Em Paul McCartney:

Paul McCartney provoca correria no deserto e faz show para 300 pessoas

>>

151016_paul2

Fazendo do deserto da Califórnia sua casa por uma semana, Paul McCartney está na região para o Desert Trip, o festivalzão conhecido também como Oldchella, que reúne, além do ex-beatle, atrações como Bob Nobel Dylan, Rolling Stones, The Who, Neil Young e Roger Waters.

Paul tocou no festival sábado passado e vai repetir a dose neste próximo fim de semana e aproveitou o tempo livre para provocar uma pequena correria.

Ontem, no fim da tarde, Paul anunciou que tocaria no Pappy & Harriet, um barzinho localizado em Pioneertown, na região censo-designada de Joshua Tree, com capacidade para, atenção, 300 pessoas. Bandas como Queens of the Stone Age, Arctic Monkeys e Vampire Weekend já tocaram por lá.

Os ingressos, pessoais e intransferíveis, foram colocados à venda por volta das 18h30 e custavam 50 dólares. Quem comprou era obrigado a entrar no local do show, para evitar ações de cambistas. O show teve início às 20h30 e Paul fez uma apresentação menor que a costumeira. Ainda assim, histórica.

151016_paul1

O ex-beatle tocou 21 canções e revisitou seu catálogo solo, do Wings e, claro, de sua banda que mudou o mundo. Aos poucos, vão aparecendo alguns registros feitos pelos sortudos que lá estiveram, tipo estes…

Paul McCartney Setlist Pappy & Harriet's Palace, Pioneertown, CA, USA 2016, One on One

>>

O deserto da Califórnia enquanto centro do mundo. Algumas impressões do primeiro fim de semana do Oldchella

>>

101016_deserttrip

Rolling Stones e Bob Dylan na sexta. Paul McCartney e Neil Young no sábado. The Who e Roger Waters no domingo. O fim de semana histórico em Indio, Califórnia, reservou seis shows de artistas dos mais aclamados de todos os tempos, no festival Desert Trip, que muita gente prefere chamar de Oldchella. No lugar das engenharias, tendas eletrônicas e efervescência indie do Coachella, um clima de nostalgia absurda tomou conta de milhares de pessoas no meio do deserto. Classe.

* Na sexta-feira, os trabalhos foram abertos por Bob Dylan. Calado, mal conversou com o público e passou boa parte de sua apresentação ao piano, mas não deixou de despejar hits como Don’t Think Twice, It’s All Right, Tangled Up in Blue e Lonesome Day Blues. Uma rara apresentação de Dylan para grandes públicos, já que ele tem preferido se apresentar em teatros nos últimos anos.

Bob Dylan Setlist Desert Trip 2016, Never Ending Tour

* Os Rolling Stones reservaram algumas surpresas em seu set. Little T&A, do disco Tattoo You, foi tocada pela primeira vez em mais de uma década. “Ride’ Em on Down”, do novo álbum “Blue and Lonesome”, teve sua estreia ao vivo. Mas o grande momento da noite foi quando a turma liderada por Mick Jagger mandou ao vivo uma cover de Come Together, dos Beatles. Mas isso é assunto para outro post…

The Rolling Stones Setlist Desert Trip, North America Mini Tour 2016

* A programação no sábado foi aberta pelo gênio Neil Young, em fase politizada, preocupado com a ecologia, os rumos do planeta e tudo mais. O canadense tem sido acompanhado pela banda Promise of the Real e revisitado seu vasto catálogo de canções incríveis. A tríade de abertura, por exemplo, é After the Gold Rush, Heart of Gold e Comes a Time. O encerramento é com a classuda Rockin’ in the Free World. Mas o show de Neil não acabou quando terminou, até porque…

Neil Young + Promise of the Real Setlist Desert Trip 2016, Rebel Content

101016_deserttrip_slider

* Neil apareceu no show de outra lenda, Paul McCartney. O beatle, parça do Brasil nos últimos anos, apresentou seu show de sempre, cantando canções de sua famosa ex-banda, do Wings e da carreira solo. Mas os melhores momentos ficaram reservados para a parceria de Paul e Neil, amigos há tipo cinco décadas. Os dois reeditaram ao vivo as músicas A Day in the Life e Give Peace a Chance, fazendo quase 100 mil pessoas cantarem a plenos pulmões. Ainda houve tempo para uma versão improvisada de Why Don’t We Do It in the Road?, nunca tocada ao vivo. Macca ainda botou no set a faixa I Wanna Be Your Man pela primeira vez desde 1993.

