Em nill:

Top 50 da CENA – Um piano tira a Pabllo do nosso topo. Amaro Freitas lidera, seguido pelo MC Rodrigo Brandão. Mas o terceirão é dela, sim

>>

* Na semana passada nosso primeiro lugar foi talvez um dos trabalhos mais pop da nossa história, né, Pabllo? Nesta semana aqui, jazz e música de improviso fazem um dobradinha no topo da nossa lista. É o universo reequilibrando as coisas. Pode reclamar, a gente esquece muita coisa, não dá conta de outras, mas não damos margem para dizerem que nós não tentamos escutar um pouco de tudo de lindo que é feito neste país hoje em dia na música, para criar nossa radiografia do que acontece de melhor por aí, hein? Dito isso, toma esta!

amarotop50quadrada

1 – Amaro Freitas – “Sankofa” (Estreia)
Quem lê sempre nosso Top 50 já reparou que a gente ama quando o próprio músico traz palavras inspiradas sobre o que pensou para a canção em destaque. Parece um passo lógico, mas não é todo mundo que se arrisca a pelo menos traçar uma linha sobre o que acabou de entregar. O Amaro Freitas, pianista de Recife, por sua vez, escreveu bastante e bem sobre sua proposta no álbum “Sankofa” e a gente pirou na ideia: “Trabalhei para tentar entender meus ancestrais, meu lugar, minha história, como homem negro. O Brasil não nos disse a verdade sobre o Brasil”. A expressão “sankofa” é justamente sobre esse tipo de processo, visitar o passado para possibilitar novas compreensões e futuros. Uma busca, que como revela Amaro, apresenta as inconsistências do que temos em nossas mãos atualmente. Muita coisa foi contada errado, muita coisa foi apagada e isso é um dos motivos de termos problemas de imaginar futuros novos. Sem dúvida, um mundo trilhado por esse álbum de Amaro não dá chance para fascistas, por exemplo. Essa é a energia aqui.

2 – Rodrigo Brandão – “O Sol da Meia-Noite” (Estreia)
Quem já viu uma sessão de improviso do Rodrigo Brandão sabe a força que reside ali. Força de inspiração e criação afiada de um dos principais MCs da música brasileira faz tempo. Seu segundo trabalho solo é mais uma experimentação nesse sentido de composição em tempo real tocada por Marshall Allen, líder da Sun Ra Arkestra, com participação de um timaço de músicos nacionais (Tulipa Ruiz e Juçara Marçal, os saxofonistas Thiago França e Thomas Rohrer, o percussionista Paulo Santos (Uakti) e mais um par de integrantes do Hurtmold, Guilherme Granado e Marcos Gerez), além de três membros da Sun Ra (Knoell Scott, o brasileiro Elson Nascimento, e Danny Ray Thompson). Este álbum foi gravado em 2019, mas chega agora em 2021. Aguardemos.

3 – Pabllo Vittar – “Não É Papel de Homem” (1)
Ao optar em reler clássicos do tecnobrega e do forró que foram a trilha de sua adolescência em um contexto que respeita os gêneros e ainda absorve elementos da música pop atual, Pabllo enriquece sua já boa mistura e aproxima seu trabalho das experiências de hyperpop tocadas por artistas como Sophie e Charlie XCX. É uma inversão inteligente do senso comum que ronda o pop nacional. Em vez de deixar o pop mundial informar a música brasileira, aqui a música brasileira informa o pop do planeta. Não é um movimento simples, não. O Primavera Sound vai ver só.

4 – 2DE1 – “Emersão” (2)
Emersão, segundo um dicionário online, é tanto o movimento de um corpo que sai de um fluido no qual estava mergulhado quanto a reaparição de um astro que eclipsara. Significativo que esse seja o som de uma retomada após um relativo silêncio. E, bom, basta reparar na letra para sacar que a intenção dos gêmeos Fernando e Felipe Soares passa por uma aceitação de si mesmo e de assumir uma luta para alterar os aspectos que estão danificando o universo ao redor.

5 – Marisa Monte – “Totalmente Seu” (Estreia)
Em seu belo novo trabalho, Marisa escolheu uma coleção de velhas e novas parcerias. Ao lado de figuras batidas, como Nando Reis e Arnaldo Antunes, aparecem agora nomes como Chico Brown, Marcelo Camelo e os irmãos Silva, Lucas e Lúcio. Conectado com a obra de Marisa em uma esfera bem próxima (Silva dedicou um disco às canções dela), parece lógico que a parceria Silva/Marisa soe tão bem e seja a música que mais chame a atenção em uma primeira edição. “Totalmente Seu” é nível hit da Marisa que pode tocar por um ano, fácil fácil, em rádios e novelas.

