Em oasis:

No Top 20 britânico, Liam Gallagher está vendendo mais do que os outros 19 somados. E a mãe dele já desistiu do Oasis

>>

101017_liam2

Há alguns meses, Liam Gallagher deu uma entrevista falando que se seu disco de estreia solo – “As You Were” – fracassasse nas vendas, ele certamente não cantaria mais. Essa preocupação nem ele nem seus fãs precisam ter mais. O álbum que saiu sexta passada está no topo das paradas britânicas e no momento atinge uma façanha: no Top 20 das vendas, Liam vendeu mais do que os outros 19 concorrentes somados. Neste meio estão nomes como the Darkness, Marilyn Manson e A-ha.

Na prévia do meio de semana, “As You Were” atinge cerca de 80 mil cópias e deve passar das 100 mil até sexta, quando é fechada a contagem da semana. Puxado por singles como “Wall Of Glass” e “For What It’s Worth”, o disco de fato é bem bom e coeso, e significa uma espécie de renascimento de Liam, que andou patinando após o fim do Oasis com o Beady Eye, que definitivamente não deu certo, enquanto em outra ponta seu irmão Noel lançou dois álbuns solo que tiveram boa aceitação.

O estabelecimento de Noel e Liam em suas carreiras solo podem afastar ainda mais a possibilidade de um retorno do Oasis. Além da inimizade que paira entre os dois, Liam disse para a Rolling Stone que a própria mãe deles já jogou a toalha. “Minha mãe já desistiu. Ela está tipo: ‘estou pouco me fodendo. Tenho 75 anos agora! Foda-se os filhos, já deu’. Ela vai nadar, faz as coisas dela. Não está interessada”.

Por outro lado, na mesma entrevista, Liam admite que ainda não se sente a vontade em seguir carreira solo. “Preferia estar falando sobre um disco do Oasis do que de um disco solo do Liam. E sei que Noel Gallagher também iria preferir. Porque somos melhores juntos. Sou bem seguro disso, e ele também”.

Liam e Noel virão ao Brasil nos próximos meses. Separados, claro. Enquanto o guitarrista chega a São Paulo na próxima semana para abrir uma série de quatro shows do U2, o vocalista será uma das atrações do Lollapalooza 2018.

Ontem, Liam esteve no programa de James Corden, a quem tinha chamado de “gordo idiota” há algumas semanas. Mudou o pensamento e disse que ele estava errado, que o apresentador é boa pessoa. Coisas de Liam.

>>

Noel Gallagher caiu na pista de dança em novo single que ele chama de irritante. Ouça “Holy Mountain”

>>

noelnova6

Noel Gallagher prometeu um disco diferentão e, parece, vai cumprir a promessa com “Who Built The Moon?”, seu terceiro projeto em carreira solo, que chegará ao mercado dia 24 de novembro.

A primeira amostra do álbum, o single “Holy Mountain”, mostra que Noel resolveu se arriscar. Fã de música eletrônica de vanguarda desde sempre, o ex-líder do Oasis convocou o produtor irlandês David Holmes para conduzir os trabalhos. O figura é uma espécie de entidade da eletrônica e tem seu nome associado a diversas trilhas sonoras de filmes, também.

Em “Holy Mountain”, Noel de fato mira outro direcionamento. Diz ele, a canção foi inspirada nas músicas pop dos anos 70, época em que ele cresceu ouvindo coisas do tipo. “Em uma das primeiras sessions que fizemos, a linha de gancho e a parte da flauta soaram como as coisas mais grudentas do mundo. Há um sample de uma música da banda dos anos 70 The Ice Cream, chamada ‘Chewing Gum Kid’. Não tente achar no Google, é algo obscuro e você nunca vai encontrar isso”, disse Noel.

