Em multishow:

Bonnaroo no Brasil: festival americano será transmitido pela 1ª vez no país

100614_bonnaroo

Evento de música e cultura pop que para o Tennessee todos os anos, o extravagante Bonnaroo começa a atrair atenções mundo afora, tanto que um tempo atrás rolaram alguns boatos de que o festival poderia ganhar até uma edição brasileira. Enquanto isso não se torna verdade, o canal de TV fechada Multishow, cada vez mais musical, cada vez mais “live”, vai mostrar alguns shows diretor de Manchester (EUA), mesmo com a Copa do Mundo rolando.

Em parceria com o canal BIS, shows de Disclosure a Lionel Ritchie serão mostrados ao vivo no Brasil. Apresentações de Damon Albarn, Jack White, Chromeo e Elton John já estão confirmados na grade de programação. Outros como Kanye West, Warpaint e Vampire Weekend ainda não liberaram. Mas vai que…

100614_disclosuremultishow

Por enquanto, o Bonnaroo no sofá está se configurando assim, já com horários de Brasília:

* AO VIVO NO MULTISHOW

SEXTA (13/06)
00:00 – Kanye West*

SÁBADO (14/06)
22:00 – Lionel Ritchie

DOMINGO (15/06)
23:30 – Elton John

* AO VIVO NO BIS

SEXTA (13/06)
18:45 – Ben Howard
19:30 – Janelle Monáe
20:30 – Danny Brown
21:30 – Vampire Weekend*
22:45 – Pusha T

SÁBADO (14/06)
18:45 – Dr Dog
19:45 – Damon Albarn
21:00 – Phosphorescent
23:30 – Chromeo
00:30 – Jack White

DOMINGO (15/06)
18:45 – Disclosure
20:00 – Warpaint*
21:00 – The Avett Brothers
22:30 – City And Colour

* Aguardando liberação.

>>

Thiaguinho enquanto Jools Holland brasileiro apresenta Paula Fernandes cantando Metallica

Sim, você está na Popload.

0705_multishow2

Quem acompanha este espaço sabe do nosso apreço pelo apresentador Jools Holland, uma das principais estrelas da TV britânica especialmente por seu “Later…”, programa que vai ao ar na emissora de forma ininterrupta desde 1992, e que tem como mote explorar e divulgar a música contemporânea com, em média, quatro a cinco artistas por episódio, da Erykah Badu ao David Bowie. Eclético, o “Later…” tem como principal característica a mistura de ritmos, mas é bacana pelo fato das bandas ficarem reunidas em um mesmo estúdio, se revezando nas apresentações, sempre ao vivo.

Eis que, na TV brasileira, surge algo parecido. Em um caminho meio torto, é verdade, mas já é um passo.

O movimentado canal fechado Multishow, cada vez mais dando espaço à música e transmissões de shows e eventos em geral, estreou semana passada o “Música Boa Ao Vivo”, que tem certa referência ao programa do Jools Holland. O do Multishow rola ao vivo, às terças, de 20h30 às 22h, com três artistas segmentados por gênero. Na primeira edição foi MPB, com Gilberto Gil, Ana Carolina e Maria Gadu. A segunda edição, que foi ao ar ontem, foi dedicado aos sertanejos, e reuniu as duplas Chitãozinho & Xororó, Victor & Léo e a cantora Paula Fernandes. E tudo apresentado pelo pagodeiro Thiaguinho.

Noves fora os gêneros musicais “homenageados” até agora, e que estão longe de ser nossa praia, a concepção do programa parece boa. Em uma espécie de ensaio aberto, tem pouco papo e muita música ao vivo. Cada artista canta uma música de forma alternada. Às vezes, os três artistas cantam juntos uma mesma música, cada um no seu palco, com suas bandas tocando em sincronia. São feitos também duetos. E estes artistas não cantam necessariamente apenas suas músicas autorais.

0705_multishow1

No programa de ontem, por exemplo, as três representatividades sertanejas abriram o programa cantando “Asa Branca”, clássico da música popular e maior referência de Luiz Gonzaga. Ao longo do show, que pode ser filmado pelo público com seus smartphones, os sertanejos tocaram canções de pop/rock, tipo Raul Seixas (Chitãozinho & Xororó), RPM (Victor & Léo) e METALLICA (Paula Fernandes).

Paula chegou a lançar um disco apenas com sucessos internacionais quando ainda não era famosa e “Nothing Else Matters” fez parte do projeto. Com frequência, ela canta a canção nos shows. Dizem…

O fato é que, se o programa vai mesmo explorar os nossos artistas em suas diversas vertentes musicais, não me sai da cabeça a ideia de um dia rolar um programa especial “Indie”. Já pensou o Silva, o Boogarins e o ALDO fazendo um som com o Thiaguinho? O pagodeiro estaria ensaiando ser uma espécie de “nosso” Jools Holland?