6 – Letrux – “I’m Trying to Quit” (Estreia)
Vício é foda. Bebida, cigarro, um relacionamento. Letrux acerta um monte em resgatar essa letra escrita em 2013 e que seguiu tão boa ao longo destes anos. Como ela bem escreveu, ali foi o começo do fim do mundo. Não? Pela promessa, esse single é a abertura de uma série de mais três lançamentos individuais.

7 – Giovanna Moraes – “Rosalía” (Estreia)
Parte do seu álbum mais recente, “III”, Giovanna resolveu expandir a música “Rosalía” em um single que reapresenta sua bela música acompanhada de uma versão demo e outra que é descontrução da própria canção, indo atingir com ela um outro gênero. Se entendemos bem, isso é o que costumávamos ter com um bom lançamento de single.

8 – Taco de Golfe – “Tratados de Obrigação” (Estreia)
A dupla sergipana Gabriel Galvão e Alexandre Damasceno segue a apresentação da piração que veremos em seu álbum “Memorandos”. Que a gente, não sei se eles repararam, adivinhou o nome por aqui quando achou uma mensagem cifrada em morse no Bandcamp da banda. Ninguém valoriza nossos momentos de Sherlock?

9 – Nill – “Singular” (3)
Participação da Ana Frango Elétrico, sample do Paramore. Que som que o Nill lançou aqui para abordar as questões e inseguranças de dentro da sua mente. E a faixa é tão curtinha que pede por uns três replays a cada escutada.

10 – Ana Frango Elétrico – “Promessas e Previsões” (4)
E, por falar na Ana, um elogio a ela aqui por soltar um vídeo para um som seu do “distante” 2019. Esse jeito de trabalhar um álbum em slow motion é um ajuda e tanto para nós, jornalista, sobrecarregados por tanta coisa a escutar. Mirem-se no exemplo.

11 – Mineiros da Lua – “Armadilha” (5)
12 – Iara Rennóo – “Ava Viva” (6)
13 – Bonifrate – “Cara de Pano” (7)
14 – Isabel Lenza – “Tudo Que Você Não Vê” (8)
15 – Romulo Fróes – “Baby Infeliz” (9)
16 – Nelson D – “Algo Em Processo” (10)
17 – Ella from the Sea – “Lonely” (11)
18 – Linn da Quebrada – “I Míssil” (12)
19 – GIO – “Joias” (13)
20 – BNegão feat. Paulão King – “Cérebros Atômicos” (14)
21 – Rodrigo Amarante – “I Can’t Wait” (15)
22 – ATR – “Corazón (Badsista Remix)” (16)
23 – Bonifrate – “Casiopeia” (17)
24 – Mallu Magalhães – “Pé de Elefante” (18)
25 – Edgar – “A Procissão dos Clones” (19)
26 – Tuyo – “Toda Vez Que Eu Chego em Casa” (20)
27 – Giovanna Moraes – “Baile de Máscaras” (21)
28 – Marcelo Perdido – “Que Bom” (22)
29 – Gustavo Bertoni – “Old Ghost, New Skin” (23)
30 – Marina Sena – “Voltei pra Mim” (24)
31 – Rincon Sapiência – “Meu Mundo” (25)
32 – Supervão – “Amiga Online” (26)
33 – Jonathan Ferr – “Amor” (28)
34 – Jadsa – “Mergulho” (29)
35 – Mulungu – “A Boiar” (30)
36 – Jup do Bairro – “Sinfonia do Corpo” (31)
37 – Lupe de Lupe – “Brasil Novo” (32)
38 – Bruna Mendez e June – “A Vida Segue, Né?” (33)
39 – Zé Manoel – “Como?” (35)
40 – Yung Buda – “Digimon” (40)
41 – Duda Beat – “Meu Pisêro” (41)
42 – FEBEM – “Crime” (42)
43 – Aquino e a Orquestra Invisível – “Os Prédios Cinzas e Brancos da Av. Maracanã” (43)
44 – Boogarins – “Supernova” (44)
45 – BaianaSystem – “Brasiliana” (45)
46 – Sophia Chablau e uma Enorme Perda de Tempo – “Delícia/Lúxuria” (46)
47 – Jota Ghetto – “Vagabounce” (47)
48 – Mbé – “Aos Meus” (48)
49 – Rico Dalasam – “Expresso Sudamericah” (49)
50 – LEALL – “Pedro Bala” (50)

*****

*****

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, o pianista pernambucano Amaro Freitas.
*** Este ranking é pensado e editado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix. Com uma pequena ajuda de nossos amigos, claro.