*** Nota: encontraram a música.

Noel ainda contou que o próprio produtor não tinha muita convicção. “Nós ouvimos a música e ele disse: ‘você gostou?’. Eu respondi tipo ‘Wow! Como eu nunca havia ouvido isso?’. Então, pegamos o sample e adicionamos o dee, do, do, do… e foi só crescendo. Trabalhei no arranjo, fizemos uma jam e colocamos a bateria. Daí veio de novo o David: ‘você ainda acredita que funciona no álbum?’. Foi que eu disse que seria o primeiro single, porque se me pegou, eu tinha que finalizá-la”.

O irmão do Liam ainda falou que o charme da música é que há muita alegria nela. “Meus filhos adoraram. Com certeza será um hino nos playgrounds de Notting Hill. Meus meninos gostaram, os filhos dos meus amigos também. Na segunda vez que você ouvir, isso vai prender na sua cabeça. Posso dizer que vai ficar até irritante, mas é brilhante”, avisou.

Gallagher estará no Brasil em breve para quatro shows com o U2, no Morumbi. Resta saber se ele testará o single ao vivo.

>>

Liam Gallagher on fire: “As You Were” está entre nós, agora de forma oficial. E tem ainda cover de Bob Marley

>>

061017_liam2

Hoje 6 de outubro pode também ser conhecido como o dia do Liam Gallagher. Nesta data, o irmão mais novo do Noel lança seu disco de estreia solo, “As You Were”, curiosamente nove anos após o lançamento do último álbum do Oasis, “Dig Out Your Soul”, que saiu também em um 6 de outubro, lá em 2008.

“As You Were” tem 12 músicas em sua versão original, mais três bônus na versão deluxe, entre elas uma boa chamada “Doesn’t Have To Be That Way”, que encaixaria fácil na lista do álbum. Coisas de Gallaghers.

Também nesta sexta, Liam esteve na BBC Radio 2 para uma session logo de manhã, onde cantou em formato acústico os singles “Wall Of Glass” e “For What It’s Worth”, além daquela tal “Wonderwall” e uma inesperada cover de “Natural Mystic”, de Bob Marley.

Liam se apresenta neste sábado no Cal Jam, festival do Foo Fighters em San Bernardino, na Califórnia. Em março ele estará no Brasil para o Lollapalooza.

Tanto o álbum quanto a session podem ser ouvidas abaixo.

>>

Eletrônica com psicodelia: Noel Gallagher promete disco mais ousado da carreira para 24 de novembro

>>

noelnova6

Mundo do rock em choque com os dois minutos e meio do novo material de Noel Gallagher, que apareceram em vídeo para anunciar “Who Built The Moon?”, terceiro disco solo do ex-líder do Oasis, que será lançado dia 24 de novembro.

Produzido pelo norte-irlandês David Holmes, famoso produtor e compositor que tem nome ligado essencialmente à música eletrônica e a trilhas sonoras como da trilogia “Onze Homens e Um Segredo”, o álbum terá 11 faixas originais, com duas bônus.

A julgar pelo vídeo mostrado por Noel, ele enfim vai se arriscar em uma zona fora de seu conforto. Crescido no ambiente do famoso clube Haçienda, em Manchester, Noel sempre flertou com a eletrônica desde os tempos de Oasis. Gravou diversas colaborações com gente como Goldie, UNKLE, Chemical Brothers e Prodigy.

Ainda que aponte um novo direcionamento musical em um disco que promete ser recheado de elementos da disco, o guitarrista terá como convidados dois velhos conhecidos: Paul Weller, em “Holy Mountain”, e Johnny Marr, em “If Love Is The Law”.

Junto com o disco, Noel anunciou as primeiras datas de sua turnê mundial em 2018 pela Europa e Reino Unido. O rolê começa em abril, com dois shows em Paris. Antes, ele faz quatro shows de abertura no Brasil, mês que vem, para o U2.

