Em nme:

Foo Fighters e o disco novo “polêmico”. Décimo álbum da banda, “Medicine at Midnight, foi lançado hoje. Gostou?

>>

* Nada é tão barulhento neste começo de ano como a repercussão do décimo disco da superbanda Foo Fighters, que está sendo lançado hoje. Seja pelas inúmeras aparições em entrevistas e vídeos ao vivo gravados da turma de Dave Grohl para diversos veículos musicais, seja pela dividida na galera que este “Medicine at Midnight”, o disco “X”, o “Let’s Dance” (ref. David Bowie) que David Grohl quis dar na sua superexposta banda.

É bom ou não é bom? Afinal, tirou o FF de um certo limbo criativo que se abateu sobre o grupo nos últimos discos ou nem perto disso? Você ainda, indie amigo, aguenta ver as caras e bocas do maior gente fina do rock Dave Grohl por aí, ainda que considerando que o cara foi, pô, um integrante importante do Nirvana?

Bom, cabe a você julgar. A gente aqui, particularmente, com todas as questões envolvidas, gostou bem de “Medicine at Midnight”. Mas, gosto à parte, não dá para escapar da verdade que o disco, por si só, é um evento. Então vamos a algumas reverberações dele.

– Foo Fighters, quase como não poderia deixar de ser, é a capa lindona da britânica “NME” desta semana, online ou em seus poucos números distribuídos gratuitamente em selecionados lugares pela Inglaterra. Ela traz uma entrevista com ELE em que se destacam algumas frases como “Nossa conexão vai além da música” e “Esta banda é o mais longo fucking relacionamento em que eu me meti na vida”, ambas sobre o amor que o guitarrista-vocalista-baterista sente pelo grupo que formou em Seattle há 25 anos, em meio ao luto mundial pela morte estúpida de Kurt Cobain. Olha a capa da “NME”.

foofighters

***

– A importante e longeva Radio X, que há muitos anos transmite o indie para todo o Reino Unido, botou no ar hoje de manhã uma boa entrevista com Grohl feito pelo conhecido jornalista britânico Chris Moyles, além de duas performances enviadas pela banda com exclusividade trazendo o desempenho ao vivo de dois dos hits de “Medicine at Midnight”. São elas a de “No Son of Mine” e “Shame Shame”. Você pode vê-las aqui, com os 10 minutos de entrevista de Grohl para o Moyles, direto na página da Radio X, porque eles ainda não colocaram o material no Youtube da emissora.

>>

No sofá com o Fontaines DC. Veja session linda gravada para o “NME”

>>

Captura de Tela 2020-12-22 às 12.39.09 PM

* A banda irlandesa Fontaines DC, uma das prediletas da casa como diria o grande Fábio Massari em seus áureos tempos de “Lado B” (MTV) e “Rock Report” (89 FM), mandou uma performance de duas músicas no sofá para o “Home Sessions” do site inglês “NME”, que nos tempos do Massari era o jornal semanal bíblia do som independente.

Grian e seus amigos de grupo tocaram as lindaças “You Said”e “No”, ambas baladaças do mais recente disco deles, o segundo, “A Hero’s Death”, um dos álbuns do ano de qualquer lista decente.

As duas performances, num vídeo só, dando uma roupinha diferente às canções, podem ser vista abaixo. Derreta-se.

>>

Melhores discos do ano: olha ela aí!!!! A lista da “NME”. Viu quem tá em quarto lugar???

>>

strokes-abnormal

* Por muitos anos a “bíblia” máxima da música independente, hoje apenas uma das “biblinhas” que a gente ainda adora odiar ou odeia adorar, o site “NME”, que já foi revista de sucesso e ditou tendências para nós, soltou sua lista de melhores álbuns de 2020.

Impossível não simpatizar com o ranking do “NME”, concordando ou não. Principalmente comparando com as mil listas já publicadas, né?

Alguém tinha que lembrar que os Strokes lançaram um disco (bom!!!) em 2020, por mais esquisito que este ano foi. Alguém, como o “NME”, tinha que meter o “Folklore”, o disco “sério” da Taylor Swift, em segundo lugar, para deixar a geral bem puta.

Alguém tinha que olhar para este ano bem louco de turbilhões sociais dentro de uma pandemia absurda e falar: “Como não dar o primeiro lugar para o incrível disco do duo americano Run the Jewels?” Mesmo tendo o SAULT brincando de vanguarda necessária em seu quintal.

Alguém tinha que pegar a nova galera, a Kelly Lee Owens, a Rina Sawayama, a Beabadoobee, e botar no top 10 do ano.

Alguém tinha que me dar um tapa na cara por ter tirado o J Hus da minha lista final. E meter o cara na dele e é isso aí.

Esse alguém, discuta-se ou não com fervor, sempre acaba sendo o “NME”.

Te amo. Te odeio. Verdade. Mentira.

1. Run the Jewels – ‘RTJ4’
2. Taylor Swift – ‘folklore’
3. Dua Lipa – ‘Future Nostalgia’
4. The Strokes – ‘The New Abnormal’
5. Phoebe Bridgers – ‘Punisher’
6. Kelly Lee Owens – ‘Inner Song’
7. Rina Sawayama – ‘SAWAYAMA’
8. Haim – ‘Women in Music Pt III’
9. Beabadoobee – ‘Fake It Flowers’
10. J Hus – ‘Big Conspiracy’

run

>>

OS MELHORES DE 2019 – O Top 50 da NME

>>

nmelogo

Algo que já se tornou tradição nos últimos anos aqui a Popload, damos início hoje até o fim do ano com um compilado de melhores discos de 2019 de algumas das principais publicações voltadas para a música e cultura pop no mundo.

