Em pearl jam:

Popnotas – O FBI e o “assassinato” de Kurt Cobain. Miley Cyrus e o menino Kid Laroi no “Saturday Night Live”. Weezer tocando metal ao vivo. O hub de shows do Pearl Jam. E o Passenger para acalmar tudo

>>

– A cantora pop roqueira Miley Cyrus (foto na home) foi a grande atração musical do agitado “Saturday Night Live”, um dos mais importantes programas da TV americana há muitos anos, principalmente nos belos serviços prestados ao som que a gente gosta. O programa foi agitado porque o apresentador da semana foi o doido bilionário Alon Musk. Até sua mulher, a outra doidinha Grimes, apareceu num dos quadros de humor deste “SNL”. Miley Cyrus cantou não duas, mas três canções. Primeiro uma versão de pegada diferente para a “Plastic Hearts”, single de seu mais recente disco. de mesmo nome, lançado no final do ano passado. Depois ela fez uma homenagem às mães cantando “Light of a Clear Blue Morning”, de sua avó, a famosíssima Dolly Parton. Mas o barulho mesmo da presença de Cyrus no “Saturday Night Live” foi que ela levou o menino The Kid Laroi, australiano sensação de 17 anos, que a gente falou um monte sobre aqui. Ela cantou a versão dueto que fizeram do megahit dele, “Without You”, lançada há 10 dias. Foi a primeira vez do rapaz no “SNL”. Foi assim:

– Nirvana voltou tanto ao assunto ultimamente que parece que estamos naquele revolucionário começo dos anos 90. A última é que o FBI revelou os arquivos da “pasta Kurt Cobain”, que investigou se o suicídio do roqueiro, que fez aniversário de 27 anos no último dia 5 de abril, não se tratava na verdade de assassinato, uma teoria conspiratória bastante falada à época. O x-file de Cobain apresentado tem apenas dez páginas, nada muito profundo nas investigações de que foi um crime. Cita até que foram levados a investigar por causa da quantidade de fãs que duvidavam que o final de Cobain era “apenas” a de um cara atormentado que quis tirar a própria vida. O dossiê mencionava em suas páginas até que essa conspiração gerou inclusive um filme com cara de documentário, o “Kurt & Courtney”, do diretor inglês Nick Broomfield, em 1998. O filme, Broomfield, que escreveu, produziu e narrou o doc, suscitava que Courtney Love, a viúva roqueira, poderia estar envolvida nessa “real morte” de Cobain. “Kurt & Courtney” iria estrear no famoso festival de Sundance, mas Love impediu a exibição, ameaçando o evento de processo. Maaaais Nirvana: Mechas do cabelo de Cobain, cortado em 1989 e guardadas por uma amiga durante viagem da tour do primeiro álbum, ‘Bleach’, estão a leilão de memorabilias de rock, aqui. Os lances para comprar os cachos do líder do Nirvana, entre outras coisas, se encerram nesta semana, dia 15.

– Bem, vocês sabem que o Weezer lançou sexta-feira passada seu segundo disco no ano, este de HEAVY METAL, chamado “Van Weezer”, uma homenagem às influências metaleiras de seus integrantes no passado, é o que dizem. Hoje à noite eles mostram uma canção desse disco “pesado” no programa do Jimmy Fallon. Amanhã a gente replica a performance aqui. Na sexta mesmo, dia do lançamento do disco, eles tocaram músicas do “Van Weezer” ao vivo em um show especial para as emissoras alternativa e de rock do conglomerado de rádios americano IHeartMedia. Foi um show de dez músicas que reuniu as músicas “metais”, digamos, com alguns de seus hits. E gerou o vídeo de 50 minutos, abaixo. Contém entrevista com o Rivers Cuomo.

– O grupo Pearl Jam, já que o assunto aqui é Seattle, lançou neste domingo um hub na internet para conectar banda e fãs a um acervo de 186 shows, botando de cara mais de 5.400 faixas ao vivo à disposição da galera, seja áudio e vídeo, no Youtube, na Apple Music, Spotify, Deezer e outros canais de streaming. Chama “Pearl Jam Deep”. O objetivo, segundo a nota oficial, é “presentear os fãs que acompanham a banda há mais de 20 anos e, ao mesmo tempo, dar acesso a uma nova geração de admiradores do Pearl Jam na era do streaming. Está tudo aqui. Além da imersão em diversos shows da banda de Eddie Vedder, vai ser possível ter acesso a playlists com a curadoria dos próprios seguidores do Pearl Jam e ainda construir o seu “show dos sonhos” do Pearl Jam, montando o setlist.

