Em playlists Popload:

Cursinho Popload! Aula de hoje: para gostar de The Jesus and Mary Chain

>>

JAMCcover_facebook

Falta pouco (e restam poucos ingressos) para o show-festa de comemoração dos dez anos de Popload Gig com a banda cult escocesa The Jesus and Mary Chain! Os irmãos Reid desembarcam aqui em 27 de junho para um show único no Brasil. Vai ser o primeiro show solo da banda em São Paulo em quase trinta anos!

Você conhece a banda? É fã conhecedor? Ou sabe o básico? Ou não sabe nada e quer conhecer?

Seguindo nossa série de aulas sobre bandas que se apresentam por aqui (veja as outras edições com suas playlists correspondentes), apresentamos hoje este cursinho intensivo sobre o JAMC. Mas, desta vez, antes de escolher a sua playlist, faça um simulado para saber em qual nível você se encontra: iniciante, intermediário ou avançado?

Descubra o seu nível! BOA PROVA E BOA AULA:

GABARITO

** De 0 a 5: INICIANTE
** De 6 a 9: INTERMEDIÁRIO
** De 10 a 12: AVANÇADO

Screen Shot 2019-05-23 at 12.26.35

Quebradeira nos primeiros shows da banda, nos anos 80 – Foto de Andrew Catlin

Talvez o caminho mais fácil para indicar o The Jesus and Mary Chain para alguém que nunca ouviu a banda é primeiro perguntar de que tipo de som a pessoa gosta e, então, ver onde esse gosto cabe. Curte um feedback? Vá de “Psychocandy”. Violões? Abrace o álbum “Stoned & Dethroned”. Rock dos anos 80? “Darklands”, por favor.

Sempre resultado dos explosivos encontros do irmãos Jim e William Reid, a banda encontrou diferentes abordagens em praticamente todos os seus álbuns em misturas muito únicas, mas nunca ficou muito longe das suas origens no quesito “canções de formato simples”.

Diferentemente de outros artistas estudados aqui, onde em alguns momentos encontramos grandes experimentalismos que ajudam a gente a separar o que é “complicado” das canções pop, o Jesus and Mary Chain quase nunca abraçou grandes tentativas de extrapolar a canção. Por conta disso, entre suas músicas mais conhecidas estão também as mais estranhas para um público que não estiver habituado a alguns ruídos e distorções. Mas ainda assim, fomos atrás de encontrar um balanço para formar uma playlist para cada ouvinte: iniciante, intermediário e avançado.

JAMC Andrew_Catlin 6

Foto de Andrew Catlin

Iniciante

Nossa playlist é praticamente uma coletânea mais “sussa” do Jesus and Mary Chain. Alguns singles e os maiores hits de olho em equilibrar a barulheira da banda com suas passagens mais calmas. “Just Like Honey” pode assustar ouvidos mais sensíveis, mas não é a música mais com a cara deles por nada…

Screen Shot 2019-05-23 at 17.16.51

Intermediário

Aqui abraçamos o peso que os irmãos Reid promoveram ao longo dos anos. Abrimos com a polêmica “Reverence” e seguimos por outras distorções, além de momentos de calmaria com dinâmicas pouco convencionais, como a breve canção “Feeling Lucky”, dona de apenas quatro versos em uma faixa praticamente instrumental.

The Jesus and Mary Chain 1 photo credit Steve Gullick

Quebradeira nos primeiros shows da banda, nos anos 80 – Foto de Steve Gullick

Avançado

As canções aqui são difíceis? Eu não acho, mas temos mais guitarras apitando aqui do que nas playlists anteriores. O que se repete é a obsessão em fazer melodias simples na barulheira toda. A mágica do Jesus and Mary Chain em essência.