>>

TOP 50 da CENA – Pabllo brilha no topo (do mundo). Gêmeos do R&B segue a onda. Rapper Nill estreia no pódio

1 - cenatopo19

* Na semana em que a Pabllo Vittar resolveu sacudir as estruturas sulistas do pop brasileiro e começou a mostrar ao pop mundial o valor do som do Norte do Brasil, nem precisamos matutar muito para encontrar nosso primeiro lugar. Lógico que a CENA não facilitou. 2DE1 lançou talvez a melhor música que o duo (em um) já fez na carreira, Nill chegou com uma mixtape espetacular e a Ana Frango ainda divulga seu disco de 2019 na maior calma, na maior contundência. E isso tudo é só uma parte da nossa lista de melhores da semana. Pensa na playlist que vai dar.

pabblotop50quadrado

1 – Pabllo Vittar – “Não É Papel de Homem” (Estreia)
Ao optar em reler clássicos do tecnobrega e do forró que foram a trilha de sua adolescência em um contexto que respeita os gêneros e ainda absorve elementos da música pop atual, Pabllo enriquece sua já boa mistura e aproxima seu trabalho das experiências de hyperpop tocadas por artistas como Sophie e Charlie XCX. É uma inversão inteligente do senso comum que ronda o pop nacional. Em vez de deixar o pop mundial informar a música brasileira, aqui a música brasileira informa o pop do planeta. Não é um movimento simples, não. O Primavera Sound vai ver só.

2 – 2DE1 – “Emersão” (Estreia)
Emersão, segundo um dicionário online, é tanto o movimento de um corpo que sai de um fluido no qual estava mergulhado quanto a reaparição de um astro que eclipsara. Significativo que esse seja o som de uma retomada após um relativo silêncio. E, bom, basta reparar na letra para sacar que a intenção dos gêmeos Fernando e Felipe Soares passa por uma aceitação de si mesmo e de assumir uma luta para alterar os aspectos que estão danificando o universo ao redor.

3 – Nill – “Singular” (Estreia)
Participação da Ana Frango Elétrico, sample do Paramore. Que som que o Nill lançou aqui para abordar as questões e inseguranças de dentro da sua mente. E a faixa é tão curtinha que pede por uns três replays a cada “escutada”.

4 – Ana Frango Elétrico – “Promessas e Previsões” (Estreia)
E, por falar na Ana, um elogio a ela aqui por soltar um vídeo para um som seu do “distante” 2019. Esse jeito de trabalhar um álbum em slow motion é um ajuda e tanto para nós, jornalista, sobrecarregados por tanta coisa a escutar. Mirem-se no exemplo.

5 – Mineiros da Lua – “Armadilha” (Estreia)
Bom o passeio dos mascarados Mineiros da Lua neste segundo álbum, que consegue juntar psicodelia, rap, música eletrônica. Em “Armadilha”, por exemplo, tem uma estrutura interessante: estrofe + sessão instrumental + estrofe + sessão instrumental em que a música vai se quebrando. Refrão é para os fracos.

6 – Iara Rennóo – “Ava Viva” (Estreia)
Uma música que homenageia Ava Rocha já mereceria todo destaque, mesmo que não fosse lá muito inspirada. Não é o caso aqui, lógico. Iara capricha em criativos versos para homenagear sua amiga. “Sua cara vira tela, mas a luz é dela” é uma bela tradução da força única da Ava.

7 – Bonifrate – “Cara de Pano” (Estreia)
Bonifrate segue explorando seus tecladinho. Aqui a jovem guarda manda um alô na faixa mais pop, entre os singles lançados até aqui, de “Corisco”, seu novo álbum, que chega logo mais.

8 – Isabel Lenza – “Tudo Que Você Não Vê” (Estreia)
No aquecimento do seu novo álbum, “Véspera”, a cantora paulistana lança seu melhor single. Uma linda reflexão sobre a força feminina que rege o universo, aquilo tudo que a gente não vê. Por que será? A letra é complementar à delicada música que vai envolvendo a gente ao longo da escuta com pequenos detalhes, pequenas informações, aquilo tudo que a gente não percebe até ouvir a música um monte de vezes. E então dá aquele sorriso, satisfeita.

9 – Romulo Fróes – “Baby Infeliz” (1)
Olha o time. Composição de Romulo, Gui Held e Jards Macalé com letra de Nuno Ramos em homenagem a Jards – repare que alguns versos são apropriados de canções do Macau -, “Baby Infeliz” acabou rejeitada pelo próprio homenageado. Para que a canção não entrasse em um limbo, Romulo resolveu resgatá-la em seus dois novos álbuns de repertórios iguais e sonoridades bem diferentes – “Aquele Nenhum” (voz e violão) e “Ó Nois” (colagens). E não é que o Jards, quando escutou a música de novo, já na leitura do Romulo, perguntou por que ele, Romulo, não tinha oferecido a ele, Jards, gravar a canção? Perdeu um musicão, Jards. Mas achamos que o Romulo te empresta ela de novo, sim.

