Em primavera sound:

Primavera Sound vai invadir a América e anuncia edição em Los Angeles em 2020

>>

* Além de promover a volta do Pavement

030619_primaverasoundLA2

Um dos eventos que mais crescem na Europa nos últimos anos, o Primavera Sound, festival que acontece anualmente em Barcelona e que já tem há algum tempo uma edição no Porto, vai cruzar o oceano e invadir os Estados Unidos no ano que vem.

A informação veio neste final de semana, em Barcelona, durante a edição deste ano. A cidade escolhida para sediar o evento na América foi Los Angeles, nos dias 19 e 20 de setembro do ano que vem, no State Historic Park, com co-produção da gigante Live Nation.

“Nós vínhamos pensando sobre Los Angeles há tempos. Agora, com a celebração do nosso 20º aniversário sentimos que era a hora perfeita para tomar a decisão de cruzar o oceano”, disse o co-diretor do festival, Gabi Ruiz. Ainda não foi anunciada nenhuma atração. A venda inicial de ingressos começa dia 7 de junho, próxima sexta-feira.

Nesta semana, acontece a edição do Porto, que terá na programação nomes como Solange, Jarvis Cocker, Stereolab, Interpol, James Blake e o nosso Jorge Ben Jor.

>>

Com line-up equalitário e incrível, Primavera Sound divulga atrações da edição 2019, incluindo Tame Impala, Courtney Barnett, Jarvis Cocker, Solange e muito mais

>>

021016_solange_slider

Um dos principais festivais de música do mundo, o Primavera Sound de Barcelona anunciou seu absurdo line-up, que pela primeira vez prima pela equalidade.

As atrações serão dividas meio a meio entre homens e mulheres, com o festival continuando com sua proposta de “focar na música urbana”, seja ela de qualquer gênero.

O evento acontecerá entre os dias 30 de maio e 1º de junho, e terá atrações como Tame Impala, Stereolab, Solange, Jarvis Cocker, Cardi B, Courtney Barnett, Janelle Monáe, Kurt Vile, Interpol, Primal Scream, Built to Spill, Stephen Malkmus, Suede, James Blake e muito mais.

Junto com as atrações, o festival soltou um vídeo incrível e uma espécie de manifesto, que diz:

“That in a line up, equality between female and male artists should be normal

That gender barriers and pigeonholing being dismantled should be normal

That all stages, schedules and proposals being provocative should be normal

That the music of the new generations be embraced without forgetting how we got here should be normal.”

051218_primaveralineup

>>

Caótico, barulhento e genial. Apenas o show completo do Ty Segall no Primavera de Barcelona

>>

* Referência da psicodelia suja, sombria e caótica da cena indie internacional, o sempre genial californiano Ty Segall foi uma das atrações do 1º de junho último, semana passada, do Primavera Sound, festival indie maravilha lá de Barcelona. Aquele mesmo festival que colocou Arctic Monkeys, Lorde, Bjork, Nick Cave e mais uma centena de ótimas bandas nos mesmos palcos durante quatro dias neste final de semana que passou.

Captura de Tela 2018-06-07 às 8.39.58 AM

Agora está entre nós a apresentação completa do megaprodutivo músico norte-americano em ótima qualidade de som e imagem. No show, Segall trouxe uma sequência de 12 faixas que caminharam por praticamente toda a discografia do cantor, além de interpretar uma cover e uma porção de acordes extras das versões ao vivo de suas próprias músicas.

Seu último lançamento, “Freedom’s Goblin”, saiu em janeiro deste ano e veio ao mundo com 19 músicas inéditas, mantendo a tradição do artista de lançar um novo álbum por ano, às vezes dois, três, já que de 2008 até aqui já foram 15, entre EPs e discos completos.

Sem mais blablablá, confira logo abaixo o vídeo completo da apresentação de Ty Segall e sua banda na noite de sexta-feira do Primavera Sound. Que arraso em vários sentidos!

>>

Notícia importante para os brasileiros. Saiu o line-up do Primavera Sound… da Espanha

>>

Untitled-1

* Por muitos e muitos anos, a brasileirada fã de música, em especial a música independente, era frustrada com o que acontecia por aqui, em termos de shows gringos, festivais poucos e bem mais ou menos. Daí o jeito, para quem podia, era viajar.

