Em popload festival:

#SpoilerAlert: O que esperar do show de reunião do Cansei de Ser Sexy no Popload Festival

>>

card_CSS_logoPF

Imagino que as meninas do Cansei de Ser Sexy dão risada de toda tentativa de resumo sério que é feito da banda. Porque isso meio que explica o lance do CSS. Dar risada. Uma banda que nasceu de curtição e que nessa bagunça foi ser a banda brasileira que foi mais longe lá fora com um punhado de músicas muito divertidas. Imagina puxar um papo muito sério e cheio de teorias? Nada mais chato que isso.

Mas lógico que pensar no CSS é lembrar também de uma época que tinha Trama Virtual, Orkut, fotolog e o mp3 ia destruir o império da indústria musical. Quatro coisas que não rolaram ou já acabaram. É lembrar de uma época de debates acalorados até em páginas de jornal: a imprensa era brother do CSS, elogiava demais? A banda prestava mesmo? Será que eles fizeram sucesso lá fora de verdade?

Também não fica feio lembrar o bom sacode que a banda deu no cenário nacional que hoje celebra um pop muito mais diverso, sofisticado, festeiro que em outros tempos. O mainstream pop nosso era bem careta, vamos lembrar, pelo menos nas aparências era bem mais careta que hoje em dia. E temos a ponte internacional: hoje os gringos olham com mais respeito nossa música contemporânea. Essa ponte o CSS ajudou a construir.

Mas vamos ao que importa. Mais de dez anos depois, as músicas seguem tão divertidas quanto sempre foram. São as músicas que teremos no palco do Popload Festival. A música e a energia de Lovefoxxx, Ana Rezende, Luiza Sá e Carolina Parra. Elas chegam depois de muito descanso. Vai ser arrasador.

Setlist

A gente não tem a menor ideia do que a banda vai tocar. Os ensaios já começaram e na imprensa elas mencionaram a ideia de ser um show para contemplar os hits. Inéditas? Parece que não. Então, vamos sem spoilers, mas de playlist com todos os hits do CSS.

Para entender o CSS

Se eu evitei descrever muito a história da banda aqui, temos um documentário que fala por si só. Tem um tal de Lúcio Ribeiro nele.

Os números do CSS

O sucesso do CSS é conversa para boi dormir ou é real? A gente separou alguns números que dão conta dessa história.

Quando o mundo descobriu o CSS

Jools Holland

Glastonbury, Pyramid Stage

Propaganda de um tal de iPod

Coachella. Em um vídeo que te lembra que em 2011 a gente via show assim no YouTube

Nas Redes Socias

Quando descubro que o Popload Festival já é no próximo fim de semana

Alongar no ensaio para garantir o show

Músicas que viram realidade

Ver essa foto no Instagram

When we met @parishilton Happy Coachella to the brave ones.

Uma publicação compartilhada por CSS . Cansei De Ser Sexy (@cssmusic) em

Encontro com o mestre: Flavor Flav

Ver essa foto no Instagram

Carol ☎️ and @flavorflavofficial ⏰

Uma publicação compartilhada por CSS . Cansei De Ser Sexy (@cssmusic) em

Encontro com o mestre II: Snopp Dogg

Ver essa foto no Instagram

#snoopdogg is at the door @snoopdogg @amdrvda

Uma publicação compartilhada por CSS . Cansei De Ser Sexy (@cssmusic) em


Playlist

FALTA UMA SEMANA!

Últimos ingressos aqui!

>>

#SpoilerAlert: O que esperar do show da Little Simz no Popload Festival

>>

pflittlesimz

Você tem que assistir ao show da Little Simz. Vai ser histórico e você não vai ter que mentir que esteve por lá no futuro. Sim, porque existem muitos shows históricos que foram vistos por “todo mundo”. Sempre tem um monte de mentirosos. Eu não sei te explicar muito o porquê, mas sinto que isso vai rolar com o show da Little Simz no Popload Festival. Quem perder, vai mentir depois porque ela é uma artista que ainda vai tão longe que lá na frente muita gente vai querer mandar esse papo.

