Em peter hook:

Peter Hook bota o Joy Division para ajudar a galera da música na pandemia. Envolvendo até o Mark Lanegan

>>

* A organização inglesa Sweet Relief que busca levantar dinheiro para músicos e toda a galera que trabalha na retaguarda de shows e eventos, muito prejudicados pela pandemia, criou o projeto “For the Crew”, outro jeito de criar um fundo de doação para esses profissionais

Um dos artistas que estão ajudando a causa do “For the Crew” é o famoooooso baixista britânico Peter Hook, um dos fundadores do Joy Division e depois New Order, que engajou o filho Jack e tem armado performance de suas ex-bandas absurdas, com convidados famosos, para atrair doações.

Neste final de semana chamaram o grande cantor americano Mark Lanegan para desempenhar um vídeo pandêmico para “Disorder”, um dos hinos do Joy Division e faixa que abre o fundamental “Unknown Pleasures”, de 1979, álbum de estreia da banda e o único lançamento em vida do vocalista Ian Curtis, que se matou menos de um ano depois que o disco saiu.

Mark Lanegan é o Ian Curtis nesta versão especial que Peter Hook nem aparece, deixando o filho Jack Bates brilhar no baixo. Jeff Schroeder, guitarrista do Smashing Pumkins, compõe a banda, completada pelo baterista Shane Graham.

***

* Outra música para ajudar o “For the Crew” foi “Ceremony”, desta vez cantada por Hook, que também empunhou seu baixo, mais para um teatrinho do que para valer, como nos velhos tempos. Esse papel, de novo, ficou para seu filho.

“Ceremony” é histórica. Foi escrita por Ian Curtis e gravada pelo Joy Division pouco antes da morte do vocalista. Passado o luto, ela foi regravada e serviu como primeiro single da então nova banda New Order, que nasceu no ano seguinte das cinzas do Joy Division.

>>

Melhor que New Order? Peter Hook refaz em live de quarentena a perfeita “Perfect Kiss”

>>

Captura de Tela 2020-11-26 às 3.41.31 PM

* A banda New Order, todo mundo sabe (acho), nasceu das cinzas fúnebres do Joy Division, coloriu o pop com hinos indies misturados à eletrônica pulsante dos anos 80 e fez algumas das principais músicas de todos os tempos para essa intersecção e essa geração que a consumiu em milhões de discos e pistas e rádios e shows.

Entre essas músicas está “Perfect Kiss”, composta em 1985 e lançada no famoso álbum “Low Life”. Ela tem a melhor linha de música para este ano que está vindo, 2021. Quase uma prece: “Let’s go out and have some fun”.

Tudo isso para dizer que “Perfect Kiss” ganhou uma nova reformulação para os tempos pandêmicos que vivemos, em versão live, feita pelo figuraça Peter Hook.

Peter Hook pode mexer em “Perfect Kiss” do jeito que ele quiser, porque o cara é um dos fundadores do New Order (e foi também do Joy Division), ambas as bandas que utilizaram o baixo em uma tal importância que o instrumento era mais importante, para esses grupos, que a guitarra, quase. E Hook era o baixista. Talvez o mais impactante baixista da história para bandas que davam dignidade extra ao baixo. Sorry Paul e Flea.

E “Perfect Kiss” é 70% o baixo, vamos dizer.

Peter Hook é tretadíssimo com o New Order, tem anos. Fundou uma banda para acompanhá-lo e sai pelo mundo fazendo shows tocando New Order e Joy Division e não está nem aí.

E, nesta live, feita neste mês no segundo período de lockdown inglês, Peter Hook mandou uma “Perfect Kiss” bem mais legal e inspirada no hit dos anos 80 do que tem mandado o New Order em seus últimos shows/streamings. Por causa do baixo, que é coisa dele.

Olha que lindeza.

>>

No aniversário de 40 anos da morte de Ian Curtis, eterna voz do Joy Division recebe homenagens de Peter Hook e Mark Lanegan

>>

190520_ian2

Em 18 de maio de 1980, o mundo pop perdia uma de suas estrelas mais promissoras. Talentoso e ao mesmo tempo um sujeito que enfrentava diariamente seus próprios demônios, Ian Curtis dava fim à sua vida de forma precoce, aos 23 anos de idade, botando um término também na história do Joy Division, uma das maiores bandas da época.

Ontem se completaram exatamente 40 anos desta triste notícia, mas Ian teve sua memória homenageada.

Seu antigo parceiro de banda, o grande Peter Hook disponibilizou um show de sua banda, The Light, com repertório todo montado com canções do Joy Division. O show de quase 3 horas de duração aconteceu em uma igreja na região de Macclesfield, em 2015. O templo é onde Ian cantava em um coral quando criança.