*** Uma colaboração do jornalista Vinicius Felix* para a Popload. Vale lembrar que ele está lá no Twitter (@ViniciusFeIix) para ouvir sugestões e reclamações, seja dos iniciantes que encontrarem dificuldades ou dos alunos mais experientes! Vai lá. ***

>>

Aquelas bandas que (quase) ninguém conhece (ainda)! Parte #4

>>

Big-Joanie

Big Joanie, trio “punk feminista” de Londres

Depois de uma breve folga sem atualizações, retomamos a playlist que é uma de nossas preferidas: aquela dedicada a descobrir novas bandas e novos artistas por aí.

Todos têm músicas boas, lógico, no máximo um álbum lançado e menos de 100 mil ouvintes mensais no Spotify quando foram escolhidos. A ideia é apresentar esses novos sons e acompanhar a trajetória desses artistas ao longo do tempo.

Semana a semana são adicionadas novas músicas e atualizamos o andamento da carreira desses artistas escolhidos a partir do número de ouvintes mensais de cada um deles no Spotify.

Na quarta edição da coluna, duas artistas conseguiram passar a marca de 100 mil ouvintes mensais! Dois nomes para a gente prestar bastante atenção: as norueguesas iris e Amanda Tenfjord.

iris_Kenny-McCracken

iris, da Noruega

SOBE

Quem subiu de patamar no número de ouvintes mensais desde a coluna anterior:

1. Art School Girlfriend, Margate, Inglaterra – 80 mil ouvintes mensais
2. Just Mustard, Dundalk, Irlanda – 10 mil ouvintes mensais
3. iris, Bergen, Noruega – 140 mil ouvintes mensais
4. Nana Adjoa, Amsterdã, Holanda – 60 mil ouvintes mensais
5. Tempesst, Londres, Inglaterra – 60 mil ouvintes mensais
6. Casi & The Blind Harpist, Eryri, País de Gales – 2 mil ouvintes mensais
7. Amanda Tenfjord, Trondheim, Noruega – 160 mil ouvintes mensais
8. Shavone, Los Angeles, Estados Unidos – 40 mil ouvintes mensais
9. Madison Paris, Inglaterra – 20 mil ouvintes mensais
10. Lowly, Dinamarca – 40 mil ouvintes mensais
11. August Eve, Los Angeles, Estados Unidos – 30 mil ouvintes mensais
12. POZI, Londres, Inglaterra – 9 mil ouvintes mensais
13. Big Bend, Ohio, Estados Unidos – 148 ouvintes mensais

Pinky Pinky

Pinky Pinky, de Los Angeles/EUA

FICA

Quem manteve o mesmo patamar de ouvintes mensais:

1. Kississippi, Filadélfia, EUA – 90 mil ouvintes mensais
2. Weakened Friends, Portland/Boston, EUA – 10 mil ouvintes mensais
3. Jetty Bones, Urbana, EUA – 20 mil ouvintes mensais
4. illuminati hotties, Los Angeles, EUA – 50 mil ouvintes mensais
5. Black Belt Eagles, Portland, EUA – 50 mil ouvintes mensais
6. Wyldest, Londres, Inglaterra – 10 mil ouvintes mensais
7. Cafuné, Nova York, Estados Unidos – 10 mil ouvintes mensais
8. Rose Droll, São Francisco, Estados Unidos – 20 mil ouvintes mensais
9. Abisha, Londres, Inglaterra – 2 mil ouvintes mensais
10. Pinky Pinky, Los Angeles, Estados Unidos – 10 mil ouvintes mensais
11. Partner, Sackville, Canadá – 10 mil ouvintes mensais

Dreamwife

Dream Wife, de Londres

DESCE

Quem caiu no patamar de ouvintes mensais:

