Em pelvs:

CENA – Ah, os anos 90. Wry lança CD de covers de bandas indies brasileiras da época

>>

cena

* Nos extertores de 2016, o grupo indie sorocabano Wry saca um lançamento especialíssimo. O álbum “National Indie Hits” em homenagem a bandas alternativas brasileiras anos 90, ou “a época em que o indie brazuca começou”, como Pin Ups, Pelvs, Killing Chainsaw, MQN, Walverdes, brincando de deus, entre outras.

Num total de 13 covers e num lançamento bem “anos 90”, ou seja apenas em CD físico, o disco é produzido pelo próprio Wry e editado de forma independente, pelo selo da banda. Foi gravado quando os integrantes do Wry moravam em Londres, entre 2005 e 2009, nos “momentos de folga”.

“National Indie Hits”, com hits dos anos 90 de bandas brasileiras da época e gravado exatamente por uma banda formada nesta época, vem à luz no momento em que os Pin Ups, um dos pilares do indie nacional, arma uma volta à ativa e disco novo. E um selo famoso do período, o Midsummer Madness, relança muitas bandas dos anos 90 de modo digital, seis delas presentes nesse disco-tributo do Wry.

Para comprar este “National Indie Hits”, cuja embalagem você vê abaixo, é só mandar um email para o guitarrista da banda, Mario Bross, no mariowry@gmail.com. O álbum sai por R$ 15, mais correio.

via GIPHY

Abaixo, a Popload traz três faixas de “National Indie Hits”. O Wry homenageando a seu modo os importantes grupos anos 90 PELVs (Rio de Janeiro), MQN (Goiânia) e Killing Chainsaw (Piracicaba).

**

* Agora, todo o tracklist de “National Indie Hits”

IMG_8492

01. LOW DREAM – PRECIOUS LOVE
02. PIN UPS – GUTS
03. SNOOZE – I FEEL YOU
04. SONIC DISRUPTOR – ANGEL’S WHEEL
05. brincando de deus – CHRISTMAS FALLS ON A SUNDAY
06. PELVs – LOVELES
07. KILLING CHAINSAW – EVISCERATION
08. SPACE RAVE – KILL SUMMERTIME
09. VELLOCET – INSIDE MY MIND
10. ASTROMATO – CANÇÃO DO ADOLESCENTE
11. MQN – BURN BABY BURN
12. WALVERDES – NOVOS ADULTOS
13. BIGGS – NOT THE SAME

>>

Heroína do indie nacional e carioca ainda por cima, a PELVs toca hoje em SP

>>

* Banda independente de rock no Brasil precisa ter uma boa dose de heroismo para vir ao mundo, isso a gente sabe. Mas veja o caso da grande PELVs, formada no começo dos anos 90 e até hoje na ativa, inclusive com shows históricos (no sentido de história, mesmo) marcados PARA HOJE EM SÃO PAULO e dia 20 na casa deles, o Rio, mais planejamento de disco novo para 2014.

Screen Shot 2013-12-11 at 12.17.17 PM

Primeiro que fazer banda indie perdurar no Rio de Janeiro não é fácil. E eu diria que nos anos 90 e começo dos 00, ao contrário de todos os outros lugares no Brasil, era até mais fácil do que é hoje.

A Pelvs vem de uma era do indie nacional que, quando formada, ficou conterrânea ativa de duas bandas de São Paulo, uma de Piracicaba, outra de Santos, outra da Bahia, uma de Curitiba, outra mais do Sul. E o conterrâneo Second Come, também no Rio. E só. Era o que tinhamos de “cena”no Brasil. Lugar para tocar? No chão improvisado de algum bar.

O que é incrível é que o grupo nunca acabou. Nos últimos três anos fizeram DOIS shows. Mas nunca decretaram um “fim”. A banda foi formada em 1991. Você sabe, o ano em que o “punk broke”. E pelos poucos anos que antecederam a 1991 e por alguns que se seguiram a Pelvs nasceria então no período mais significativo da história dos “sons alternativos”, para bandas, selos, gravadoras, lojas de discos, rádios, iniciativas outras, revistas, jornais etc. Isso cria um legado.

Screen Shot 2013-12-11 at 12.09.39 PM

A Pelvs, hoje

O lance é que agora a Pelvs está a toda, mesmo com a dificuldade inerente de seus integrantes se encontrarem (porque, afinal, a banda nunca foi atividade principal deles). Em agosto lançaram a “Caixa 1991-2012”, coletânea digital em 4 volumes de demos, sobras de estudio, covers que varrem toda a existência da banda. E, agora, fazem em São Paulo (nesta quarta) e no Rio (dia 20) o agito comemorativo de duas décadas do álbum de estreia: “Peter Greenaway’s Surf”.

(Quem é indie meeeeeeeeeeesmo tem essa fita cassete).
(…”Alguém aí conhece o Lariú?”…)

Os quatro pelvs originais vão tocar hoje à noite no Da Leoni (Baixo Augusta) e semana que vem no Solar de Botafogo. Gustavo Seabra (guitarra e vocal), Rafael Genu (baixo), Dodô (bateria) e VRS Marcos (guitarra). Gustavo e Genu tinham 17 anos quando formaram a Pelvs. Hoje em dia o Pelvs é um septeto.

Screen Shot 2013-12-11 at 12.09.15 PM

A Pelvs, em 1993

Parças de longa data discotecam nos shows comemorativos da Pelvs. O jornalista brother Alexandre Matias (Trabalho Sujo) e Rodrigo Lariú (dono do lendário selo indie Midsummer Madness, que lançou os quatro discos e coletâneas da Pelvs desde o princípio e ainda hoje é superativo).

Todas as info para os shows de SP e Rio estão aqui.

* INGRESSOS POPLOAD – O blog, em sorteio relâmpago, oferece DOIS PARES de ingressos para quem quiser ir ver a Pelvs hoje à noite no Da Leoni. Basta dizer que quer as entradas nos comentários abaixo para concorrer. Lá pelas 17 horas aviso os vencedores.

>>