10 – Nelson D – “Algo Em Processo” (2)
Brasileiro de tribo indígena da Amazônia criado na Itália, Nelson D é a mais nova contratação de um dos nossos selos prediletos neste país, o Balaclava. E é de casa nova que ele dá sequência ao seu futurismo indígena já testado no disco do ano passado, “Em Sua Própria Terra”. A primeira canção dessa leva é um tratado sobre amizade. “Dedico essa musica a todas as pessoas que tiveram sorte de ter uma amizade importante nos momentos mais difíceis”, escreveu Nelson em suas redes. E nós tivemos sorte de ter uma música assim de tantos referenciais e sotaques na nossa CENA.

11 – Ella from the Sea – “Lonely” (3)
12 – Linn da Quebrada – “I Míssil” (4)
13 – GIO – “Joias” (5)
14 – BNegão feat. Paulão King – “Cérebros Atômicos” (6)
15 – Rodrigo Amarante – “I Can’t Wait” (7)
16 – ATR – “Corazón (Badsista Remix)” (8)
17 – Bonifrate – “Casiopeia” (9)
18 – Mallu Magalhães – “Pé de Elefante” (10)
19 – Edgar – “A Procissão dos Clones” (11)
20 – Tuyo – “Toda Vez Que Eu Chego em Casa” (12)
21 – Giovanna Moraes – “Baile de Máscaras” (13)
22 – Marcelo Perdido – “Que Bom” (14)
23 – Gustavo Bertoni – “Old Ghost, New Skin” (15)
24 – Marina Sena – “Voltei pra Mim” (16)
25 – Rincon Sapiência – “Meu Mundo” (17)
26 – Supervão – “Amiga Online” (18)
27 – Master San – “A #05 – Intergalatica” (19)
28 – Jonathan Ferr – “Amor” (22)
29 – Jadsa – “Mergulho” (23)
30 – Mulungu – “A Boiar” (24)
31 – Jup do Bairro – “Sinfonia do Corpo” (25)
32 – Lupe de Lupe – “Brasil Novo” (26)
33 – Bruna Mendez e June – “A Vida Segue, Né?” (27)
34 – Rodrigo Campos, Juçara Marçal e Gui Amabis – “Ladeira” (28)
35 – Zé Manoel – “Como?” (29)
36 – Os Amantes – “Linda” (30)
37 – Rashid – “Diário de Bordo 6” (31)
38 – Saulo Duarte com Luedji Luna – “Lumina” (32)
39 – Salma e Mac – “Amiga” (33)
40 – Yung Buda – “Digimon” (34)
41 – Duda Beat – “Meu Pisêro” (37)
42 – FEBEM – “Crime” (38)
43 – Aquino e a Orquestra Invisível – “Os Prédios Cinzas e Brancos da Av. Maracanã” (39)
44 – Boogarins – “Supernova” (40)
45 – BaianaSystem – “Brasiliana” (42)
46 – Sophia Chablau e uma Enorme Perda de Tempo – “Delícia/Lúxuria” (44)
47 – Jota Ghetto – “Vagabounce” (46)
48 – Mbé – “Aos Meus” (48)
49 – Rico Dalasam – “Expresso Sudamericah” (49)
50 – LEALL – “Pedro Bala” (50)

*****

*****

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, a imagem é da cantora Pabllo Vittar.
*** Este ranking é pensado e editado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix. Com uma pequena ajuda de nossos amigos, claro.

>>

TOP 50 DA CENA – Pouca mexida no pódio. Carnaval? Dá-lhe Vovô Bebê, Edgar e Kiko Dinucci. Who the fuck is FingerFingerrr?

>>

1 - cenatopo19

* Depois de semanas até que bem movimentadas, parece que os lançamentos musicais deram uma minguada por conta do carnaval. Com menos músicas novas circulando por aí, foi inevitável repetir esta semana o pódio da semana passada. Na real, as primeiras colocações nem se mexeram. Primeira vez que isso rola no nosso Top 50. Até porque estamos curtindo bem ainda o carioca Vovô Bebê.

Mas não ficamos parados, não. Temos novidades no resto da lista. Além disso, temos algumas subidas e descidas também. E, bom, se estamos perdendo algo, avisem nos comentários que a gente corre para ir ouvir as novidades.

Seeeeeempre lembrando que estamos no Deezer e no Spotify em formato de playlist, com este Top 50. Bonitinho, na ordem. Certo?