Apesar desse comentário, é bom avisar que a Little Simz não é promessa. É realidade. Ela já está no seu terceiro disco, depois de tantas mixtapes e Eps também, com a solidez de uma artista veterana, embora tenha apenas 25 anos. “Grey Area”, o tal disco mais recente, é maduro, inteligente, repleto de temas e climas – e quase levou o Mercury Prize deste ano. Um álbum que bate forte ao mesmo tempo que guarda ali o single mais pop de Little Simz até o momento: “Selfish”. Pop sem abrir mão de reflexão e papo de alto nível.

E Little Simz não é só rimas pesadas e o flow mais inventivo em atividade, ela trabalha sério em outros campos. Faz fotos, é atriz, cuida da própria carreira através do próprio selo, hoje parceiro de uma empresa grande de distribuição. Mas preste atenção: ela é parceira da empresa, não empregada. Faz uma diferença, não?

Quem tem na lista de pessoas que gostam dela uma turma que conta com Damon Albarn, Kendrick Lamar, Lauryn Hill, Drake, está fazendo algo muito certo.

Por que você precisa conhecer a LITTLE SIMZ:

Setlists recentes

O setlist atual da Little Simz tem foco no “Grey Area”, seu disco mais recente é tocado na íntegra no show. Ou seja, presta atenção nele, decora tudo, que vai ser recompensador.

Boss
Therapy
God Bless Mary
Wounds
Pressure
Backseat
Venom
Selfish
Her
Sherbet Sunset

101 FM
Offence
Flowers

Top 5

As mais tocadas na turnê até agora. Essas com certeza estarão no show

A playlist

Separamos as 50 principais músicas da Little Simz, vamos do setlist até as faixas de seus outros álbuns, mixtapes e participações especiais.

Sessions lindas

Melhor que falar é te mostrar a Little Simz em ação.

** O que ela faz com o hit do Gorillaz aqui é de tirar o fôlego. Sinta o baixo.

** Fica fácil de entender o jeito único que a Little Simz tem de rimar nesse vídeo para o Colors, onde dá para prestar atenção 100% nela, sem distrações. Já falei “de tirar o fôlego” em algum momento neste post?

** Little Simz feat. Michael Kiwanuka. Puro luxo.

Atriz

Little Simz é atriz. Já participou de séries “Spirit Warriors”, “Youngers” e atualmente está em “Top Boy”. Uma série que estava extinta até que o Drake chapou nela e foi atrás de saber quando teria uma nova temporada. Ao saber do cancelamento ele deu um jeito de fazer a terceira temporada. Tem no Netflix.

Nas Redes Sociais

Já ouviu falar do Drake?

Ver essa foto no Instagram

September 13th @topboynetflix ✨

Uma publicação compartilhada por simz (@littlesimz) em

Vince Staples

Ver essa foto no Instagram

Vince wins :)

Uma publicação compartilhada por simz (@littlesimz) em

“Grey Area” virou exposição de fotos feitas pela Little Simz. Falei que não era só música?

E ao vivo é bom?

Experimenta essa multidão alucinada com a Little Simz ao vivo. Uma plateia assim é o que precisamos entregar para ela. O que me dizem?

ÚLTIMOS INGRESSOS! COMPRE AQUI

>>

#SpoilerAlert: O que esperar dos shows da PATTI SMITH no Popload Festival e no Popload Social

>>

pfpattismith

Lester Bangs, o famoso crítico musical, acertou quando cravou na primeira linha de sua crítica ao álbum de estreia de Patti, “Horses”, que ali estava uma artista no sentido clássico da palavra. Mais do que isso: o auê da mídia e dos que procuram a mais nova sensação iam passar, Patti ficaria.

Patti Smith logo deixou provado para o mundo que não era apenas uma compositora ou cantora. Poeta, fotógrafa, pintora, escritora, jornalista de rock, sendo que muitas dessas ocupações feitas antes do seu álbum de estreia, ela foi atrás de dar seu recado onde achasse que a mensagem coubesse. E mais importante que o meio, talvez até do que a mensagem, tinha a energia.

Talvez por isso ela estava presente quando o punk nasceu e estava muito além do punk quando o gênero encarou a decadência, de sua primeira fase, pelo menos. Patti Smith nunca ficou decadente. Teve a energia de saber pausar a carreira nos anos 80 e voltar com enorme repercussão anos depois apoiada em muito por nomes que existem influenciados por ela, como o Michael Stipe, por exemplo.

