Em of monsters and men:

Of Monsters and Men começa a divulgação de novo disco com apresentação pesada e “polêmica” no programa do Jimmy Fallon

>>

200519_ofmonsters2

Já em ritmo de divulgação de seu novo disco, “Fever Dream”, com lançamento anunciado para 26 de julho, o adorado Of Monsters and Men esteve no programa de Jimmy Fallon para mostrar o novo single, “Alligator”.

O disco foi produzido por Rich Costey, que tem no currículo trabalhos com nomes da linha de Muse, Death Cab For Cutie e Fiona Apple. Este será o primeiro álbum da banda islandesa desde 2015.

Em comunicado, o grupo informou que “‘Alligator’ bem nossa empolgação e energia que estamos sentindo com o fato de estarmos de volta. Mal podemos esperar para divulgar mais músicas e nos encontrar com todo mundo novamente”.

No Fallon, a versão ao vivo (e pesada) trouxe um efeito diferente no microfone da Nanna, o que deixou alguns fãs um tanto pistola, dando início a uma polemiquinha. Haha. O vídeo pode ser visto abaixo.

>>

Após quatro anos, Of Monsters And Men abre os trabalhos para o novo disco Fever Dream e mostra o single “Alligator”

>>

070519_ofmonstersandmen2

Grupo adorado pela galerinha indie e também do pop, o Of Monsters And Men prepara o lançamento de Fever Dream, seu primeiro disco em quatro anos, para o dia 26 de julho!

O disco tem as mãos do produtor Rich Costey, que já trabalhou com Muse, Death Cab For Cutie e Fiona Apple, só citando alguns. Há alguns dias a banda islandesa liberou o primeiro single, “Alligator”, abrindo os trabalhos para este terceiro disco de estúdio.

“A música traduz bem nossa empolgação e energia que estamos sentindo com o fato de estarmos de volta. Mal podemos esperar para divulgar mais músicas e nos encontrar com todo mundo novamente”, disse o grupo, em comunicado.

“Alligator” chega apresentada com um lyric video psicodélico, que pode ser visto abaixo.

>>

Of Monsters and Men e o show mais delicinha em Interlagos

>>

A segunda vez da banda indie-folk Of Monsters and Men no Brasil (e no Lollapalooza) deu um certo ar de “banda maior” aos islandeses. Até pelo horário (meio da tarde), eles conseguiram atrair um público considerável ao palco Onix, aquele de visual diferente e que dá uma pitada especial ao clima dos shows por causa do morro onde se concentra boa parte da galera, e que faz remeter a anfiteatros norte-americanos.
Com dois álbuns lançados, o OMAM parecem ter pelo menos no Brasil alcançado o patamar de banda indie “grande”. Entre os “lala”, “hey” e “ooh”, o pessoal balançava o corpo no cinzento e chato clima que tomou conta da região de Interlagos o sábado todo.
Dá para notar que o Of Monsters and Men é uma ótima banda pra festival, principalmente para o período da tarde, quando o pessoal quer “só” assistir um show, sem entrar muito no mérito se é bom ou ruim. Para os fãs, foi uma ótima oportunidade de ver a banda num horário sem muito tumulto e correria.
A melancolia fofa que a banda apresenta em suas canções arrancou mais empenho do público na parte final da apresentação, quando eles mandaram lá pelo fim as ótimas “Six Weeks” e “Little Talks”. Não dá pra saber qual foi o gap em que o OMAM ficou “grande” no Brasil, mas se continuarem com esse jeitinho come quieto, não me espanta em alguns poucos anos eles estarem no palco principal em horário mais privilegiado.

Foto: I Hate Flash


*****

** A OPINIÃO DA GALERA (no Twitter, claro)

@Tonkiel As pessoas chorando no show do Of Monsters and Men eu só consigo imaginar que o pai morreu ao som daquela canção

@larriedirtysoul Acho q todo mundo deveria senti oq eu senti no show d of monsters and men qlqr pessoa sente o seu coracao sendo perdoado durante as musicas

@xstonecold OF MONSTERS AND MEN EU ESCOLHI TE AMAR

@Bernardogs Of Monsters and Men é aquela banda que nunca ouvi falar, mas que, colocando pra tocar, conheço todas as músicas..

@velhaelouca_ Tenho vontade de injetar as musicas do of monsters and men na minha veia

@vitordornelles Meio confuso aqui no show do Of Monsters and Men. Acho que tem uns 20 minutos que eles tão repetindo a mesma música.

@Gergonzalles Of Monsters And Men tocando Little Talks no lollapalooza foi tipo o Iron Maiden tocando Fear Of The Dark no rock in rio 2001 kkkk 😀

*** Lollapalooza Cobertura Popload: Lúcio Ribeiro, Alisson Guimarães, Ana Carolina Monteiro, Isadora Almeida, Alexandra Gliv Zampieri.

