Em Nuven:

TOP 50 DA CENA – Letrux “manobra” a CENA e vem para o topo. O encantador Mateus Aleluia chega para… encantar. No mais, temos Nuven, Ella, Perdido…

1 - cenatopo19

* Letrux fez a magia (bruxaria). Com a “desculpa” de lançar um vídeo, sacou a música “Vai Brotar” de seu belo disco deste ano, ali do meio de outras músicas legais, e botou ela numa evidência que, quando tirada do álbum para brilhar sozinha, fica gigante. E roubou o topo, que é só dela nesta semana.
E que coisa linda é a chegada à CENA de um disco novo do grande Mateus Aleluia, baiano 76 anos, dando umas lições de vida em forma de música?
E, como se não bastasse, nossas “dez +” da semana tem hip hop, dream pop, nova MPB, eletrônica. Pensa que playlist linda e representativa isso tudo forma.
É o estado de coisas da CENA brasileira, ali, documentada em canções.

3 - 960x960_letrux

1 – Letrux – “Vai Brotar” (Estreia)
A manutenção de um disco depende em parte de nós, em parte do artista. Letrux lança o vídeo de “Vai Brotar” e nos lembra do ótimo álbum que pegou a gente lá no começo do ano. E em particular, de uma música. E, mais particular ainda, desta letra. “Você ficou cínico com o tempo/ Eu fiquei muito mais espiritualizada/ Acreditando em carta, sonho e passe”. Só nós achamos que “Vai Brotar” tem uma vibe grandiosa meio Arcade Fire?
2 – Mateus Aleluia – “Amarelou” (Estreia)
A beleza de um disco de Mateus Aleluia em 2020 é um presente que ilumina este ano esquisito. Aqui, na produção de Ronaldo Evangelista e com músicos da CENA por perto, como Thiago França, Sérgio Machado, entre outros, a conversa de Mateus se aproxima da nova geração, que já se ligou na importância dele e dos Tincoãs. “Amarelou” ainda conta com ele: João Donato.
3 – Thiago Nassif – “Voz Única Foto Sem Calcinha” (1)
Estamos de cara com esse disco que ainda reúne Negro Leo, Ana Frango Elétrico, Arto Lindsay, Vinicius Cantuária. Esta que escolhemos (poderiam ser outras) lembra os discos do Caetano com a banda Cê. Thiago parece pegar aquela vibe onde Caetano deixou e botou mais barulhinhos. E aproveitamos e matamos a saudade da voz da Ana Frango em uma inédita. Essa cena do Rio…
4 – Ovo ou Bicho – “Moços” (2)
Essa cena do Rio… parte 2. A conexão está escancarada. O Thiago Nassif é quem mixou esse som do ótimo quarteto do Rio, que chama a atenção em uma viagem que tem doses tropicais do Mutantes e um pique Doors na brisa que a música vira lá para o meio dela.
5 – Elza Soares e Flávio Renegado – “Negão Negra” (3)
Elza é sempre obrigatória. Em um acerto desses, então. A união dela com o rapper mineiro Flávio deu jogo. Uma pancada que sabe carregar versos delicados como “Todos os dias me levanto/Olho no espelho sempre me encanto/Com o meu cabelo e a cor da pele dos ancestrais”.
6 – Nuven (ft. Ale Sater), “Par de Ondas” (Estreia)