Tem a energia para ler 200 livros por ano, manter três cadernos de anotações, fazer uma parceria artística com Kevin Shields, o líder de uma de suas bandas favoritas, My Bloody Valentine – ou seja, energia para gostar de coisas que não aconteceram na época dela, justamente, por talvez nunca ter pensado no termo “na minha época”.

Patti Smith já veio ao Brasil, mas nunca tocou em São Paulo. Foram shows históricos e de carga política alta em véspera de eleição nacional, o distante 2006. Dessa vez, não deve ser diferente. Patti Smith deve aparecer em São Paulo ainda mais energizada e disposta a dar seu recado nos dois shows marcados na cidade, dia 15/11 no Popload Festival, e no dia seguinte no Popload Social, em show solo para cerca de mil pessoas no Auditório Simon Bolívar. As chamas pelo mundo não cessaram, pelo contrário. O recado sobre o poder estar nas pessoas só faz mais sentido a cada dia que passa.

281019_pattismith2

Mesmo que não lance um disco novo desde 2012, Patti parece cada vez mais ativa e presente na estrada. Seu show atual está afiado. Em um repertório que mistura canções próprias e covers bem selecionados, onde reafirma sua história. Procure os vídeos atuais dela em apresentações quase intimistas em teatros pelo mundo. Não tenho dúvidas que a carga de um show de festival, uma multidão e uma sede por energia não renda um show ainda melhor que esses.

Falei de uma resenha histórica lá no começo do post e é bom lembrar que Patti Smith é a história ainda em curso. Energia. Movimento criativo. Suas músicas podem datar de muito tempo atrás, mas são a mensagem feitas para o presente e não uma sucessão de boas músicas do “rock clássico”. Um show de Patti Smith pode virar livro, uma crônica, uma nova música. O que ela tem a dizer, fazer de sua visita a São Paulo? Muita coisa, imagino. Quem não quer ter uma chance de ver isso de perto?

Por que você precisa conhecer a PATTI SMITH…

Setlist recentes

Patti Smith anda com setlists que alternam clássicos de seu repertório com covers de clássicos. Como mencionamos no texto de abertura, a disposição das músicas parece conservadora, mas as músicas não são e a postura de Patti no palco está bem longe disso.

O setlist colocado aqui representa a média dos 35 shows mais recentes que Patti Smith fez este ano.

Wing
Are You Experienced?
Redondo Beach
Ghost Dance
My Blakean Year
Beds Are Burning
Dancing Barefoot
Beneath the Southern Cross
I’m Free
After the Gold Rush
Pissing in a River
Because the Night
Gloria

Nossas Favoritas

A partir do setlist do show embarcamos em 50 músicas que te ajudam a decifrar a discografia da Patti Smith.

Top 5

As cinco músicas mais tocadas por Patti na atual turnê. Essas não devem ficar de fora.

A autora Patti Smith

Patti escreve livros desde o anos 70. Na maioria, livros de poesia. Porém são suas memórias, talvez seu material mais popular no campo da literatura, que ganharam versões em português. Por aqui, já temos “Só Garotos”, “M.Train” e logo chegam mais dois: “Devoção” e “O Ano do Macaco”, um livro de memórias mais recentes onde ela aborda uma turnê pelos Estados Unidos em 2016, ano em que Trump foi eleito. Um dia antes do show ela vai até o Sesc Pompéia para falar do seu trabalho literário.

WhatsApp Image 2019-10-15 at 15.41.13

Nesta quarta-feira, dia 30,a Companhia das Letras, o Popload Festival e o Trovadores do Miocárdio (coletivo formado por escritores, poetas e performers) vão celebrar a obra literária e a música de Patti Smith. O espetáculo vai revisitar as memórias e divagações poéticas em torno dos livros “Só Garotos”, “Linha M” e os novos “Devoção” e “O Ano do Macaco”. Serão duas apresentações (na sexta-feira o espetáculo acontece no Rio de Janeiro). Em São Paulo os ingressos estão esgotados!

A intérprete Patti Smith

Patti faz ótimas versões para algumas músicas. Algumas que parecem ter sido feitas para ela cantar e algumas que você nem vai acreditar que ela já gravou. Aqui um rápido Top 3:

“Everybody Wants to Rule the World”

“Gimme Shelter”

“Heart Shaped Box”

O CORAL TEM O PODER

Patti Smith como convidada ilustre do Choir! Choir! Choir!, coral canadense que faz versões marcantes de músicas que adoramos. O vídeo foi gravado em abril em Nova York e lançado em setembro. Detalhe para a participação especial de Stewart Copeland (The Police) na “percussão” improvisada (uma frigideira). Imagina esse coro no Memorial da América Latina, imagina:

Patti Smith nas redes sociais

Sessão de autógrafos? Imagina no Brasil

Setlist feito a mão. Ou seja, podemos ter músicas escolhidas no calor do momento?

