Em primal scream:

POPNOTAS: O maravilhoso mundo de bandas da Creation Records, em filme; os Descendents jantando o Trump; e Lady Gaga e o hino

>>

– Em março, chega aos cinemas ingleses (e provavelmente ao streaming) o filme sobre a Creation Records, a gravadora britânica que nos deu Oasis, My Bloody Valentine, Primal Scream e Ride, para citar só algumas das bandas espetaculares que fizeram parte do elenco do selo. Entre os autores da cinebiografia a partir do livro “Creation Stories: Riots, Raves and Running a Label” (2014), de Alan McGee, que na versão filmada vai se chamar só “Creation Stories”, está Irvine Welsh, autor do livro “Trainspotting”, que virou um dos longa-metragens mais importantes do Reino Unido nos anos 90. O importantíssimo empresário, produtor, DJ, radialista, músico e agitador escocês Alan McGee foi o fundador da Creation Records. É famosa a história de que McGee viu num bar escocês a bandinha Oasis tocar, aqueles dois irmãos marrentos e pensou: “Acho que vou assinar com esses caras para ver o que dá”. Quem vai vivê-lo na cinebiografia é Ewen Bremner, ator que fez o personagem Spud em “Trainspotting”, o filme. Dá para ter um gostinho de “Creation Stories” aqui.

creation

– A banda punk californiana Descendents fez uma pequena “homenagem” a Donald Trump. Uma música de pouco mais de 40 segundos que manda o ex-presidente – ou melhor dizendo o “asshole twitter troll” – para sua casa. Talvez melhor que a letra de “That’s The Breaks” só o recado que o vocalista Milo Aukerman deu para divulgar o som. “Loser. Big time loser. Delusional loser. SORE loser. The time has come. The time is now. Just go, go, GO”.

– Enquanto um caí fora, outro chega. E Lady Gaga, que fez campanha para Joe Biden, vai ser a responsável por cantar o hino nacional do Estados Unidos durante a cerimônia de posse do novo presidente norte-americano no dia 20 de novembro. Que momento!

– A tradicional apresentação musical de ajuda a Tibet House em Nova York vai acontecer online neste ano. Marcada para o dia 17 de fevereiro, Eddie Vedder, Phoebe Bridgers e Brittany Howard estão entre os artistas escalados na curadoria de ninguém mais ninguém menos que o consagrado compositor e pianista Philip Glass.

>>

Além de tudo, é chique: Jehnny Beth, do Savages, reúne Primal Scream, IDLES e LIFE em programa de TV

>>

020320_jehnny2

O canal francês de cultura ARTE divulgou em seus espaços digitais neste final de semana o programa ECHOES, apresentado por nada menos que Jehnny Beth, a líder incrível da banda inglesa Savages.

O programa mistura música e bate-papo cabeça sem filtro e reuniu três bandas: Primal Scream, IDLES e o LIFE.

Diz a Jehnny que este era um seu desejo de muitos anos. “Sempre quis reunir músicos e permitir que essas pessoas do nosso meio se interajam. Compartilhar nossos erros, nossas histórias engraçadas, prazeres, arrependimentos. É um reflexo natural durante as conversas entre artistas. Quero trazer para o público o tipo de discussões mais íntimas e inspiradoras que testemunhei tantas vezes”, contou.

O programa foi rodado no clubinho YOYO, em Paris, e pode ser conferido abaixo. Dura uma hora e tem todo mundo tocando.

>>

Em Manchester, Primal Scream faz seu show explosivo de sempre e ainda bota o Johnny Marr para tocar junto

>>

271119_primalscream2

Ontem, a cidade de Manchester viveu mais uma noite de glória com a apresentação do inoxidável Primal Scream no Manchester Albert Hall.

Não bastasse a apresentação explosiva de sempre do grupo liderado por Bobby Gillespie, que botou de todo tamanho uma cortina com os dizeres “MAXIMUM ROCK’N’ROLL”, o gênio Johnny Marr, filho da terra, apareceu para dar o ar de sua graça e de sua guitarra inconfundível.

O ex-Smiths “invadiu” o palco do Primal Scream e tocou as canções “Jailbird” e “Rocks”, para o delírio da inglesada toda.

O registro fala por si.

>>

Gênio raiz e sem pudor, Bobby Gillespie choca o público inglês ao não aceitar fazer uma dancinha bizarra na BBC. Em um programa de política

>>

* Haha.

191018_bobby_22

Bobby Gillespie, herói indie que perambula pelo mundo alternativo da música desde os anos 80, é conhecido também por suas opiniões embasadas e até polêmicas. Até por isso, ele foi convidado para participar de um programa de debates políticos na BBC, o The Week. Até aí, tudo suave.

O escocês chegou a emitir algumas opiniões contra o Brexit, pauta principal do programa. Ele disse, inclusive, que acha que o Reino Unido está “voltando aos anos 30” e que “politicamente, estamos ando para trás”. Beleza.

Acontece que em certo momento do programa, o apresentador Andrew Neil e outros dois convidados, o jornalista e ex-político Michael Portillo, além de Caroline Flint, integrante do British Labour Party, simplesmente começaram a fazer uma dancinha que tem virado febre na Europa, de uma música chamada “Skibidi”, da banda russa de música eletrônica Little Big.

Um meme de uma dança de uma música de uma banda russa. Em um programa de política. Sacou?

Mostrando todo o seu descontentamento com o fato constrangedor, o líder do Primal Scream permaneceu sentado e olhando atônito e full pistola à cena patética em rede nacional.

Melhor do que relatar, é assistir ao vídeo impagável.

>>

Primal Scream encontra gravações de 1993 e resolve lançar tudo como um novo disco velho

>>

301117_primalscream2

O lindo Primal Scream encontrou em suas gavetas gravações antigas, de 25 anos atrás, e resolveu que irá compartilhá-las com seu público ainda este ano.

Dia 12 de outubro chegará às lojas “Give Out But Don’t Give Up: The Original Memphis Sessions”, que são registros sonoros feitos pelo grupo com o produtor Tom Dowd, em Memphis, no ano de 1993.

No entanto, meses depois eles retrabalharam as canções com outro produtor, George Drakoulias, e o resultado foi o disco “Give Out But Don’t Give Up”, lançado em 1994.

Material que sempre foi especulado pelos fãs, as gravações originais foram encontradas recentemente e vão virar esse tal velho disco novo.

A banda de Bobby Gillespie soltou um teaser do que vem por aí.

>>