Tudo funciona de forma bonita aqui. Música, batidas, voz, vídeo, fotografia, letra, edição. A realidade sintética da música do Nuven e a realidade melancólica que sai da boca de Sater, da forma que sai, levam a uma pegada de autoconhecimento através da solidão.
7 – Ella from the Sea – “Side by Side” (Estreia)
Single que puxa o EP dessa cantora paulistana que usa a música como terapia para a alma. Algumas soluções ela também encontra no tarot. O nõo se chama “Moon” à toa. A vibe aqui é “Grimes vai para os ano 80 e entra para o Cocteau Twins”. Atmosfera é tão densa que dá para cortá-la com uma faca.
8 – Pedro Pastoriz – “Dolores” (Estreia)
“Dolores” é a faixa de abertura do álbum solo de Pedro, que faz a voz, o banjo e o violão na conhecida banda indie-bluegrass Mustache & Os Apaches. Aqui estamos em seu terceiro álbum solo, “Pingue-Pongue com o Abismo”. O nome pode assustar, mas vale escutar.
9 – Marcelo Perdido – “Bastante” (Estreia)
O disco curto de Marcelo, que saiu por um certo selo CENA, nos capturou, lógico. A cinematográfica e também breve “Bastante” é nosso destaque da vez. Um disco de se ouvir em um gole só este, mas não de se beber só uma vez.
10 – Yannick Hara (ft Big the Kiid e Asaph) – “Vida Offline” (Estreia)
Yannick escreveu aqui quase todos os dramas de uma geração angustiada e online. Algumas músicas vêm em camadas. Esta não: é na lata.
11 – Negro Leo – “Tudo Foi Feito pra Gente Lacrar” (4)
12 – Hellbenders – “Pra Entreter” (5)
13 – Autoramas – “Boneco” (6)
14 – Jup do Bairro – Pelo Amor de Deize (7)
15 – Rincon Sapiência – “Malícia” (8)
16 – Raça – “Domingo” (9)
17 – Ana Frango Elétrico – “Caspa” (10)
18 – CESRV – ” Mix It Up” (11)
19 – Tuyo – “Sem Mentir” (12)
20 – Francisco – “Vitória-Rege” (13)
21 – Nevilton – “Irradiar” (14)
22 – Gustavo Bertoni – “Sit Down, Let’s Talk” (15)
23 – Wado – “Arcos” (16)
24 – Amen Jr. – “Ladeira Abaixo” (17)
25 – Vella – “Delírio Besta” (18)
26 – Karol Conka – “Tempos Insanos” (20)
27 – Jadsa – “Quietacalada” (21)
28 – Hiran – “Gosto de Quero Mais” (22)
29 – Giovanna Moraes – “Sai por Inteira” (23)
30 – ATR e Luedji Luna – “Batom” (26)
31 – JP – “Chorei Dendê” (27)
32 – Rohmanelli – “Do Jeito Que o Mundo Está” (29)
33 – Kunumí MC – “Xondaro Ka’aguy Reguá (Guerreiro da Floresta)” – (31)
34 – Duda Brack – “Contragolpe” (32)
35 – Compositor Fantasma – “Não Sabendo Que Era Impossível” (33)
36 – Don L – “Kelefeeling” (34)
37 – Mahmundi – “Nós De Fronte” (35)
38 – Rico Dalasam – “Mudou Como?” (36)
39 – ÀIYÉ – “Pulmão” (38)
40 – Os Amanticidas – “Paisagem Apagada” (39)
41 – Coruja BC1 – “Baby Girl” (40)
42 – Edgar – “Carro de Boy” (41)
43 – Douglas Germano – “Valhacouto” (42)
44 – Kiko Dinucci – “Veneno” (43)
45 – Jhony MC – F.A.B. (44)
46 – Cícero – “Às Luzes” (45)
47 – Djonga – “Procuro Alguém (46)
48 – Vovô Bebê – “Êxodo” (48)
49 – Troá! – “Bicho” (49)
50 – Febem, Fleezus e CESRV – “Terceiro Mundo” (50)

