Em Pitchfork:

Apenas mais um post sobre o Mac DeMarco (com camisa do Nirvana)

>>

270715_demarco2

Prestes a lançar seu novo EP “Another One”, dia 7 de agosto, o canadense-que-a-gente-adora Mac DeMarco recém participou do aclamado Pitchfork Music Festival, em Chicago, há pouco mais de uma semana.

Agora, a bíblia indie (com relacionamento algo estremecido com o Brasil) começa a divulgar vídeos de suas atrações em qualidade profissional.

DeMarco foi o primeiro escolhido e teve suas canções “Blue Boy” e “Let Her Go” divulgadas. O maluquinho genial vem ao Brasil em novembro com sua nova turnê do disco “Salad Days” mais as músicas deste EP novo.

>>

Melhores discos de 2014 – O Top 50 da Pitchfork

>>

181214_p4k_01

Considerada uma das listas mais conceituadas e importantes da música, o Top 50 da bíblia indie Pitchfork foi finalmente divulgado. O site americano botou o duo Run the Jewels no posto máximo de sua seleção de melhores álbuns do ano, com “Run the Jewels 2”, de fato um dos registros mais aclamados de 2014, presente em praticamente todas as listas importantes e em colocações de relevância.

Outro álbum que também figurou entre os melhores em praticamente todas as listas é “Lost in the Dream”, do War on Drugs. Todd Terje e Ariel Pink aparecem entre os 10 primeiros. Mais abaixo, sim, a P4K botou a Taylor Swift na 31ª posição. E vocês aí sem acreditar que ela vai ser musa do indie em breve.

Segue a lista completa da P4K, a última a ser divulgada neste espaço antes da mais esperada: a nossa, no caso.

1. Run the Jewels – Run the Jewels 2
2. FKA twigs – LP1
3. The War on Drugs – Lost in the Dream
4. Aphex Twin – Syro
5. Grouper – Ruins
6. Swans – To Be Kind
7. Sun Kil Moon – Benji
8. Todd Terje – It’s Album Time
9. Ariel Pink – Pom Pom
10. Caribou – Our Love
11. Perfume Genius – Too Bright
12. Mac DeMarco – Salad Days
13. Spoon – They Want My Soul
14. Real Estate – Atlas
15. Angel Olsen – Burn Your Fire For No Witness
16. St. Vincent – St. Vincent
17. Flying Lotus – You’re Dead!
18. Arca – Xen
19. Sharon Van Etten – Are We There
20. Vince Staples – Hell Can Wait
21. Eno • Hyde – High Life
22. Future Islands – Singles
23. Lykke Li – I Never Learn
24. Parquet Courts – Sunbathing Animal
25. Azealia Banks – Broke With Expensive Taste
26. Ex Hex – Rips
27. YG – My Krazy Life
28. Pharmakon – Bestial Burden
29. How to Dress Well – “What Is This Heart?”
30. Iceage – Plowing Into the Field of Love
31. Taylor Swift – 1989
32. White Lung – Deep Fantasy
33. Rich Gang – Tha Tour Part 1
34. Cloud Nothings – Here and Nowhere Else
35. Shabazz Palaces – Lese Majesty
36. Tinashe – Aquarius
37. Perfect Pussy – Say Yes To Love
38. Hundred Waters – The Moon Rang Like a Bell
39. Ought – More Than Any Other Day
40. Ty Segall – Manipulator
41. Leon Vynehall – Music for the Uninvited
42. Owen Pallett – In Conflict
43. Freddie Gibbs & Madlib – Piñata
44. A Sunny Day In Glasgow – Sea When Absent
45. Andy Stott – Faith In Strangers
46. Ariana Grande – My Everything
47. Shellac – Dude Incredible
48. Clark – Clark
49. Mr Twin Sister – Mr Twin Sister
50. Ben Frost – A U R O R A

>>

O disco incrível do estranho duo sueco The Knife (ou o contrário) já está na área. Ouça "Shaking the Habitual"

>>

Sai semana que vem, dia 9, o aguardado novo disco do duo sueco The Knife, nome mais bombado das rádios britânicas nos dias de hoje, que vem esgotando ingressos de forma incrível para seus shows, tudo por causa desse “Shaking the Habitual”, que vai fazer a estranha e genial dupla Karin Andersson e Olof Dreijer cair na estrada após seis anos.

