Em Morrissey:

Nostalgia ou cascata? The Smiths anuncia uma quase reunião. Sem o Morrissey e o Marr…

>>

Foi (quase) anunciada no dia de hoje uma das reuniões mais esperadas da história da música. O baterista Mike Joyce, o baixista Andy Rourke e o guitarrista Craig Gannon anunciaram que farão alguns shows com clássicos dos Smiths. Faltaram “só” o Morrissey e o Johnny Marr no auê. Mas vai que…

O trio vai se juntar para três shows no Reino Unido no meses de junho e julho nas cidades de Manchester, Londres e Edimburgo. Eles serão acompanhados da Manchester Camerata Orchestra e irão tocar, além de canções famosas do grupo, outras faixas mais obscuras nunca tocadas ao vivo antes.

No fim do ano, serão anunciada uma nova turnê pelo Reino Unido e, quem sabe, fora de lá. Os Smiths chacoalharam o mundo da música nos anos 80 e a banda chegou ao fim em 1987, após lançarem quatro discos de estúdio.

rourke_joyce

Na última década, especialmente, foram diversos os boatos de que o grupo estaria preparando um retorno com sua formação original, mas as tensões entre Morrissey e Johnny Marr, as duas principais figuras da banda, sempre foram mais forte.

Morrissey, inclusive, chegou a contar que eles receberam uma proposta indecente para tocar no Coachella há alguns anos. E que, também, em outra oportunidade, reencontrou Marr em um bar e eles quase selaram o acordo por uma volta.

Por enquanto, a gente fica com o “Classically Smiths”.

Turnê
28/06 – Manchester, England – O2 Apollo
29/06 – London, England – O2 Academy, Brixton
02/07 – Edinburgh, Scotland – Usher Hall

>>

O mundo contra Morrissey. As recentes polêmicas envolvendo o (ex?) maior britânico vivo

>>

Um dos seres humanos mais idolatrados de todos os tempos, Steven Patrick Morrissey viu seu conceito diminuir nas últimas semanas devido às diversas novas polêmicas em que se envolveu, fato comum em sua carreira de quase quatro décadas, mas agora com desdobramentos algo mais profundos.

O grande reclame da sociedade em cima do cantor e compositor britânico de 58 anos se deu a partir de uma entrevista publicada no jornal alemão Der Spiegel, para o qual Moz, entre outras declarações, teria dito que o ator Kevin Spacey estava sendo “atacado desnecessariamente” pelo grande público em decorrência das denúncias de assédio sexual que ele teria cometido ao longo dos anos.

Na mesma matéria, Morrissey teria dito que, pela segurança da humanidade, “mataria Donald Trump”, presidente dos Estados Unidos. Algumas semanas depois, enfim, o inglês utilizou suas redes oficiais para se pronunciar.

Moz negou que tenha falado neste tom sobre os dois assuntos em questão e começa, na nota, dizendo que “cometeu um erro” ao permitir que a publicação alemã entrasse em sua vida. E finaliza informando que nunca mais dará entrevista para o que ele chama de “imprensa escrita”. O cantor ainda informou que solicitou o áudio não editado ao jornal, mas teve o pedido recusado.

“Será que eu mataria Donald Trump? Não, nunca.
Será que eu apoiaria as inclinações privadas de Kevin Spacey? Não, nunca.
Será que eu apoiaria o abuso de crianças? Não, nunca.
Será que eu apoiaria o assédio sexual? Não, nunca.
Será que eu apoiaria a violação? Não, nunca.
Será que o Der Spiegel reproduziu corretamente os meus pontos de vista? Não, nunca.
Será que eu voltarei a falar para a imprensa escrita? Não, nunca”.

Em meio às polêmicas com a entrevista ao Der Spiegel, Morrissey também tem enfrentado a ira de parte dos seus fãs americanos. É que recentemente, o cantor cancelou/adiou ao menos três apresentações nos Estados Unidos, algo que se tornou frequente nesta década.

No início de novembro, por exemplo, o cantor inglês cancelou uma apresentação em Paso Robles, na Califórnia, alegando que o sistema de aquecimento do anfiteatro local (já com grande público) não estava funcionando e que, com a temperatura de 10 graus, seria impossível realizar a apresentação.

Na semana passada, alegando problemas de saúde de alguém da sua equipe, sem detalhar quem, Moz cancelou apresentações na Filadélfia e em Boston. Dias depois, fez o mesmo e cancelou um dia antes um show de Natal para a rádio KROQ, em Los Angeles, cidade onde vive. No mesmo evento, o Killers se arriscou e fez uma cover de “This Charming Man” em homenagem ao cantor. Ou à ausência dele.