***

***

* Entre parênteses está a colocação da música na semana anterior. Ou aviso de nova entrada no Top 50.
** Na vinheta do Top 50, a cantora carioca Letrux, a primeira a repetir o cartaz desta seção com foto diferente.
*** Este ranking é formulado por Lúcio Ribeiro e Vinícius Felix, talvez o maior estudioso da nossa CENA. Com uma pequena ajuda de nossos amigos, claro.

>>

CENA – Eletrônico chic, participação chic, vídeo chic. Nuven lança single com vocais de Ale Sater (Terno Rei)

>>

* O ótimo Nuven, projeto eletrônico do produtor paulistano Gustavo Teixeira (foto abaixo), está a caminho de lançar um novo EP, chamado “Hiperreal”, que o selo Balaclava Records bota nos streamings no dia 14 de agosto.

2 - _MG_9955

Deste novo disco já conhecemos a música Instante, lançada agora em julho. Mas hoje o Nuven revelou seu mais novo single-vídeo, “Par de Ondas”, com vocal participativo de Ale Sater, frontman da banda Terno Rei.

Tudo funciona de forma bonita aqui. Música, batidas, voz, vídeo, fotografia, letra, edição. A realidade sintética da música do Nuven, a realidade etérea do vídeo, e a realidade melancólica que sai da boca de Sater, da forma que sai, levam a uma pegada de autoconhecimento através da solidão. O clima “countryside” ajuda.

O vídeo foi gravado nas cidades de Urânia, no interior de São Paulo, e Aparecida do Taboado, no Mato Grosso do Sul.

Sobre a parceria, Gustavo Nuven diz que o instrumental estava quase pronto quando Ale Sater emprestou seus vocais, o que fez a música programada mudar de direção.

“A voz me inspirou a mudar os timbres que eu já havia escolhido, levando a intenção da faixa para outro lugar. Mudei os sons da bateria, os sintetizadores, o órgão virou piano e reestruturei tudo para que ficasse mais com um formato de canção”, disse o compositor.

Resumindo, ficou assim:

>>

Festival eletrônico 1/4 Fest promove no sábado 16 horas de festas em três salas do Zoom. Mais um “lounge”. Oi?

>>

Captura de Tela 2020-05-21 às 3.44.27 PM

* No movimentado mundo das lives, pede passagem neste sábado, 23, o “inusitado” 1/4 Fest, festival online dentro da plataforma Zoom a ser realizado em três ambientes (quartos?) diferentes e um “lounge”, em 16 horas de duração direta e com 35 artistas, brasileiros e portugueses, a maioria da rica cena eletrônica nacional.

A conexão lusitana se estabelece forte porque o festival é cria do Coletivo 1/4 Club, que é de Portugal mas foi criado por brasileiros. O coletivo parte para os festivais online depois de ter realizado, desde março, o começo da quarentena, uma série de web-parties e alguns talks sobre o futuro da arte e do entretenimento.

As três salas do Zoom do festival (quartos?) mais o lounge têm nome: Palco Tropical, Palco Discothèque e Palco Techno. O “lounge” do 1/4 Fest será comandado pela importante rádio online Veneno, a partir de uma sala da Vila Madalena, em São Paulo. Todos os ambientes contarão com propostas visuais de artistas independentes, é o informado.

Rodrigo-Bento

Representando a música do festival binacional ainda que 100% brasileiro (!) teremos, nas 16 horas da electro-programação, nomes e geografias musicais como Cashu (Mamba Negra, SP, foto na home da Popload), Miss Tacacá (da festa Taka Night, de Belém), JV (criador da Revérse, de Recife), Rodrigo Bento (DJ residente do coletivo Pilantragi, SP, foto acima), Tessuto e L_cio (Capslock, SP), Lagoeiro e Ianzona (da Masterplano, de BH), Larissa Jennings (da Festa Até às 4, do Rio), entre muitos outros.

O festival ainda traz uma parceria com o festivai indie pernambucano Coquetel Molotov, que convida as artistas Guma, de Recife, e Gab Ferreira, de Santa Catarina.

O 1/4 Fest começa às 15h deste sábado com previsão de término às 7h do domingo.

Para percorrer os seus quatro ambientes sonoros, será preciso comprar um ingresso, com preço facultativo a partir do mínimo de R$ 10. O total arrecadado será revertido para todos os colaboradores do evento, como artistas e produtores.

Todas as informações serão divulgadas pelo Instagram do coletivo 1/4 Club.

>>

CENA: Ouça single inédito do Nuven. Músico toca hoje, de graça, em SP

>>

* Um dos destaques da caravana brasileira que se apresentou neste ano no festival Primavera Sound, em Barcelona, em junho, o produtor electrocool Gustavo Teixeira antecipa hoje no Centro Cultural de São Paulo as músicas do primeiro álbum de seu projeto, o Nuven.

nuven 2

Uma espécie de eletrônico classudo que fica em algum lugar entre Four Tet e Unknown Mortal Orchestra e Caribou, como eu li por aí, o Nuven lança no dia 23 de setembro agora o disco “Partir”, que tem o selo indie Bataclava coordenando a parada. Na Espanha, chegaram a dizer que Nuven segue a linha do Jamie XX, para dar uma ideia.