* O domingo foi o dia mais politizado do festival. No palco, The Who e Roger Waters. A banda inglesa fez uma apresentação mais light, de duas horas, e falou especificamente de sua história no país, iniciada com o sucesso do single I Can See For Miles, em 1967, quando a banda era a Adele ou a Lady Gaga da época, palavras do vocalista Roger Daltrey. No setlist, outros sucessos como My Generation, Pinball Wizard e The Kids Are Alright, esta última oferecida para os “jovens” da plateia.

The Who Setlist Desert Trip, Back to The Who Tour 2016

* Mais tarde, um show pesado de Roger Waters. O ex-Pink Floyd aproveitou a apresentação em solo norte-americano para atacar de forma dura o candidato à presidência, Donald Trump, chamado pelo músico de “porco, sexista, machista e racista”. No telão, diversas imagens enfatizaram o posicionamento contrário de Waters em relação ao magnata. Em um dos momentos mais polêmicos da apresentação, o músico colocou crianças mexicanas no palco sob os dizeres “Abaixe o muro”, fazendo referência à declaração de Trump, que disse que construiria um muro na fronteira sul dos Estados Unidos para evitar a entrada de mexicanos no país, porque eles são “cheios de problemas e carregam drogas”.

Roger Waters Setlist Desert Trip 2016, The Best of Pink Floyd

*** O festival Desert Trip terá um repeteco no próximo final de semana, com a mesma programação de shows, seguindo o exemplo do Coachella.

101016_desertrip2

>>

Paul McCartney recebe um Grateful Dead no palco em show na cidade de Boston

>>

180716_paulbob

Apesar de serem artistas surgidos em uma mesma época e de suas bandas sempre terem demonstrado admiração pela outra, pela primeira vez um membro dos Beatles e da Grateful Dead dividiram um palco.

O acontecimento foi na noite de ontem, em Boston, quando Paul McCartney recebeu em seu show o vocalista/guitarrista Bob Weir.

Juntos, eles tocaram as canções “Hi Hi Hi” (Wings) e “Helter Skelter”. Ainda na mistura, no fim, o jogador do New England Patriots, Rob Gronkowski, também subiu ao palco para… dançar.

O encontro, claro, foi registrado pelos fãs e pode ser visto abaixo.

>>

Olha o Paul arrebentando nossos corações. E com uma garotinha de 10 anos…

>>

200516_paul2

O genial Paul McCartney fez um pequeno desvio em sua rota para pagar uma dívida com os argentinos. Ele, que visitou a América do Sul por algumas vezes nos últimos anos, acabou deixando os hermanos na mão, mas desta vez veio para shows exclusivos no país.

O ex-beatle fez shows nas cidades de Córdoba e La Plata, nos arredores de Buenos Aires. Claro, não faltaram momentos especiais, mesmo que a gente saiba que sejam os shows “de sempre”.

Na segunda noite da One on One Tour no estádio do Estudiantes, Paul recebeu no palco uma garotinha chamada Leila, de 10 anos de idade. Ela, ainda arranhando o inglês, disse que estava lá basicamente para tocar uma música com o ídolo. Logo em seguida, ela pegou um baixo e cantou com Paul a incrível “Get Back”, um dos maiores sucessos da carreira dos Beatles.

Leila estava com a mãe na primeira fila e segurava dois cartazes com os dizeres: “Sign my monkey” e “I want to play the bass with you”. Haha.

De escorrer suor nos olhos, hein?!

* Paul agora vai para a Europa, onde fará sua turnê de verão em estádios, antes de retornar para a América do Norte no fim de julho.

>>

Pronto. Até o Paul McCartney fez cover do Prince

>>

050516_paulprince2

Paul McCartney, ele, é mais um artista a entrar na fila de homenagens ao lendário Prince, encontrado morto há duas semanas em sua residência nos arredores de Minneapolis.

De passagem pela cidade, o ex-beatle não poderia deixar passar batida a oportunidade e mandou ao vivo uma cover de “Let’s Go Crazy” no show da noite de ontem. Antes da performance, Paul disse que amava Prince e o agradeceu por “ter escrito tantas músicas incríveis”.

O próprio Paul soltou um trecho do tributo em seu site oficial.

>>