Só o tempo vai dizer.

Abaixo tem a Paula Fernandes fazendo Metallica e um vídeo com as atrações de ontem cantando juntas, para dar uma ideia mais panorâmica do estúdio e de como funciona tudo.

Desculpe qualquer coisa.

Muse veta transmissão de show no Lolla para esconder playback

>>

050414_muse

A banda britânica Muse definitivamente não está passando por bons momentos nesta nova visita ao Brasil. O grupo, que precisou cancelar de última hora o sideshow que faria no Grand Metrópole com 2.500 ingressos esgotados na última quinta-feira, informou ao canal de TV Multishow que não iria liberar a transmissão ao vivo de seu show na noite de hoje no Lollapalooza. Isso minutos antes de subir ao palco.

A Popload apurou que o vocalista Matt Bellamy não se recuperou totalmente do problema na garganta que fez a banda cancelar o show da quinta-feira e que a apresentação no festival só vai rolar graças ao reforço do famoso playback.

O papo sobre o Muse “mais ou menos ao vivo” que a gente ouviu e apurou por aqui ganha peso com o veto por parte da banda britânica, uma das headliners da edição deste ano.

Vamos ver o desenrolar disso tudo.

>>

Lolla no sofá: os horários da transmissão ao vivo pela TV e internet

>>

020414_lollatv

O Autódromo de Interlagos receberá milhares de pessoas no próximo fim de semana para a terceira edição do Lollapalooza Brasil, quando a cidade de São Paulo será palco de shows do Arcade Fire, Lorde, Muse, Disclosure, Nine Inch Nails, Johnny Marr e uns outros mais de quarenta bons nomes da velha e nova música.

Para quem pretende ficar em casa durante o festival, o canal pago Multishow fará uma cobertura turbinada na TV e em seus canais oficiais na internet. Além da programação no próprio Multishow, para atender e cobrir os shows simultâneos serão feitas transmissões ao vivo também no canal BIS, um dos braços televisivos da emissora.

Os palcos “alternativos” ganham destaque no site do Multishow e também do BIS.

Abaixo a programação detalhada com os horários e canais que exibirão os shows.

SÁBADO – 05 DE ABRIL
14:00 – Capital Cities (MSW / WEB) e Lucas Santtana (BIS / WEB)
14:15 – Digitaria (WEB)
15:05 – Cage The Elephant (MSW / WEB)
15:30 – Café Tacvba (BIS / WEB) e Perry/Etty vs. Joaquim Garraud (WEB)
16:10 – Julian Casablancas (MSW / WEB)
16:45 – Flume (WEB)
17:00 – Portugal. The Man (BIS / WEB)
17:30 – Imagine Dragons (MSW / WEB)
18:00 – Flux Pavilion (BIS / WEB)
18:30 – Lorde (MSW / WEB)
18:35 – Phoenix (BIS / WEB)
19:45 – Wolfgang Gartner (WEB)
19:55 – Nine Inch Nails (MSW / WEB)
20:00 – Nação Zumbi (BIS / WEB)
21:30 – Muse (MSW / WEB), Disclosure (BIS / WEB) e Kid Cudi (WEB)

DOMINGO – 06 DE ABRIL
14:00 – Início da transmissão e melhores momentos de sábado (MSW / BIS / WEB)
14:20 – Johnny Marr (MSW / WEB)
14:45 – Vespas Mandarinas (WEB)
15:00 – Cone Crew Diretoria (BIS / WEB)
15:25 – Ellie Goulding (MSW / WEB)
16:00 – Savages (BIS / WEB)
16:15 – Baauer (WEB)
16:30 – Vampire Weekend (MSW / WEB)
17:30 – Pixies (MSW / WEB), AFI (BIS / WEB) e Krewella (WEB)
18:55 – Soundgarden (MSW / WEB)
19:00 – Jake Bugg (BIS /WEB) e The Bloody Bedroots (WEB)
20:30 – Arcade Fire (MSW / WEB) e New Order (BIS / WEB)
20:45 – Axwell (WEB)

MULTISHOW
NET: canais 42 e 542 // SKY: canais 42 e 242
Claro TV: canais 42 e 542 // Viacabo: canais 42 e 442
GVT: canal 42 // Vivo TV: canais 42 e 342
Oi TV: canais 42 e 542 // CTBC: canal 342

BIS
NET: canais 120 e 620 // SKY: canais 88 e 288
Claro TV: canais 44 e 544 // Viacabo: canais 81 e 481
GVT: canal 35 // Vivo TV: canais 43 e 343
Oi TV: canais 98 e 598 // CTBC: canal 334

