Em missy elliott:

Saiu o disco club da Dua Lipa, na era off-club. E começa com o Joe Goddard (Hot Chip)

>>

DUA_TBM_Comp_V2-696x442

* Deve ser o time mais estrelado para contribuir para um disco de uma artista mais que estrelada. Saiu hoje, enfim, a versão ultradançante do bombado mais recente disco da britânica Dua Lipa, “Future Nostalgia”, lançado no começo da pandemia, em março.

O delicioso “Club Future Nostalgia” é uma combinação da popice esperta de Dua Lipa associada à eletronices de ponta comandada por Blessed Madonna (na foto acima com a Dua Lipa), que chamou gente da linha Joe Goddard (Hot Chip), do underground criativo da canadense Jayda G, Dimitri from Paris, Jacques Lu Cont e nomes pomposos como Madonna, Mark Ronson, Missy Elliiott e até as meninas da banda coreana BLACKPINK, entre outres.

É botar para rolar e a balada começar. Até porque quem começa é o Joe Goddard. Daí…

“Hey, this is Dua Lipa and you’re listening to Club Future Nostalgia with the Blessed Madonna.”

>>

Supermulheres, ativar: Saiu agora o novo single-vídeo “épico” da Dua Lipa. E já causou polêmica. Inclusive por causa do novo cabelo

>>

duaaaaa

* É muita informação para um vídeo só. A musa pop britânica Dua Lipa lançou hoje o vídeo para “Levitating”, mas a “Levitating” da versão remix, não a “Levitating” da versão do delicioso e ultrapop disco dela, “Future Nostalgia”, o segundo álbum da Lipa, que saiu no finalzinho de março, no calor do início da pandemia (na Europa e aqui).

Esse remix é um dos que formarão o novo álbum dela, “Club Future Nostalgia. The Remix Album”, que será lançado logo mais, dia 28 de agosto, e trará remixes de várias músicas do disco, cheio de participações especiais poderosas. Esses remixes já vêm acompanhando os singles lançados e alguns estão até incluídos em chinfras bônus no lançamento do disco “normal” no Japão e Coreia, por exemplo. E, ainda por exemplo, o da faixa Physical vem com Mark Ronson e Gwen Stefani tornando a faixa, tanto quanto o disco de remix todo, “mistura de house dos anos 1990 e pop de 2020”.

Daí que hoje, então, chegamos com este single remix de “Levitating”, música que tem as presenças das divas Madonna e Missy Elliott. A primeira não está no vídeo bombástico da música. A segunda, Elliott, sim. O remix em si é da maravilhosa The Blessed Madonna, a DJ ex-Black Madonna, que resolveu mudar de nome por conta de… bem, você sabe.

O vídeo chegou como uma bomba nuclear nas redes sociais, Twitter em particular, óbvio. Muitos fãs odiaram, muitos fãs amaram. Tem de “Estragou a música e nunca mais quero ouvir Dua Lipa” (estou exagerando) a “Melhor faixa dance que eu ouvi em muitos anos” (nada exagerado aqui). Tem reclamação e longas discussões por que a Madonna não está no vídeo. E muitas e muitas sobre o novo visual da Dua Lipa, de cabelo vermelho.

Escolha suas brigas, mas ouça o remix, veja o vídeo.

>>

Brrrrrrrrrrrrr!! A bombástica Lizzo segue provocando fenômenos. O da música número 1 hoje nos EUA e o do vídeo com a Missy Elliott

>>

lizzo

* “Tempo”, faixa do disco explosivo “Cuz I Love You”, lançado em abril, o terceiro álbum da estelar cantora americana Lizzo mas o seu primeiro grande sucesso fora dos meandros do hip hop, ganhou vídeo hoje, recebendo status de novo single lançado.

Tanto música quanto vídeo têm a presença ilustríssima de Missy Elliott, histórica rapper e produtora do hip hop americano, de enormes serviços prestados e uma das primeiras a realmente fincar a bandeira feminina no universo do rap.

Uma das grandes revelações de 2019, mesmo estando em seu terceiro álbum ( que entrou logo em sexto nas paradas da “Billboard”, quando saiu), a “texana” Lizzo (está baseada em Houston) fez um dos shows mais comentados do comentadíssimo Glastonbury 2019, tanto pela desinibição com seu corpão “fora dos padrões” quanto por sua indefectível tocada de flauta, sim flauta, como na incrível “Juice”, talvez seu maior sucesso. Embora…

Bem nesta sexta-feira de lançamento do vídeo de “Tempo”, chega a notícia que uma outra música de Lizzo, que nem é “Juice”, foi parar no primeiro lugar de mais tocada das rádios americanas. A inesperada “Truth Hurts”, lançada em 2017 e portanto nem está no disco “Cuz I Love You”, mas pegou carona no calor que o álbum provocou no pop americano.

“Truth Hurts”, que conta os probleminhas de Lizzo com um ex do sexo masculino, é uma daquelas músicas de sucessos acidentais, as chamadas “sleeper hit”, que viraliza do nada (ou do quase nada) e pega a planejada indústria da música de surpresa.

Veja abaixo, então, o chacoalhante vídeo oficial de “Tempo”, com participação da deusa Missy Elliott, e a performance bomber de Lizzo em “Truth Hurts”, vestida de noiva, no recente Glastonbury Festival inglês.

Que mulher!

>>