Em popload now:

POPLOAD NOW: Os nove álbuns blockbusters que vão abalar nosso 2021, estrelando Drake, Foo Fighters, Lorde, Frank Ocean, Adele…

>>

* A gente gosta aqui de elencar os discos indies que estamos desesperados para que saiam logo, mas não podemos deixar de listar os blockbusters também, né? Que vão dar um agito gigantesco na cena, ainda que no paralelo das nossas vidas. E dar um agito, sim, a este site, por que não? E aos nossos festivais quando tudo passar, por que não? E outros por que nãos.

***

** DRAKEJaneiro – O mega-rapper canadense Drake anunciou no ano passado o lançamento de “Certified Lover Boy”, junto com o primeiro single intitulado “Laugh Now Cry Later”, que a princípio trouxe um trailer seguido de um vídeo de alto orçamento. Quem sabe no futuro não vemos Drake estrelando um longa-metragem também?
O disco tem data de lançamento em “janeiro”, como colocamos aí em cima, sem dia anunciado. Ou seja, a qualquer momento, páááá!!!

***

** FOO FIGHTERS5 de Fevereiro – “Medicine at Midnight” é o nome do próximo álbum do genial Foo Fighters, que já fez circular o bom single “Shame Shame”, inclusive estreando a música ao vivo no famoso programa Saturday Night Live, no final de semana seguinte às eleições americanas. No Réveillon, a banda liberou mais uma faixa, “No Son of Mine”. Em declaração, o líder Dave Grohl disse que o disco é “repleto de ‘hinos'”, e comparou-o a “Let’s Dance” de David Bowie. Ousado.

***

** LANA DEL REY19 de março – Falamos muito no post anterior, mas tínhamos que colocar aqui também. O sucessor de “Norman Fucking Rockwell” tem o nome de “Chemtrails Over the Country Club”, sabemos já de dois singles, conhecemos a capa lindona, o tracklist que inclui uma música chamada “Wild at Heart” e outra “Dark but Just a Game” e que ele chega a nós no dia 19 de março. Ai, ai.

***

** FRANK OCEANsem data – Já se passaram mais de quatro anos desde seu último lançamento, “Blonde”, mas recentemente Ocean voltou com a Beats 1 Blonded Radio, programa de rádio online em que também apresentou duas músicas suas inéditas, “DHL” e “In My Room”, e depois mais duas, “Cayendo” e “Dear April”.
Desde então, sabemos que o cantor planejava o lançamento de um disco de 7″ que ele mesmo cancelou. O que se espera é que para ainda neste ano o rapper traga mais conteúdo inédito. Ou seja, seu álbum novo finalmente.

***

** KENDRICK LAMARsem data – Confirmado em praticamente todos os festivais giga mundo afora, isso num mundo pré-COVID, era esperado a esta altura que tivéssemos algo novo de Kendrick Lamar. Mas aí veio a pandemia…
Em 2018, Lamar se dedicou à trilha sonora do filmaço “Black Panther”, e recentemente deu as caras numa faixa do novo disco de Busta Rhymes.
O que sabemos por enquanto, é que ele está trabalhando em algo novo e, segundo palavras dele sobre demorar tanto: “Eu passo o ano inteiro apenas pensando em como vou executar um novo som, não posso fazer a mesma coisa indefinidamente. Eu preciso de algo para me animar.”
Torcendo para que ele fique bem animadinho. Porque estão dizendo mesmo nos bastidores da indústria que o disco novo de KL está bem pronto.

***

** LORDEsem data – Em 2019, quando Lorde se preparava para gravar o sucessor do incrível “Melodrama”, ela foi pega de surpresa pela morte do seu cachorrinho, o que a fez adiar o processo. Porém, em maio do ano passado, a cantora e compositora apareceu para contar que está sim trabalhando em novo material, junto com o produtor dourado Jack Antonoff, à distância, obviamente, devido à pandemia.
Enquanto isso, Lorde (foto da chamada na home) lançou no fim do ano aquele livro de fotos de viagem da sua visita à Islândia, como te contamos aqui.
Mas, Lorde baby, queremos ouvir mais de você. Não ler, exatamente.

***

** PHOENIXsem data – Ano passado fomos pegos de surpresa (ou mais ou menos) quando Phoenix lançou a ótima “Identical”, música que faz parte da trilha sonora do filme “On The Rocks”, dirigido por Sofia Coppola, esposa de Thomas Mars, vocalista e líder da banda francesa.
A faixa trouxe saudade do dançante “Ti Amo”, álbum de 2017, e desde então o grupo só lançou um livro, em 2019, chamado “Phoenix: Liberté, Égalité, Phoenix!”. Mas, segundo Mars, podemos esperar que “Identical” esteja no próximo álbum em breve, que deve ter o mesmo espírito animado.