WEB
Palcos Principais 1 e 2 e cobertura em tempo real
Palco Interlagos e melhores momentos do festival
Palco do Perry

>>

Onde nascem os monstros da música: o prêmio Multishow, o PSY, o Latino e o que é música boa

>>

* Ontem, durante a apresentação do prêmio Multishow de música, eu passei boa parte vendo o SuperJúri, um “spin off” da premiação com seus “superjurados” reunidos para discutir quem merecia os prêmios tais e o estado de coisas da música nacional atual, os rumos e tal. A mesa redonda musical levantou uns assuntos interessantes. Entre eles: “O que é músic boa?”, “O que é ser revelante na música hoje?”, “O que é fazer sucesso na música hoje?”, “Estourar na mídia é o mesmo que ser artista revelação?” etc.
E, daí, os debatedores passaram a bater em uma tecla que sempre trago à tona na Popload. Por que hoje, em 2012, ainda temos essa insistência em exigir que um artista, dono de uma música bem boa, dure anos e anos?
E eu lá quero saber se a Lana Del Rey, por exemplo, vai estar fazendo biquinho e sussurrando rock aos 32? O que me interessa é o que a música dela está me causando hoje, NOW.
Ademais, revelação, pelo que eu saiba, é o que está acontecendo aqui e agora.
Mesmo que seja isto:

Em momentos como este, a gente se arrepende um pouco de reclamar do Michel Teló. Sempre pode piorar. O ‘The New Teló’, o figura coreano PSY, assunto de onze a cada dez tweets, é representante do K-Pop, tem cara de tigrão e dança como o Freddie Mercury prateado do “Pânico na TV”. Aliás, a música parece trilha oficial do “Pânico”, no estilo coloridaço e farofa do LMFAO, ideal para ser tocada na hora em que o programa mostra bundaças em biquininhos.
A dança do Psy, que mais parece uma Eguinha Pocotó desengonçada, AINDA não virou comemoração de gol do Neymar, mas não dou uma semana para que isso aconteça. Demorô.

“Gangnam Style”, o megahit mundial que o DJ da Radio One (BBC) pediu licença para tocar, e cujo título fala da “Beverly Hills de Seul”, debocha (acho) do estilo hypado e cafona dos que vivem lá no bairro. Segundo PSY, as pessoas dessa região são “chiques de manhã e doidonas à noite”. E na música ele diz ser “O cara certo para mulheres como essas, que são refinadas mas que sabem ser selvagens de vez em quando”. Hummm.

“Oppan Gangnam Style/ Oppa Is Just My Style”, o refrão, repetido trocentas vezes, seria o grande PSY se chamando de “bróder” das meninas (“Oppa” significa “irmão mais velho” em coreano, me informou uma “local”).

E, como todo little monster, ele nasce, alimenta-se, pocria-se e morre na internet, mesmo que esse seja, na verdade, o SEXTO disco do PSY. O ‘rapper’ revelação (SIM, mesa redonda) lançou a bomba em julho deste ano, e em menos de dois meses já tem mais de –atenção– DUZENTOS MILHÕES de views no YouTube. Depois de inúmeras paródias, versões e covers (até você, Nelly Furtado?), flashmobs, programas de auditório americanos e até o Saturday Night Live (!!), uma das grandes façanhas do PSY tem sido mesmo a ira do fãs brasileiros do rapaz.

Em uma campanha inédita, o blog Não Salvo resolveu provar o poder da internet (entre eles a de criar monstros e destruí-los), pedindo aos seus seguidores/leitores que fizessem da versão nacional da música o vídeo mais odiado do mundo. Tudo isso porque, TCHANAN, o nosso Latino, claro, resolveu se apropriar da música correndo, antes que alguém o fizesse antes dele. Tão correndo que não teve tempo nem de pensar em uma letra “decente”, haha.
Não que eu esperasse uma letra decente do Latino, veja bem, estou dando voz aos ofendidos, apenas. O Latino conseguiu, por exemplo, trocar o Oppa Gangnam Style por… “É despediiida de solteirô” e Quero fazer sexôô” e sei lá mais o quê.
A ideia dessa campanha hater, segundo o Não Salvo, é “bater o recorde brasileiro de DISLIKES em um vídeo do Youtube Brasil” (o recorde negativo mundial, parece, é de “Baby”, do Justin Bieber. O nacional, o do Michel Telô, ironicamnte o também campeão de views, vai entender). Até o momento, o vídeo do Latino Gangnam tem 50 mil dislikes.

Escolha o teu lado, galere. O nosso é o da internet e dos monstrinhos que saem dela. =)

** Só para constar, o vídeo de “Gangnam Style” concorre ao “best video” no MTV Europe Music Awards. PSY assinou com a Universal Republic Records (mesma da Amy Winehouse, por ex), da Universal, e muitas outras coisas.

>>