1. Pip Blom, Amsterdã, Holanda – 60 mil ouvintes mensais
2. Dream Wife, Londres, Inglaterra – 60 mil ouvintes mensais
3. EUT, Amsterdã, Holanda – 30 mil ouvintes mensais
4. Skinny Pelembe, Joanesburgo, África do Sul – 80 mil ouvintes mensais
5. Another Sky, Londres, Inglaterra – 40 mil ouvintes mensais
6. Eyesore & The Jinx, Liverpool, Inglaterra – 782 ouvintes mensais

bartees-strange-press-2019-cr-Joshua-Priestley-billboard-1548

Bartees Strange, de Washington/EUA

ENTRA

Quem chegou agora:

1.Isabeau Waia’u Walker, cantora indie-pop de Portland, Estados Unidos – 125 ouvintes mensais

2. Alidade, cantora de Nova York, Estados Unidos – 52 ouvintes mensais

3. Oh He Dead, soul rock de Washington, Estados Unidos – 1 mil ouvintes mensais

4. Katie Toupin, cantora indie-rock de Los Angeles, Estados Unidos – 10 mil ouvintes mensais

5. Dead Bars, banda indie de Seattle, Estados Unidos – 6 mil ouvintes mensais

6. Bartees Strange, cantor de Washington, Estados Unidos – 190 ouvintes mensais

7. Big Joanie, “punk feminista” de Londres, Inglaterra – 8 mil ouvintes mensais

8. Amy Studt, cantora pop de Londres, Inglaterra – 20 mil ouvintes mensais

9. Penelope Isles, banda indie de Brighton, Inglaterra – 10 mil ouvintes mensais

10. Otobokebeaver, banda punk de Kyoto, Japão – 30 mil ouvintes mensais

VAMOS ACOMPANHAR?

*** Uma colaboração de Vinicius Felix para a Popload! Vinicius é jornalista, tem obsessão por playlists e é o responsável pelo podcast Telefonemas. ***

>>

Democracia Pop. Escolha o melhor dos anos 80 e 90!

>>

thecure

Gótico Suave || THE CURE

Quem acompanha a Popload nas redes sociais deve ter visto que recentemente postamos duas playlists colaborativas: “Os anos 90 foram assim…” e “Os anos 80 foram assim…”.

Mas o que são essas playlists colaborativas? A ideia é simples: uma democracia pop para definirmos juntos quais são as 500 melhores músicas de cada década! Todo mundo pode chegar lá e adicionar suas favoritas, mexer na ordem das faixas e também deletar músicas que não curte. Para não virar bagunça, nós estamos sempre de olho nas playlists para ver o que entrou, o que saiu e se cada música cabe na proposta Popload – sim, também somos eleitores na brincadeira.

nirvana

“Aquele” acústico… || Nirvana

Cada playlist está em fases diferentes. A que postamos primeiro, sobre os anos 90, já ultrapassou o número de 500 músicas! Sendo assim, os eleitores podem acrescentar outras lá sempre, mas fica o convite para ajudar na edição da playlist também:

ANOS 90

Já a de anos 80 está no começo ainda, ou seja, precisamos da sua ajuda, do seu pitaco e de mais músicas nela:

ANOS 80

Deu para entender o sentido da proposta? Até agora tem sido bem divertido acompanhar a montagem das playlist com a participação de todo mundo.

Que critérios você vai usar para escolher as suas favoritas? Que critérios vai escolher para julgar as escolhas dos outros? A ideia é que a playlist esteja sempre aberta para edição. Vamos tentar mantê-las sempre na faixa de 500 músicas, mas sem tirar o poder de edição de cada um.

Crédito: A imagem destacada na home é do Getty Images com design de Ben Margherita para a Billboard.

****Este post é uma colaboração de Vinicius Felix, jornalista responsável pelo podcast Telefonemas.****

>>

Cursinho Popload! Aula de hoje: “Para gostar de KENDRICK LAMAR”

>>

Screen Shot 2019-04-02 at 19.24.24

Eu não chequei, mas acho difícil que alguém nesta edição do Lollapalooza seja tão reconhecido quanto Kendrick Lamar. Nem vou ver os números de cada, mas sabendo que só ele deve ter um Pulitzer, isso já é o bastante. Eu quero lembrar ainda que ele tem alguns Grammys e uma indicação ao Oscar.

