Em mount kimbie:

Pitchfork Festival Paris começa hoje. Popload transmite ao vivo dois shows

>>

* Popload na França. Oui!

POPLOADEMPARIS1

Vamos lá. Mais sobre o cada vez mais importante Pitchfork Festival Paris, repeteco de em um texto que escrevi para uma série na “Folha de S.Paulo”, e sobre os shows que a Popload transmite logo mais.

Captura de Tela 2016-10-27 às 5.17.47 PM

O Pitchfork Festival Paris, evento de música cada vez maior que começa hoje sua edição 2016 na capital francesa, definitivamente não é um festival qualquer. E a zoeira em torno do que agrega para a música independente, seja ela de conteúdo roqueiro, eletrônico ou hip hop, vem sempre junto de sua importância.

Ao mesmo tempo que seus shows podem ser acompanhados depois de saborear ostras com um vinho branco Pinot da região da Audácia, vendidos em sua área de alimentação, o festival importa para a França, mais uma vez, a marca indie mais valiosa do planeta, a do site-bíblia dos sons alternativos de artistas emergente Pitchfork, que já realiza em Chicago há 10 anos o Pitchfork Festival.

O de Paris, que teve sua primeira edição em 2011, pode ser considerado o último festival europeu importante do ano, junto com o islandês Airwaves (novembro), por acontecer no outono, fechado, depois que a Europa contabilizou um sem-número de festivais grandes de verão, ao ar livre e de todos os tipos e tamanhos.

Isso traz à tona uma outra fama para o Pitchfork Festival de Paris: seus frequentadores hipsters. Casacos e calças de brechó para os homens e chapéus estilosos para as mulheres são tipo um uniforme para quem vai ao evento, que é realizado, quando a temperatura. As bermudas indies e as camisetas de banda estão, por ora, vetadas, esperando por tempos melhores, literalmente.

Realizado no imponente Grande Halle de la Villete, uma estrutura de vidro e metal do século 19 que já foi um abatedouro de bovinos e hoje é o maior centro cultural de Paris, parte de um complexo que recebe shows especiais, feiras de arte e cinema open-air, o Pitchfork Festival 2016 vai elencar, em três dias de evento e para uma média de 5 mil pessoas/dia, nomes como MIA, Nick Murphy (ex-Chet Faker), o lindo Porches, o indie-punk prediletos da casa Parquet Courts, os eletrônicos finos Moderat, Todd Terje, Mount Kimbie e Floating Points, mais Explosions in the Sky, Warpaint, DJ Shadow, Bat for Lashes e outra galera da vanguarda do rock ou eletrônica.

** AO VIVO NA POPLOAD – Da programação desta quinta-feira, início do Pitchfork Festival Paris, transmitiremos dois shows ao vivo. Um ja já, às 14h45 (horário de Brasília), do quarteto Parquet Courts, do qual vi performance sensacional ontem em Strasbourg. Mais tarde, 18h20, é a vez de mostrarmos a performance ao vivo da cultuada dupla inglesa Mount Kimbie, dos climáticos Kai Campos e Dom Maker.

Como assistir? Aqui embaixo, no horário correto.

****** PARQUET COURTS, 14h45 (horário de Brasília)

****** MOUNT KIMBIE, 18h20 (horário de Brasília)

///


**** A Popload viaja a Europa a convite da companhia aérea Air France.

>>

Popload no Pitchfork Festival Paris. Harmonizando shows com vinho branco e ostras

>>

* Popload em Paris, como diria a vinheta abaixo.

POPLOADEMPARIS1

* Já dei este título há uns anos, vou logo avisando. E pelo mesmo motivo: o Pitchfork Festival Paris, um dos dois festivais indies mais cool do planeta. A minha modéstia impede de eu falar qual é o outro.

Indie-indie, indie-eletrônico, eletrônico-hip hop. O Pitchfork Festival francês, que começa hoje pequeno e em clubes para bombar a partir de quinta-feira, é o lado mais vanguarda (e dance) do seu original, o americano, de Chicago. Este aqui é realizado no Grande Halle de la Villette, um centro cultural gigantesco ao norte da cidade, no bairro 19, tipo um armazenzão que já foi um matadouro. Hoje recebe, o Pitchfork Festival sabor França em dois palcos, alguns shows especiais durante o ano, feiras de arte e cinema open-air.

Pitchfork-Paris-Venue-Grande-Halle-de-la-Villette-The-Owl-Mag

O festival deste ano vai apresentar, entre outras coisas, o novo show da guerrilheira MIA, tem o esperado concerto novo do Nick Murphy (que até pouco tempo era conhecido como o cultuado Chet Faker), o novo-morrissey Porches (foto abaixo), o maravilhoso e punk Parquet Courts, os finos Moderat, Todd Terje, Mount Kimbie e Explosions in the Sky, Warpaint, DJ Shadow, Bat for Lashes, Floating Points, Sunns, Whitney e outra galera.

Como é minha primeira vez “in loco” no festival, vou conferir se vendem mesmo, na área de alimentação, de quiche lorraine a ostras frescas. Sobre ter bares vendendo exclusivamente vinhos, vermelho, branco ou rosé, isso é tradicional em qualquer festival francês decente.

Dada a característica do festival, a cidade que o abriga, o histórico do Pitchfork americano importado e o clima desta época do ano (outono, entre 10 e 12 graus no fim de tarde/noite), espera-se uma quantidade grande de hipsters de chapéu e roupas de brechó. Nada de indie de bermuda e camiseta de banda, parece. A ver.

Porches- Hour - Photo Credit Jessica Lehrman- 72dpi 2

** A novidade é que, além da cobertura Popload do Pitchfork Festival Paris, vamos transmitir aqui no site uns shows AO VIVO. Lide com isso.

*** Os planos amanhã, quarta, é dar um pulo em Strasbourg, na Ausácia, para ver o show do Parquet Courts, no La Laiterie. Falaremos sobre, depois.

**** A Popload viaja a Europa a convite da companhia aérea Air France.

>>