O primeiro festival adotado por brasileiros, dos que eu vi acontecer, foi o Reading Festival, na Inglaterra, anos 90. E um pouco o Glastonbury, para quem tinha “coragem” de enfrentá-lo.

Nos anos 2000 o eixo mudou. Com a retomada americana de festivais, com cada cidade grande dos EUA aos poucos tendo seu evento musical grande, era muito fácil ouvir português em vários deles. Português do Brasil.

Por um bom tempo, e ainda é até hoje mas com sentidos diferentes, o Coachella era o festival preferido pelos brazucas. O Sxsw também arrastava (e arrasta ainda) muitos brasileiros, mas primeiro os indies e depois as blogueiras de moda inundavam o deserto da Califórnia, cada um atrás de seu interesse, haha.

Mas de uns anos para cá, tipo de 2010 até agora, esse posto de “festival queridinho dos brasileiros” virou o Primavera Sound, de Barcelona.

Por vários motivos: é o festival mais decente em sua escalação de artistas e bandas independentes. É localizado dentro de Barcelona, fácil de ir e vir e com metrô perto (dá para ir até de bicicleta). Barcelona por si só é uma cidade absurda, com praia. E, de repente, por conta de uma galera atuante daqui, o Primavera Sound ganhou um “braço brasileiro”: virou parceiro, recebe bandas indies brasileiras em sua programação oficial e principalmente dentro de sua importante área PRO, uma espécie de festival dentro do festival, com showcases que servem para aumentar o intercâmbio cultural através da música, e que recebe bandas novas e emergentes de diferentes partes do mundo. Tudo isso graças ao trabalho árduo e extremamente bem-feito do combo A Construtora Música (Goiânia) e o selo produtor Balaclava (São Paulo).

Para dar uma ideia, no ano passado, foram daqui para se apresentar no Primavera Sound 2017 nomes de nossa CENA como Aeromoças e Tenistas Russas, BIKE, FingerFingerrr, Liniker e os Caramelows, Marrakesh, Me & The Plant e Tiê.

Pois bem…

Todo esse blablablá para dizer que o Primavera Sound divulgou seu grande line-up ontem à noite. Com três dias bem cheios, os princiapis, na verdade o festival acontece em quatro, com uma noite de abertura, menor, de graça, como se fosse para testar o festival e ver se tudo está funcionando bem. Neste ano essa primeira noite pequena terá apenas Belle & Sebastian e Spiritualized com orquestra, entre outros e fora as costumeiras surpresas.

De resto, sem Jamiroquai entre seus “nomes grandes do pôster”, o Primavera Sound foi a público com este pôster marcante.

Alguns destaques: tem o brasileiro Metá Metá na programação. Tocam na sexta-feira, dia em que botaram The National como grande headliner, nada mais corajosamente indie que isso. Numa data que escalam ainda os incríveis Arca, Mogwai e Charlotte Gainsbourg, Ty Segall e promovem a volta do Breeders. Bravo!

O fenomenal Nick Cave and the Bad Seeds (foto na home) e a islandesa duende Bjork comandam a noite de abertura, que elenca ainda War on Drugs, Fever Ray e um live do Four Tet nas letras garrafais do pôster. Sem falar no resgate do Chvrches.

E a noite de encerramento? A volta do Arctic Monkeys (os caras acima), a wonder Lorde, A$ap Rocky e a quadrilha indie Lykke Li, Beach House, Grizzly Bear e Slowdive na parte de cima das atrações, sem contar uma história tipo “Jane Birkin Gainsbourg Symphonic”. Tudo ainda com Deerhunter, Car Seat Headrest e Ariel Pink.

Aliás, o “recheio” do meio de line-up, para variar, é bem interessante. Repare, na última data, a do sábado 2/6, tem o Lift to Experience na escalação. O LIFT TO EXPERIENCE!!!!

Sério!

primavera

>>

Primavera Sound Maravilha: meia hora de Aphex Twin, meia hora de The XX, um pouco de Jamie XX e um outro tanto de Bon Iver

>>

Captura de Tela 2017-06-03 às 12.37.09 PM

* Enquanto lá em Barcelona rola um dos principais eventos indies do planeta, o Primavera Sound, cheio de shows surpresas, a gente fica aqui colecionando os vídeos para assistir e postar. Já tô cansado de tanta coisa boa, imagina para a galera lá. Hoje ainda tem as Haim, surpresa, mas isso fica para depois. Porque agora temos…

>>