O disco, que tem quase 100 minutos de duração, foi disponibilizado para audição na manhã de hoje pela bíblia indie Pitchfork. Existe certa comoção pelo The Knife nos dias atuais na Inglaterra, especialmente.
A Popload destacou esse papo há algumas semanas, falando que depois de seis anos sem se apresentar ao vivo, o duo marcou dois shows para a tradicional Roundhouse, em Camden. E existia uma pré-venda, para fãs cadastrados em algum site do Knife. Essa info de pré-venda para cadastrados vazou horas antes e muita gente correu para se cadastrar, na noite do início dessa pré-vendagem especial.

A venda normal se iniciaria na manhã seguinte. O show a princípio seria só no dia 8 de maio. Por causa do tumulto da procura, tipo U2 no Brasil, tiveram que abrir uma segunda data, dia 9. O site da banda caiu. Quando funcionou, os ingressos se esgotaram em segundos. Quando abriu a venda normal no dia seguinte, a mesma coisa. O preço normal de venda era 27,50 libras. Quem conseguiu comprar e agora “não quer ir” ao show, passou a revender por um preço dez ou até quinze vezes maior em sites de revendas, no Facebook, no Twitter.

A turnê do Knife começa no final do mês, dia 26, em Bremen (Alemanha). Antes dos festivais, eles fazem shows na Dinamarca, Noruega, France, Inglaterra, Itália e Suíça. Todos esgotados. Entre os festivais de verão, o duo sueco é atração de alguns bem importantes, como o Primavera Sound de Barcelona, o norueguês Oya e o holandês Lowlands.

Para conferir o “Shaking the Habitual”, basta clicar na figura abaixo.

Fica. Saiu o disco novo do Yo La Tengo

>>

Banda mais indie da história, talvez, o importante Yo La Tengo está oficialmente de volta. Depois de soltar duas ótimas faixas no final do ano, a veterana banda de New Jersey joga na praça, semana que vem, o aguardado disco novo “Fade”. Isso naquele formato antigão conhecido como CD.

Décimo terceiro trabalho de estúdio da trupe de Ira Kaplan, “Fade” já pode ser ouvido na íntegra graças à bíblia indie Pitchfork. Composto por 10 faixas, o álbum parece ser bom até na escolha da capa, uma árvore localizada no Overlook Park, na cidade de Portland, inspirada em “A Day in the Life of a Tree”, música dos Beach Boys.

Yo La Tengo, indie do indie.

Twin Shadow toca uma das "músicas do ano" em uma mansão indie

>>

George Lewis Jr. vai fechar 2012 como um dos principais nomes do indie. Para quem não está ligando o nome ao artista, o indie dominicano radicado americano também atende pela alcunha de Twin Shadow, um certo herói do indie-USA nascido na República Dominicana, absorvido pela “onda do Brooklyn”, também “acusado” de ressuscitar a new wave com umas letras emocionais e brutais.

Com seu “Confess”, segundo disco de carreira lançado em junho passado, Twin Shadow tem viajado o mundo em turnê que só será finalizada mês que vem, na Dinamarca.

Ele gravou uma session que estreou hoje na bíblia indie Pitchfork. “Mansion Sessions” consiste numa série de apresentações e entrevistas com artistas feitas em uma mansão (!) localizada em Bushwick, região do Brooklyn. Quase uma Popload Session, diz que não?

O Twin Shadow mandou a ótima “Five Seconds”, uma das melhores músicas (e vídeos) do ano. O som bombou desde rádios cool como a SiriusXM U às estações pequenas. O vídeo mostra George e um amigo, ases da motocicleta, metidos numa porradaria desenfreada com uma gangue de mascarados com tacos de beisebol na mão.

Já o vídeo para a session da P4K, sem motocicletas, podemos conferir abaixo.