Em My Bloody Valentine:

Popnotas – Dinosaur Jr. na neve, a newsletter da Patti Smith e todos os discos do My Bloody Valentine à disposição

>>

– As especulações estavam corretas. O mistério que a seminal banda inglesa My Blood Valentine fez nas redes sociais era relativo à chegada deles na gravadora Domino, que resultou no lançamento dos álbuns da banda, nas versões digitais e físicas (a partir de maio). Todos os três discos do grupo do genioso Kevin Shields, “Isn’t Anything” (1988), “Loveless” (1991) e “m b v” (2013), agora estão disponíveis nos streamings do mundo – Brasil, incluso. Tem faixa extra e tudo. Se você procura pela playlist “The Complete My Bloody Valentine”, então, leva a pacoteira de distorsão toda de uma vez. Spotify e congêneres ganharam uma barulheira dos diabos.

mybloody

– A onda da newsletter chega para todo mundo. A da vez é da cantora e poetisa punk Patti Smith, amiga da Popload, entrar nesse jogo. Ela lançou sua newsletter pela Substack, incrível coletivo de escritores independentes que é uma plataforma online. Rola assinar de graça e em uma versão paga, que te dá um bônus – textos da Patti escritos no início da pandemia. “A cada semana vou postar minhas divagações semanais, fragmentos de poesia, música e reflexões sobre qualquer assunto que encontre seu caminho do pensamento à pena, notícias da mente, pedaços deste mundo, de graça para todos.”

– Temos um segundo single do próximo álbum do Dinosaur Jr., “Sweep It into Space”. Desta vez o som liberado, “Garden”, é uma das composições do herói indie e baixista Lou Barlow que estarão no disco. O vídeo chega a ser hilário, com a banda mascarada dublando a música, porém com um bateria invisível – um momento digno de playback na televisão brasileira nos anos 80/90. O disco, que tem co-produção do músico e engenheiro de som Kurt Vile, chega em abril agora.

>>

Popnotas 2 – As novidades do Nick Cave. O mistério do My Bloody Valentine. Waxahatchee fazendo Bruce Springsteen. E um Fontaines DC à francesa

>>

Nick Cave e sua mania de deixar boas notícias quase que secretas em suas respostas aos fãs no Red Hand Files. Desta vez, em uma resposta sobre planos quanto ao novo disco, “Carnage”, Nick aproveitou para explicar que a união dele e Warren Elis foi quase que um reencontro só por curtição. Por acaso, nasceu um disco. E ali, como quem não quer nada, contou que o diretor Andrew Dominik, o mesmo de “One More Time with Feeling”, foi até Londres para registrar Nick e Warren tocando tanto “Carnage” quanto “Ghosteen” ao vivo. E só. Nem mais uma dica do que virá.

– Por falar em falta de informação, não temos ideia ainda do que significa o mistério que o My Blood Valentine está fazendo em suas redes sociais. Eles estão prometendo algo para o dia 31 de março, ou seja, quarta-feira. A possibilidade mais quente levantada no Reddit é que role um lançamento mundial do catálogo da banda em serviços de streaming. Mas vai saber.

– Katie Crutchfield com seu Waxahatchee acaba de relançar “Saint Cloud”, álbum que acabou de completar um ano, com três covers que dialogam bem com o disco: “Fruits of My Labor”, da Lucinda Williams, “Light of a Clear Blue Morning”, da Dolly Parton, e “Streets of Philadelphia”, do Bruce Springsteen, que você pode ouvir, abaixo. Um presente fino, vai. Pensa se todo álbum bom celebrasse aniversário desse jeito.

– Epa, esta é para ficarmos ligadíssimos. Daqui dois dias entra no ar o novo programa musical com bate-papo da cantora inglesa Jehnny Beth, o “Echoes”. Na verdade quem é inglesa é a banda dela, a incrível Savages, porque Beth é tão francesa quanto seu programa, que passa no canal parisiense ARTE, onde a cantora é também apresentadora. E, neste novo episódio do “Echoes”, a convidada vai ser a banda irlandesa Fontaines DC (foto na home), para não só mas também falar de seu último disco, o inesgotável “A Hero’s Death”. O vídeo vai ser colocado aqui embaixo, para ficarmos acompanhando a contagem regressiva. Você me lembra, eu lembro você

>>

Tudo muito psicodélico. My Bloody Valentine toca mais uma música inédita na estrada

>>

270718_mbv2

Depois de tocar uma música inédita no festival do Robert Smith, em Londres, mês passado, o sempre incrível My Bloody Valentine voltou a mostrar uma novidade em show na cidade de Oakland, Califórnia, nesta semana.