Mesmo passadas quatro décadas, Hook ainda se martiriza com a morte precoce do amigo. “O suicídio de um amigo próximo ou de um familiar sempre nos faz sentir culpados. Eu fiquei bastante chateado quando ele morreu. Mas, à medida em que fui envelhecendo, percebi que o mais importante não foi o fim do Joy Division, mas sim que uma filha, àquela época, perdeu um pai. E pais perderam um filho. Uma mulher perdeu o marido. Uma amante perdeu o amante. Isso é que é importante. Porque bandas há muitas, e daqui a um minuto já aparece outra”, lamentou.

Além de Peter Hook, quem também prestou uma homenagem a Curtis foi Mark Lanegan. O idolatrado cantor americano se juntou ao grupo Cold Cave para uma versão linda de “Isolation”.

Os dois registros podem ser conferidos abaixo.

SETLIST
00:01:55 – At A Later Date
00:05:11 – Novelty
00:09:20 – Warsaw
00:12:27 – No Love Lost
00:16:08 – Leaders Of Men
00:18:51 – Failures
00:21:30 – Glass
00:25:12 – Digital
00:28:06 – From Safety To Where
00:30:38 – Autosuggestion
00:34:34 – Exercise One
00:36:59 – The Kill
00:39:05 – Walked In Line
00:42:03 – The Drawback
00:43:31 – Disorder
00:46:58 – Day Of The Lords
00:52:02 – Candidate
00:55:32 – Insight
00:59:51 – New Dawn Fades
01:05:11 – She’s Lost Control
01:09:35 – Shadowplay
01:14:31 – Wilderness
01:17:04 – Interzone
01:19:27 – I Remember Nothing
01:25:57 – Incubation
01:28:43 – Komakino
01:32:11 – Sound Of Music
01:36:48 – Only Mistake
01:41:08 – Dead Souls
01:46:16 – Atmosphere
01:51:05 – Atrocity Exhibition
01:56:08 – Isolation
01:59:14 – Passover
02:03:52 – Colony
02:07:50 – Heart Soul
02:15:32 – Twenty Four Hours
02:17:12 – The Eternal
02:23:04 – Decades
02:30:17 – Ice Age
02:33:16 – Something Must Break
02:35:51 – Transmission
02:40:30 – Love Will Tear Us Apart
02:45:30 – Ceremony
02:51:11 – In A Lonely Place

>>

Com Peter Hook e Georgia, Gorillaz solta mais uma música inédita do projeto “Song Machine”

>>

280120_gorillaz2

O Gorillaz continua a sequência de seu projeto “Song Machine” e liberou nesta quinta-feira a terceira canção inéditas nas últimas semanas.

“Aries” conta com participações luxuosas da cantora e multi-instrumentista Georgia e o lendário baixista Peter Hook, o cara que ditava o som do Joy Division e do New Order.

Com uma mensagem enigmática, o guitarrista Noodle disse que “tudo é altamente impaciente e competitivo, pois muitos Aries têm o espírito de luta do seu governante mitológico”. Sacou?

Quando falou dessa “Song Machine”, o Gorillaz avisou que existe um calendário extenso de lançamentos ao longo do ano, que serão revelados de forma esporádica e fugindo do ciclo tradicional de singles e álbum cheio.

>>

Smashing Pumpkins faz show especial e conta com uma pequena ajuda dos amigos, incluindo Peter Hook, Courtney Love, gente do Killers, Deftones, AFI…

>>

030818_pumpkins2

O Smashing Pumpkins quase todo original está na estrada após um bom tempo para celebrar seus 30 anos de carreira. Batizada como “Shiny And Oh So Bright”, a turnê fez uma parada em New Jersey na noite de ontem e contou com uma extensa fila de convidados especiais, incluindo Courtney Love, Chino Moreno (Deftones) e Peter Hook. O filho do legendário baixista britânico, Jack, está tocando com o Pumpkins.

O líder do Deftones foi o primeiro a subir no palco e cantou com Billy Corgan as faixas “Bodies” e “Snail”, que não eram tocadas desde 2008 e 2000, respectivamente.

Dave Keuning e Mark Stoermer, do Killers, participaram em “Cherub Rock” e “1979”.

Mark McGrath, do Sugar Ray, cantou o hit da banda, “Fly”, com o Pumpkins. E participou ainda de uma cover de “Breaking the Law”, do Judas Priest.

Courtney Love, parceria de Corgan em diversas ocasiões (!), cantou um par de músicas do seu Hole, “Celebrity Skin” e “Malibu”, ambas escritas pela dupla. Ela ainda participou na reedição ao vivo de “Bullet With Butterfly Wings”.

Já Peter Hook tocou seu baixo em “Age of Consent” (New Order) e “Transmission” (Joy Division).

Na parte final da apresentação, Hook, Courtney e ainda Davey Havok, do AFI, fizeram uma jam com o Pumpkins em uma releitura de “Love Will Tear Us Apart”, da lendária banda de Manchester.

Captou?

https://youtu.be/a0xmJltuTsw

https://www.youtube.com/watch?v=gMTlhowCuBo

https://www.youtube.com/watch?v=0Kxi5pu6z1k

https://www.youtube.com/watch?v=0pTnCSo8akg

https://www.youtube.com/watch?v=bOpGIYSStwc

>>