O primeiro veículo escolhido é o portal inglês New Musical Express, um dos mais importantes da Europa, que mesmo após passar por diversos cenários aplicados pela modernidade segue sendo um dos canais de grande expressão na cena.

E a lista de 50 melhores álbuns do ano na ótica dos ingleses traz escolhas interessantes e locais como Stormzy e slowthai, além de dar ao Fontaines D.C. um honroso 7º lugar com seu “Dogrel”.

Mas a campeã da lista da NME é ela, Billie Eilish, nome que vai aparecer em muitas listas que publicaremos nos próximos dias.

TOP 50 – NME
Billie Eilish — When We All Fall Asleep, Where Do We Go?
Tyler, The Creator — IGOR
Lana Del Rey — Norman Fucking Rockwell!
slowthai — Nothing Great About Britain
Little Simz — GREY Area
FKA twigs — Magdalene
Fontaines D.C. — Dogrel
Michael Kiwanuka — Kiwanuka
Weyes Blood — Titanic Rising
Clairo — Immunity
Bring Me the Horizon — amo
Vampire Weekend — Father of the Bride
Slipknot — We Are Not Your Kind
Solange — When I Get Home
Foals — Part 1 Everything Not Saved Will Be Lost
Lizzo — Cuz I Love You
Dave — Psychodrama
The Chemical Brothers — No Geography
Amyl and The Sniffers — Amyl and The Sniffers
Post Malone — Hollywood’s Bleeding
Kanye West — Jesus Is King
James Blake — Assume Form
AJ Tracey — AJ Tracey
Angel Olsen — All Mirrors
Nick Cave & The Bad Seeds — Ghosteen
PUP — Morbid Stuff
Kano — Hoodies All Summer
JPEGMAFIA — All My Heroes Are Cornballs
Sharon Van Etten — Remind Me Tomorrow
Ariana Grande — thank u, next
Octo Octa — Resonant Body
Dessert Sessions — Vols. 11 & 12
Bon Iver — i,i
DIIV — Deceiver
Denzel Curry — ZUU
BTS — Map of the Soul: Persona
Stormzy — Heavy Is The Head
Sam Fender — Hypersonic Missiles
Orville Peck — Pony
Doja Cat — Hot Pink
Taylor Swift — Lover
Anderson .Paak — Ventura
Coldplay — Everyday Life
Maggie Rogers — Heard It In A Past Life
Madonna — Madame X
Sneaks — Highway Hypnosis
Charli XCX — Charli
Rex Orange County — Pony
Juice WRLD — Death Race for Love
The Japanese House — Good at Falling

>>

Os Melhores de 2017 – O Top 50 da NME. O Kendrick Lamar NÃO ficou em primeiro!!

>>

melhores_popload2017nmelogo

Nesta quarta, a Popload “viajou” para a Inglaterra para ver o que as publicações de lá andam falando dos melhores discos de 2017.

Já falamos da revista “Q”, agora a escolhida é a ainda relevante New Musical Express, que já chegou a ser, talvez, a principal publicação de música no mundo, ainda tendo que se adequar aos tempos modernos.

Na lista deles, nomes como Laura Marling, Phoenix, Beck e Gorillaz. Se estamos falando de Inglaterra, temos que citar Noel e Liam Gallagher. O primeiro não entrou na lista, porque a mesma foi feita antes do lançamento de seu mais recente álbum, “Who Built The Moon?”. Já Liam pegou um honroso 10º lugar.

Nas cabeças, LCD Soundsystem e Father John Misty fizeram bonito. Já o rapper americano Kendrick Lamar, que tem aparecido como campeão em diversas escolhas, foi desbancado pela garota neozelandesa Lorde.

Confira o Top 50 da NME
50. Thundercat – Drunk
49. Laura Marling – Semper Femina
48. Kaitlyn Aurelia Smith – The Kid
47. Kiran Leonard – Derevaun Seraun
46. The xx – I See You
45. The Moonlandingz – Interplanetary Class Classics
44. The Big Moon – Love In The 4th Dimension
43. Phoenix – Ti Amo
42. Protomartyr – Relatives in Descent
41. Fever Ray – Plunge
40. (Sandy) Alex G – Rocket
39. The War on Drugs – A Deeper Understanding
38. alt-J – Relaxer
37. Jay-Z – 4:44
36. Creeper – Eternity, In Your Arms
35. Queens of the Stone Age – Villains
34. Mura Masa – Mura Masa
33. Kasabian – For Crying Out Loud
32. Princess Nokia – 1992 Deluxe
31. Taylor Swift – reputation
30. Beck – Colors
29. Arcade Fire – Everything Now
28. Methyl Ethel – Everything Is Forgotten
27. Foo Fighters – Concrete and Gold
26. Bleachers – Gone Now
25. Kelly Lee Owens – Kelly Lee Owens
24. Perfume Genius – No Shape
23. Sampha – Process
22. Kevin Morby – City Music
21. Sheer Mag – Need to Feel Your Love
20. Paramore – After Laughter
19. Tyler, the Creator – Flower Boy
18. Gorillaz – Humanz
17. Alvvays – Antisocialites
16. King Krule – The OOZ
15. Vince Staples – Big Fish Theory
14. Stormzy – Gang Signs & Prayer
13. The National – Sleep Well Beast
12. Loyle Carner – Yesterday’s Gone
11. St. Vincent – MASSEDUCTION
10. Liam Gallagher – As You Were
9. Wiley – Godfather
8. Lana Del Rey – Lust for Life
7. SZA – CTRL
6. J Hus – Common Sense
5. LCD Soundsystem – American Dream
4. Father John Misty – Pure Comedy
3. Kendrick Lamar – DAMN.
2. Wolf Alice – Visions of a Life
1. Lorde – Melodrama

>>