Saiu a lista das Lolla Parties. Eagles of Death Metal faz show no Cine Joia. Snoop ataca de DJ

>>

270116_cwk

* Conforme adiantamos há dois postinhos, o Lollapalooza Brasil soltou nesta manhã a lista dos sideshows que vão fazer as Lolla Parties deste ano, as performances intimistas, em clubes. Direto e reto, a lista é assim:

* MARINA & THE DIAMONDS, dia 11 de março, no Audio Club
* SNOOP DOGG DJ, Snoopadelic, dia 13 de março, no Audio Club
* ALABAMA SHAKES e COLD WAR KIDS (foto acima), dia 14 de março, no Audio Club
* EAGLES OF DEATH METAL + Vintage Trouble, dia 15 de março, no Cine Joia

* Ingressos para todas as Lolla Parties estarão disponíveis a partir de hoje (27/01), ao meio-dia, na bilheteria oficial no Citibank Hall São Paulo (Av. das Nações Unidas, 17.955), pela internet e pontos de vendas espalhados pelo país.

Rio de Janeiro e Curitiba são outras cidades que terão shows solos do Lollapalooza paulistano.

* OF MONSTERS AND MEN e THE JOY FORMIDABLE dividem o palco do Circo Voador, no dia 13 de março. Infos do Circo, aqui.
* FLORENCE & THE MACHINE e MUMFORD & SONS tocam no Metropolitan, Rio, no dia 14 de março. Info e ingressos aqui.
* ALABAMA SHAKES assume o Circo Voador em show solo no dia 15 de março.
* Twenty One Pilots e Walk The Moon se apresentam no Sacadura 154, no dia 16 de março, no Sacadura 154. Ingressos aqui.

* O veterano grupo de hardcore punk BAD RELIGION se apresenta em CURITIBA no dia 15 de março, no Spazio Van. Info de ingressos aqui.

Corra, Lolla. Corra!

>>

Warpaint vem à América do Sul, mas não para o Brasil. Já o Of Monsters and Men chega em 2016 em SP e Rio

>>

* Está estranho. Seguindo o caminho do Blur, que aparece no segundo semestre para shows na América do Sul (Argentina e Chile) mas não toca no Brasil, o grupo de meninas californianas Warpaint teve sua turnê latina divulgada sem incluir São Paulo ou Rio na jogada, mas acertando datas em Chile, Argentina e Peru. O Warpaint chega agora em agosto aos países vizinhos para a edição 2016 do Converse Rubber Tracks, a festa da famosa marca de tênis que acontece em cidades do mundo de forma gratuita, com presença baseada em inscrição pela internet.

Screen Shot 2015-08-04 at 6.46.44

O site do festival, atualizado ontem à noite, destaca Santiago, Buenos Aires, Lima e São Paulo, mas coloca o Warpaint como atração apenas nos três primeiros lugares. O quarteto de Los Angeles se apresenta no dia 18/8 para os peruanos, dia 20 deste mês para os chilenos e dois dias depois aos argentinos. Ao se referir a São Paulo, o Rubber Tracks comemora a parceria com o estúdio Family Mob, da Lapa, para gravações de novas bandas.

O Warpaint, que em 2014 lançou seu belo segundo álbum, homônimo, negociava shows no Brasil há alguns meses. Com essa história da divulgação da festa da Converse em território hermano e a devida “ignorada” brasileira, o show da banda aparentemente seguiu sem ser comprado para o Brasil. Nem a Converse quis bancar sozinha para cá. Aguardemos mais desenrolares desse “Warpaint (não) no Brasil”

Screen Shot 2015-08-04 at 6.44.48

* Lolla Brasil 2016 – O grupo indie-folk Of Monsters and Men (foto acima), da Islândia, volta em 2016 para shows no Brasil. A banda vem ao Lollapalooza brasileiro em abril de 2016, que acontecerá em Interlagos, São Paulo, depois de ter sido atração neste final de semana que passou na edição de Chicago do festival. Um show solo no Rio está nos planos da banda e do festival.

O Of Monsters & Men, que já tocou por aqui no Lollapalooza em 2013, inclusive fazendo show solo no Cine Joia, se junta a Mumford & Sons e Sam Smith na próxima edição do festival, pelo que sabemos a esta altura. A banda trará ao Brasil, desta vez, a turnê de seu disco novo, “Beneath the Skin”, recém-lançado.

Screen Shot 2015-08-04 at 6.45.29

O Of Monsters and Men, domingo no Lolla Chicago, se apresentou para um público “pequeno”

>>