceu legal na hora”, justifica Gigopepo.

O atípico nome Jota Quércia surgiu da “união do pop-funk-rock-suave do ex-governador de São Paulo Orestes Quércia e as políticas conservadoras e anti-populares da banda mineira Jota Quest”, costumam dizer. Um dos nomes iniciais para o projeto era Preto Sólido, uma alusão e contraponto ao… White Stripes.

Amigos de longa data, a dupla integrou outras bandas antes desta parceria. “Eu e o Malibu tocamos juntos desde 2002. A gente tinha uma banda chamada Lendas Urbanas quando éramos adolescentes e em 2007 fizemos o Cães do Cerrado com a mesma galera, todos amigos desde do começo dos anos 2000. Aí o Cães acabou por conta de trabalho, casamento, filhos e etc. Então eu e o Malibu resolvemos tocar só nós dois e fizemos o Jota Quércia ano passado. Fizemos só um show e meio desde que começamos”, conta Gigopepo, se preparando para o segundo show inteiro do duo, nesta sexta-feira, em BH, para lançar o disco.

Influenciado por bandas como Clash, Ramones e Bad Religion, e com um pé no ska, o Jota Quércia divulgou o disco na íntegra em seu canal no bandcamp. “Graças a essas bandas que temos essas letras e referências que contêm críticas (quase sempre direcionada à direita e aos movimentos conservadores), mas bem humoradas porque falar sério é chato pra caralho”.

O primeiro single, por exemplo, remete ao famoso político gaúcho José Maria Eymael, que se candidatou diversas vezes à presidência da República, mas ficou famoso pelo seu jingle “um democrata cristão”. A referência está até no título da faixa: “Eymael e seus Democratas Cristãos”.

Assim como a capa, o vídeo foi editado pelo duo. Um do it yourself genuíno e que promete fazer barulho.

O álbum foi produzido pelo músico Fernando Bones, baixista da banda Aldan. Entre as 9 canções, o Jota Quércia destaca três:

* “Eymael e seus Democratas Cristãos” – por sua contundente e bem humorada não-crítica ao candidato à presidência pelo PSDC (além da chance de usar seu cativante jingle num show de rock).

* “Roda Viva” – é a versão musicada do clássico debate entre Orestes Quércia e um jornalista cujo nome não nos demos o trabalho de descobrir no programa da TV Cultura em meados de novamente não nos importamos o suficiente para descobrir o ano.

* “Luciano Huck eu te Amo” – uma linda canção sobre caridade, amor e beijo gay. Estrelando o mais popular apresentador de TV que todos amamos odiar, porém secretamente queríamos que ele desse um jeito na nossa casa e nos nossos corações.

* Os detalhes do show de lançamento em BH, nesta sexta, abaixo.

JOTA QUÉRCIA
Dia 8 de janeiro, sexta, às 22h
Local: Autência (Rua Alagoas, 1172 – Savassi)
Outras atrações: Grupo Porco de Grindcore Interpretativo e Glórios Tarcisios
Ingressos: R$ 15 antecipado e R$ 20 na portaria

>>