Ficamos assim:

liniker_slider

1 – Vovô Bebê – “Êxodo” (1)
Alguém viu a manchete do G1: “Vovô Bebê põe Ana Frango Elétrico em ‘Briga de Família’”? Lembrou o saudoso “Notícias Populares”, mas era só uma nota sobre este ótimo som novo da CENA carioca, que tem participação dela, sim, Ana Frango Elétrico. Fique de olho. Projeto de Pedro Carneiro que lembra o antigo grupo Rumo, uma das bandas mais paulistanas que existiram. Olha a ironia geográfica.
2 – Edgar – “Carro de Boy” (2)
Existe uma linha tênue na hora de fazer música de protesto que vira refrão grudento. Pode pegar mal, banalizar, ficar tosco. Não é o que acontece aqui. Edgar acerta no alvo na denúncia e na produção de um som que cabe na pista. Para dançar com profundidade. Com conceito. Esta canção chega com impactante vídeo e participação do Rico Dalasam.
3 – Kiko Dinucci – “Veneno” (3)
O álbum solo novo de Kiko Dinucci é uma peça e tanto. Violão no comando de tudo. E muita informação ainda há ser captada em futuras audições. A música com Rodrigo Ogi é, de cara, um dos achados do disco e pode dar a prévia do novo álbum do rapper, que tem produção do próprio Kiko. Tudo em casa.
4 – Young Lights – “When You Were Here” (5)
É rock dos EUA, praticamente. Mas é de BH, mesmo. Single novo incrível da banda do multitask Jay Horsth, um dos grandes destaques ao vivo da nova música mineira. E também é um indicativo de disco novo vindo por aí.
5 – Flu & Amigos – “Porco” (4)
Renomado integrante da melhor fase do rock independente gaúcho lááá nos anos 80, começo dos 90, entre outras bastantes coisas participaou da chamada formação clássica do clássico grupo DeFalla, Flu resolveu manter sua música viva em 2020 com uma série séria de singles bons. Esta “Porco” é o primeiro.
6 – FingerFingerrr – “Tô Vivo” (Estreia)
Os caras são uma banda punk com influência de hip-hop (what?) que voltam com essa pedrada que dá o tom do que vem no segundo disco da banda. A música ainda não saiu, mas a dica está dada.
7 – MC Loma – “Predadora” (6)
E aí, DG? Quem disse que não entendemos de Carnaval? MC Loma fez mais um hit perfeito para a festa mais tradicional do Brasil. Se prepare para ouvir “Predadora” nas ruas, neste mês. Um brega funk na medida para a internet graças a uma letra sobre pegação baseada em signos.
8 – Nego Bala – “Cifrão in Pé” (Estreia)
A música é de 2019, mas está batendo geral mesmo neste ano. Primeiro disco do funkeiro paulistano está sendo preparado. Acho que vamos trombar muito com o nome dele em 2020.
9 – Carne Doce – “Temporal” (7)
Esta só melhora quanto mais se ouve. Que musiquinha enoooorme soltou o grupo goiano Carne Doce para já anunciar que em 2020 vai ter disco novo, o quarto da banda do casal Macloys/Salma. A gente aqui quer morar nessas guitarrinhas que embalam a música nova, da metade para a frente.
10 – Luedji Luna e Zudzilla – “Proveito” (Estreia)
Namorados, Luedji e Zudzilla fizeram um dueto daqueles quentes. Pelo que adianta Alexandre Matias no Trabalho Sujo, a faixa dá a fica do próximo álbum de Luedji, mais hip hop no ótimo som que quem viu ela no Popload Festival já conhece.
11 – Liniker – “Não Adianta” (24)
Parte do projeto “Acorda Amor”, Liniker faz um bom cover de uma música do Trio Mocotó. O projeto ainda conta com as vozes de Maria Gadu, Xênia França, Letrux e Luedji Luna. A faixa agora é um dos primeiros passeios solos da cantora após o anúncio essa semana da separação com o grupo Caramelows, que acompanhou Liniker nos seus dois primeiro trabalhos.
12 – Sepultura – “Fear; Pain; Chaos; Suffering” (10)
Em um novo e potente álbum, o Sepultura teve a manha de chamar a incrível Emmily Barreto do Far From Alaska para fazer mais do que uma participação especial. Ela toma conta da última faixa do álbum. Quem quiser ir direto em outra boa do disco: ouça a torta “Ranging Void”.
13 – Marcelo Perdido – “Santa Clara de Tróia” (12)
14 – Manaié – “Tira a Mão” (14)
15 – Terno Rei – “São Paulo” (8)
Ingressos esgotados em São Paulo em 20 minutos. Algo sério vem acontecendo com o Terno Rei. A febre em torno da banda só aumenta, shows lotados em outras cidades também. “Violeta”, o disco mais recente da banda, completou um ano, mas parece que está só no começo de uma jornada de conquistas. Esta “São Paulo” tem um sabor da new wave paulistana dos anos 80, revisitada. Coisa fina.
16 – Amen Jr. – “amoretempo” (13)
17 – Marietta – “Analógica” (17)
18 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (15)
A música é de 2017, mas se encaixou muito bem no Brasil de 2020. A voz de Juçara Marçal na segunda metade da música, então, só faz a força da música redobrar. Olho nessa banda, no disco, nos shows que eles vão fazer por aí.
19 – Rohmanelli – “Toneaí” (19)
20 – Céu de Vênus – “O Acaso Não Existe” (21)
21 – Bixiga 70 e Luiza Lian – “Alumiô (Cai Na Terra)” (22)