Fotos com amigos importantes? Ela tem. No caso, Dylan.

Keanu

Steven Jordan. Só um dos melhores bateristas do mundo

ÚLTIMOS INGRESSOS!

>>

Atenção, Brasil! Atração do Popload Festival, Patti Smith fará show extra beneficente em SP, dentro do projeto Popload Social

>>

281019_pattismith2

Uma das maiores artistas de todos os tempos, não apenas pela sua obra irreparável, mas também pelo seu reconhecido engajamento em causas sociais, PATTI SMITH fará um show beneficente em São Paulo, um dia após estrelar o Popload Festival.

A cantora norte-americana vai se apresentar no sábado, 16 de novembro, no Auditório Simón Bolívar, no Memorial da América Latina. As entradas serão divididas entre ingressos distribuídos mediante participação em ações de trabalho voluntário e venda de ingresso solidário.

O show faz parte da aba de cidadania POPLOAD SOCIAL, nesta que será a única apresentação de Patti Smith no país fora do festival.

As apresentações da precursora do punk serão as primeiras dela em São Paulo em toda a carreira. Em sua última visita ao Brasil, ela esteve envolvida em eventos apenas em Curitiba e Rio de Janeiro.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

As vagas de voluntariado para este Popload Social estão abertas no site da ATADOS, plataforma social online que conecta pessoas a oportunidades de voluntariado em causas sociais. Os interessados deverão escolher a ONG para qual desejam realizar a ação e, após realizado o voluntariado, cada vaga dará direito a 1 (um) ingresso exclusivo, nominal e intransferível para o show. As ONGs parceiras desta edição são BEABA, APAE, Move Institute, Cruz Vermelha, Banco de Alimentos e Greenpeace.

A venda de ingresso solidário para esta apresentação será através do site da Ticketload. Parte do dinheiro arrecadado será revertida para o BEABA, instituto que tem como missão desmistificar o câncer para crianças, adolescentes e seus acompanhantes.

O POPLOAD SOCIAL

O Popload Social é um projeto inovador sempre com ações especiais relacionadas aos eventos produzidos pela marca Popload. Através dele, centenas de fãs puderam e podem assistir a shows gratuitamente em troca de suas participações como voluntários em ONGs parceiras das mais variadas causas. A cada evento, vagas são disponibilizadas aos interessados em ajudar projetos sociais e, em troca, eles podem ver as suas bandas favoritas! O projeto também oferece shows gratuitos em espaços públicos da cidade, como o Metrô de SP, alcançando milhares de pessoas com entretenimento acessível e de qualidade. Em 2017, o Popload Social realizou um show gratuito da cultuada cantora inglesa PJ Harvey para mais de mil voluntários!

SERVIÇO – POPLOAD SOCIAL apresenta PATTI SMITH

Data: 16 de novembro de 2019, sábado
Abertura das portas: 19h
Início do show: 21h
Local: Auditório Simón Bolívar – Memorial da América Latina || Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda, São Paulo – SP, 01156-001
Capacidade: 1.009 pessoas
Ingressos: a partir de R$ 60,00 || Limite de 2 ingressos por CPF

Classificação etária: a partir de 18 anos desacompanhados. Menores entre 14 e 18 anos somente acompanhados de um responsável legal. Proibida a entrada de menores de 18 anos. Este evento requer autorizações específicas, acompanhe a atualização da expedição de alvarás através do site oficial.

INGRESSOS

INGRESSO GRATUITO ATRAVÉS DE TRABALHO VOLUNTÁRIO:
Os voluntários devem acessar o site da ATADOS e escolher a ONG para qual desejam realizar a ação. Após realizado o voluntariado, cada vaga dará direito a 1 (um) ingresso exclusivo, nominal e intransferível para o evento Popload Social apresenta Patti Smith. Somente os voluntários que se cadastraram através da plataforma e realizaram a ação no dia e no horário estabelecidos pelas ONGs terão direito ao ingresso.