***

** RIHANNAsem data – Bom, depois de seu último lançamento, “ANTI”, láááá em 2016, de Riri só temos notícia quando se trata de seu império de beleza Fenty Beauty. E, ano após ano, os fãs querem mais que iluminador que brilha na Lua, Querem saber se, afinal, Rihanna voltará aos palcos e à música.
Em entrevista recente, a artista-empresária disse que a quarentena tem ajudado a aflorar seu lado criativo e que, para este ano, ela gostaria de levar sua marca e sua música para outro patamar.
Em março passado, Rihanna nos deu um gostinho, colaborando em uma faixa do rapper PARTYNEXTDOOR, “Believe It”. Manda mais, Rihanna, que está pouco. Mesmo.

***

** ADELEsem data – Ela está mais linda, mais loira e fez o mundo dar uma respirada funda quando foi anunciada no programa “Saturday Night Live”, como host, em outubro do ano passado. Iria ela mostrar alguma canção nova ou adiantar novidades sobre o novo disco, o sucessor de “25”, que ela lançou há mais de seis anos? Mas quá! Mas no fim deixou um recadinho no Instagram, bem de leve, na ocasião do SNL, que o próximo álbum sai, sim, agora em 2021. Ok, então.

****

* Esta seção da Popload é pensada e editada por Lúcio Ribeiro e Daniela Swidrak.

POPLOAD NOW – Quatro nomes para você ficar de olho em 2021. Ou seja: now!!

>>

* É o de sempre. No começo do ano sempre colocamos aqui algumas sugestões de bandas e artistas solo para você ficar de olho nos próximos meses. Aqui vai nossa leva de quatro indicações. Nomes estes que nunca publicamos aqui. Nos recusamos a botar neste meio artistas novinhas como Arlo Parks, Girl in Red e Celeste, que já ganharam vários posts na Popload.

****

CLAUD

** CLAUD – Primeiras coisas primeiro. Claud é uma artista não-binåria de Chicago que adora o “ela-dela” como referência. Arriscou uma carreira a partir de seu quarto ali por 2018 como Toast, mas resolveu se mudar para Nova York antes da pandemia, chegou ao Brooklyn e o Covid a trancou. Fez uma banda à distância com a amiga Clairo, chamada Shelly, mas deve decolar mesmo com a entidade que leva o seu nome. Assinou com o selo da Phoebe Bridgers, o Saddest Factory, e vai lançar seu álbum de estreia no dia 12 de fevereiro. Vai se chamar “Super Monster”. Esta “Soft Spot”, delicinha que você ouve abaixo, é do disco.

****

Captura de Tela 2021-01-04 às 4.42.26 PM

** COACH PARTY – Quarteto britânico duas garotas, dois meninos, oriundos da mitológica Isle of Wight, ilha do Canal da Mancha que para muita gente lá nem faça parte da Inglaterra, embora se você der um pulo de Southampton você cai nela, sem dizer que a ilha é famosa mesmo por causa de festivais de música, Jimi Hendrix e dinossauros, E é de lá essa ótima Coach Party, famosinha do underground de Londres, mas ainda com um disco de estreia para soltar em algum momento de 2021. Uma banda que na descrição do Facebook se explica como “banda indie bege com personalidades fraturadas” merece nossa atenção.

****

Captura de Tela 2021-01-04 às 4.41.33 PM

** POM POM SQUAD – Banda de novinhos do Brooklyn liderados pela já imponente guitarrista e vocalista Mia Berrin. Misto de furor indie-punk tipo Pixies e fragilidade emocional como 70% das bandas novas de hoje. Mas com nome sarcástico, vídeos perturbadores, barulho bom na hora certa e, claro, a Mia. Têm dois EPs apenas e dizem que o disco de estreia foi segurado para a pós-pandemia, em algum momento deste 2021 vacinado. Vamos torcer pelos dois. Pelo álbum e pela vacina. Não nessa ordem. A música abaixo é do EP de 2019 (“Ow”), coisa boa demais.

****

bree2

** BREE RUNWAY –Bree acabou 2020 lançando uma poderosa mixtape de estreia, enquanto seu álbum de estreia é aguardado para o meio de 2021. Entende? Ela é de Hackney, a frutífera área periférica do lado leste de Londres, o East London vamos facilitar, e canta que é uma beleza dentro daquele espectro de estilos que pode ser hip hop, R&B, pop e, por que não?, rock. Sim, ela é adepta dessa onda do hip hop com guitarras que estamos falando por aqui há um tempinho. É da escola da Megan Thee Stallion. Consequentemente, da faculdade da Missy Elliot. Olha o tipão, na foto e no vídeo.