O encontro entre Luiza Lian e Bixiga 70 nasceu com cara de clássico. Fica a deixa para um projeto mais extenso, um álbum, quem sabe? Estamos na espera.
22 – Pabllo Vittar – “Amor De Que” (25)
23 – Suco de Lúcuma – “Nada No Ar” (28)
24 – Nill – “Options” (9)
25 – Alice Caymmi e ÀTTØØXXÁ – A Noite Inteira (23)
26 – Rashid – “Eu” (16)

Em seu novo álbum, Rashid deixa para a última faixa talvez um de seus melhores sons, a reveladora “Eu”. Uma daquelas reflexões pessoais de um artista que acaba refletindo no ouvinte.
27 – Derek e Lucas Silveira – “Me Sinto Sozinho” (Estreia)
28 – Vivian Kuczynski – “Carne” (11)

O novo single da Vivian ganhou um belo vídeo. Por isso destacamos “Carne” por aqui, outra das boas músicas do álbum de estreia da curitibana de 16 anos, single que tem uma letra que está na parte de críticas sociais do disco, segundo ela, mesmo que um tanto cifrada. Nem tanto assim. É só prestar atenção na menina.
29 – Lava Divers – “My Boy” (18)
Banda clássica do indie mineiro, o Lava Divers lançou um vídeo de música de 2017 para dizer que neste 2020 vem novidade por aí. Ótimo indie rock para aquecer os ouvidos _ e esperar ansiosamente por inéditas do Divers.
30 – Rincon Sapiência – “Real Oficial” (20)
Uma das muitas boas músicas do mais recente álbum de Rincon Sapiência, um disco lançando no final de 2019 e que passou meio batido, injustamente, pelo menos por aqui. Corrigimos a rota agora.
31 – La Leuca – “Morning Gloria (O Medo)” (36)
32 – Saskia – “Tô Duvidando” (26)

Já escutou o disco da Saskia? A gaúcha é uma das revelações do ano passado para você também? E a participação do Edgar nesta faixa, então? Outro nível esses dois.
33 – Hot e Oreia – “Estilo” (27)
Da ótima cena mineira de rap, Hot e Oreia conseguem dosar aqui humor e mensagem de uma maneira única. A sacada “Cês são CS, eu RPG” é para poucos. E o “pior” é que o som é bem bom. Olho neles.
34 – Valuá – “Veneno” (41)
35 – AIYÉ – “Terreiro” (30)
36 – Rachel Reis – “Ventilador” (31)
37 – Anderson Primo – Ocê, Oceano” (32)
38 – Triz – “O Som Vem Assim” (35)
39 – Linn Da Quebrada – “Oração” (29)
40 – Ana Preta e Thaíde – “Não Me Leve a Mal” (Estreia)
41 – Olívia de Amores – “La Cancionera” (40)
42 – Juliano Guache – “Bombyx Mori No. 1” (Estreia)
43 – Yannick Hara – “Replicantes” (39)
44 – Letícia Persiles – “Trem Fantasma” (Estreia)
45 – ANNÁ e Ilú Obá de Min – “Sobre Rosa” (Estreia)
46 – Bruno Capinam – “Mais Amor” (37)
47 – Karol de Souza – “Tambor” (43)
48 – Decaer & Vulgar Débil – “Na Taverna, Eu e Você: Aparições” (42)
49 – Trupe Chá de Boldo – “À Lina” (Estreia)
50 – Fióti – “Quando For Falar de Amor” (Estreia)

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, a cantora Liniker. O duo punk paulistano FingerFingerrr ilustra a foto da chamada do post na home da Popload.