Who Built The Moon? – Tracklist
1 Fort Knox
2 Holy Mountain
3 Keep On Reaching
4 It’s a Beautiful World
5 She Taught Me How To Fly
6 Be Careful What You Wish For
7 Black & White Sunshine
8 Interlude (Wednesday, Pt. 1)
9 If Love Is the Law
10 The Man Who Built the Moon
11 End Credits (Wednesday, Pt. 2)

Bônus
Dead In the Water (Live At RTÉ 2FM Studios, Dublin)
God Help Us All (versão japonesa)

ng2017_album2

>>

Liam Gallagher mostra mais uma bela música do seu disco solo. E atualiza suas opiniões sobre tudo

>>

100817_liamgallaghergq

Em todo canto da internet, das bancas de revista (elas ainda existem), nas rádios e festivais, lá está Liam Gallagher. A eterna voz do Oasis está ecoando bonita não apenas em suas novas músicas solo, mas também nas entrevistas imperdíveis que a gente já conhece há mais de 20 anos.

Capa da GQ inglesa, em matéria que rendeu nada menos que 14 páginas, convidado para podcast da Rolling Stone, figura destacada em artigos da cool Noisey, personagem de texto “reflexão” sobre o pop no Guardian de hoje, no qual o jornalista Ben Beaumont-Thomas o descreve como “uma estrela sem filtro que veio nos salvar do tédio do pop”, com um “carisma irrestrito que tem ainda mais valor” nos dias de hoje.

Os últimos tiros de Liam se direcionaram para muita gente, de um jeito bom e ruim. Próximo de Dave Grohl, disse que o líder do Foo Fighters ferrou a vida de todo mundo que tem banda quando quebrou a perna e mesmo assim continuou fazendo shows. “Se eu estiver resfriado, não vou poder cancelar um show, ou vou parecer uma mocinha”, disse o Liam.

Sobre Mick Jagger, a quem chama de “dinossauro”, o irmão do Noel falou com seu humor britânico peculiar que o líder dos Rolling Stones, “coitado”, terá que dançar no palco até os 108 anos de idade. “Sou anti-entretenimento”, diz o Gallagher.

Já sobre Bono, um dos melhores amigos de Noel e com quem já esteve em diversas oportunidades, Liam preferiu entrar mais de sola. “Tive uma conversa com ele sim. Preferia ter tido uma experiência fora do corpo. Ele não está no meu top 50”.

100817_liamgallagher2

Falando do novo disco de Jay-Z, baseado especialmente em sua relação conjugal com Beyoncé, Liam, claro, também tem sua opinião. “Esse tipo de coisa deveria ser deixada na cadeira do seu psiquiatra, não? Coloca tudo em uma música só. Mas na porra do disco inteiro? Não é pra mim”.

Outro rapper citado por Liam, agora de um jeito engraçado, foi A$AP Rocky. “Meus filhos adoram grime. Stormzy, Skepta, ele parece bem doido. Gosto dele. Eles também gostam daquele cara, WhatsApp Ricky, saca? Aquele americano, estiloso, engraçado, com dente de ouro”. Interrompido pelo repórter, que falou o nome certo de A$AP, Liam não perdeu a linha. “Sim! Aquele cara. WhatsApp Ricky. É uma porra de nome melhor de toda forma”.

Nas entrevistas sobrou até para o mar, que Liam diz não gostar e ser um ambiente só para os tubarões mesmo. “Fuck the sea”, decretou.

No meio de todas as entrevistas imperdíveis, Liam tem iniciado bem sua carreira solo e acabou de divulgar seu terceiro single, “For What It’s Worth”, mais uma música bem boa. Baladinha classe, que segura bem a onda das antecessores “Wall Of Glass” e “Chinatown”.

Logo na primeira frase, um Liam Gallagher autocrítico: “In my defence my intentions are good”…

** O irmão do Noel vai lançar seu primeiro disco solo, “As You Were”, dia 6 de outubro. Se nada mudar no meio do caminho, ele será uma das atrações do Lollapalooza Brasil em 2018, em Interlagos.

>>