Um levantamento feito pelo site Consequence of Sound aponta que, nos últimos cinco anos, Morrissey cancelou ou adiou ao menos 127 shows. Vale lembrar que neste meio tempo o Brasil foi afetado, em 2013. E vale lembrar, ainda, que Morrissey passou por diversos problemas de saúde, incluindo uma úlcera considerada grave e um câncer no esôfago, em 2014.

Para 2018, Morrissey tem passagem aguardada pelo Brasil e América do Sul no mês de abril. Ele retoma seus shows em fevereiro, quando fará uma turnê em arenas no Reino Unido, começando por Aberdeen. Isso se…

De notícia boa mesmo, apenas o vídeo de “Jacky’s Only Happy When She’s Up on the Stage”, single de seu mais recente álbum, “Low In High School”, lançado mês passado, em que Moz faz o que sabe de melhor: encantar com sua arte.

>>

Silêncio: Morrissey na área! Maior britânico vivo lança mais um disco solo

>>

171117_morrissey2

O 17 de novembro já nasce especialíssimo pelo lançamento de “Low in High School”, aguardado 11º disco de estúdio do gênio Morrissey, o maior e mais complexo britânico vivo, seu primeiro álbum em três anos.

O disco é o projeto que marca a estreia do novo selo do inglês, Etienne, e terá distribuição da BMG. Quem assina a obra é Joe Chiccarelli, e as gravações foram feitas nos estúdios La Fabrique, na França, e Forum, de Ennio Morricone, em Roma.

No total, são 12 faixas inéditas, incluindo os singles “Spent The Day In Bed” e “Jacky’s Only Happy When She’s Up On Stage”. Como já foi bastante falando por aqui, Morrissey virá ao Brasil no primeiro semestre de 2018 para mostrar a turnê deste novo álbum, que atualmente percorre a América do Norte.

>>

O céu e o inferno de Morrissey: a música nova linda e o show cancelado por pura frescura

>>

161115_morrissey

Famoso por ser um dos maiores gênios da história da música, e ao mesmo tempo um dos seres mais difíceis que já pisaram na Terra, Morrissey voltou a ser notícia nesta semana, no calor do lançamento de seu novo disco, que chega ao mercado no dia 17 de novembro.

Estava tudo indo bem no início da turnê pelos Estados Unidos até que, no último domingo, Moz aprontou das suas e se recusou a entrar no palco em Paso Robles, na Califórnia. O motivo? O sistema de aquecimento do anfiteatro não estava funcionando muito bem. Com a temperatura a 10 graus, o inglês de Manchester simplesmente não fez o show, mesmo com a arena já repleta de fãs, que ficaram full pistola, tipo isso:

And I DID NOT like it. #thanksmorrissey #wastedmymoney #weakvegan

Uma publicação compartilhada por Joseph Forden (@jub_supreme) em

Se não apareceu no palco para fazer o show, Morrissey ao menos cumpriu promessa feita ontem em seu Twitter e liberou hoje mais uma canção de “Low in High School”, seu 11º disco da carreira solo. A faixa é a bem boa “Jacky’s Only Happy When She’s Up on the Stage”, que será lançada também em vinil e acompanhada da b-side “You’ll Be Gone”, cover de Elvis Presley.

Na canção, é possível ouvir Morrissey repetindo as palavras “Brexit, exit, Brexit, exit”. O novo álbum é o projeto debutante do novo selo do inglês, Etienne, e terá distribuição da BMG. Quem assina a obra é Joe Chiccarelli, e as gravações foram feitas nos estúdios La Fabrique, na França, e Forum, de Ennio Morricone, em Roma.

>>

Em Portland, Morrissey mostra músicas novas e uma dos Smiths que nunca foi tocada ao vivo

>>

Fotos: KATU

Fotos: KATU

Morrissey iniciou em Portland, nessa semana, um rolê pela América do Norte para divulgar “Low in High School”, seu 11º disco de estúdio, o primeiro dele em três anos, que será lançado no dia 17 de novembro.

O álbum é o projeto debutante do novo selo do inglês, Etienne, e terá distribuição da BMG. Quem assina a obra é Joe Chiccarelli, e as gravações foram feitas nos estúdios La Fabrique, na França, e Forum, de Ennio Morricone, em Roma.

No show em Portland, apesar de músicas novas como “Spent the Day in Bed” e “When You Open Your Legs”, o destaque ficou por conta de “I Started Something I Couldn’t Finish”, faixa que está no disco “Strangeways, Here We Come”, de 1987, dos Smiths, mas que nunca foi tocada ao vivo nem pela banda nem pelos seus membros em carreira solo. Pensa.

Morrissey vem ao Brasil no primeiro semestre do ano que vem, tipo abril, para mostrar suas músicas novas e, quem sabe, pérolas como essa. Abaixo, alguns registros do show em Portland.

>>