>>

Top 50 da CENA – Olha o Vovô Bebê no topo do Top. Mais Young Lights, o Flu e MC Loma. Tem até Sepultura entre as dez +

>>

1 - cenatopo19

* Prontos para o Top 50 da semana? Já deu para entender o nosso ritmo, não? Estamos aqui para te falar do que andamos ouvindo, uma playlist sem robô, feita na mão. Do que chegou a nós e gostamos, por alguma razão. E, dentro desse gostar, montamos um ranking que não é exatamente uma competição, e sim uma conversa sobre as músicas que na semana nos impactou de alguma forma, nos fez falar entre nós, discutir, ponderar aspectos, estilos, ritmos, momentos.

Nesta semana destacamos o lançamento do disco do Vovô Bebê, um bom lançamento da CENA carioca, e também novidades de um medalhão, tipo o Sepultura. Quem fuçar na lista vai ouvir artistas ainda por serem descobertos, até por nós, que gostamos de um som deles e agora vamos atrás de outros para saber mais.

Sempre lembrar que estamos no Deezer e no Spotify em formato de playlist, com este Top 50. Bonitinho, na ordem. Certo?

Vamos logo a ele, então.

novovovo

1 – Vovô Bebê – “Êxodo” (4)
Alguém viu a manchete do G1: “Vovô Bebê põe Ana Frango Elétrico em ‘Briga de Família’”? Lembrou o saudoso “Notícias Populares”, mas era só uma nota sobre este ótimo som novo da CENA carioca, que tem participação dela, sim, Ana Frango Elétrico. Fique de olho. Projeto de Pedro Carneiro que lembra o antigo grupo Rumo, uma das bandas mais paulistanas que existiram. Olha a ironia geográfica. O disco dele saiu hoje, ouça agora!
2 – Edgar – “Carro de Boy” (1)
Existe uma linha tênue na hora de fazer música de protesto que vira refrão grudento. Pode pegar mal, banalizar, ficar tosco. Não é o que acontece aqui. Edgar acerta no alvo na denúncia e na produção de um som que cabe na pista. Para dançar com profundidade. Com conceito. Esta canção chega com impactante vídeo e participação do Rico Dalasam.
3 – Kiko Dinucci – “Veneno” (2)
O álbum solo novo de Kiko Dinucci é uma peça e tanto. Violão no comando de tudo. E muita informação ainda há ser captada em futuras audições. A música com Rodrigo Ogi é, de cara, um dos achados do disco e pode dar a prévia do novo álbum do rapper, que tem produção do próprio Kiko. Tudo em casa.
4 – Flu & Amigos – “Porco” (Estreia)
Renomado integrante da melhor fase do rock independente gaúcho lááá nos anos 80, começo dos 90, entre outras bastantes coisas participaou da chamada formação clássica do clássico grupo DeFalla, Flu resolveu manter sua música viva em 2020 com uma série séria de singles bons. Esta “Porco” é o primeiro.
5 – Young Lights – “When You Were Here” (Estreia)
É rock dos EUA, praticamente. Mas é de BH, mesmo. Single novo incrível da banda do multitask Jay Horsth, um dos grandes destaques ao vivo da nova música mineira. E também é um indicativo de disco novo vindo por aí.
6 – MC Loma – “Predadora” (Estreia)
E aí, DG? Quem disse que não entendemos de Carnaval? MC Loma fez mais um hit perfeito para a festa mais tradicional do Brasil. Se prepare para ouvir “Predadora” nas ruas, neste mês. Um brega funk na medida para a internet graças a uma letra sobre pegação baseada em signos.
7 – Carne Doce – “Temporal” (5)
Esta só melhora quanto mais se ouve. Que musiquinha enoooorme soltou o grupo goiano Carne Doce para já anunciar que em 2020 vai ter disco novo, o quarto da banda do casal Macloys/Salma. A gente aqui quer morar nessas guitarrinhas que embalam a música nova, da metade para a frente.
8 – Terno Rei – “São Paulo” (3)
Ingressos esgotados em São Paulo em 20 minutos. Algo sério vem acontecendo com o Terno Rei. A febre em torno da banda só aumenta, shows lotados em outras cidades também. “Violeta”, o disco mais recente da banda, completou um ano, mas parece que está só no começo de uma jornada de conquistas. Esta “São Paulo” tem um sabor da new wave paulistana dos anos 80, revisitada. Coisa fina.
9 – Nill – “Options” (6)
Nill sempre manda bem e seu novo single já entra aqui no nosso Top 50, substituindo a faixa anterior dele que estava num Top 50 dos anteriores.