A Popload lança aqui o single “Claro”, que estará no álbum “Partir”. Ouça abaixo e embarque no ambiente do Nuven:

** O Nuven toca hoje no CCSP, com entrada gratuita, a partir das 20h. A banda instrumental paulistana Meneio está também na programação da noite, no evento que será realizado na sala Jardel Filho. O evento no Facebook é este aqui. E os ingressos precisam ser retirados por volta de duas horas antes do início do evento. Portanto, apresse-se.

*** O player do Soundcloud com o single “Claro” traz a foto do álbum “Partir”, de autoria de Rodrigo Fonseca. As fotos do Nuven que estão na home do Popload e a que abre este post são de divulgação da Balaclava.

**** Ouça aqui “Escape”, música também do disco de estreia do Nuven que já está disponível.

>>

Indie brasileiro invade o Primavera Festival para tocar e falar

>>

* Popload em Barcelona.

* O texto abaixo foi publicado hoje na capa da Ilustrada, caderno cultural da Folha de S.Paulo. É replicado aqui, sem cortes e com foto e vídeo.

IMG_3082

A cena independente brasileira está em conexão direta com um dos principais festivais da Europa hoje, o espanhol Primavera Sound, um dos primeiros da temporada de verão do Hemisfério Norte, que a gente se deslocou até aqui em Barcelona para ver de perto.

O evento tem aberto cada vez mais espaço para bandas nacionais tocarem e para produtores trocarem experiências em palestras sobre o estado de coisas da música e de festivais no Brasil em particular e na América do Sul, em geral. Um garagem punk aqui e uma discussão sobre como ser herói no Brasil fazendo festival com o dólar deste tamanho. Um grupo de electro-rock quase pelado acolá e um papo sobre políticas públicas para a música no Brasil.

Os paulistanos Inky, Aldo The Band, O Terno (foto acima), o Quarto Negro e Nuven, projeto eletrônico de Gustavo Teixeira, mais o curitibano Water Rats, e o potiguar Mahmed, se apresentaram tanto no palco Nightpro, um local para ver e ouvir novíssimas tendências dentro do Primavera Festival, quanto nos shows de dia no suntuoso CCCB, o centro de cultura contemporânea de Barcelona.
Todas as bandas foram trazidas a Barcelona por instituições brasileiras que desenvolveram um rico intercâmbio com o Primavera, como os festivais Bananada (de Goiânia) e Do Sol (de Natal) e o selo de discos e produção de shows Balaclava, de São Paulo.

As performances do Inky, assim como a do Aldo The Band, atraíram um bom público no Primavera Sound, conquistado mais pela curiosidade e pelo desempenho inicial das bandas do que por saberem quem exatamente estava no palco naquela hora. No Aldo, que começou com poucas pessoas na plateia, acabou com muita gente formando uma verdadeira pista de dança em frente à banda, inclusive. Bandas de estilos bem diferentes como O Terno (rock sessentista, uma jovem guarda mais atualizada e pesada) no CCCB ou o paranaense Water Rats (garagem punk) tocando no último dia às 4h da manhã atraíram público considerável para vê-los.

O intercâmbio com um festival tão importante hoje para a música independente mundial (as atrações principais foram Radiohead, Brian Wilson, LCD Soundsystem) rendem várias aberturas para culturas indies “distantes” do eixo Europa-EUA, como a brasileira. O Aldo The Band, por exemplo, para aproveitar a vinda à Espanha, cavaram um show em Portugal e outro num festival de Liverpool, Inglaterra, a terra dos Beatles.

“A gente faz shows com o Primavera desde 2010 e começamos trazendo duas bandas do Brasil”, afirma Fabrício Nobre, produtor do festival goiano Bananada e um dos elos da ligação com o festival espanhol. “Hoje estamos ao todo trazendo sete. O interesse está naturalmente crescendo. O bacana é que fazemos uma pré-curadoria com umas 20 bandas para indicar aos espanhóis. Eles é que ouvem e decidem quem vem, quantos vêm. Quem sabe em 2017 venham mais.”

Na foto acima, o grupo paulistano Terno se apresentando no CCCB, em Barcelona. Na home da Popload, a banda Inky em performance no mesmo local.

Abaixo, o vídeo do Quarto Negro tocando no palco NightPro, dentro do Primavera Festival 2016.

** A Popload voa pela Europa a convite da KLM e Air France.

>>