– O músico inglês indie-folk Passenger, projeto do engajado Mike Rosenburg, lançou um vídeo de performance acústica para seu último single, a faixa “What You’re Waiting for”. A música está em seu já famoso álbum “Songs For The Drunk and Broken Hearted”, seu décimo-segundo disco, talvez o primeiro disco “grande” de 2021, lançado em 8 de janeiro. O álbum, que ficou bem nas paradas de vendagens durante o mês de lançamento, tem toda sua venda física revertida a ongs que ajudam a restaurar paisagens naturais prejudicadas por desmatamento. Cada cópia do disco adquirida na loja oficial do artista na internet gera uma árvore nova plantada. O vídeo acústico foi gravado para a Radio 2, da BBC. No mesmo cenário, o Passenger aproveitou para gravar também uma performance para “Sword from the Stone”, principal single do disco, a que abre o “Songs For The Drunk and Broken Hearted” e escrita em conjunto com o amigo Ed Sheeran. Essa “Sword from the Stone” foi enviada para passar sexta-feira no “The Late Show with Stephen Colbert”, na TV americana. Tudo aqui embaixo.

>>

Popnotas – Pearl Jam no parque, só até hoje. Radiohead no Tik Tok. O Brit Awards. E os rolês pesados da Demi Lovato

>>

– Foi primeiro de abril ontem, coisa e tal. Mas foi real que o dia da mentira marcou também o fato de que o cultuado grupo inglês Radiohead abriu uma conta no TikTok. No vídeo de poucos segundos, um personagem criado pela banda há alguns anos para webcasts, o Chieftain Mews, aparece em um telejornal comentando “Tik, tok, tik, tok, this is your wake-up call”. Material suficiente para gente especular. O que o Radiohead vai aprontar? Porque a gente sabe que eles aprontam mesmo.

@radiohead

♬ original sound – Radiohead

– Saíram as indicações ao nosso prêmio de música predileto, o Brit Awards, que vai entregar seus troféus em cerimônia no dia 11 de maio, uma terça-feira, na gigantesca O2 Arena, em Londres. E que sempre rende performances legais e tretinhas. Vai ser transmitido pela TV e talvez tenha broadcast na internet também. A sensibilíssima cantora Arlo Parks, a popesca Dua Lipa, o duo de hip hop Young T & Bugsey, mais Celeste, AJ Tracey e Joel Corry lideram a corrida, com três indicações cada. A principal categoria, o do “British Album of the Year”, está sendo disputado assim:
Arlo Parks – “Collapsed in Sunbeams”
Celeste – “Not Your Muse”
Dua Lipa – “Future Nostalgia”
J Hus – “Big Conspiracy”
Jessie Ware – “What’s Your Pleasure?”

– A simplesmente complicadíssima estrela pop Demi Lovato (foto na home) foi o assunto pop do final de semana, ao ter lançado “Dancing with the Devil… the Art of Starting Over”, seu sétimo álbum. O disco saiu poucos dias depois que o documentário “Demi Lovato: Dancing with the Devil”, de 23 minutos, e na mesma data em que ela lançou o terceiro single+vídeo do álbum, o da faixa “Dancing with the Devil”. Tudo pesado. E tudo material desenvolvido em relação a seus traumas de abuso sexual e drogas que a levou a uma overdose que quase a matou, em 2018. Lovato optou por manter sua carreira ativa e por revelar seus problemas para ajudar pessoas que passaram pelo que ela passou.

– Pelo que entendemos, é por tempo limitado e deve sair do ar hoje. Então veja enquanto dá. A enorme banda americana Pearl Jam liberou em seu Youtube e no Facebook, neste final de semana, um show gigante de 2h30 que fez em 2010 no Hyde Park, em Londres. Este foi um dos 26 shows da “The Backspacer Tour”, de divulgação de seu nono disco, o “Backspacer”, em arenas, festivais e parques. Foram 27 músicas, com covers de Pink Floyd e Joe Strummer & The Mescaleros incluídas.

>>

No Natal, Eddie Vedder lança EP com seis músicas sobre o tempo. O que passou e o que está por vir

>>

vedder

* Eddie Vedder guardou para esta ceia de Natal um presente para seus fãs, para os fãs do Pearl Jam, os fãs do grunge, de Seattle, rock americano, de games e filmes famosos, enfim. Foi o Papai Noel da hora.

Vedder lançou nesta meia-noite o EP de seis músicas “Matter of Time”, delicadezas sonoras que indicam que faltam algum tempo para algo acontecer na mesma medida que acontecem porque o tempo passou. O desenho da capa é de uma ampulheta numa nuvem carregada. As músicas “Matter of Time” e “Say Hi”, mostradas em evento online beneficente em novembro, mas aqui em gravações de estúdio, puxam o EP.

Vedder mostrou as duas músicas novas em uma causa própria bancada por ele e sua mulher Jill, chamada “Venture into Cures”, que buscou chamar a atenção para ajudar crianças com a doença Epidermólise Bolhosa, uma doença de pele genética e hereditária, ainda sem cura. Nisso a “questão de tempo” do EP é mais um grito de esperança.