O grupo liderado pelo distinto Kevin Shields mostrou outra música inédita, também sem nome. Fica sendo como “New 2”. O grupo está na estrada fazendo shows após cinco anos.

Eles, que ficaram mais de duas décadas sem lançar disco até soltar “MBV”, em 2013, estão trabalhando em um EP que pode virar disco cheio, com 7 ou 8 faixas, informação do próprio Kevin.

>>

Opa. My Bloody Valentine faz show em festival do Robert Smith e mostra música inédita

>>

Foto: @shadster1

Foto: @shadster1

No início deste ano, a Popload trouxe a notícia de que o My Bloody Valentine, banda ícone do shoegaze, que tem nos vocais a especialíssima Bilinda Butcher, prepara para este ano o lançamento de um novo disco.

Eles, que ficaram mais de duas décadas sem lançar disco até soltar MBV, em 2013, estão trabalhando em um EP que pode virar disco cheio, com 7 ou 8 faixas, informação do líder da trupe, Kevin Shields. E a promessa, pelo visto, não vai ficar só no papo, e deve ser cumprida agora durante o verão europeu.

Neste final de semana, o MBV começou sua turnê com uma apresentação no Meltdown, o festival que teve curadoria do Robert Smith (The Cure), em Londres. Na apresentação, uma nova música, ainda sem titulo, que consta no setlist apenas como “New Song 1”. Um fã gênio, claro, foi esperto e gravou.

250618_mbv_setlist

>>

De Jack White a My Bloody Valentine, passando por Courtney Barnett: dez (ou mais) discos gringos esperados para 2018

>>

O ano de 2018 começou bem legal com o discaço do Black Rebel Motorcycle Club, abrindo os trabalhos para um ano que parece promissor tanto na gringa quanto na nossa CENA brasileira.

De início, a Popload resolveu pesquisar aqui e ali e selecionou 10 potenciais discos que serão lançados em 2018, alguns deles já com detalhes e músicas divulgados.

Tem tipo a volta do Jack White, o primeiro disco do David Byrne em mais de uma década, o MGMT e o Franz Ferdinand dando bons sinais. Até o Arctic Monkeys parece que vai desembaçar e soltar algo novo.

No mais, aqui está nossa listinha…


The Breeders – “All Nerve”


Data de lançamento: 2 de março
Este será o quinto álbum da banda norte-americana na carreira e traz como diferencial o fato de ter sido gravado pelo line-up original do clássico “Last Splash”, formado pelas irmãs Kim e Kelley Deal, Josephine Wiggs e Jim Macpherson. O disco novo traz ainda uma participação luxuosa da Courtney Barnett na faixa “Howl at the Summit” e ainda o produtor Steve Albini. Até então, o último álbum da banda é “Mountain Battles”, de 2008.
Dele já conhecemos o single homônimo.


David Byrne – “American Utopia”


Data de lançamento: 9 de março
Uma semana depois do Breeders, quem dá as caras é David Byrne. Atração do Lollapalooza Brasil neste ano, o cultuado músico vai lançar este seu primeiro disco solo desde 2004, embora tenha engatado parcerias de sucesso nos últimos anos, como a com St. Vincent. O primeiro single, “Everybody’s Coming to My House”, já está entre nós, e envolve gente da pesada na produção, tipo Brian Eno e Sampha.


My Bloody Valentine

A ser anunciado
Banda ícone do shoegaze, que tem nos vocais a especialíssima Bilinda Butcher, o My Bloody Valentine ficou mais de duas décadas sem lançar disco até soltar MBV, em 2013. Agora, o grupo vai lançar mais um álbum de inéditas. Quem confirmou foi o líder Kevin Shields, que em entrevista recente disse que a banda estava gravando um EP que se expandiu e vai virar um disco cheio, com 7 ou 8 faixas. Ele informou, também, que o MBV fará uma turnê a partir do meio de 2018.