INGRESSO SOLIDÁRIO: R$ 60,00 (meia-entrada) e R$ 120,00 (inteira)

VENDA DE INGRESSO SOLIDÁRIO:

BILHETERIA OFICIAL – SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA
UnimedHall – Av. das Nações Unidas, 17.955 – Santo Amaro – São Paulo (SP).
Segunda-feira – FECHADA (*excepcionalmente aberta no dia 28/10)
Terça-feira a Sábado: das 12h às 20h
Domingo e feriados: das 13h às 20h
Limite de 2 ingressos por pessoa/CPF

LOCAIS DE VENDA – COM TAXA DE CONVENIÊNCIA
Pela Internet: www.ticketload.com
Taxa de Conveniência: 10%
Limite de 2 ingressos por CPF

Meia-entrada: obrigatória a apresentação do documento previsto em lei que comprove a condição de beneficiário no ato da compra e entrada do evento (para compras na bilheteria oficial e pontos de venda físicos) / na entrada do evento (para compras via internet). Para mais informações acesse: www.ticketload.com/meia-entrada

>>

#SpoilerAlert: O que esperar do show do HOT CHIP no Popload Festival

>>

pfhotchip

O fã brasileiro de Hot Chip é privilegiado, sim. O grupo formado por Alexis Taylor, Joe Goddard, Al Doyle, Owen Clarke e Felix Martin fez show no Brasil em quase todas as suas turnês desde o álbum “The Warning”. Se hoje o álbum é quase um clássico moderno, era uma das novidades mais quentes lá no distante 2007.

Como banda de primeira linha que é, em cada retorno o Hot Chip veio com mais hits de sua sequência de discos elogiados e queridos. Quem teve a chance de ver eles no Tim Festival? Imagina que naquela época “Ready for the Floor”, indica ao Grammy e tudo, não existia ainda. E lá em 2010? “Night & Day” também não existia. Em 2013, Joe Goddard, um dos líderes da banda, já que o Hot Chip inicialmente era um projeto dele e de Alex, veio no primeiro Popload Festival. Aliás, vale pesquisar o que Alex e Joe fazem em suas carreiras solos.

Agora é banda completa e temos a divulgação do álbum “A Bath Full Of Ecstasy”, que faz bonito perto dos discos anteriores. Veremos a banda na boa fase de sempre. Talvez até melhor, tem que ir ver o show.

Setlists recentes

Os setlists do Hot Chip atuais dão um destaque legal para o novo disco da banda, mas o lance é que eles abraçam o melhor dos discos anteriores Ou seja, tudo que você já dançou muito e talvez nem saiba que é deles.

Huarache Lights
One Life Stand
Night & Day
Flutes
Hungry Child
Over and Over
Boy From School
Spell
Melody of Love
Ready for the Floor
Sabotage
Positive
I Feel Better

Top 5

As mais tocadas na turnê atual estão aqui. Sente a fileira de hit dos últimos dez ano que esses caras fizeram. É o melhor de qualquer pista de dança indie ao vivo.

Top 3 clipes

O Hot Chip tem talento para bons clipes. “Don’t Deny Your Heart” para os amantes de futebol no videogame, mais game em “Bath Full of Ecstasy” e um clássico: “Over and Over”. Vai atrás dos outros porque tem muita coisa boa deles por aí, especialmente os mais recentes.

Top 3 remixes

Não podemos ficar sem falar dos remixes da banda, parte de sua obra. Tem Amy Winehouse, Gorillaz e Troye Sivan, entre outros, que já foram relidos por Alex e cia. Sempre tudo muito fino.

A playlist:

Fizemos uma playlist do que é obrigatório do Hot Chip. As melhores músicas da banda e o que vamos ouvir no show. Começamos pelo setlist, praticamente uma coletânea, e depois passamos pelas principais músicas deles.

No Instagram

Olha o site que o Hot Chip já teve:

E quem não quer o game do Hot Chip? Pena que é ficção:

Banda com classe:

Parece que temos engraçadinhos na banda, fica o alerta para a produção do festival:

Muito spoiler:

Um show recente completo no YouTube? Temos, sim, mas fica o aviso: é spoiler total ver isso aí.

POPLOAD FESTIVAL 2019:

INGRESSOS NO ÚLTIMO LOTE!

>>