O reconhecimento também vem do público. Em termos de Spotify, Kendrick é um dos três artistas que estarão no festival que tem uma música pelo menos com mais de 1 bilhão de plays na plataforma.

O mesmo acontece pela crítica. Desde 2012 mais ou menos, sempre quando ele lança um álbum tem alguém para falar que é o disco do ano. Certo, é um chute meu isso aí, mas não acho que estou errado.

Inclusive, podemos começar nossa aula por esse detalhe. Dividir a obra do rapper em playlists é um pouco errado e acho que até ele deve concordar com isso. Kendrick Lamar faz álbuns que precisam ser ouvidos do começo ao fim, com atenção na história, nos detalhes. Não é por acaso que a edição especial do “DAMN” é o mesmo disco só com a tracklist invertida. Esse detalhe transforma a narrativa.

Talvez o caminho mais certo para ensinar você a gostar de Kendrick Lamar seja te indicar o álbum mais fácil dele e assim por diante. Mas seguimos com o método de uma playlist para iniciantes, uma para ouvintes intermediários e uma para ouvintes avançados.

Então, por mais que sua obra seja centrada nos álbuns, até que se encaixa bem na nossa divisão aqui porque Kendrick consegue ao longo de sua discografia ser pop para quem nunca ouviu rap, ser excelente para fãs de rap em uma linha tradicional e ser inovador a ponto de levar o gênero para novos limites.

Escolha a playlist mais adequada para você e uma boa aula!

*** Uma colaboração do jornalista Vinicius Felix* para a Popload. Vale lembrar que ele está lá no Twitter (@ViniciusFeIix) para ouvir sugestões e reclamações, seja dos iniciantes que encontrarem dificuldades ou dos alunos mais experientes! Vai lá. ***

Iniciante

kendrick lamar 2011

Como eu falei na introdução, aqui está o lado mais pop do Kendrick Lamar. Porém, como todo gênio da música, ele consegue que músicas relativamente difíceis sejam muito populares. Só pensar em “HUMBLE.”, sua música mais tocada no Spotify. Ele não suavizou para ser mais aceito, muito pelo contrário. Mas muito mesmo.

Intermediário

kendrick-lamar

Aqui já vamos ter algumas músicas do Kendrick Lamar que não são propriamente difíceis de gostar, mas são um pouco mais desafiantes para quem não manja muito de rap. Com um pouco de dedicação, logo você saca as variações todas de faixas como “Backseat Freestyle” ou “ELEMENT.”.

Avançado

kendrick lamar

Certo, agora a playlist não busca facilitar, não. Temos mais sons baseados em jazz do que na playlist anterior, temos alguns sons que nos discos funcionam como interlúdios e temos faixas longas, faixas bem longas mesmo. São os momentos onde o Kendrick realmente vai levar sua música para territórios ainda pouco explorados:

*Vinicius Felix é jornalista, tem obsessão por playlists e é o responsável pelo podcast Telefonemas.

>>

Aquelas bandas que (quase) ninguém conhece (ainda)! Parte #3

>>

wyldest-hitchhiker-press-shot-web

O trio londrino de dream-pop Wyldest

Quer descobrir bandas e artistas novos? A nossa playlist semanal “(Quase) ninguém conhece (ainda)” é o lugar certo!

Todos aqui têm músicas boas, lógico, no máximo um álbum lançado e menos de 100 mil ouvintes mensais no Spotify quando foram escolhidos. A ideia da playlist é apresentar esses novos sons e acompanhar a trajetória desses artistas ao longo do tempo.