10 – Sepultura – “Fear; Pain; Chaos; Suffering”
Em um novo e potente álbum, o Sepultura teve a manha de chamar a incrível Emmily Barreto do Far From Alaska para fazer mais do que uma participação especial. Ela toma conta da última faixa do álbum. Quem quiser ir direto em outra boa do disco: ouça a torta “Ranging Void”.
11 – Vivian Kuczynski – “Carne” (7)
O novo single da Vivian ganhou um belo vídeo. Por isso destacamos “Carne” por aqui, outra das boas músicas do álbum de estreia da curitibana de 16 anos, single que tem uma letra que está na parte de críticas sociais do disco, segundo ela, mesmo que um tanto cifrada. Nem tanto assim. É só prestar atenção na menina.
12 – Marcelo Perdido – “Santa Clara de Tróia” (14)
13 – Amen Jr. – “amoretempo” (Estreia)
14 – Manaié – “Tira a Mão” (Estreia)
15 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (8)
A música é de 2017, mas se encaixou muito bem no Brasil de 2020. A voz de Juçara Marçal na segunda metade da música, então, só faz a força da música redobrar. Olho nessa banda, no disco, nos shows que eles vão fazer por aí.
16 – Rashid – “Eu” (9)
Em seu novo álbum, Rashid deixa para a última faixa talvez um de seus melhores sons, a reveladora “Eu”. Uma daquelas reflexões pessoais de um artista que acaba refletindo no ouvinte.
17 – Marietta – “Analógica” (Estreia)
18 – Lava Divers – “My Boy” (10)
Banda clássica do indie mineiro, o Lava Divers lançou um vídeo de música de 2017 para dizer que neste 2020 vem novidade por aí. Ótimo indie rock para aquecer os ouvidos _ e esperar ansiosamente por inéditas do Divers.
19 – Rohmanelli – “Toneaí” (Estreia)
20 – Rincon Sapiência – “Real Oficial” (11)
Uma das muitas boas músicas do mais recente álbum de Rincon Sapiência, um disco lançando no final de 2019 e que passou meio batido, injustamente, pelo menos por aqui. Corrigimos a rota agora.
21 – Céu de Vênus – “O Acaso Não Existe” (12)
22 – Bixiga 70 e Luiza Lian – “Alumiô (Cai Na Terra)” (17)
O encontro entre Luiza Lian e Bixiga 70 nasceu com cara de clássico. Fica a deixa para um projeto mais extenso, um álbum, quem sabe? Estamos na espera.
23 – Alice Caymmi e ÀTTØØXXÁ – A Noite Inteira (13)
24 – Liniker – “Não Adianta” (16)
Parte do projeto “Acorda Amor”, Liniker faz um bom cover de uma música do Trio Mocotó. O projeto ainda conta com as vozes de Maria Gadu, Xênia França, Letrux e Luedji Luna. O disco saí nesta terça-feira.
25 – Pabllo Vittar – “Amor De Que” (26)
26 – Saskia – “Tô Duvidando” (18)
Já escutou o disco da Saskia? A gaúcha é uma das revelações do ano passado para você também? E a participação do Edgar nesta faixa, então? Outro nível esses dois.
27 – Hot e Oreia – “Estilo” (20)
Da ótima cena mineira de rap, Hot e Oreia conseguem dosar aqui humor e mensagem de uma maneira única. A sacada “Cês são CS, eu RPG” é para poucos. E o “pior” é que o som é bem bom. Olho neles.
28 – Suco de Lúcuma – “Nada No Ar” (32)
29 – Linn Da Quebrada – “Oração” (23)
30 – AIYÉ – “Terreiro” (24)
31 – Rachel Reis – “Ventilador” (33)
32 – Anderson Primo – Ocê, Oceano” (34)
33 – Apeles – “A Alegria dos Dias Dorme no Calor dos Teus Braços” (15)
34 – Francisco, El Hombre – “Matilha :: coleira ou cólera” (36)
35 – Triz – “O Som Vem Assim” (38)
36 – La Leuca – “Morning Gloria (O Medo)” (39)
37 – Bruno Capinam – “Mais Amor” (37)
38 – João Bragança – “Bala Doce” (40)
39 – Yannick Hara – “Replicantes” (Estreia)
40 – Olívia de Amores – “La Cancionera” (Estreia)
41 – Valuá – “Veneno” (Estreia)
42 – Decaer & Vulgar Débil – “Na Taverna, Eu e Você: Aparições” (41)
43 – Karol de Souza – “Tambor” (44)
44 – Aori – “Xx/Xx” (45)
45 – Saulo – “Bahia Mãe” (47)
46 – Caio – “Entorna” (43)
47 – Trabalho Espaciais Manuais – “Terras Brasais” (48)
48 – Terra Mãe – “Retrato” (50)
49 – SZEL – “A 2 Passos” (Estreia)
50 – Romero Ferro – “Love Por Você” (Estreia)

***

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, o músico carioca Vovô Bebê. O Kiko Dinucci ilustra a foto da chamada do post na home da Popload.

>>