MGMT – Little Dark Age

Data de lançamento: fevereiro
Polêeeeeeemica dupla love/hate do Brooklyn, o MGMT tenta retomar o rumo da carreira neste primeiro álbum deles em quatro anos. A julgar pelos primeiros singles divulgados, os norte-americanos parecem estar no caminho certo. Destaque para a faixa-título e “When You Die”.
O álbum foi todo gravado em Los Angeles e Nova York, e tem produção assinada por Patrick Wimberly (Chairlift, Kelela, Blood Orange), Dave Fridmann (Flaming Lips, Spoon, Tame Impala) e pelo próprio MGMT.


Sharon Van Etten

A ser anunciado
Musa que aquece nossos corações, de passagem incrível pelo Popload Gig, a norte-americana tem como seu mais “recente” lançamento o espetacular “Are We There”, disco de 2014. De lá para cá ela apareceu em projetos especiais, gravou música com o Lee Ranaldo, apareceu em “Twin Peaks”, relançou seu disco de estreia, se envolveu com trilha sonora. Em novembro do ano passado, ela disse em entrevista ao The Creative Independent que estava pronta para voltar ao estúdio. Ela contou, ainda, que o fato de ser mãe (em 2017) tem influenciado em suas composições.


Superchunk – What a Time to Be Alive

Data de lançamento: 16 de fevereiro
Capitaneado pelo distinto Mac McCaughan, o Superchunk vai lançar seu 11º disco de estúdio mês que vem, quase cinco anos depois do sugestivo “I Hate Music”, de 2013. Considerado um dos grupos ícones do rock alternativo dos anos 90, indie do indie, este será apenas o quarto álbum do Superchunk neste século. Os anteriores ao já citado de quatro anos atrás são “Here’s to Shutting Up”, de 2001, e “Majesty Shredding”, lançado em 2010.
O disco é puxado pelo single que dá título à obra, que tem letra recheada de ironia.


Arctic Monkeys

A ser anunciado
Ainda não há informações mais concretas, mas a aposta é que a banda de Sheffield lance seu primeiro álbum em cinco anos em algum momento de 2018. Nesta semana, eles deram o primeiro sinal de vida e anunciaram um show no Firefly Music Festival, nos EUA, no mês de junho. Nas próximas semanas eles devem aparecer como headliners de outros festivais. O último álbum dos meninos britânicos é “AM”, de 2013.


Jack White – Boarding House Reach

Data de lançamento: não divulgada
Envolvido em mil projetos desde sempre, Jack White enfim vai lançar um novo disco solo, algo que não faz há 3 anos, desde que colocou “Lazaretto” na praça. O novo projeto foi inicialmente divulgado nesta semana com duas músicas: “Connected By Love” e lado-b “Respect Commander”. Ainda não há uma data oficial divulgada para o lançamento, mas não deve demorar.


Courtney Barnett – A ser anunciado


Pedra preciosa que a música nos ofereceu nos últimos anos, Courtney Barnett já contou que está bem próxima de finalizar seu próximo disco, que virá no calor de “Lotta Sea Lice”, seu incrível projeto em parceria com Kurt Vile, um dos melhores álbuns de 2017. Ela falou recentemente na Beats 1 que estava tentando achar um título bom pro álbum.


Franz Ferdinand – Always Ascending

Data de lançamento: 9 de fevereiro
Tudo bem que o auge dos escoceses rolou há um tempinho. Mas, nunca é tarde para uma segunda chance. “Always Ascending” apresenta até o momento bons cartões de visitas, especialmente o single homônimo. Outra novidade é que Alex Kapranos retorna loiro e com novos companheiros em sua banda.
Dino Bardot entrou no lugar do marcante guitarrista Nick McCarthy, que saiu da banda para se dedicar a outros projetos. Já Julian Corrie, mais conhecido pela turma da eletrônica como Miaoux Miaoux, chegou para dar um toque mais electro aos escoceses.

** Além dos 10 discos listados acima, existe a expectativa que 2018 seja um ano de lançamentos de discos do…
The Cure
First Aid Kit
Django Django
The Good, The Bad & The Queen
Earl Sweatshirt
Muse
Florence + The Machine
Trent Reznor
Grimes
Belle & Sebastian
Johnny Marr
Owen Pallett
Yo La Tengo…

>>