Semana a semana vamos adicionando mais bandas e também vendo como anda a trajetória dos escolhidos, seja no número de ouvintes mensais na plataforma de streaming, ou na carreira de maneira mais geral – elogios de bandas mais conhecidas, grandes shows, boas críticas, capas de revista.

pip blom

PIP BLOM, da Holanda

PARTES #1 E #2

O que aconteceu com quem já estava na playlist:

1 – Kississippi, Filadélfia, EUA – 90 mil ouvintes mensais

Zoë Allaire Reynolds e seu “bratty pop tunes for emo kids” segue com cerca 90 mil ouvintes mensais. O que mudou desde semana passada foi o número de pessoas que descobriram o som dela a partir da nossa playlist: eram 57 ouvintes e agora são 97 ouvintes.

2 – Art School Girlfriend, Margate, Inglaterra – 60 mil ouvintes mensais

Mais gente começou a ouvir o indie pop/eletrônico da Art School Girlfriend, projeto da Polly Mackey. Mais uma semana que ela aumenta o seu número de ouvintes mensais: ela estava no patamar de 40 mil ouvintes mensais e agora está no de 60 mil ouvintes.

3 – Weakened Friends, Portland/Boston, EUA – 10 mil ouvintes mensais

O Weakened Friends ganhou 73 ouvintes através da nossa playlist, informa o Spotify. Enquanto isso, no Twitter, a banda falou sobre o medo de terem que abandonar a carreira por falta de grana. Questões de quem está começando.

4 – Jetty Bones, Urbana, EUA – 20 mil ouvintes mensais

O Spotify informa que mais pessoas descobriram o pop alternativo da Kelc Galluzzo pela nossa playlist. Foi de 44 ouvintes para 74 ouvintes. E não falta muito para ela alcançar o número de 30 mil ouvintes mensais.

5 – illuminati hotties, Los Angeles, EUA – 50 mil ouvintes mensais

O “tenderpunk” da illuminati hotties recebeu mais elogios esta semana por conta da apresentação no SXSW. O que talvez explique ela ter alcançado a boa marca de 50 mil ouvintes mensais.

6 – Black Belt Eagle Scout, Portland, EUA – 50 mil ouvintes mensais

A mistura de rock alternativo com a música nativa norte-americana proposta pela Katherine Paul segue no patamar de 50 mil ouvintes mensais.

7 – Wyldest, Londres, Inglaterra – 10 mil ouvintes mensais

O trio londrino de dream pop depois de celebrar aparecer em um programa de rádio importante na Inglaterra segue comemorando no Twitter quando aparece em playlists legais. Não sei por que ainda não comemoraram o fato de estarem na nossa…

8 – Pip Blom, Amsterdã, Holanda – 70 mil ouvintes mensais

Vi pouca movimentação da banda nas redes sociais desde a semana passada. Os dias pelos Estados Unidos, na primeira visita deles no país, passaram e agora eles voltam a fazer umas datas pela Europa. O disco de estreia deles está previsto para esse semestre.

9 – Just Mustard, Dundalk, Irlanda – 9 mil ouvintes mensais

Outra banda que não falou muita coisa recentemente. O número de ouvintes mensais cresceu e a banda tem shows agendados pela Europa até maio.

10 – Dream Wife, Londres, Inglaterra – 70 mil ouvintes mensais

Mais uma banda que não postou muitas novidades. Então, fica de curiosidade que elas estão em uma playlist de sons favoritos do ano passado do diretor de cinema Edgar Wright.

11 – iris, Bergen, Noruega – 70 mil ouvintes mensais

Da semana passada para essa, muita gente descobriu o pop eletrônico da iris. O número de ouvintes mensais passou de 40 mil para 70 mil. Na verdade, ela está quase com 80 mil ouvintes mensais. Bem legal.

12 – Cafuné, Nova York, Estados Unidos – 10 mil ouvintes mensais

Spotify informa que 59 pessoas descobriram o CAFUNÉ com a nossa playlist. Imagino que o indie pop da dupla agradou. Recentemente eles comemoram a primeira música que alcançou um milhão de plays. Levou quase três anos, mas o primeiro milhão veio.