Junto a essas duas canções vem uma série de quatro outras acústicas gravadas em casa, incluindo uma cover de “Growin’ Up”, de Bruce Springsteen, e “Future Days”, na versão voz e violão, música esta que fechou o álbum “Lightning Bolt”, do Pearl Jam, de 2012, e também aparece no gigantesco game “The Last of Us Part II”, em cena de despedida tocante entre os personagens Ellie e Joel. Entendedores entenderão.

“Porch” é “Porch”, você sabe, do “Ten”, dos anos 90, e “Just Breathe” é de 2009, outra de disco de sua banda famosa (“Backspacer”), mais conhecida por ser um desenvolvimento de uma canção que Vedder fez para a trilha do filme “Into the Wild”, de 2007, que ganhou até covers de Willie Nelson e Miley Cyrus.

“Matter of Time”, o EP, ficou assim:

1. Matter of Time
2. Say Hi
3. Just Breathe (acoustic at home)
4. Future Days (acoustic at home)
5. Growin’ Up (acoustic at home)
6. Porch (acoustic at home)

>>

Eddie Vedder, músico e ativista, tocou duas canções novas em evento online beneficente, ontem. Ouça “Matter of Time” e “Say Hi”

>>

Captura de Tela 2020-11-19 às 11.00.23 AM

* Em evento online beneficente ontem à noite, Eddie Vedder mostrou duas música novas, as inéditas “Matter of Time” e “Say Hi”. O programa, cheio de ilustres participações e uma causa própria bancada pelo líder do Pearl Jam, se chamou “Venture into Cures”, em que Vedder foi também o apresentador, junto com sua mulher, Jill.

O “Venture into Cures”, em parceria com o centro de pesquisa EB Research Partnership, busca chamar a atenção para ajudar crianças com a doença Epidermólise Bolhosa, uma doença de pele genética e hereditária, ainda sem cura. A pele dos afetados fica supersensível e propícia à formação de bolhas e lesões várias, que causam dores severas em suas feridas internas e externas. O EBRP e eventos como esse “Venture into Cures” buscam recursos para estudar mais a doença e aliviar a vida de portadores e de seus familiares.

O EBRS foi fundado por Eddie Vedder e Jill.

Sobre as músicas inéditas, ambas entraram nesta madrugada nos streamings, em qualidade de estúdio. “Say Hi” já havia aparecido em alguns shows solo de Vedder e apareceu no evento cantando ela de modo acústico, banquinho e violão.

E “Matter of Time” teve sua estreia mundial ontem mesmo, no evento virtual, com o conhecidíssimo jornalista David Letterman introduzindo a canção nova de Vedder feita exclusivamente para a causa. A “questão do tempo” do título é sobre a luta pela descoberta da cura da EB. E na música Vedder aparece em animação (foto que abre o post).

No link abaixo está o evento inteiro (leia mais sobre depois do vídeo). Eddie Vedder mostrando suas duas novas canções aparecem a partir do instante 2:02:10.

* Ainda sobre o evento, caso queira assisti-lo na íntegra de 2 horas, ele tem convidados do quilate de, além de seus fundadores e do citado David Letterman, de Adam Sandler, Billie Eilish, Judd Apatow e grande elenco. Além de algumas aparições musicais de Alessia Cara, Adam Levine e Willie Nelson, entre outros. O evento se inicia, curiosamente, no Rio de Janeiro, com uma performance da banda carioca Black Circle, de covers do Pearl Jam, que caiu nas graças do grupo americano em uma de suas visitas para show no Brasil.

>>

Pearl Jam remexe de novo no seu acústico da MTV. Por que isso ainda importa?

>>

Captura de Tela 2020-10-30 às 8.54.49 AM

* Talvez o segundo mais famoso programa da era de acústicos importantes da MTV nos anos 90, o icônico “Pearl Jam MTV Unplugged” segue sendo escarafunchado recentemente pela famosa banda de Seattle.

O acústico, que saiu em vinil e CD (pela primeira vez) no ano passado, em edição limitada para o Record Store Day, ganhou streaming ontem à noite no canal do Youtube do grupo de Eddie Vedder.

Ok, ele já estava totalmente à disposição na plataforma de vídeos, em canais de fãs, porque em 2009 ele havia sido lançado em DVD pelo Pearl Jam, como parte do pacote de aniversário do primeiro disco deles, o “Ten”. Até aqui, o acústico do grupo era oficialmente inédito.

De toda forma, hoje em dia e principalmente em tempos pandêmicos, ações assim ganham bastante importância, além do que sempre é bom ter acesso ou rever um documento importante de época como este. Olhar a banda na época, aquelas pessoas que estavam lá vendo, pensar nas que estavam assistindo. O que acontecia em torno deste “Unplugged” na música e nos costumes musicais, naquele março de 1992, lá e aqui no Brasil, daria para contar apenas em mil posts como este. Posso começar já?

Bom, sirva-se:

1:23 Oceans
4:38 State of Love and Trust
8:30 Alive
14:00 Black
19:31 Jeremy
24:49 Even Flow
30:08 Porch

>>