****

* Esta seção da Popload é pensada e editada por Lúcio Ribeiro e Daniela Swidrak.

>>

POPLOAD NOW – Seis novas (ou mais ou menos novas) canções de Natal para sua “alegria”, um oferecimento de Arlo Parks, James Blake, Killers, Snoop, Liam, Cribs e Beabadoobee

>>

* Bom, já não está tendo para onde correr. Parece que vai ter mesmo Natal neste ano maluco e parece ainda que o Natal vai ser mesmo no dia do Natal. Prédios e shoppings já estão há dias irritantemente iluminados, aquelas coisas. Então, se faltava a trilha sonora disso, não falta mais.

Na parte musical, a tradição das canções pop natalinas já está pronta em 2020.

Mas, antes de falar das Christmas Songs, sempre vem uma música à cabeça que queremos lembrar aqui, como tributo: “I DON’T WANT A LOT FOR CHRISTMAS… ALL I WANT FOR CHRISTMAS IS YOOOOOU!”.

Obrigado, Mariah Carey, por imortalizar sonoramente esta época para todo o sempre. Agora, vamos a um apanhado das mais novas (ou quase) canções natalinas para o nosso bico:

****

** ARLO PARKS, JAMES BLAKE & BEABADOOBEE
Começando por essa turma queridíssima lá do Reino Unido, Parks, Blake e Beabadoobee lançaram covers festivos para a Apple Music.

A rising star Arlo Parks foi de Wham! e “Last Christmas”, numa versão mais fofa do clássico oitentista de George Michael.

https://music.apple.com/us/album/last-christmas-single/1540949324

A incrível Beabadoobee, meio filiipina, meio britânica, se jogou no espírito de Natal da tradicional “Winter Wonderland”, que ao longo dos anos ganhou versões de todos os tipos, desde Eurythmics a She & Him. Na voz da artista ficou tão bela como se saída de um filme da Disney.

https://music.apple.com/us/album/winter-wonderland-single/1540886655

O grande James Blake, por sua vez, foi de “In the Bleak Midwinter”, que também é conhecida como “A Christmas Carol”, um clássico favorito entre as músicas natalinas, que talvez você já tenha ouvido até no seriado cool obrigatório “Peaky Blinders”, já que a música ficou popular entre as Primeira e Segunda Guerra Mundial, quando os irmãos Shelby brigavam para manter a família unida, mas ou menos.

https://music.apple.com/us/album/in-the-bleak-midwinter-single/1541214258

****

** CRIBS
A banda indie-garagem inglesa The Cribs, trio de irmãos beeeeem querido deste espaço popper virtual, acabou de lançar seu oitavo disco, o bom “Night Network”, tentando voltar ao jogo da cena britânica depois de uns anos afastados. Uma limitadíssima versão do vinil do disco, quando comprada, ia com um daqueles flexidisc de brinde, que carregava uma música de Natal no estilo Cribs de fazer: zoeira, óbvio. Agora, “Christmas (All Year Long)”, do Cribs, foi distribuída para geral e entra linda aqui na nossa lista de músicas natalinas “sérias”. Bem boa.

****

** LIAM GALLAGHER
Ok, falamos dele e dela mil vezes já, inclusive hoje, mas talvez Liam Gallagher e sua “All You’re Dreaming Of”, que foi escrita apenas para ser uma balada a ser lançada em junho, virou a principal canção de Natal do nosso ramo. Prepare-se para o vídeo que está por sair, com Liam vestido de Papa… Brincadeira! A gente ia repetir aqui o vídeo lyric da janelinha da esperança, mas deixa para lá.

****

** THE KILLERS
Esta na verdade não é uma novidaaaaaade, mas ganhou lançamento nas plataformas de streaming nestes dias. Em 2016, a banda de Brandon Flowers lançou a compilação natalina “Don’t Waste Your Wishes”, disco que, além de divertido, traz colaborações incríveis, como Elton John e Jimmy Kimmel, além da ótima “Don’t Shoot Me Santa”, que você vê/ouve abaixo. O disco foi lembrado pelos streamings para o Natal deste ano. Está valendo.

*****

** SNOOP DOGG
Por último, mas não só por último, tem a canção de Natal do Snoop Dogg, “Christmas in California”, que foi feita junto com o canadense Raff Pylon. Good vibes.

*****

* Esta seção da Popload é pensada e editada por Lúcio Ribeiro e Daniela Swidrak.