13 – Nana Adjoa, Amsterdã, Holanda – 50 mil ouvintes mensais

A Nana posta muito pouco no Twitter, então não sei muito bem o que ela anda fazendo, mas sei que vai tocar em festivais legais em breve e que passou de 50 mil ouvintes mensais para 60 mil.

14 – EUT, Amsterdã, Holanda – 40 mil ouvintes mensais

Outra banda com poucas novidades, só sei que em maio esses holandeses levam seu post-pop para algumas cidades da Inglaterra.

15 – Skinny Pelembe, Joanesburgo, África do Sul – 100 mil ouvintes mensais

Semana passada Skinny Pelembe tinha 70 mil ouvintes mensais, agora tem mais de 100 mil ouvintes mensais. Passou a meta da nossa playlist, mas vamos seguir acompanhando o trabalho agora que ele fica mais conhecido. E ele até deu RT na nossa playlist no Twitter.

16 – Tempesst, Londres, Inglaterra – 50 mil ouvintes mensais

O pessoal do Tempesst não é chegado muito em atualizar o Twitter. Se faltam notícias, pelo menos dá para contar que eles passaram de 40 mil ouvintes mensais para 50 mil.

17 – Casi & The Blind Harpist, Eryri, País de Gales – 1 mil ouvintes mensais

O pessoal descobre aos poucos o EP da Casi & The Blind Harpist. Entre semanada passada e essa semana, ela passou dos 1 mil ouvintes mensais para 2 mil. Sendo que 48 desses novos ouvintes descobriram ela pela nossa playlist.

18 – Amanda Tenfjord, Trondheim, Noruega – 40 mil ouvintes mensais

O pop da Amanda Tenfjord promete ir longe. Depois do post da semana passada, um perfil no Twitter que fala só dela começou a me seguir. Com certeza já querem show da Amanda no Brasil.

19 – Rose Droll, São Francisco, Estados Unidos – 20 mil ouvintes mensais

A Rose Droll não escreveu muito no Twitter, então, não temos novidades sobre ela. Então, fica só a minha recomendação para você dar uma chance para o som experimental dela. Se não curtir, me avisa.

20 – Another Sky, Londres, Inglaterra – 50 mil ouvintes mensais

Alguém viu o Another Sky no SXSW e escreveu no Twitter que talvez agora possa realizar o sonho de ser o descolado que fala “eu vi eles antes de serem famosos”. Se você não viu eles no SXSW, pode contar que ouviu aqui na playlist. É a mesma coisa.

shavone

A rapper americana SHAVONE

Bandas e artistas novos na playlist

21 – Shavone, Los Angeles, Estados Unidos – 63 ouvintes mensais
Rap

22 – Abisha, Londres, Inglaterra – 2 mil ouvintes mensais
Alt-R&B

23 – @Madison Paris, Inglaterra – 10 mil ouvintes mensais
Pop/R&B

24 – Lowly, Dinamarca – 10 mil ouvintes mensais
Alternativo/indie

25 – August Eve, Los Angeles, Estados Unidos – 10 mil ouvintes mensais
Pop

26 – POZI, Londres, Inglaterra – 1 mil ouvintes mensais
Pós-punk

27 – Big Bend, Ohio, Estados Unidos – 87 ouvintes mensais
Alternativo

28 – @pinkypinkyband, Los Angeles, Estados Unidos – 10 mil ouvintes mensais
Rock

29 – Eyesore & The Jinx, Liverpool, Inglaterra – 2 mil ouvintes mensais
Punk

30 – Partner, Sackville, Canadá – 10 mil ouvintes mensais
Rock

VAMOS ACOMPANHAR?

*** Uma colaboração de Vinicius Felix para a Popload! Vinicius é jornalista, tem obsessão por playlists e é o responsável pelo podcast Telefonemas. ***

>>